Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

CONHECE A REDINHA DE FRUTAS?

IMG_0829.JPG

A primeira vez que utilizei este utensílio foi com o Gui, tinha ele uns 7 mesinhos, prendinha dos padrinhos quando completou 6 mesinhos... Ontem decidi experimentar com o Martin, por isso achei que seria útil falar deste utensílio uma vez que não o fiz quando o experimentei pela primeira vez...

 

Mas afinal, o que é uma "redinha de frutas"?

Os nomes podem variar mas basicamente trata-se de um utensílio em plástico utilizado para a introdução de pedaços de frutas na alimentação do bebé. Nesse utensílio, existe uma redinha onde é introduzido um pedaço de fruta, que depois de fechada, oferece-se ao bebé. O bebé ao chupar na redinha vai comer a fruta.

 

Quais são as vantagens e as desvantagens da sua utilização?

Os fabricantes afirmam que diminui o risco do bebé se engasgar com um pedaço de fruta, facilitando o início da ingestão de alimentos sólidos e, desta forma, estimulando o consumo de frutas e de uma alimentação saudável.

Em contra-partida, os especialistas dizem que um dos pontos mais importantes do início da alimentação sólida do bebé é ele entrar em contato com as diversas texturas das frutas, de maneira a despertar a sua curiosidade, o paladar e a vontade de comer. Por isso, se colocamos as frutas na redinha, o bebé irá ter apenas oportunidade para conhecer novos sabores. 

 

Querem saber a minha opinião?

Pessoalmente acho que este utensílio é bastante útil numa fase inicial, por volta dos 7 meses, para que o bebé possa ter um acesso fácil aos diferentes sabores das frutas.

Além disso, torna-se uma mais valia quando o bebé tem aquela vontade insaciável de meter tudo à boca pelo desconforto que sente nas gengivas, quando os dentinhos começam a querer nascer. Neste caso, colocar fruta fria dentro da redinha vai ajudar a acalmar a dor, pois a temperatura mais baixa ajuda a anestesiar a dor.

Na minha opinião, o importante é nunca utilizar este utensílio por muito tempo... Um mês é mais que suficiente, para que depois o bebé não sinta dificuldades quando tiver que entrar em contato directamente com a fruta. 

Esta é a minha opinião, baseada na minha experiência, se tiver dúvidas, o melhor é falar com o Pediatra do seu bebé para que possa discutir e esclarecer as duas dúvidas porque cada bebé tem o seu ritmo de desenvolvimento...

 

E vocês, conheciam este produto? 

 

CREMES INDISPENSÁVEIS PARA OS BEBÉS

É interessante constatar que, desde o último ano, a maior parte das pesquisas que fazem ao blog são sobre a Maternidade, não sei se terá a ver com a minha experiência enquanto mãe e enfermeira, se terá a ver com o simples facto da maternidade estar a aumentar, principalmente em Portugal. Por isso, e a pensar em todos aqueles que me visitam por este motivo, achei que seria bastante útil começar a partilhar cada vez mais a minha experiência pessoal nesta área.

 

Hoje venho falar dos produtos de higiene/cremes indispensáveis que utilizo no dia-a-dia com o Martin, desde que ele nasceu, a maior parte já os utilizava com o Gui, e se não os utilizava era porque desconhecia a sua existência. 

 

Basicamente, utilizo 4 produtos diariamente, todos da marca Mustela, e tenho um que apenas utilizo em SOS:

IMG_0726.JPG

1. Gel de Banho - que pode ser utilizado para lavar o cabelo também. Com o Martin, encontrei o champô espuma e optei por comprar e utilizar logo nos primeiros dias de vida para prevenir a crosta láctea, uma vez que não usei com o Gui e depois ele acabou por ter alguma crosta láctea que demorou a ser eliminado;

2. Creme Hidratante - para massajar o corpo e hidratar a pele;

3. Champô espuma - para prevenir e eliminar a crosta láctea. Para quem desconhece, a crosta láctea ou dermatite seborreica é a presença de crostas de coloração amarelada no couro cabeludo do bebé, podendo atingir as sobrancelhas e as orelhas. É muito comum nos recém-nascidos e deve-se a uma produção excessiva de gordura pelos folículos pilosos daquelas regiões. Não causa qualquer incómodo ao bebé, apenas tem uma aparência desagradável e, acaba por desaparecer naturalmente antes do 1º ano de idade. Coincidência ou não, o que é certo é que o Martin ainda não teve esse pequeno problema;

4. Creme protector para o rabo do bebé - utilizo para prevenir a assadura do rabinho;

5. Creme reparador que acalma e purifica a pele com irritações, desde o nascimento - utilizo em SOS para ajudar a reparar irritações superficiais que surgem e vermelhidão: vermelhidão na zona da fralda, pregas, zona péri-oral, manchas vermelhas, arranhões, e picadas de insetos. Foi fantástico no Verão, em Portugal, pois o Martin nem um mês tinha quando foi picado na cara pelos mosquitos e, sendo ele tão pequenino, quase que não podia utilizar mais nada, felizmente tinha comprado este creme que ajudou a reparar aquelas picadelas todas da cara! Além disso, também pode ser utilizado para marcas da varicela.

