Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

QUESTÃO EXISTENCIAL

IMG_1753.JPG

Alguém tem uma opção melhor?

Quem mais sofre do mesmo problema?! (Eh... Eh... Eh...)

NÃO ENSINE O SEU FILHO A COMPARTILHAR - PARTE 2

De acordo com a Dra. Laura Markham (autora do livro “Peaceful Parent, Happy Siblings”, “Pais tranquilos, filhos felizes”, em português), forçar crianças a compartilhar não ensina as lições que nós queremos que elas aprendam”. Segundo ela, o objetivo é que as crianças cresçam e se tornem pessoas generosas, que sejam capazes de perceber e corresponder com as necessidades dos outros. Não devemos permitir que as crianças sintam que é preciso pararem o que estão a fazer para "dar" alguma coisa para outra criança só porque ela pediu. 

 

De acordo com ela, se forçarmos as crianças a compartilhar, só vamos conseguir que a criança pense que:

– se chorar o bastante, vai conseguir o que quer, mesmo que alguém já tenha o que quer;

– os pais estão sempre a comandar, por isso se eles tiverem mais ou menos paciência, vai poder jogar com isso para implorar pela sua vez;

– não gosta do irmão porque está sempre em competição com ele;  

– é gananciosa, mas que é necessário para ter o que merece;

– que o melhor é brincar rápido e de qualquer forma, mesmo que parta alguma coisa, pois não vai ter o que quer por muito tempo;  

– se gritar bem alto muitas vezes para reclamar, os pais vão acabar por ficar cansados e vão deixá-lo mais tempo com o brinquedo. 

 

O que devemos fazer então?

De acordo com a Dra. Markham, em vez de ensinar a compartilhar, devemos oferecer recursos para que elas saibam lidar com essas situações. O objectivo é que a criança perceba quando a outra quer brincar, e que ela garanta que essa criança vai poder brincar. E quando o outro tiver alguma coisa que a criança queira, nós esperamos que ela tenha o controle sobre os seus impulsos e não arranque o brinquedo da mão da outra criança, queremos que ela use palavras para entrar num acordo e poder brincar depois.

 

Ao ensinar as crianças a defenderem-se e a falar por si mesmas (e não imediatamente compartilhar os seus brinquedos), elas não vão esperar que alguém diga quando é a vez delas com o brinquedo e assim, vão poder brincar de forma mais livre. 

 

Forçar a criança a compartilhar, enfraquece a habilidade de aproveitar a brincadeira, além de enfraquecer a relação com o irmão, criando-se uma competição constante. A criança acaba por não absorver a experiência da satisfação e nem da generosidade com o outro, explica a Dra. Markham. 

 

O ideal é encorajar para que haja uma autorregulação dos "turnos" com os brinquedos, é a criança que decide por quanto tempo vai brincar e assim, vai aproveitar completamente o momento. Depois disso, ela vai dar para a outra de "coração aberto”. A Dra. Markham, acredita que isso vai ajudar a criança a ficar mais satisfeita por fazer outra pessoa feliz, acabando por ensinar a generosidade. Por sua vez, ela acredita que a experiência mais educativa ensina à criança: 

– que pode pedir o que quer. Algumas vezes vai conseguir o brinquedo mais rápido outras vezes vai ser necessário esperar um pouco;

– que pode chorar, embora não signifique que vá conseguir o brinquedo;

– que nem sempre consegue o que quer, mas que consegue algo bem melhor, pois os pais vão sempre entender e ajudar;

– que depois de chorar, vai sentir-se melhor;

– que pode brincar com outra coisa e aproveitar na mesma, enquanto que aprende a esperar pela sua vez; 

– que não tem que chorar para conseguir o que quer mais rapidamente, que cada um tem que esperar pela sua vez, pois mais tarde ou mais cedo todos conseguem; 

– a gostar do irmão quando este lhe dá o brinquedo; 

– que pode brincar o tempo que quiser, pois ninguém vai entregá-lo para o irmão. Quando ele terminar de brincar, vai entregar ao irmão, sentindo-se  uma pessoa generosa.

