Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

QUARTA-FEIRA SANTA

Quarta-feira é dia do Gui não ter escolinha, por isso fica em casa comigo e com o mano... Confesso que há vezes em que o Gui me consegue deixar com os "cabelos completamente de pé", pois ele é exactamente de opostos: tanto pode ser super fofinho e querido, como depressa se transforma no super-pestinha...

E se na escola é o verdadeiro aluno modelo que até dorme à tarde e tudo, em casa dormir está sempre fora de questão, é que nem se quer vale a pena andar a perder tempo... Claro que depois, no final do dia, fica naquela versão super chata que ninguém gosta... Por isso, as minhas quartas-feiras acabam por ser sempre "quartas-feiras loucas", pois ficar com os dois em casa é realmente cansativo para mim, o Gui consegue ter mais bateria que as pilhas Duracel...

Hoje, como o Gui está um bocadinho doente (está com uma rinofaringite: inflamação da cavidade nasal e faringe), as baterias não estão carregadas como costumam estar... Tentei-lhe explicar que era bom ele descansar um bocadinho depois do almoço, tal como faz na escolinha, mas disse-me logo que não... O Martin entretanto adormeceu, fui fazer umas coisas ao quarto e quando regressei encontrei-o a dormir no sofá! Nem queria acreditar no que estava a ver, tive que registar este momento pois desde que o Martin nasceu, é a primeira vez que isto me acontece... Finalmente tive direito a uma "quarta-feira santa", só é pena isto ter acontecido só porque o Gui está um bocadinho doente... Mas não posso negar que soube bem ter um tempinho para eu poder relaxar um bocadinho também!

IMG_0572.JPG

PARTILHAR

Fui buscar o Gui à escola e quando chegamos a casa comecei a brincar com o Martin e o Gui... Nisto o Gui começou a mostrar os brinquedos ao Martin, um de cada vez... Trazia um, brincava um bocadinho, tornava a guardá-lo e trazia outro... O Martin estava a adorar... De repente, pegunto ao Gui:

- Quando o mano fôr mais crescido vais emprestar-lhe os teus brinquedos todos?

O Gui, olha para os brinquedos e com um ar muito sério responde:

- Sim, vou emprestar mamã... Quando o mano tiver o cabelo assim grande como o meu... Muito grande mesmo... Eu vou emprestar...

IMG_0545.JPG

Não aguentei e comecei-me a rir... Com esta resposta é que eu não estava mesmo à espera! Eh... Eh... Eh...

 

CHEIRA AO MANO 💙

IMG_0505.JPG

Aconteceu-me duas vezes no espaço de 15 dias... Lavei o doudou do Gui sem ele saber, e utilizei o detergente da roupa do Martin, à noite quando o Gui pegou nele estava todo espantado a olhar para o doudou, e foi nessa altura que lhe perguntei:

- O que foi Gui?

- Este doudou é meu? Cheira a Martin... - respondeu ele com um ar incrédulo.

Foi então que lhe expliquei que tinha lavado o doudou com detergente da roupa do Martin.

 

Hoje de manhã, na altura de vestir o Gui aconteceu-me uma situação semelhante... Estava ele a tirar o pijama, e como ele gosta que eu lhe mostre a roupa que vai levar, digo:

- Sabes Gui, hoje vais levar esta camisola nova que compramos.

Todo contente, pega na camisola, mas diz com um ar surpreendido: 

- Hum, essa camisola é do Martin...

Do Martin?! Não, é tua, não vês que é grande? - explico eu apressadamente.

- Mas cheira ao Mano! - responde o Gui, de imediato.

- Ah, sim... É verdade, cheira ao Mano porque eu lavei a tua camisola com a roupa do Martin.

 

Isto só para dizer que fiquei impressionada como é que ele, com apenas 3 anos, conhece tão bem o cheiro do irmão! Se isto não é Amor, o que é?! ❤️

AMAMENTAR DÓI MAS VALE A PENA TENTAR ❤️

Amamentar não é fácil, acreditem... Talvez para uma minoria de mulheres até o seja, mas na maior parte das vezes é complicado... 