 

Devem ter reparado que utilizo todos os produtos da mesma marca, neste caso, da marca Mustela pois, além de apresentar óptimos resultados, deixa um cheirinho óptimo no bebé, e tem um preço bastante acessível em relação a muitas outras marcas. 

 

Sempre que se compra o Kit para o recém-nascido nascido, o ideal é comprar todos os produtos da mesma marca e embalagens pequenas, pois caso o bebé faça alguma alergia, ou nasça com pele atópica, o aconselhado é mudar de marca (assim evitam-se grandes desperdícios). Da minha experiência pessoal, a Mustela sempre se revelou uma boa marca, e mesmo para aqueles bebés que possuem peles mais sensíveis existe possui uma vasta gama de produtos! 

 

E por aí, também usam esta marca? Conheciam estes produtos? Ou usam/usaram outras marcas?!

 

 

O QUINTO MÊS DO MARTIN


E é já amanhã que o Martin completa 6 mesinhos, mas com as férias de Natal só hoje é que pude falar deste mesinho que já vai longe...

 

Estavamos em Portugal quando o Martin fez 5 mesinhos, como a Pediatra dele tinha ficado doente fomos à consulta dos 5 meses ao Pediatra em Portugal, o mesmo que tínhamos ido em Agosto... Ficamos a saber que pesa quase 8kg e mede 70cm. O peso não aumentou muito, algo normal para esta fase devido ao facto dos bebés nesta idade serem muito mais activos e dispenderem muita mais energia, já o tamanho, diga-se de passagem que está muito maior que o Gui com a mesma idade! 

 

Este mês de vida foi marcado por muitas alterações, e a mais gira foi vê-lo interagir cada vez mais, principalmente com o Gui, lançando sorrisos e muitas gargalhadas!

 

Está cada vez mais curioso, e se há coisa que ele adora é explorar cada lugar novo, é mesmo giro ver o seu fascínio por tudo o que o rodeia. 

 

Aos poucos começou a brincar cada vez mais e sozinho, e tal como o Gui, prefere estar sempre acompanhado.

 

Uma semana antes de fazer 5 meses, o Martin descobriu que também tem pés, entrou na fase de tirar os sapatos e as meias, e já consegue chegar com os pés na boca! 

 

Consegue estar muito mais tempo sentado, com apoio, e tem um maior controlo sobre o tronco e a cabeça, mas acho que ainda vai demorar um tempinho a conseguir sentar-se sozinho.

 

Como está cada vez super curioso, quando mama distrai-se facilmente com outras pessoas, com sons, e até se eu falar deixa de mamar para ouvir o que se passa! É muito engraçado vê-lo entusiasmado, mas torna-se muito difícil alimentá-lo assim, pelo que só consegue comer bem em locais calmos.

 

Continua a comer de 2 em 2 horas, e à noite de 3 em 3 horas... Pensei que iria começar a mamar menos durante a noite, mas pelos vistos não está muito virado para isso... (Eh... Eh... Eh...) A novidade foi a introdução de alimentos depois que fomos à consulta do quarto mês, comeu a comer pela primeira, no dia 1 de Dezembro, um puré de legume, e diga-se de passagem que não correu muito mal... Dez dias depois começou a comer fruta... Quem estava super entusiasmo era o Gui, afinal o mano dele começou a crescer como ele tanto queria...

 

As cólicas quase desapareceram, são muito raras e surgem apenas quando se introduz um novo alimento.

 

Quanto ao padrão de sono digamos que está mais ou menos estabelecido... De noite dorme cerca de 12 horas e de dia faz três ou quatro sestas de 30 a 45 minutos. E o melhor, é que ao contrário do Gui, o Martin não gosta de dormir no colo, prefere estar todo esticadinho no berço ou na alcofa! 

 

As grandes paixões do Martin são o Gui (fica fascinado com tudo o que ele faz), as brincadeiras, a hora do banho e as gargalhadas que lhe lançamos.

 

É tão bom ver que a cada dia que passa ele interage cada vez mais connosco, é maravilhoso ver o seu sorriso, ouvir as suas gargalhadas, e apercebermo-nos das suas pequenas grandes descobertas! Estamos cada vez mais apaixonados, e mesmo sendo pais de segunda viagem, todas as pequenas coisas que ele faz, por mais banais que vocês possam imaginar, continuam a derretem o nosso coraçãozinho! 