 

No final, o resultado é uma criança paciente, empática e bem preparada para lidar com situações mais complexas no futuro, sem falar que teremos uma família bem mais tranquila e feliz

 

 

Claro que é preciso estar ciente que esta metodologia tem que ter em conta a idade da criança. É natural que na primeira infância, a criança acha que tudo é apenas dela, inclusive a mãe e o pai, e até que as coisas acontecem por causa dela, daí emprestar não vai ser uma alternativa.

Por volta dos dois anos de idade, no auge do egocentrismo, a criança ainda não consegue verbalizar e reage com o corpo. Por exemplo, pode passar pelo irmão e arrancar-lhe o brinquedo da mão, porque na sua fantasia, o mundo gira ao seu redor, o outro não existe e o seu desejo é ter aquilo. Mais tarde, com a linguagem mais desenvolvida, a criança vai criar argumentos: "Não quero emprestar porque ele não é meu amigo". Tudo isto faz parte do desenvolvimento infantil, é parte do amadurecimento da criança e não vai durar para sempre. É preciso ter consciência que não há nada de errado, é apenas a construção da personalidade.

No fim da primeira infância, por volta dos seis anos de idade, é comum o sentimento de posse diminuir consideravelmente. A criança começa a compreender o seu espaço, que existem pessoas com quem precisará dividir o mundo, a situação muda e o compartilhar fica mais fácil, embora não deva ser forçado. adulto tem que respeitar que nem sempre se deve dividir, assim como ele próprio não empresta tudo o que tem aos amigos. 

 

Vivemos num mundo bastante acelerado. Queremos que tudo aconteça à nossa maneira e no nosso tempo, e acabamos por passar por cima de etapas importantes para o desenvolvimento cognitivo da criança. Por isso, se o seu filho ainda não aprendeu a dividir e compartilhar as suas coisas, respire, está tudo bem, afinal é bem normal que assim o seja... Nós cá vamos continuar a "respirar fundo" porque ainda temos muitas "brigas" por vivenciar em casa...

IMG_20210130_105842_329.jpg

E por aí, como tem sido "compartilhar" entre irmão, primos ou amigos?

NÃO ENSINE O SEU FILHO A COMPARTILHAR - PARTE 1

O Gui nunca foi um bebé egoísta, sempre gostou de compartilhar tudo, com adultos ou até crianças que não conhecia... E ao contrário do que tínhamos imaginado, quando o Martin nasceu o seu comportamento pouco ou nada mudou, talvez porque o mano não andasse, os brinquedos do mano eram de "bebé" e os dele não os podia emprestar ao mano ..

 

O tempo foi passando, o Martin e o Gui foram crescendo... E neste último Natal, as coisas começaram a ficar diferentes... Com tantos brinquedos novos o Gui surpreendentemente achou que era crescido... E num dos  fins-de-semana em que fui trabalhar cheguei a casa e encontrei o quarto do Martin todo atulhado de coisas do Gui... Perguntei ao R. o que tinha acontecido, mas foi o Gui que se apressou a dizer que não queria mais aqueles brinquedos porque eram de bebé e por isso podiam ser para o mano...

Fiquei incrédula com aquele gesto de amor, e o meu coração de mãe sentiu-se tão orgulhoso que achei que tudo iria permanecer assim tão maravilhoso, pelo menos, por mais algum tempo...

DSC06249.JPG

Tornamos a remodelar os dois quartos de forma a que os brinquedos ficassem melhor organizados e um tempo depois, com o Martin a completar 18 meses, as coisas começaram a ficar bem diferentes... O Martin cada vez mais curioso e atrevido em relação a tudo o que o Gui fazia, e o Gui a sentir-se ameaçado pela presença do mano no seu quarto... Se até ali o Martin apenas se limitava a seguir o Gui, agora o Martin começava a ter vontades próprias...

