Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

O SEGUNDO FILHO

Martin 💙

"O primeiro filho é um furacão, é uma tempestade, um tsunami. Tu não sabes de onde vem aquela força da natureza, perdes a noção do tempo e do espaço.

Com o primeiro filho tens um curso intensivo de ser mãe e família. Aprendes que não se escolhe a hora que se dorme nem a que se acorda, que não há número exato de fraldas utilizadas por dia, que dar colo é bom, mas que cansa.

Também não tens a mínima ideia do que aconteceu com o teu corpo, quando ele vai voltar ao normal e se ele vai voltar ao normal. Não sabes quando as dores e o desconforto do pós-parto vão passar.

Sentes-te perdida nas horas e na rotina da casa, não sabes quanto tempo o primogénito vai dormir em cada sesta, e não sabes por onde começar, se é pela pilha de louça suja, se é pelo pó da casa, se é deitar-se no sofá e atualizar as mensagens do telemóvel, aspirar a casa, tomar banho ou dormir. Enquanto corres como uma barata tonta pela casa, o bebé já acordou e tu sentes-te um fracasso, no meio do caos que está o teu lar.

Sentes-te sozinha e isolada, porque até ali tinhas direito a ir a qualquer lugar, trabalhavas, tinhas os teus almoços com os amigos e os colegas, passeavas na rua sem compromissos urgentes ou casos de vida ou morte... Fazias happy hours, visitavas a família e podias ficar horas com uma amiga ao telefone...

Com o tempo as coisas ficam melhores, e a tua vida entra num tipo de normalidade...

Aí vem o segundo filho e a emoção diz-te que vais surtar, porque passarás  por tudo de novo, e que além de tudo serão dois filhos para gerir...

O segundo filho chega e tu apercebes-te que viraste uma camaleoa, que te adaptaste ao ambiente e à nova vida, por instinto e por necessidade. Depois do primeiro filho, descobres que ganhaste uma pele nova e super poderes.

As inseguranças da primeira viagem ficam guardadas numa mala pela casa. Com o segundo filho já tens pistas do que se trata cada choro... Sabes priorizar o que fazer enquanto dormem e sabes que não precisas de vigiar o bebé 24 horas por dia. Além disso, a dinâmica do casal já está estabelecida, cada um sabe o que pode fazer, sem cobranças, sem nervos à flor da pele. Enfim, tudo fica mais leve!

O primeiro filho foi “A Prova Surpresa”, o segundo filho é o “Trabalho em Grupo”.

No primeiro filho forma-se uma família, no segundo filho forma-se uma equipa coesa.

O primeiro filho faz nascer uma mãe, com direito a todas as dores e delícias, tal e qual a um parto.

O segundo filho nasce para uma mãe, pronta, madura e com um coração ainda maior!"

(Tecto adaptado, autor Ales Rauter)

IMG_20200717_014241_489.jpg

Parabéns ao meu Bonequinho Martin que hoje completa o seu primeiro aniversário... O primeiro de muitos anos incríveis de vida!

Que a vida nos mantenha aos 4 sempre juntinhos!

TÃO EU...

Maternidade com Humor

IMG_1181.JPG

Sem tirar nem pôr! Ando assim desde que o início desta Pandemia, porque isto de estar o dia todo em casa com dois pimpolhos, acreditem que não é tarefa fácil...

Quem é mãe vai perceber melhor...

Quem mais se identifica?

MÃE POR AMOR ❤️

"A gestação, dói.
O parto, dói.
O pós-parto, dói.
Amamentar, dói.
Ver o filho a chorar, dói.
Não dormir direito, dói.
Servir a todos e ser a última , dói.
Não ter hora para tomar banho, dói.
Ter um dia cansativo e não poder descansar, dói.
Andar com as unhas e os cabelos sem fazer, dói.
Ter uma rotina sem poder se atrasar 1 minuto, pra não perder o controle, dói.
Não ter tempo pra si, dói.
Uma Mãe precisa de ajuda e não de criticas, de carinho e não de porrada, quem cuida de todos também precisa de cuidados...
A Maternidade não é tão terna como parece ser....
Parem de romantizar.
A maternidade não é linda. Lindo é o amor que uma mãe sente por um filho, um AMOR capaz de suportar tudo."
Parem de romantizar a maternidade. A realidade é bem difícil e cheia de aprendizagens!
Ninguém nasce mãe, torna-se mãe!"