IMG_0677.JPG

PARA TI QUE ESTÁS GRÁVIDA ❤️

"Hoje eu vou falar para ti, que estás grávida. Vou contar-te coisas que poucas pessoas têm coragem de nos falar. Talvez por medo, talvez para não soar negativo, para não colocar medo. Hoje, quero dar-te as mãos, levar-te para um lugar tranquilo e falar olhando nos teus olhos. Quero contar-te algumas coisas. Coisas que ninguém me disse, e que quando eu senti, imaginei-me a pior das criaturas por achar que só eu vivenciava aquilo.

Pois bem. Logo tu darás à luz todo o sentido da tua vida. Serás inundada por um amor nunca antes sentido, imaginado, vivenciado. Terás a certeza de que os teus dias, enfim, terão sentido. Essa fofura em forma de bebé trará alegrias, descobertas e muitas aventuras.
Mas, também te digo que muitas coisas não são tão positivas, podem ocorrer e isso é normal. Sim, normal! Porque, antes de sermos mães, nós somos mulheres. Somos de carne e osso, coração e cérebro. E diria que muito mais coração do que cérebro. Porque nós temos as nossas limitações, porque nos cansamos, porque temos sono, porque temos desejos, porque somos seres humanos.

Essa criaturinha que está a chegar vai precisar de ti a 100% do teu tempo nesse início de vida. E ele vai chorar, e ele não vai dormir, e ele vai pendurar no teu peito por horas e horas e horas. E quando tu estiveres quase a dormir ele vai ter a fralda cheia de xixi. E quando estiveres prontinha para sair ele vai regurgitar em cima da roupa linda dele e em cima de ti, deixando um cheiro azedo.

Não, ele não fará isso para te punir, nem porque tem manhas. Os bebés não têm maturidade emocional para fazer joguinhos de manha. Eles apenas são bebés e precisam de cuidados. Precisam de alguém que os alimente. Acabaram de sair de um útero quentinho, onde estavam protegidos do frio e da luz.

E tu poderás sentir-te, por muitas e muitas vezes, com raiva. E poderás sentir culpa por sentires raiva. E isso vai doer. Vais encontrar, na Internet, milhões de relatos apaixonados sobre a maternidade, sobre o encanto de ser mãe, sobre a coisa mais deliciosa do mundo de cuidar de um bebé. E muitas vezes vais sentir-te a pior mãe do mundo e vais te questionar: <se todos só falam do amor e prazer de ser mãe, porque que é que eu me sinto tão cansada, precisando de mim e querendo ser eu novamente?>.

Eu digo-te: porque tu és normal. Tu és um ser humano. Tu tens desejos, sonhos e necessidades. Não te sintas culpada quando isso acontecer. Ter filhos dá trabalho, sim! Eles são extremamente dependentes, e isso, às vezes, até nos assusta. Pode ser que chores, que tenhas vontade de desaparecer, que olhes para aquele bebezinho tão lindo e não tenhas vontade de pegá-lo no colo. Sim, pode até acontecer!

E isso não significa que és uma péssima mãe. Não. Muitas de nós sentimos isso. Muitas sofrem caladas, eu vivenciei isso e algumas, amigas e conhecidas, também. Não te sintas mal.

Sabes o que é melhor? O melhor é que tiramos uma força não sei de onde, um poder, um amor, sacudimos a poeira, damos a volta por cima em instantes e abrimos um sorriso. Voltamos a ter a doçura que nos é peculiar. Abrimos os braços para o nosso bebé. E damos o peito. E mimamos. E acalentamos. Sentindo um amor que não cabe em adjetivos nem expressões.

E isso é a maternidade. É a dedicação exclusiva mais gratificante da tua vida. E também, por que não, mais cansativa? Mas, quem é que disse que seria fácil? Fomos preparadas para ser mãe e temos condições de superar tudo isso. Amor, esse amor de verdade que falamos quando experimentamos a maternidade, tem um custo. E sabes o melhor? Nós conseguimos! Pagamos qualquer preço e vale muito a pena. Ah, se vale!..." (Texto adaptado - Autor desconhecido)

IMG_0628.JPG

Isto tudo para dizer que eu própria esta noite me senti assim... Acho que foi a pior noite que o Martin teve desde que nasceu... Ele que costuma ser tão calmo e dormir como um anjinho, passou a noite a acordar e a chorar, praticamente todas as horas... Estava cheio de cólicas e nem as gotas milagrosas foram capazes de o sossegar. Às tantas comecei a ficar exausta,  tinha sono, dali a umas horas tinha que me levantar para ir levar o Gui à escola e recomeçar um outro dia... O R. acabou por ter que ajudar também... E eu senti-me mal por estar cansada e ter sono e não ser capaz de estar a cuidar do meu bebezinho... Já eram quase 6 horas quando o Martin ficou mais calmo, o R. já tinha saído para o trabalho, e eu pude respirar de alívio... 