 

Agora tem sido assim mais assim: o Martin só quer entrar no quarto do Gui para brincar e espalhar tudo no chão, enquanto que o Gui não suporta ver o quarto dele desarrumado, nem quer que o mano entre no quarto dele, já ele pode entrar no quarto do irmão! E se há dias que até correm mais ou menos, há outros que parece que estamos num autêntico campo de batalha... 

IMG_20210224_152128_241.jpg

Quem tem filhos sabe bem do que falo, e sabe o quanto é difícil tentar atenuar estes conflitos... 

Quem é que nunca viu duas crianças a brincar, numa sala cheia de brinquedos, e muitas vezes as duas a querer o mesmo?! É nessa altura que a "guerra começa" e junto com ela as crises de choro... Eu sempre fui ensinada a compartilhar, como se fosse algo de bom, no entanto existe um movimento que diz que não devemos ensinar os nossos filhos a compartilhar, da qual a Dra. Laura Markham (autora do livro “Peaceful Parent, Happy Siblings”) faz parte. Uma metodologia bastante interessante onde ela justifica isso de uma maneira válida, trazendo informações valiosas para criarmos os nossos filhos e torná-los pessoas simpáticas e equilibradas.... Mas isso vou deixar para o post de amanhã...

 

E vocês, também lidam com este tipo de conflitos? Como costumam resolvê-los?!

QUANDO TENS UM FILHO ARTISTA...

Humor

Um dia destes ao aproximar-me da televisão reparei que havia uma mancha no chão que se estendia em baixo de uma da sala cadeiras da sala... Aproximei-me, espreitei para debaixo e qual não foi o meu espanto quando me deparei com o chão todo riscado...  

IMG_20201209_143854_159.jpg

Chamei o R. e fartamo-nos de rir com aquele achado feito pelo Gui, porque além de nenhum de nós se ter apercebido dele ter feito isso, o nome dele estava mesmo direitinho! 

É óbvio que lhe pedimos explicações sobre aquela atitude e lhe dissemos que não queríamos que aquela situação se voltasse a repetir... Apesar de tudo, confesso que achei super engraçado ele ter escrito o nome dele no chão, acho que ele anda tão orgulhoso por saber escrever o nome dele que faz questão de deixar a marca dele nos lugares menos esperados...

 

FELICIDADE ❤️

Já devem ter desconfiado que a nossa vida anda agora a "mil à hora"... Com a ida à Alemanha e o Martin quase, quase, a completar o seu primeiro aniversário, temos andado nos preparativos para o grande dia! E com tanta correria, quebramos a nossa rotina, e o Gui e o Martin têm andado mais felizes do que nunca... 

IMG_1186.JPG

O MARTIN FEZ 7 MESES

Nem imaginam como me sinto quando penso que o Martin já completou 7 mesinhos... Foi na segunda-feira dia 17 de Fevereiro... 

 

A consulta do sétimo mês, aconteceu praticamente ao 6 meses e meio, e nessa altura pesava 8kg700gr e media 72cm. 

 

É incrível como o Martin continua parecido com o Gui... Continua super risonho e bem disposto, lança gargalhadas contagiantes e está sempre a desafiar o mano para brincar. Aprendeu a gritar e palra imenso. Estranha um bocadinho algumas caras, mas basta uns minutinhos de brincadeira e sorrisos para estar à vontade. Continua fascinado com o mano Gui que passa a vida a brincar com ele e faz de tudo para lhe arrancar umas gargalhadas. 

 

Adora tirar fotografias com a máquina fotográfica, coloca o seu melhor sorriso, e resmunga se ligamos a máquina e começamos a tirar fotografias sem o incluir. À conta disto, o Gui recomeçou a adorar que lhe tirem fotos também, sobretudo quando se trata de tirar com o mano. 

 

Continua a adorar que lhe façam cócegas, tem imensas na barriga,  debaixo do pescoço e dos braços. 

