Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

A PRIMEIRA VIAGEM A 3

Desculpem a minha ausência mas já devem ter reparado que estamos de férias em Portugal, desde segunda-feira... Hoje venho contar a nossa primeira aventura a 3, a nossa primeira viagem de avião, eu, o Gui e o Martin...

 

Começamos por preparar o Gui umas 3 semanas antes da viagem, volta e meia falávamos das nossas férias de Natal a Portugal, que nós os 3 íamos primeiro e depois ía o papá... Fazíamos questão de lhe dizer que o mais importante era portar-se bem e ajudar a mamã com o Martin, pois o Martin iria no colo, e ele teria que ser muito, muito, forte pois teria que andar sempre a pé e se tivesse sono só poderia dormir no avião...

 

No  dia anterior à viagem, o Gui estava em pulgas, passou o dia a perguntar se era "agora" que ía para o aeroporto... Estava ansioso por chegar a Portugal. O vôo estava previsto para as 6h da manhã, sabíamos que não íamos dormir muito e sabíamos também que era impossível o Gui ir dormir mais cedo do que o habitual. Fizemos as malas, jantamos, tomamos banho e dissemos ao Gui que tínhamos que dormir um bocadinho para dali a um tempo acordarmos para apanhar o avião... Fiz questão de lhe dizer que o avião não esperava por ninguém, que havia um tempo a cumprir, por isso não valia a pena fazer birras pois corríamos o risco do avião levantar vôo sem nós...

 

Eram 3h quando acordamos o Gui, nesse dia nem um "ai" deu, e num tempo record, ficou pronto para sair... Era impressionante ver a vontade dele em fazer tudo direitinho, tal como tínhamos combinado... Faltava agora saber como seria no aeroporto...

 

Infelizmente, nessa noite, o Martin acordou com imensas cólicas, comeu à meia-noite e a partir daqui chorou até às 2h... Eu e o R. não dormimos praticamente nada... Eu estava tramada porque ía viajar com o Gui e o Martin, o R. estava tramado porque, além de nos ter que levar ao aeroporto, tinha que ir trabalhar...

 

De casa até ao aeroporto demoramos os 30 minutos habituais, o Gui não pregou olho, e assim que estacionamos a vontade de ir era tanta que era ele o que mais tinha pressa... Sem nunca reclamar, acompanhou-nos sempre a pé... O R. ficou connosco até entrarmos na zona do controle, e a partir daqui começava a nossa verdadeira aventura à 3...

 

A parte pior foi assim que entramos na zona de controle das malas/passageiros... Tinha o Martin no sling, o Gui ao meu lado e uma mala de mão... Faltava agora retirar tudo para colocar no tapete: comida do bebé, telemóvel, máquina fotográfica, casacos (eu e o Gui), e o melhor de tudo: tirar o sling!!! Como bónus, e sempre com o Martin no colo, ainda tive que tirar as botas pois o alarme tocou, e depois de passar os pés na máquina de controle ainda tive direito a uma "massagem nos pés e nas pernas" pois os meus pés continuavam a alarmar... Enfim... Passada esta parte, onde quase ficamos nus, reuni tudo, tornei a organizar e seguimos para a porta de embarque... A porta de embarque ficava "no cu de Judas", mas a vontade de fazer tudo certinho era bem maior, tanto que o Gui só dizia: "anda mamã, já estamos atrasados, o avião não espera por nós!"...

 

A partir do momento em que ficamos só os 3 e vi que o Gui fazia tudo direitinho sem nunca reclamar, sabia que podia contar com ele para me ajudar! E assim foi, entrámos no avião, bebeu um pacote de leite, colocamos o sinto e não houve uma única birra, tinha ao meu lado o menino mais bem comportado de sempre! Ficou acordado até o avião descolar, adormeceu logo de seguida e só acordou uma vez, a meio da viagem, para dizer que estava a dormir bem... Assim que aterramos  abriu os olhos e muito espantado perguntou se ali era a casa da avó... Esperou por todas as minha indicações... Saímos do avião, fizemos um pequeno percurso à chuva e outro percurso bem maior até chegar à zona das malas...