Há dias em que a Maternidade nos mostra o seu lado menos bom, hoje, como mãe de segunda viagem, sei que é perfeitamente natural sentirmo-nos às vezes assim... A primeira vez que isto me aconteceu, no nascimento do Gui, confesso que me senti a pior pessoa do Mundo! 

Se voltava a fazer tudo de novo?! Claro que SIM, não há nada melhor que ser MÃE! ❤️

 

QUARTA-FEIRA SANTA

Quarta-feira é dia do Gui não ter escolinha, por isso fica em casa comigo e com o mano... Confesso que há vezes em que o Gui me consegue deixar com os "cabelos completamente de pé", pois ele é exactamente de opostos: tanto pode ser super fofinho e querido, como depressa se transforma no super-pestinha...

E se na escola é o verdadeiro aluno modelo que até dorme à tarde e tudo, em casa dormir está sempre fora de questão, é que nem se quer vale a pena andar a perder tempo... Claro que depois, no final do dia, fica naquela versão super chata que ninguém gosta... Por isso, as minhas quartas-feiras acabam por ser sempre "quartas-feiras loucas", pois ficar com os dois em casa é realmente cansativo para mim, o Gui consegue ter mais bateria que as pilhas Duracel...

Hoje, como o Gui está um bocadinho doente (está com uma rinofaringite: inflamação da cavidade nasal e faringe), as baterias não estão carregadas como costumam estar... Tentei-lhe explicar que era bom ele descansar um bocadinho depois do almoço, tal como faz na escolinha, mas disse-me logo que não... O Martin entretanto adormeceu, fui fazer umas coisas ao quarto e quando regressei encontrei-o a dormir no sofá! Nem queria acreditar no que estava a ver, tive que registar este momento pois desde que o Martin nasceu, é a primeira vez que isto me acontece... Finalmente tive direito a uma "quarta-feira santa", só é pena isto ter acontecido só porque o Gui está um bocadinho doente... Mas não posso negar que soube bem ter um tempinho para eu poder relaxar um bocadinho também!

IMG_0572.JPG

O MARTIN FEZ 4 MESES

O Martin completou quatro mesinhos no passado dia 17 de Novembro, e eu não poderia deixar de fazer um post para descrever como foi este mês...

 

Fomos hoje à Pediatra fazer as vacinas do 4º mês, basicamente as mesmas que fez aos 2 meses. Desta vez, o Martin chorou mal a viu, parecia que ainda se lembrava da última vez que levou as vacinas e só ficou calmo assim que eu peguei nele e o manti nos meus braços.

 

Ficamos a saber que o gorduchinho do Martin já pesa 7.800gr, e mede 68cm, continua maior que o Gui com o mesmo tempo de vida... 

 

A novidade desta consulta foi a indicação dada para começar a introdução de novos alimentos, legumes e frutas, mas este será assunto para um novo post...

 

Neste mês, os marcos mais importantes foram:

-  conseguir equilibrar a cabeça, o que lhe permite olhar para tudo ao seu redor com muita mais facilidade (adora analisar cada lugar diferente onde vai);

- manter a cabeça e o tronco em extensão quando está deitado de barriga para baixo;

- dar pontapés fortes, quando está deitado de barriga para cima, tem tanta força que temos que estar atentos quando lhe mudamos a fralda, caso contrário corremos o risco de "ver estrelinhas";

- a interacção e o fascínio com brinquedos coloridos e que emitem som;

- pegar em objectos/brinquedos e colocá-los na boca (ainda o faz de uma forma descoordenada, mas é giro ver o esforço que ele faz muitas vezes);

- babar-se imenso, principalmente no final do dia;

- brincar sozinho, principalmente com as mãozinhas dele;

- e claro, os famosos "puxões no cabelo"... Sei que não o faz de forma propositada, mas é impressionante como aquelas mãozinhas tão pequeninas estão sempre prontas a agarrar o meu cabelo!

 

Em relação à comida, ainda não estabeleceu nenhuma rotina para comer... De dia, continua a comer a cada 2 horas, e à noite normalmente adormece por volta das 19h - 19h30, volta a acordar para comer por volta da 1:30 e a partir daqui é quase sempre de 2 em 2 horas, às vezes 3...

 

Quanto a dormir, o Martin continua tranquilo, adormece relativamente rápido, no berço com música de embalar, e durante a noite come praticamente a dormir! De dia faz uma sesta de manhã e uma ou duas à tarde, de manhã pode dormir de 1 a 2 horas, à tarde 45minutos a 1 hora, quando não faz duas sestas de tarde fica um bocadinho chatinho...