 

Mantém-se encantado pelos seus pés e mãos, por isso sempre que pode põe-se a brincar com eles. Já consegue rolar sobre si próprio... Facilmente se coloca de barriga para baixo, mas para se colocar novamente com a barriga para cima ainda tem um bocadinho de dificuldades por causa do braço que ainda não o consegue colocar na posição ideal... Sentado, consegue controlar melhor a sua postura embora ainda não consiga ficar completamente sozinho, sem qualquer apoio, não falta muito para o conseguir fazer. Por isso, se já era complicado deixá-lo um segundo sozinho, agora fica quase impossível... 

 

Descobriu que os brinquedos fazem imenso barulho, principalmente quando são atirados para o chão por isso, sempre que pode, lá vai um brinquedo para o ar. 

 

Quanto a alimentação tem mudado a pouco e pouco... Neste mês, a sopa do Martin passou a levar carne (experimentou frango, coelho, perú, vitela e carne de vaca), e começou a comer também peixe. Não gostou do sabor da carne de vaca, por isso não voltei a insistir, e adorou o sabor do peixe.

A fruta continua a comê-la sempre no fim da sopa, coisa que ele adora! Já experimentou pêra, maçã e banana, e nunca teve cólicas com nenhuma delas. 

Quanto aos legumes, daqueles que experimentou, não tolerou a alface e ervilhas, ficou com imensas cólicas. Não gostou também do sabor do repolho, por isso desisti de o colocar na sopa, pois sempre que o colocava comia menos.

Ao contrário do Gui, o Martin prefere comer fruta e não sopa, fica tão eufórico que quando vê o prato parece que ainda não comeu nada antes. 

 

Continua a mamar de 2 em 2 horas, sendo que depois da sopa e da fruta espera apenas 1 hora para mamar! Nas noites a rotina não se alterou, continua a acordar a cada 2 ou 3 horas para comer... Apesar disso, não tem aumentado muito de peso pois está muito mais enérgico e mexido, tanto que durante o dia as sestas diminuíram, faz 2 ou 3 sestas que podem ir de 20 a 40 minutos. 

 

A grande novidade deste mês foi o aparecimento dos primeiros dois dentinhos, em baixo, aos seis meses e meio... À conta disso o Martin teve umas três ou quatro noites bem difíceis... Ele e nós... O mais giro é que o seu sorriso começa a ficar cada vez mais irresistível!  

 

Agora é continuar a aproveitar cada minutinho deste Bonequinho Super Fofo...

IMG_0860.JPG

AMIGOS IMPROVÁVEIS 💙

Alguém já viu a amizade entre um tubarão e um mocho? Neste Carnaval foi assim cá em casa... Vesti o Martin, pela primeira vez, com o fato de mocho que era do Gui e, ao contrário do Gui, ele estava super curioso e achou imensa piada. O Gui quis juntar-se ao mano para tirar umas fotografias, e escusado será dizer que ficaram super fofas! 

IMG_0852.JPG

E é desta forma simples que comemoramos o Carnaval cá em casa! E vocês, que máscaras usaram para os mais pequeninos?!

QUARTA-FEIRA SANTA

Quarta-feira é dia do Gui não ter escolinha, por isso fica em casa comigo e com o mano... Confesso que há vezes em que o Gui me consegue deixar com os "cabelos completamente de pé", pois ele é exactamente de opostos: tanto pode ser super fofinho e querido, como depressa se transforma no super-pestinha...

E se na escola é o verdadeiro aluno modelo que até dorme à tarde e tudo, em casa dormir está sempre fora de questão, é que nem se quer vale a pena andar a perder tempo... Claro que depois, no final do dia, fica naquela versão super chata que ninguém gosta... Por isso, as minhas quartas-feiras acabam por ser sempre "quartas-feiras loucas", pois ficar com os dois em casa é realmente cansativo para mim, o Gui consegue ter mais bateria que as pilhas Duracel...