(texto adaptado de autor desconhecido)

IMG_0075.JPG

COISAS DE MÃE

IMG_1153.JPG

Quem concorda também?

TEMOS PICASSO

Estava a mandar uns documentos para a minha irmã, e numa fracção de segundos, olho para o lado e apanho o Martin todo satisfeito a fazer a primeira obra de arte dele: uma pintura na porta do quarto do Gui!!! É óbvio que aproveitei o facto de ter o telemóvel não mão e registar aquele momento...

IMG_20200625_235320_022.jpg

Estava tão concentrado que até parecia que não era a primeira vez que estava a pintar!

Tão pequenino e tão atrevido... Conseguiu apanhar um giz do Gui, que nós mantemos sempre longe dele por detrás do quadro de escrever, e em vez de escrever no quadro preto deu mais uns passos e achou que seria bem mais interessante pintar na porta branca.

É impressionante como ele regista tudo o que o mano faz! Ainda bem que o Gui não viu nada disto, estava super distraído, na sala, a ver televisão... Caso contrário era bem capaz de querer imitar também o mano...

O MARTIN FEZ 11 MESES

E de repente o Martin completou 11 mesinhos no passado dia 17 de Junho... E de repente, o nosso bebé pequenino está quase a completar 1 aninho...

 

Na consulta dos 11 meses, dia em que apanhou as vacinas, ficamos a saber que pesa agora 9kg900gr (um peso que pouco se alterou) e já mede 80cm (segundo a Pediatra, o tamanho de um bebé de 17 meses)! 

 

A sua personalidade está cada vez mais vincada. Detesta que o contrariem, odeia que lhe troquem a fralda, vestir é outra aventura e até para o tirar do banho às vezes grita. Faz cada vez mais birras, e passa o tempo a desafiar-nos para coisas que já sabe que vamos dizer "não"... Aquele bebé que era tão sossegadinho de repente ficou super atrevido!

 

Começou a compreender várias palavras e ordens, e a obedecer a coisas simples. Adora atirar para o ar os brinquedos, e tudo o que apanhar, quanto mais barulho fizer melhor! Adora ouvir música, bater palmas e dançar. Palra cada vez mais, grita super alto (quando está contente, quer alguma coisa ou o Gui o contraria) e dá gargalhadas contagiantes para chamar a atenção. O engraçado é que começa agora a tentar imitar-nos, principalmente o mano.

 

Adora andar de um lado para outro a pé, agarrado às nossas mãos, "gatinha super rápido" mas numa versão "sentada", levantando mais a perna direita como que a dar um impulso, adora andar agarrado às coisas e é demasiado destemido... E embora consiga equilibrar-se sozinho por uns segundos é tão trapalhão que começo a desconfiar que o objetivo dele é aprender a correr antes de andar!

 

É louco pelos brinquedos do Gui (como devem calcular nem sempre o Gui fica contente), por objetos diferentes e novos, comandos de televisão, o aspirador, o forno e a máquina de lavar, e tudo o que seja proibido. Além disso, sempre que tem uma oportunidade procura abrir portas e gavetas para ver o que pode encontrar... 

 

Mostra alguma vergonha e timidez quando está na presença de pessoas estranhas, principalmente se são homens, raramente chora, bastam apenas uns minutinhos para ele perder essa timidez.

 

Quanto à alimentação, neste mês, o Martin começou a comer massa simples, como não estava habituado a ter que mastigar algum tempo, enervava-se pois queria comer rápido e não conseguia. Temos que continuar a experimentar e, da próxima, vai experimentar arroz simples. Continua super curioso com o que nós comemos, e quando quer comer mexe com a boca e faz "nham" "nham" como que a pedir comida, por isso temos aproveitado para ele experimentar alimentos novos. Este mês experimentou cerejas, pêssego, nectarina, meloa e melancia, e o resultado foi sempre positivo! Continua a ter preferência pela fruta e adora experimentar coisas novas.