 

Por muitos conhecimentos que tenhamos, ou até mesmo experiência, nos primeiros dias, ou mesmo nos primeiros meses, amamentar dói... E dói muito... Os mamilos racham, às vezes até sangram... Depois vem o ingurgitamento mamário e até as mastites... 

 

Como é que um bebezinho tão frágil consegue magoar tanto os mamilos com aquela boquinha tão delicada? Mesmo assim, vamos em frente porque queremos dar o melhor alimento que existe para o nosso bebé... Fechamos os olhos, suamos com tanta dor, e até choramos... 

 

Choramos com dor, choramos por medo de falhar e choramos de cansaço... Com o tempo tudo se acalma... A dor passa, começamos a entrar no ritmo do nosso bebé e este gesto passa a ser natural... E é nesta altura que amamentar fica um momento simples e de puro prazer... 

 

Não existem palavras para explicar o quanto é mágico ver o nosso filho alimentar-se só do que vem de nós... A troca de olhares, os sorrisos, as pequenas brincadeiras... Um momento único onde sentimos que todo o nosso Amor é recíproco!

 

Se é cansativo? Claro que sim, e muito! Principalmente quando temos um bebé que quer mamar com muita frequência...


Se altera muito as minhas rotinas? Sim, bastante! Cada vez que temos que ir a algum lado temos que fazer planos para que ao fim de 2, no máximo 3 horas, estejamos num local apropriado para poder amamentar...

 

Haverá sempre pessoas a questionar se estás a fazer ou a dar o melhor alimento ao teu filho... Elas não fazem por mal, e muitas vezes vamo-nos questionar o porquê de nos estarem a dizer isso... Vamos duvidar de nós e da qualidade deste alimento tão precioso para o nosso bebé... E por vezes até vamos colocar tudo em causa... Tudo isto faz parte deste processo, é preciso acreditar que o nosso leite é o melhor alimento para o nosso filho e que somos capazes... É preciso ter persistência!

 

Apesar de todos os constrangimentos que tive, consegui amamentar o Gui 10 meses e meio, altura em que regressei ao trabalho e me comecei a sentir demasiado cansada para continuar... Com o Martin, mesmo já sendo uma mãe de segunda viagem, os primeiros 15 dias também não foram nada fáceis com tanta dor que tinha por causa dos mamilos rachados e do ingurgitamento mamário.

 

Sei que nem todas as mães conseguem amamentar,  mesmo apesar de todos os esforços, e há também aquelas mães que simplesmente não querem... Serão "menos mãe" por isso?! Claro que não! O bebé vai sobreviver e o amor será exactamente o mesmo! 

 

É obvio que não quero com isto desvalorizar a importância do aleitamento materno, nem incentivar a não amamentar, quem me segue sabe bem o quanto eu sou a favor da amamentação. O meu objetivo com isto é mostrar a quem está aí desse lado que ninguém nasce mãe, ninguém nasce a saber amamentar, tudo isto é um processo de aprendizagem que demora algum tempo.

 

No caso da amamentação, e para quem pretende amamentar, as mães têm que estar cientes que os primeiros dias de amamentação não são, na maior parte das vezes, fáceis, muito pelo contrário, são bastante dolorosos e exigem muito de nós. O importante é estar sensibilizado para o pior porque depois que essa fase passa surgem muitos mais momentos de Felicidade! Por isso, aqui fica o meu conselho, antes de desistir, tente todas as formas de amamentar o bebé, mas se isso não fôr possível não se culpabilize porque importante mesmo é alimentar o bebé com muito amor e carinho! 

IMG_0379.JPG

O SEGUNDO MÊS DO MARTIN

Tal como aconteceu no primeiro mês, o segundo mesinho do Martin foi passado metade em Portugal e metade aqui... E diga-se de passagem que foi um mês repleto de transformações maravilhosas...

 

De repente aquele bebezinho dorminhoco que tínhamos até ali começou a ter percepção do mundo... Foi giro ver todo o processo de descoberta... Começou a observar todos os nossos movimentos, a ficar atento a tudo, a prestar atenção às nossas vozes e a seguir objetos com os olhos. E se há rosto e voz que ele adora é a minha e a do seu mano, é mesmo surpreendente ver o interesse que o Gui desperta no Martin! 