 

Nunca pensei que o Gui fosse aguentar andar tanto a pé sem dizer que estava cansado... Nunca imaginei que ele fosse ser tão responsável... Dei por mim, muitas vezes, a pensar se iria conseguir fazer a viagem a 3, e confesso até que tive receio que o Gui se lembrasse de fazer birras por estar cansado! Lembrei-me muitas vezes das últimas viagens que fiz com ele de avião, e tive receio que ele se lembrasse de ligar o "complicómetro" e não fizesse nada do que eu lhe pedisse, pois o sono é um grande inimigo nestes momentos... Mas não, aquela imagem que eu tinha do Gui irrequieto o tempo todo não se concretizou em nenhum momento...

IMG_0629.JPG

Já o Martin chorou um bocadinho por causa das cólicas, mas acabou por dormir uma grande parte da viagem... E eu, apesar de toda "partida" e super cansada, senti-me a Super Mulher por ter conseguido viajar sozinha com os meus 2 Principezinhos... É óbvio que tudo isto só foi possível porque os meus dois Bonequinhos portaram-se lindamente e, uma vez mais, o Gui conseguiu surpreender-me pela positiva.

 

Acho que toda a preparação que fizemos com o Gui e o facto de viajarmos de manhã cedo acabou por contribuir para o grande sucesso desta nossa primeira viagem!

PARA TI QUE ESTÁS GRÁVIDA ❤️

"Hoje eu vou falar para ti, que estás grávida. Vou contar-te coisas que poucas pessoas têm coragem de nos falar. Talvez por medo, talvez para não soar negativo, para não colocar medo. Hoje, quero dar-te as mãos, levar-te para um lugar tranquilo e falar olhando nos teus olhos. Quero contar-te algumas coisas. Coisas que ninguém me disse, e que quando eu senti, imaginei-me a pior das criaturas por achar que só eu vivenciava aquilo.

Pois bem. Logo tu darás à luz todo o sentido da tua vida. Serás inundada por um amor nunca antes sentido, imaginado, vivenciado. Terás a certeza de que os teus dias, enfim, terão sentido. Essa fofura em forma de bebé trará alegrias, descobertas e muitas aventuras.
Mas, também te digo que muitas coisas não são tão positivas, podem ocorrer e isso é normal. Sim, normal! Porque, antes de sermos mães, nós somos mulheres. Somos de carne e osso, coração e cérebro. E diria que muito mais coração do que cérebro. Porque nós temos as nossas limitações, porque nos cansamos, porque temos sono, porque temos desejos, porque somos seres humanos.

Essa criaturinha que está a chegar vai precisar de ti a 100% do teu tempo nesse início de vida. E ele vai chorar, e ele não vai dormir, e ele vai pendurar no teu peito por horas e horas e horas. E quando tu estiveres quase a dormir ele vai ter a fralda cheia de xixi. E quando estiveres prontinha para sair ele vai regurgitar em cima da roupa linda dele e em cima de ti, deixando um cheiro azedo.

Não, ele não fará isso para te punir, nem porque tem manhas. Os bebés não têm maturidade emocional para fazer joguinhos de manha. Eles apenas são bebés e precisam de cuidados. Precisam de alguém que os alimente. Acabaram de sair de um útero quentinho, onde estavam protegidos do frio e da luz.

E tu poderás sentir-te, por muitas e muitas vezes, com raiva. E poderás sentir culpa por sentires raiva. E isso vai doer. Vais encontrar, na Internet, milhões de relatos apaixonados sobre a maternidade, sobre o encanto de ser mãe, sobre a coisa mais deliciosa do mundo de cuidar de um bebé. E muitas vezes vais sentir-te a pior mãe do mundo e vais te questionar: <se todos só falam do amor e prazer de ser mãe, porque que é que eu me sinto tão cansada, precisando de mim e querendo ser eu novamente?>.