 

Em relação à amamentação mantém-se: mama uma vez de manhã ao acordar, e umas 2 ou 3 vezes durante a noite.

 

O padrão de sono continua um bocadinho alterado com o Martin a acordar algumas vezes durante a noite de forma descontrolada, acho que a crise da separação ainda não passou... De noite dorme uma média de 10 horas (sem descontar aquele tempo em que acorda para comer) e de dia dorme uma vez, depois do almoço, normalmente 1a 2 horas.

 

Como vêem, agora fica impossível deixar o Martin um segundo sozinho, porque além dele não gostar, também não pára um segundo quieto! Está numa fase cheia de energia e que exige muito de nós porque está sempre a pedir para andarmos com ele de um lado para o outro, como se estivesse a treinar para começar a andar.

 

Agora estamos em contagem decrescente para o grande dia, a primeira festa de Aniversário deste nosso Pacotinho de Amor! 

IMG_20200625_010453_763.jpg

SER MÃE MUDA-TE PARA SEMPRE

"Depois de seres mãe nunca mais serás a mesma. O corpo muda, a vida muda, as prioridades mudam. Passas a amar alguém mais do que a ti própria, sentes que darias a vida por eles sem nem te perguntarem duas vezes. 

Ah!... Passas a entender todas as preocupações da tua Mãe...

Choras com medo de não dar conta e vais ter dias que vais ficar feliz com um simples cocó na fralda...

Acredita, Ser Mãe muda-te para sempre... Mas transforma-te no melhor que podes ser!"

(Autor desconhecido)

IMG_1100.JPG

COISAS DE MÃE

Humor

Não me perguntem o motivo, mas aconteceu-nos exactamente isto tanto no Gui como no Martin...

IMG_1052.PNG

Quem mais concorda?!

O GUI FEZ 4 ANOS

Dos 3 aos 4

O Gui fez 4 aninhos no passado dia 6 de Junho e eu ainda não consegui assimilar que o meu pequeno Príncipe está tão crescido... 

 

Já mede 1.06m e pesa cerca de 19Kg. Está cada vez mais curioso, teimoso e atrevido, tanto que chego a pensar que tenho um mini adolescente em casa. Adora ser do contra e mostrar que está cada vez mais independente. Nunca foi tão difícil colocá-lo sentado para comer a horas, vesti-lo, escovar-lhe os dentes, pentear o cabelo, etc, etc... O Gui reclama de tudo. Se fazemos arroz quer massa, se fazemos carne quer peixe, se saímos quer voltar pra casa, se ficamos em casa fica farto. Se está frio quer vestir calções, se está calor quer vestir calças, se está a chover quer calçar umas sapatilhas de pano, se está sol quer usar botas de água.

 

Não se contenta com um "não", como resposta, e passa o tempo a perguntar "porquê". Continua a não gostar de adormecer, dormir muito e ser o centro das atenções.

 

De repente, começou a falar muito melhor, com frases cada vez mais complexas. E embora tenha alguma curiosidade em aprender algumas palavras em francês, a língua Portuguesa continua a ser a sua favorita, e esta pandemia só veio reforçar isso porque deixou de ir à escolinha...

 

Em casa, adora cantar e dançar, saltar no sofá e na cama, ouvir histórias, conversar sem parar (é um autêntico fala barato), fazer imensas perguntas, e fica todo orgulhoso quando lhe fazemos alguma pergunta mais complexa e ele sabe responder. Conhece algumas letras do alfabeto, adora contar em voz alta (embora ainda se perca muito nos números), sabe dizer o seu nome completo, sabe distinguir que existem alguns países (já percebeu que existem vários), começou a distinguir melhor entre "ontem, hoje e amanhã" e tem mais noção da rotina diária (o que sucede a cada actividade diária). 