 

Ao contrário do Gui, o Martin é muito mais sossegado e dorminhoco. Adormece facilmente sozinho, mas não gosta de se sentir isolado, por isso nada de o colocarmos longe do barulho pois ele não gosta mesmo nada.

 

Sorri cada vez mais e mais, é super simpático tanto para nós como para rostos menos familiares, e se começarmos a falar com ele, ele esforçasse para falar connosco através de sons, é mesmo super fofo! 

 

Outra conquista foi vê-lo a fazer movimentos bruscos com os bracinhos e as perninhas cada vez que está excitado ou alegre... O Gui acha sempre que nestes momentos ele está a pedir uma espécie de "ajuda", por isso a maior parte das vezes diz-lhe para ter calma pois não está sozinho... 

 

Começou a interagir com alguns brinquedos, sobretudo com aqueles que se movimentam ou emitem algum som, e o Gui já percebeu do que o mano gosta, por isso preocupa-se com ele e quando vê que ele não tem nenhum brinquedo com ele vai procurar um para lhe dar.

 

Em relação à comida, de dia continua a comer a cada 2 ou 3 horas, pode ser mais ou pode ser menos, de noite continua a acordar de 2 em 2 horas... Acho que consegue ser mais comilão do que o Gui! (Eh... Eh... Eh...) À conta disso, ontem fomos à Pediatra e ficamos a saber que pesa agora 6.300gr e já mede 63.5cm! É claro que as roupas depressa deixaram de lhe servir...

 

Ontem teve direito às primeiras vacinas, às dos 2 meses, escusado será dizer que chorou e muito, durante uns 2 longos minutinhos, apesar da pediatra lhe ter prescrito uns pensos anestésicos (impregnados com liocaína) para colocar 1 hora e meia antes. Felizmente só fez um episódio de febre no final do dia que reverteu com a administração do paracetamol... 

 

As cólicas continuam bem menores, acho que o Martin sofre bem menos do que o Gui pois além de quase não chorar, tem dois ou três episódios por dia... Mas nada que a medicação não resolva.

 

Hoje olho para trás e confesso que este segundo mês passou demasiado rápido, pois com as férias de Verão e a entrada do Gui para a Escola, fiquei com a percepção que não pude "aplaudir" com calma cada nova conquista do nosso Bebé Martin... De qualquer forma, mesmo no meio desta correria foi maravilhoso sentir que o nosso Principezinho 2 continua a crescer de forma saudável!

IMG_0291.JPG

COM AMOR 💙💙

IMG_0114.JPG

Quem me segue, sabe bem o quanto eu adoro eternizar todos os momentos em fotografia... Já tínhamos feito uma sessão fotográfica durante a gravidez do Gui, por isso quisemos repetir a dose, agora com a família maior... 

 

Aproveitámos para fazer a sessão, mais ou menos com o mesmo tempo de gestação que tinha do Gui, neste caso 37 semanas e 1 dia.  O cenário escolhido foi num parque, perto da casa da fotógrafa... Uma manhã agradável de sol, com uma temperatura a rondar os 23 graus, na melhor companhia de sempre...

 

Tenho que confessar que o Gui ainda nem a meio da sessão íamos e ele já  tinha ficado sem paciência, felizmente a fotógrafa era tão dedicada que conseguiu eternizar este momento com fotografias simplesmente MARAVILHOSAS...

IMG_0115.JPG

Se pretende fazer uma sessão fotográfica durante a gravidez, os fotógrafos aconselham a que esta seja feita entre as 30 e 36 semanas, numa altura em que a mulher já está com a barriga no tamanho ideal para ilustrar fotos de grávida incríveis! Além disso, esta será provavelmente a altura onde os desconfortos, da reta final da gestação (como: inchaço, retenção de líquidos, dificuldade para andar), estarão menos presentes. Na altura que fiz marcação para a sessão fotográfica do Gui e do Martin foram as únicas datas que consegui, felizmente não houve nenhum contra-tempo, mas confesso que à medida que o tempo se ía aproximando fiquei com algum receio que não desse para realizar a sessão... 

 

Se eu já tinha adorado o resultado da primeira sessão de grávida, nesta fiquei absolutamente rendida... É tão bom um dia podermos mostrar aos nossos filhos todo o amor e o carinho que sempre sentimos por eles! 

IMG_0116.JPG