Hoje, como o Gui está um bocadinho doente (está com uma rinofaringite: inflamação da cavidade nasal e faringe), as baterias não estão carregadas como costumam estar... Tentei-lhe explicar que era bom ele descansar um bocadinho depois do almoço, tal como faz na escolinha, mas disse-me logo que não... O Martin entretanto adormeceu, fui fazer umas coisas ao quarto e quando regressei encontrei-o a dormir no sofá! Nem queria acreditar no que estava a ver, tive que registar este momento pois desde que o Martin nasceu, é a primeira vez que isto me acontece... Finalmente tive direito a uma "quarta-feira santa", só é pena isto ter acontecido só porque o Gui está um bocadinho doente... Mas não posso negar que soube bem ter um tempinho para eu poder relaxar um bocadinho também!

IMG_0572.JPG

O MARTIN FEZ 3 MESES

O Martin fez três mesinhos no passado dia 17 de Outubro, mas só hoje é que consegui partilhar com vocês estes 3 mesinhos de amor...

 

Tivemos a consulta na Pediatra, na passada sexta-feira, e ficamos a saber que o Martin já pesa 7.000gr e mede 67cm, o que significa que as roupas dos 3 meses quase já não lhe serve nenhuma...

 

O marco mais importante desta fase foi ele ter começado a querer interagir cada vez mais connosco. Tenta imitar os nossos sons, e adora que falem com ele, principalmente com sons parecidos com os que ele faz (tipo "ou" e "oua"). Começou a sorrir imenso, facilmente se consegue arrancar um sorriso dele, é mesmo super simpático! Além disso, começou a dar umas gargalhadas, é mesmo giro ver o interesse dele em tentar impôr a sua presença. 

 

Descobriu também que tem duas mãozinhas, por isso passa o tempo a brincar com elas... É mesmo fofinho vê-lo com as mãozinhas sempre juntas!

 

Começou a manter a chupeta na boca quando está no colo, na posição vertical, o que facilita imenso quando pegamos nele, pois embora ainda caia muitas vezes por falta de coordenação, acaba por dar muito jeito ele já conseguir segura-la algum tempo.

 

O seu lado observador ficou mais apurado. A cada sítio que vamos, quer explorar tudo com o olhar, como se estivesse a avaliar onde se encontra, e nessas alturas consegue manter-se acordado imenso tempo pois quer ver tudo o que se passa ao seu redor.

 

Em relação à comida, o Martin ainda não estabeleceu nenhuma rotina, tanto de dia como de noite, pode estar 4 ou 5 horas sem comer como pode comer de 2 em 2 horas. Como devem calcular, sabe mesmo bem  quando ele consegue estar 5 horas sem comer durante a noite...

 

No que diz respeito ao sono, o Martin é muito diferente do Gui... Adormece com alguma facilidade, na alcofa ou no berço e durante a noite lança uma espécie de gemido para avisar que tem fome, e quase sempre com os olhos fechados, come e torno-o a colocar na caminha dele sem nenhuma dificuldade.

 

Adora tomar banho por volta das 18h30 - 19h para depois comer e dormir cedo, e no banho é um verdadeiro bonequinho de tão sossegadinho que é (quando me lembro do circo que o Gui fazia para tomar banho... Era sempre choro certo!).

 

Felizmente, o Martin consegue ser muito mais sossegado do que era o Gui, gosta de "colinho" também, mas contenta-se que peguem nele, nem que seja para ficar connosco sentado no sofá. Claro que se passearmos com ele, adora observar tudo, mas não gosta de estar muito tempo no colo, pois assim que começa a ficar cansado quer que o deitem para que ele possa dormir esticadinho.

 

Tambem não gosta de estar sozinho ou ser muito tempo ignorado, gosta que interajam com ele e adora observar as brincadeiras do Gui... Às vezes, e como devem calcular, nem sempre é fácil quando estão os dois muito tempo juntos, pois o Gui esquece-se que o irmão ainda é um bebé e começa a falar alto e a pregar sustos ao irmão, à espera que ele tenha uma reacção engraçada...