 

Gosta de brincar às escondidas, à bola, à apanhada, aos polícias e aos bombeiros, e tem sempre que ganhar! Tem um fascínio especial pelos desenhos animados "Patrulha Pata" e os "Blaze e os Monster Machines". Continua a ter uma adoração por animais, principalmente por gatos e patos, e começou a ter um fascínio por animais aquáticos (principalmente peixes e tartarugas). Adora passear ao ar livre; e embora continue super tímido, adora estar rodeado de pessoas; receber amigos e família em casa e que brinquem com ele; adora passar férias em Portugal (e continua a ter uma super memória de elefante, sempre que vamos a Portugal lembra-se das pessoas e o que cada casa tem em particular, e o que as pessoas lhe dão...).

 

Gosta de desenhar (começou a conseguir desenhar pessoas, por isso passa a vida a desenhar-nos, o que é super giro), adora imitar-nos, regar as plantas, cuidar dos animais de estimação e cozinhar (fazemos imensas sobremesas e lanches juntos). 

 

Aprendeu a despir-se/vestir-se e calçar-se (embora ainda não tenha totalmente destreza para o fazer, mas não falta muito para o conseguir), consegue subir as escadas alternando os pés, despejar líquidos e transportar recipientes e aprendeu a andar de bicicleta (sem pendais) com grande destreza.

 

As birras tornaram-se um grande desafio e surgem muitas vezes de situações insignificantes ou quando o contrariamos... Confesso que esta é a parte menos boa porque faz imensas birras e grita que se farta, tanto que até parece que lhe estamos a fazer mal.

 

Começou a perceber o que pode ou não ser perigoso, e passou a ter medo de várias coisas, entre elas o escuro, os “monstros”, aranhas e alguns insectos. 

 

O mais interessante é que quem vê o Gui fora de casa não o conhece verdadeiramente porque, se dentro de casa chega a ser uma pestinha, fora de casa parece um verdadeiro anjinho!

 

O mais giro foi ver o lado super protector do Gui, logo que o mano Martin nasceu... É certo que sente um certo ciuminho, mas o Amor é muito superior a isso tudo! É tão bom ver o Gui encher o irmão de beijos e abraços e ouvi-lo dizer frases super fofas. 

 

Neste último ano, e com a entrada do Gui na escola, a alimentação deu um salto muito positivo. Acho que o facto dele começar a comer na cantina da escola permitiu que ele ficasse mais curioso em provar novos alimentos em casa. Já não é tão esquisito a comer, mas apesar disso, continua a não comer nenhum legume, por isso a sopa faz sempre parte do seu menu diário.

 

Um dos marcos mais importantes, neste último ano, foi o desfralde.... Nunca pensei que iria ser tão difícil!

 

É impressionante todas as mudanças que aconteceram neste último ano... E, ao mesmo tempo, é incrível como nos vamos esquecendo dessa tanta coisa que aconteceu... Por isso, quero continuar a escrever, a fotografar e a filmar, tudo o que puder, para quem um dia o Gui possa sentir todo este Amor que sempre lhe demos!

IMG_20200616_014032_578.jpg

PIOR QUE UM GATO...

Na terça-feira de manhã, o dia começou menos bem... O Martin tinha acabado de acordar quando peguei nele ao colo e, num milésimo de segundo, lá me tinha espetado, sem querer, um dedo no meu olho direito... Parecia que me tinha dado uma chicotada no olho... E apesar de me ter doído imenso, achei que iria acabar por passar depressa, até porque já tinha tido um episódio parecido com o Gui, numa altura em que ele me atirou com uma almofada durante uma brincadeira...

Tomei 1gr de paracetamol, mas de pouco adiantou... Depois do almoço, comecei a ter o olho sempre a lacrimejar e a dor era contínua, principalmente quando estava de cabeça para baixo... Contei as horas para o R. chegar a casa, pois com o Martin e o Gui a correrem sempre de um lado para o outro, a minha vida não estava nada facilitada... 