 

O que o Martin gosta mesmo é que sorriam e brinquem com ele, adora interagir connosco e com o Gui e não gosta que o "deixem de parte" quando estamos a falar! Outra coisa que ele adora é a hora do banho, principalmente tirar e vestir a parte de cima da roupa, farta-se de dar gargalhadas com tantas cócegas que tem.

 

O Martin continua um Principezinho muito dócil e tranquilo, e o que mais o caracteriza é, sem dúvida, o seu super sorriso!  

IMG_0569.JPG

PARTILHAR

Fui buscar o Gui à escola e quando chegamos a casa comecei a brincar com o Martin e o Gui... Nisto o Gui começou a mostrar os brinquedos ao Martin, um de cada vez... Trazia um, brincava um bocadinho, tornava a guardá-lo e trazia outro... O Martin estava a adorar... De repente, pegunto ao Gui:

- Quando o mano fôr mais crescido vais emprestar-lhe os teus brinquedos todos?

O Gui, olha para os brinquedos e com um ar muito sério responde:

- Sim, vou emprestar mamã... Quando o mano tiver o cabelo assim grande como o meu... Muito grande mesmo... Eu vou emprestar...

IMG_0545.JPG

Não aguentei e comecei-me a rir... Com esta resposta é que eu não estava mesmo à espera! Eh... Eh... Eh...

 

AMAMENTANDO O PRIMEIRO E O SEGUNDO FILHO

Quando o Gui tem escolinha amamentar o Martin é super tranquilo, agora quando fico com os dois em casa... O panorama muda completamente... E de que maneira...

IMG_0517.JPG

É muita adrenalina mesmo...

E por aí, quem confirma?!

(Eh... Eh... Eh...)

CHEIRA AO MANO 💙

IMG_0505.JPG

Aconteceu-me duas vezes no espaço de 15 dias... Lavei o doudou do Gui sem ele saber, e utilizei o detergente da roupa do Martin, à noite quando o Gui pegou nele estava todo espantado a olhar para o doudou, e foi nessa altura que lhe perguntei:

- O que foi Gui?

- Este doudou é meu? Cheira a Martin... - respondeu ele com um ar incrédulo.

Foi então que lhe expliquei que tinha lavado o doudou com detergente da roupa do Martin.

 

Hoje de manhã, na altura de vestir o Gui aconteceu-me uma situação semelhante... Estava ele a tirar o pijama, e como ele gosta que eu lhe mostre a roupa que vai levar, digo:

- Sabes Gui, hoje vais levar esta camisola nova que compramos.

Todo contente, pega na camisola, mas diz com um ar surpreendido: 

- Hum, essa camisola é do Martin...

Do Martin?! Não, é tua, não vês que é grande? - explico eu apressadamente.

- Mas cheira ao Mano! - responde o Gui, de imediato.

- Ah, sim... É verdade, cheira ao Mano porque eu lavei a tua camisola com a roupa do Martin.

 

Isto só para dizer que fiquei impressionada como é que ele, com apenas 3 anos, conhece tão bem o cheiro do irmão! Se isto não é Amor, o que é?! ❤️

CÓLICAS: SINTOMAS E SOLUÇÕES

IMG_0504.JPG

Quando o Martin nasceu, se havia um "medo" que eu tinha era de que ele sofresse tanto de cólicas como sofreu o Gui... E embora soubesse que estas eram perfeitamente naturais e temporárias, era sempre difícil acalmar o Gui nestas alturas, não havia massagem nem posição que o acalmasse, e na maior parte das vezes nem medicação prescrita surtia qualquer efeito...

 

Mas afinal, quando surgem e o que são as cólicas?

De uma maneira geral, as cólicas surgem entre as duas e quatro semanas de vida do bebé, e podem ocorrer a qualquer momento do dia ou da noite, embora sejam mais frequentes entre as 18h e a meia-noite. 

Nem sempre é fácil chegar a um diagnóstico de cólicas no bebé, por isso, em 1954 o Dr. Morris Arthur Wessel, pediatra americano, definiu a regra dos três para a detecção das cólicas do lactente. Ou seja, a cólica do lactente é uma condição em que um bebé bem alimentado e saudável tem períodos inexplicáveis de choro intenso e estados de grande agitação por mais de 3 horas por dia, por mais de 3 dias por semana e por mais de 3 semanas.

 

Qual o motivo para o bebé ter cólicas?
Apesar de haver muita investigação nesta área, desconhece-se ao certo o que causa as cólicas, mas existem algumas explicações apontadas:

- o sistema digestivo do bebé ainda está em desenvolvimento;

- se houver refluxo, o refluxo pode causar desconforto no bebé;

- se está com gases;

- se o bebé fôr superestimulados pelo ambiente;

- e/ou alguma alergia alimentar (no leite materno ou no leite artificial).

A maioria dos bebés deixa de sofrer de cólicas até aos 6 meses, altura em que o sistema digestivo funciona bem.

 

Como avaliar se o bebé está com cólicas?