 

É mesmo interessante como cada bebé é diferente, e eu posso testemunhar isso mesmo, porque se o Gui exigia muito de mim, o Martin é muito mais calmo e paciente... Às vezes fico na dúvida se é da natureza dele ser mais tranquilo do que o irmão ou se ele é assim porque não tem muita hipótese de se impor... Porque o Gui continua a ter imensa energia e a exigir sempre a nossa atenção para brincarmos com ele... Às tantas o Martin já deu conta que vai ser difícil roubar algum tempo de antena ao irmão! Eh... Eh... Eh...

IMG_0437.JPG

AMAMENTAR DÓI MAS VALE A PENA TENTAR ❤️

Amamentar não é fácil, acreditem... Talvez para uma minoria de mulheres até o seja, mas na maior parte das vezes é complicado... 

 

Por muitos conhecimentos que tenhamos, ou até mesmo experiência, nos primeiros dias, ou mesmo nos primeiros meses, amamentar dói... E dói muito... Os mamilos racham, às vezes até sangram... Depois vem o ingurgitamento mamário e até as mastites... 

 

Como é que um bebezinho tão frágil consegue magoar tanto os mamilos com aquela boquinha tão delicada? Mesmo assim, vamos em frente porque queremos dar o melhor alimento que existe para o nosso bebé... Fechamos os olhos, suamos com tanta dor, e até choramos... 

 

Choramos com dor, choramos por medo de falhar e choramos de cansaço... Com o tempo tudo se acalma... A dor passa, começamos a entrar no ritmo do nosso bebé e este gesto passa a ser natural... E é nesta altura que amamentar fica um momento simples e de puro prazer... 

 

Não existem palavras para explicar o quanto é mágico ver o nosso filho alimentar-se só do que vem de nós... A troca de olhares, os sorrisos, as pequenas brincadeiras... Um momento único onde sentimos que todo o nosso Amor é recíproco!

 

Se é cansativo? Claro que sim, e muito! Principalmente quando temos um bebé que quer mamar com muita frequência...


Se altera muito as minhas rotinas? Sim, bastante! Cada vez que temos que ir a algum lado temos que fazer planos para que ao fim de 2, no máximo 3 horas, estejamos num local apropriado para poder amamentar...

 

Haverá sempre pessoas a questionar se estás a fazer ou a dar o melhor alimento ao teu filho... Elas não fazem por mal, e muitas vezes vamo-nos questionar o porquê de nos estarem a dizer isso... Vamos duvidar de nós e da qualidade deste alimento tão precioso para o nosso bebé... E por vezes até vamos colocar tudo em causa... Tudo isto faz parte deste processo, é preciso acreditar que o nosso leite é o melhor alimento para o nosso filho e que somos capazes... É preciso ter persistência!

 

Apesar de todos os constrangimentos que tive, consegui amamentar o Gui 10 meses e meio, altura em que regressei ao trabalho e me comecei a sentir demasiado cansada para continuar... Com o Martin, mesmo já sendo uma mãe de segunda viagem, os primeiros 15 dias também não foram nada fáceis com tanta dor que tinha por causa dos mamilos rachados e do ingurgitamento mamário.

 

Sei que nem todas as mães conseguem amamentar,  mesmo apesar de todos os esforços, e há também aquelas mães que simplesmente não querem... Serão "menos mãe" por isso?! Claro que não! O bebé vai sobreviver e o amor será exactamente o mesmo! 

 

É obvio que não quero com isto desvalorizar a importância do aleitamento materno, nem incentivar a não amamentar, quem me segue sabe bem o quanto eu sou a favor da amamentação. O meu objetivo com isto é mostrar a quem está aí desse lado que ninguém nasce mãe, ninguém nasce a saber amamentar, tudo isto é um processo de aprendizagem que demora algum tempo.

 

No caso da amamentação, e para quem pretende amamentar, as mães têm que estar cientes que os primeiros dias de amamentação não são, na maior parte das vezes, fáceis, muito pelo contrário, são bastante dolorosos e exigem muito de nós. O importante é estar sensibilizado para o pior porque depois que essa fase passa surgem muitos mais momentos de Felicidade! Por isso, aqui fica o meu conselho, antes de desistir, tente todas as formas de amamentar o bebé, mas se isso não fôr possível não se culpabilize porque importante mesmo é alimentar o bebé com muito amor e carinho! 