 

Assim que o R. chegou, dirigi-me a pé ao hospital, ao lado de casa, mas descobri que não tinha urgência de oftalmologia, por isso encaminharam-me para um hospital que ficava a 30 e tal quilómetros daqui... Voltei a casa e disse ao R. que era melhor vir comigo de carro pois tinha receio de conduzir com esta limitação... 

Foram 40 minutos para chegar ao hospital, 1 hora na sala de espera e 10 minutos na consulta, para saber o que o Martin me tinha provocado: um arranhão na córnea!

Nada de grave, certo... Mas que é muito chato, porque além de doer, o olho está sempre a lacrimejar e, até, cada movimento da pálpebra chateia... Sem falar que a minha visão nos primeiros dois dias estava um bocadinho turva!

Saí das urgências com uma receita de 3 colírios e 1 pomada oftálmica. Felizmente havia uma farmácia aberta, até às 22horas, que ficava a 4 quilómetros do hospital e foi para lá que nos dirigimos assim que cheguei ao carro, com o Martin e o Gui saturados de tanto esperar...  

Quando me deitei, e mesmo depois de ter começado o tratamento, o olho doía-me ainda mais, felizmente acabou por melhorar assim que coloquei um saquinho com gelo e acabei por adormecer...

 

Entretanto, já passaram 3 dias e só tenho um bocadinho a visão desfocada, para distâncias mais longas... Agora é continuar a fazer o tratamento direitinho - 1 semana de colírios e 1 mês com a pomada oftálmica - e aguardar que este arranhão cicatrize bem rapidinho!

IMG_20200609_222034~2.jpg

SER MÃE ❤️

"Eis o trabalho mais difícil da face da Terra.

Ser mãe é seguir o turno de 24 horas, 7 dias por semana.

É estar acordada quando o resto do mundo dorme. É amamentar na madrugada e ver as luzes das janelas a apagar-se, até que só reste a sua.

Ser mãe é cheirar a leite por vários meses e morrer de saudades de dar o peito, quando o filho desmamar.

Ser mãe é aprender a trocar fraldas no escuro, com direito a passar creme anti-assaduras.

Ser mãe é preparar a primeira sopinha com o maior cuidado do mundo, e levar um cuspe de volta.

Ser mãe é comer comida fria, é ser a última a servir-se, ou mesmo deixar de comer, para dar a sua parte ao filho que necessite.

Ser mãe é querer que o filho se arraste, gatinhe e finalmente consiga andar. E quando ele aprende a correr, sentir saudades do bebezinho que ficava o dia todo no colo.

Ser mãe é nunca mais olhar para um termómetro que marca 37 graus do mesmo jeito. É passar a noite segurando a mão do pequeno, para ter certeza que a febre passou.

Ser mãe é morrer de vontade de chorar ao ver o filho doente e fazer-se de forte e sorrir, para não preocupá-lo.

Ser mãe é acordar cansada, depois de uma noite mal dormida. E apesar disso fazer tudo do mesmo jeito: dar banho, comida, brincar, trabalhar, cuidar da casa, e colocar o filho para dormir.

Ser mãe é perguntar-se quando passará novamente um dia sem ouvir um choro.

Ser mãe é querer viajar sozinha, mas abrir mão disso até ter certeza de que o seu filho ficará bem sem ela. E quando esse dia chegar, contar os dias para receber o abraço da volta.

Ser mãe é exercitar a paciência diariamente. E perdê-la de vez em quando, entre uma crise de birra e outra.

Ser mãe é ouvir do filho as mesmas palavras que lhe ensinou. E perceber que não basta falar, é preciso dar exemplos.

Ser mãe é sentir culpa por querer voltar ao trabalho. Ou largar tudo para cuidar de um filho, e sentir falta de trabalhar fora.

Ser mãe é aprender que, com duas mãos, é possível executar muito mais do que duas tarefas. Atender o telefone, empurrar o carrinho, abrir a porta, escrever um bilhete, e dar a última colherada do prato... São só alguns exemplos das combinações possíveis.