Se suspeita que o bebé está com cólicas, observe com atenção os seguintes sinais:

- o bebé encolhe e estica as pernas;

- arqueia as costas;

- mexe os braços e pernas em simultâneo;

- o rosto do bebé fica corado enquanto chora;

- fecha as mãozinhas;

- parece estar com dor;

- a barriga parece estar inchada e solta gases. 

 

O que fazer no caso do bebé ter cólicas?

Quando um bebé tem cólicas existem várias coisas simples que se podem fazer, quer para minimizar o risco deste vir a ter cólicas, quer para ajudar o bebé a relaxar quando estas surgem:

- pegar no bebé ao colo (ajuda o bebé a sentir-se mais seguro e tranquilo)

- manter o bebé num local tranquilo;

- alimentar o bebé sempre que ele estiver com fome, não seguindo horários fixos;

- fazer o bebé arrotar depois de ser alimentado (segurar o bebé sobre o ombro e dar umas palmadinhas delicadas nas costas);

- fazer massagens circulares na barriga do bebé, com movimentos lentos e ritmados, no sentido do ponteiro dos relógios;

- dar um banho quente e relaxado;

- dar uma chupeta para acalmá-lo antes do choro começar (o próprio reflexo de sucção ajuda a diminuir a cólica);

- manter a calma, pois o bebé sente o stress da mãe/pai.

 

Quando procurar ajuda médica?
Se depois de experimentar várias técnicas para acalmar o bebé, o choro persistir e nada parecer ajudar, talvez o melhor seja procurar um médico para confirmar se são mesmo cólicas que causam o choro excessivo no bebé e, se fôr caso disso, o médico irá medicar!

 

Com o Martin foi assim...

Estávamos de férias em Portugal quando o Martin começou a ter cólicas, tinha ele pouco mais de três semanas... Aproveitei a consulta do primeiro mês para perguntar ao Pediatra se havia alguma medicação que o Martin pudesse fazer para minimizar o desconforto causado pelas cólicas, pois era difícil acalmá-lo... Aconselhou-me então a fazer dois tipos de "gotas" que se vieram a tornar milagrosas: o BioGaia® (1 vez ao dia) e o Infacalm® (em SOS).

IMG_0492.JPG

O primeiro é nada mais que um "suplemento alimentar rico em bactérias com efeitos benéficos na regularização da flora intestinal, designadas Lactobacillus Reuteri Protectis. Os efeitos de Lactobacillus Reuteri Protectis estão clinicamente provados na manutenção da motilidade, saúde e funcionamento do intestino em lactentes, especialmente na cólica Infantil, dor abdominal funcional e obstipação. Favorece a normalização da flora intestinal, conferindo proteção contra agentes patogénicos. Pode ser administrado desde o primeiro dia de vida" (para mais informações clique aqui).

O segundo, é um medicamento cuja substância activa é o simeticone (dimeticone activado com dióxido de silício), substância esta que actua por redução da tensão superficial, facilitando a remoção de bolhas gasosas presentes no tracto gastrointestinal. Este, ao contrário do primeiro, não deve ser administrado em bebés com menos de 28 dias de idade (para mais informações clique aqui).

 

Desde esse dia, o Martin poucas cólicas teve, de vez enquanto lá tem um episódio ou outro no final do dia ou durante a noite, mas nada se compara às cólicas que o Gui tinha quando era bebé... E embora não possa afirmar que estas gotas são milagrosas para todos os bebés, o que é certo é que para o Martin elas funcionam muito bem!

E por aí, como gerem este desconforto?!

 

 

SESSÃO FOTOGRÁFICA NA MATERNIDADE - MARTIN

Quando escolhemos a Maternidade que o Martin ía nascer, fiquei um bocadinho curiosa por saber se ali também se fazia a famosa sessão fotográfica logo após o nascimento, tal como fizemos com o Gui.  Queríamos ficar com um registo igual para um dia mais tarde ambos poderem ter uma bela recordação das primeiras horas de vida...

 

A fotógrafa apareceu no quarto pouco depois do Martin fazer 24 horas de vida, e a sessão fotográfica foi feita ao segundo dia de vida. Mais uma vez ficamos encantados com este momento tão ternurento e tínhamos uma certa ansiedade para receber as fotografias tiradas naquele dia... E hoje, partilho aqui com vocês 4 dessas fotografias que retratam tão bem o nosso Amor...

IMG_0451.JPG

Parece que foi ontem que estávamos a caminho da Maternidade... E parece que ainda há umas horas atrás preparávamos-nos para tirar as fotografias... Mas a verdade é que já passaram mais de 3 meses desde que este Pipoquinha nasceu

 

Tempo, podes passar bem mais devagar?!

O MARTIN FEZ 3 MESES

O Martin fez três mesinhos no passado dia 17 de Outubro, mas só hoje é que consegui partilhar com vocês estes 3 mesinhos de amor...