IMG_0379.JPG

O SEGUNDO MÊS DO MARTIN

Tal como aconteceu no primeiro mês, o segundo mesinho do Martin foi passado metade em Portugal e metade aqui... E diga-se de passagem que foi um mês repleto de transformações maravilhosas...

 

De repente aquele bebezinho dorminhoco que tínhamos até ali começou a ter percepção do mundo... Foi giro ver todo o processo de descoberta... Começou a observar todos os nossos movimentos, a ficar atento a tudo, a prestar atenção às nossas vozes e a seguir objetos com os olhos. E se há rosto e voz que ele adora é a minha e a do seu mano, é mesmo surpreendente ver o interesse que o Gui desperta no Martin! 

 

Ao contrário do Gui, o Martin é muito mais sossegado e dorminhoco. Adormece facilmente sozinho, mas não gosta de se sentir isolado, por isso nada de o colocarmos longe do barulho pois ele não gosta mesmo nada.

 

Sorri cada vez mais e mais, é super simpático tanto para nós como para rostos menos familiares, e se começarmos a falar com ele, ele esforçasse para falar connosco através de sons, é mesmo super fofo! 

 

Outra conquista foi vê-lo a fazer movimentos bruscos com os bracinhos e as perninhas cada vez que está excitado ou alegre... O Gui acha sempre que nestes momentos ele está a pedir uma espécie de "ajuda", por isso a maior parte das vezes diz-lhe para ter calma pois não está sozinho... 

 

Começou a interagir com alguns brinquedos, sobretudo com aqueles que se movimentam ou emitem algum som, e o Gui já percebeu do que o mano gosta, por isso preocupa-se com ele e quando vê que ele não tem nenhum brinquedo com ele vai procurar um para lhe dar.

 

Em relação à comida, de dia continua a comer a cada 2 ou 3 horas, pode ser mais ou pode ser menos, de noite continua a acordar de 2 em 2 horas... Acho que consegue ser mais comilão do que o Gui! (Eh... Eh... Eh...) À conta disso, ontem fomos à Pediatra e ficamos a saber que pesa agora 6.300gr e já mede 63.5cm! É claro que as roupas depressa deixaram de lhe servir...

 

Ontem teve direito às primeiras vacinas, às dos 2 meses, escusado será dizer que chorou e muito, durante uns 2 longos minutinhos, apesar da pediatra lhe ter prescrito uns pensos anestésicos (impregnados com liocaína) para colocar 1 hora e meia antes. Felizmente só fez um episódio de febre no final do dia que reverteu com a administração do paracetamol... 

 

As cólicas continuam bem menores, acho que o Martin sofre bem menos do que o Gui pois além de quase não chorar, tem dois ou três episódios por dia... Mas nada que a medicação não resolva.

 

Hoje olho para trás e confesso que este segundo mês passou demasiado rápido, pois com as férias de Verão e a entrada do Gui para a Escola, fiquei com a percepção que não pude "aplaudir" com calma cada nova conquista do nosso Bebé Martin... De qualquer forma, mesmo no meio desta correria foi maravilhoso sentir que o nosso Principezinho 2 continua a crescer de forma saudável!

IMG_0291.JPG

BEM-VINDO JULHO 💙

IMG_0098.JPG

Para este mês não vou pedir nada, apenas quero agradecer tudo o que vivi até aqui! Agora é certo, o Martin vai nascer mesmo no mês de Julho... 💙

 

29 SEMANAS DE GRAVIDEZ

E ao fim de 29 semanas de gravidez eis o meus estado...

IMG_9740.JPG

É claro que não direi 5 meses, mas pouco deve faltar para chegar às 5 semanas que estou assim!

(Eh... Eh... Eh...)