Ah, mas ser mãe também é…

Sentir aquela mãozinha tão pequena e tão forte, que segura o seu dedo como que querendo dizer: “ei, estou aqui, agora não estás sozinha!”.

É poder afagar por alguns anos os cabelos de um pequeno anjo, enquanto ele está sob as suas asas.

É acordar pela manhã com um abraço apertado, como se não se vissem há muitos anos! O mesmo vale para a saída da escola.

Ser mãe é mostrar uma flor ao filho, e reparar na sua beleza, como há tempos não fazia.

Ser mãe é emocionar-se na primeira vez que se vê o filho repartindo o biscoito.

Ser mãe é ter direito de chorar na apresentação da escola, sem que ninguém a estranhe por isso.

Ser mãe é ter a casa cheia de risadas e de gritinhos de felicidade.

É lembrar como se brinca com carrinhos, com bonecas, ao esconde-esconde ou à apanhada.

Ser mãe é adquirir a coragem de fazer o que o seu coração realmente deseja, porque não há mais espaço para covardias dentro de si.

Ser mãe é tentar ser uma pessoa melhor a cada dia porque o seu filho merece uma mãe que se aprimora com o tempo.

Ser mãe é descobrir que o coração é um espaço infinito e que quanto mais se ama, mais amor cabe ali dentro!"

(Texto adaptado de autor desconhecido)

IMG_20200609_001028_946.jpg

 

O QUARTO ANIVERSÁRIO DO GUI ❤️

O Gui completou 4 aninhos no passado sábado, e mais uma vez celebramos este dia da melhor forma possível...

 

A semana até tinha começado bem quente e repleta de sol, mas a meio da semana as temperaturas começaram a descer e a chuva resolveu aparecer... Felizmente no sábado o sol decidiu brindar-nos e pudemos, mais uma vez, realizar a festa ao ar livre.

 

Este ano, devido à Pandemia, e com as fronteiras fechadas, a festa acabou por ser bem mais pequenina pois apenas puderam estar presentes a nossa família e amigos que moram cá. 

 

O tema da festa foi escolhido pelo Gui - Blaze Monster Machine - um dos desenhos animados favoritos dele. A decoração ficou, como sempre, da minha responsabilidade e, este ano, o bolo foi feito por mim e pelo R.! É verdade, fizemos sozinhos, pela primenira vez, um Bolo de Cake Design... Eu fiz o bolinho de chocolate branco com côco e lima, e o R. fez comigo a decoração com pasta de açúcar... A parte mais complicada foi esticar a pasta de açúcar e colocá-la de forma a cobrir o bolo por completo... Cheguei a pensar que não íamos ser capazes de fazer nada de jeito, mas no final ficamos contentes com o resultado... 

IMG_1074.JPG

O Gui estava super feliz com a festa de aniversário, pois para além de ser a festa dele, era a primeira vez, ao fim de 3 meses, que voltava a ver a "gente toda reunida" e, a primeira vez, que voltava a sentir o sabor daquela "liberdade" que ele tinha antes... Saltou, correu e brincou como há muito tempo não fazia, e quando chegou ao carro cantou para o mano Martin até adormecer!

E não foi só o Gui que veio feliz... Nós também viemos de coração cheio! ❤️

 

COISAS DE MÃE

Quem se identifica, que se acuse aqui...

IMG_1066.JPG

IMG_1065.JPG

IMG_1067.JPG

Eh... Eh... Eh...

O MARTIN FEZ 10 MESES

O Martin fez 10 meses no passado dia 17 de Maio e como manda a tradição festejamos esse dia tal como ele merece.

 

Este mês o Martin foi à consulta um bocadinho mais cedo do habitual, mais precisamente no dia 7 de Maio, e nesse dia pesava 9kg830gr e media 78cm. 