 

Tivemos a consulta na Pediatra, na passada sexta-feira, e ficamos a saber que o Martin já pesa 7.000gr e mede 67cm, o que significa que as roupas dos 3 meses quase já não lhe serve nenhuma...

 

O marco mais importante desta fase foi ele ter começado a querer interagir cada vez mais connosco. Tenta imitar os nossos sons, e adora que falem com ele, principalmente com sons parecidos com os que ele faz (tipo "ou" e "oua"). Começou a sorrir imenso, facilmente se consegue arrancar um sorriso dele, é mesmo super simpático! Além disso, começou a dar umas gargalhadas, é mesmo giro ver o interesse dele em tentar impôr a sua presença. 

 

Descobriu também que tem duas mãozinhas, por isso passa o tempo a brincar com elas... É mesmo fofinho vê-lo com as mãozinhas sempre juntas!

 

Começou a manter a chupeta na boca quando está no colo, na posição vertical, o que facilita imenso quando pegamos nele, pois embora ainda caia muitas vezes por falta de coordenação, acaba por dar muito jeito ele já conseguir segura-la algum tempo.

 

O seu lado observador ficou mais apurado. A cada sítio que vamos, quer explorar tudo com o olhar, como se estivesse a avaliar onde se encontra, e nessas alturas consegue manter-se acordado imenso tempo pois quer ver tudo o que se passa ao seu redor.

 

Em relação à comida, o Martin ainda não estabeleceu nenhuma rotina, tanto de dia como de noite, pode estar 4 ou 5 horas sem comer como pode comer de 2 em 2 horas. Como devem calcular, sabe mesmo bem  quando ele consegue estar 5 horas sem comer durante a noite...

 

No que diz respeito ao sono, o Martin é muito diferente do Gui... Adormece com alguma facilidade, na alcofa ou no berço e durante a noite lança uma espécie de gemido para avisar que tem fome, e quase sempre com os olhos fechados, come e torno-o a colocar na caminha dele sem nenhuma dificuldade.

 

Adora tomar banho por volta das 18h30 - 19h para depois comer e dormir cedo, e no banho é um verdadeiro bonequinho de tão sossegadinho que é (quando me lembro do circo que o Gui fazia para tomar banho... Era sempre choro certo!).

 

Felizmente, o Martin consegue ser muito mais sossegado do que era o Gui, gosta de "colinho" também, mas contenta-se que peguem nele, nem que seja para ficar connosco sentado no sofá. Claro que se passearmos com ele, adora observar tudo, mas não gosta de estar muito tempo no colo, pois assim que começa a ficar cansado quer que o deitem para que ele possa dormir esticadinho.

 

Tambem não gosta de estar sozinho ou ser muito tempo ignorado, gosta que interajam com ele e adora observar as brincadeiras do Gui... Às vezes, e como devem calcular, nem sempre é fácil quando estão os dois muito tempo juntos, pois o Gui esquece-se que o irmão ainda é um bebé e começa a falar alto e a pregar sustos ao irmão, à espera que ele tenha uma reacção engraçada...

 

É mesmo interessante como cada bebé é diferente, e eu posso testemunhar isso mesmo, porque se o Gui exigia muito de mim, o Martin é muito mais calmo e paciente... Às vezes fico na dúvida se é da natureza dele ser mais tranquilo do que o irmão ou se ele é assim porque não tem muita hipótese de se impor... Porque o Gui continua a ter imensa energia e a exigir sempre a nossa atenção para brincarmos com ele... Às tantas o Martin já deu conta que vai ser difícil roubar algum tempo de antena ao irmão! Eh... Eh... Eh...

IMG_0437.JPG

QUEM SE IDENTIFICA?!

IMG_0411.JPG

Vai se lá saber o motivo...

Eh... Eh... Eh...

AMAMENTAR DÓI MAS VALE A PENA TENTAR ❤️

Amamentar não é fácil, acreditem... Talvez para uma minoria de mulheres até o seja, mas na maior parte das vezes é complicado... 

 

Por muitos conhecimentos que tenhamos, ou até mesmo experiência, nos primeiros dias, ou mesmo nos primeiros meses, amamentar dói... E dói muito... Os mamilos racham, às vezes até sangram... Depois vem o ingurgitamento mamário e até as mastites... 

 

Como é que um bebezinho tão frágil consegue magoar tanto os mamilos com aquela boquinha tão delicada? Mesmo assim, vamos em frente porque queremos dar o melhor alimento que existe para o nosso bebé... Fechamos os olhos, suamos com tanta dor, e até choramos... 

 

Choramos com dor, choramos por medo de falhar e choramos de cansaço... Com o tempo tudo se acalma... A dor passa, começamos a entrar no ritmo do nosso bebé e este gesto passa a ser natural... E é nesta altura que amamentar fica um momento simples e de puro prazer... 

 

Não existem palavras para explicar o quanto é mágico ver o nosso filho alimentar-se só do que vem de nós... A troca de olhares, os sorrisos, as pequenas brincadeiras... Um momento único onde sentimos que todo o nosso Amor é recíproco!

 

Se é cansativo? Claro que sim, e muito! Principalmente quando temos um bebé que quer mamar com muita frequência...


Se altera muito as minhas rotinas? Sim, bastante! Cada vez que temos que ir a algum lado temos que fazer planos para que ao fim de 2, no máximo 3 horas, estejamos num local apropriado para poder amamentar...

 

Haverá sempre pessoas a questionar se estás a fazer ou a dar o melhor alimento ao teu filho... Elas não fazem por mal, e muitas vezes vamo-nos questionar o porquê de nos estarem a dizer isso... Vamos duvidar de nós e da qualidade deste alimento tão precioso para o nosso bebé... E por vezes até vamos colocar tudo em causa... Tudo isto faz parte deste processo, é preciso acreditar que o nosso leite é o melhor alimento para o nosso filho e que somos capazes... É preciso ter persistência!

 

Apesar de todos os constrangimentos que tive, consegui amamentar o Gui 10 meses e meio, altura em que regressei ao trabalho e me comecei a sentir demasiado cansada para continuar... Com o Martin, mesmo já sendo uma mãe de segunda viagem, os primeiros 15 dias também não foram nada fáceis com tanta dor que tinha por causa dos mamilos rachados e do ingurgitamento mamário.

 

Sei que nem todas as mães conseguem amamentar,  mesmo apesar de todos os esforços, e há também aquelas mães que simplesmente não querem... Serão "menos mãe" por isso?! Claro que não! O bebé vai sobreviver e o amor será exactamente o mesmo! 

 

É obvio que não quero com isto desvalorizar a importância do aleitamento materno, nem incentivar a não amamentar, quem me segue sabe bem o quanto eu sou a favor da amamentação. O meu objetivo com isto é mostrar a quem está aí desse lado que ninguém nasce mãe, ninguém nasce a saber amamentar, tudo isto é um processo de aprendizagem que demora algum tempo.

 

No caso da amamentação, e para quem pretende amamentar, as mães têm que estar cientes que os primeiros dias de amamentação não são, na maior parte das vezes, fáceis, muito pelo contrário, são bastante dolorosos e exigem muito de nós. O importante é estar sensibilizado para o pior porque depois que essa fase passa surgem muitos mais momentos de Felicidade! Por isso, aqui fica o meu conselho, antes de desistir, tente todas as formas de amamentar o bebé, mas se isso não fôr possível não se culpabilize porque importante mesmo é alimentar o bebé com muito amor e carinho! 

IMG_0379.JPG

HÁ "SACRIFÍCIOS" QUE VALEM A PENA ❤️

IMG_0331.JPG

Pois é, por incrível que possa parecer hoje é o meu último dia das chamadas "congé maternité" (licença de maternidade)... Não sei quem raio se lembrou de dar este nome a este tipo de licença porque se traduzirmos à letra dá algo como congé maternité = férias de maternidade!!!! Quem colocou este nome nunca deve ter tido filhos, ou se os teve nunca ficou em casa com eles... Quem tem sabe bem do que estou a falar.... 

 

Era suposto o Martin com 2 meses e meio ficar agora numa creche ou numa ama, mas mais uma vez eu e o R. decidimos fazer um bocadinho de sacrifícios e prolongar este tempo, de forma a que eu possa ficar com o Martin em casa, tal e qual como fizemos com o Gui.

 

Com isto ainda há quem pense que ganhamos milhões para poder suportar com tantas despesas que temos, há ainda aqueles que acham que na França é que dá lucro ter filhos e há ainda aqueles que acreditam que para nós é tudo mais fácil... Enfim... Claro que é preciso fazer contas às despesas que se tem, fazer sacrifícios em coisas que não nos façam tanta falta e recorrer muitas vezes às pequenas economias amealhadas até então, e embora no final o prejuízo económico seja evidente, não há riqueza no mundo que pague este tempo que dedicamos ao nosso bebé numa fase tão importante da sua tenra vida! 

 

Está mais que provado que o aumento do período em que as mães podem ficar com o bebé após o nascimento é de grande importância para o desenvolvimento infantil. O contacto com a mãe estimula as conexões no cérebro do bebé, que faz com que este se sinta seguro, acolhido e amado, condições estas que criam uma inteligência emocional que traz consequências positivas para toda a vida do bebé, em todas as relações. Por isso, aqui fica o meu testemunho, se há uma altura em que devemos fazer "sacrifícios na carteira" este é, sem dúvida, um deles!