 

A grande novidade foi começar a deslocar-se sozinho, no chão, e sentado! É verdade, adora andar de um lado para outro sentado, com a ajuda das mãos cria o impulso que precisa para se movimentar... E se no início fazia-o de forma mais lenta, agora consegue deslocar-se rápido! É mesmo engraçado vê-lo a "andar de um lado para o outro" assim. Começou também a gatinhar a sério (não a rastejar como fazia quando começou), mas não gosta muito de o fazer pois cansa-se rápido. Adora que o segurem pelas mãos para dar passos grandes e poder percorrer tudo, quando está no chão e nos vê perto agarra-se às nossas pernas para poder colocar-se em pé e nós darmos passadas com ele. Quase a completar 10 meses, começou a sentar-se sozinho.

 

Este mês ficou também marcado pelo aparecimento de mais dois dentinhos: os dois dentes de cima, os chamados "incisivos laterais superiores". Escusado será dizer que o sorriso dele agora está ainda mais fofo!

 

Começou a dizer "chau" com as mãos e a dançar com os braços quando pegamos nele e dançamos com ele. Voltou a bater palmas, sempre com um grande sorriso, e principalmente quando cantamos os parabéns ou quando ele quer chamar a nossa atenção. Interage cada vez mais connosco e tenta comunicar palrando alto, adora dizer "olá, olá, olá" muitas vezes, "ma-ma" e "pa-pa", e por vezes tenta repetir palavras que lhe dizemos. Começou a ter alguma vergonha, às vezes, quando estamos a falar em videochamada com alguém esconde o rosto timidamente no nosso ombro.

 

A sua personalidade está cada vez mais vincada, demonstra desagrado quando não gosta de algo, faz birras, grita para chamar a atenção ou quando está zangado, e até com o corpo é capaz de demonstrar que não quer estar ali ou acolá (começa a arquear as costas e a esticar-se todo como que a dizer que não quer). Detesta que o contrariem e fica zangado quando lhe dizemos "não" ou o impedimos que fazer alguma coisa. 

 

A novidade é que adora abrir armários e é fascinado pelo interior do frigorífico, por isso cada vez que abrimos o frigorífico fica eufórico e vem logo na nossa direcção para o deixarmos mexer nas coisa, quando não o deixamos grita alto para mostrar o desagrado e chega mesmo a chorar. 

 

Os brinquedos (e não só) continuam a ser óptimos para atirar ao chão ou ao ar, quanto mais barulho fizerem melhor! Continua fascinado pelo Gui, e pelos brinquedos dele, adora que brinquem com ele, que lhe façam cócegas, que joguem ao "cu-cu" com ele e que lhe tirem fotografias. Continua a delirar com o momento do banho, com o mano, gosta de brincar com a água e adora chapinhar.

 

Neste mês, o Martin começou a comer comida mais sólida, experimentou arroz e massa, juntamente com a sopa, no início, como não estava habituado a ter que mastigar algum tempo, enervava-se pois queria comer rápido e não conseguia. Hoje não lhe faz qualquer diferença e adora comer a sopa com "pedacinhos". Continua super curioso com o que nós comemos, por isso temos aproveitado para ele experimentar alimentos novos. Começou a gostar de pão. Este mês experimentou morangos, mirtilos, framboesas, amoras, tomate e panquecas de aveia, e o resultado foi sempre positivo! É um verdadeiro comilão e adora experimentar coisas novas! Em relação à amamentação mantém-se: mama uma vez de manhã, ao acordar, e umas 2 ou 3 vezes durante a noite.

 

O padrão de sono mantém-se um bocadinho alterado com o Martin a acordar algumas vezes durante a noite de forma descontrolada, acho que a crise da separação ainda não passou...

 

Mais um mesinho que foi vivido em quarentena de forma intensa... Foi bom termos presenciado a tantos progressos em tão pouco tempo... E quando olho para trás, não dá para acreditar que já passaram 10 mesinhos!

IMG_20200528_015956_973.jpg

COISAS DE MÃE

IMG_1041.JPG

Quem é mãe vai me entender... Nesta fase, com o Martin com 10 meses, dava jeito ter uma mama que ficasse a dormir ao lado dele durante a noite... Não vejo a hora dele dormir umas 7 horas seguidas...  (Eh... Eh... Eh...)