Eu digo-te: porque tu és normal. Tu és um ser humano. Tu tens desejos, sonhos e necessidades. Não te sintas culpada quando isso acontecer. Ter filhos dá trabalho, sim! Eles são extremamente dependentes, e isso, às vezes, até nos assusta. Pode ser que chores, que tenhas vontade de desaparecer, que olhes para aquele bebezinho tão lindo e não tenhas vontade de pegá-lo no colo. Sim, pode até acontecer!

E isso não significa que és uma péssima mãe. Não. Muitas de nós sentimos isso. Muitas sofrem caladas, eu vivenciei isso e algumas, amigas e conhecidas, também. Não te sintas mal.

Sabes o que é melhor? O melhor é que tiramos uma força não sei de onde, um poder, um amor, sacudimos a poeira, damos a volta por cima em instantes e abrimos um sorriso. Voltamos a ter a doçura que nos é peculiar. Abrimos os braços para o nosso bebé. E damos o peito. E mimamos. E acalentamos. Sentindo um amor que não cabe em adjetivos nem expressões.

E isso é a maternidade. É a dedicação exclusiva mais gratificante da tua vida. E também, por que não, mais cansativa? Mas, quem é que disse que seria fácil? Fomos preparadas para ser mãe e temos condições de superar tudo isso. Amor, esse amor de verdade que falamos quando experimentamos a maternidade, tem um custo. E sabes o melhor? Nós conseguimos! Pagamos qualquer preço e vale muito a pena. Ah, se vale!..." (Texto adaptado - Autor desconhecido)

IMG_0628.JPG

Isto tudo para dizer que eu própria esta noite me senti assim... Acho que foi a pior noite que o Martin teve desde que nasceu... Ele que costuma ser tão calmo e dormir como um anjinho, passou a noite a acordar e a chorar, praticamente todas as horas... Estava cheio de cólicas e nem as gotas milagrosas foram capazes de o sossegar. Às tantas comecei a ficar exausta,  tinha sono, dali a umas horas tinha que me levantar para ir levar o Gui à escola e recomeçar um outro dia... O R. acabou por ter que ajudar também... E eu senti-me mal por estar cansada e ter sono e não ser capaz de estar a cuidar do meu bebezinho... Já eram quase 6 horas quando o Martin ficou mais calmo, o R. já tinha saído para o trabalho, e eu pude respirar de alívio... 

Há dias em que a Maternidade nos mostra o seu lado menos bom, hoje, como mãe de segunda viagem, sei que é perfeitamente natural sentirmo-nos às vezes assim... A primeira vez que isto me aconteceu, no nascimento do Gui, confesso que me senti a pior pessoa do Mundo! 

Se voltava a fazer tudo de novo?! Claro que SIM, não há nada melhor que ser MÃE! ❤️

 

CANSAÇO SELETIVO

Ora aqui algo comum a todas as crianças: o cansaço seletivo! O Gui anda assim há uns 3 ou 4 meses e temo que este cansaço veio para ficar durante muito tempo... 

IMG_0624.JPG

Quem confirma esta minha teoria?! 

TEMPO LIVRE

IMG_0611.JPG

E ainda há quem acredita que ficar em casa com os filhos pequenos é ter boa vida e tempo livre de sobra... Eu cá ainda não consegui encontrar esse tempo livre que muitas pessoas falam... Alguém me explica como é que se arranja uma dose dessas para mim?!

 

O GUI QUER IR À PRAIA

Quase me esquecia de contar mais um dos episódios caricatos do Gui... Aconteceu da última vez que fomos à Alemanha... Chegamos à casa dos meus pais numa sexta-feira, mas só decidimos passear no dia seguinte... O Gui que já estava um bocadinho farto de estar fechado em casa, acorda e começa a choramingar que queria ir "não sei onde"... Na verdade não estávamos a conseguir perceber onde raio ele queria ir, até que conseguimos captar a palavra "Praia"...

- Queres ir à Praia  Gui?! - perguntei eu desconfiada.

- Sim, o Gui quer ir à Praia com a avó e com o avô para apanhar caranguejos! - choramingou o Gui.

- Ó Gui, a mamã, o papá, o mano, a avó e o avô também gostavam de te levar à Praia, mas aqui não há Praia nem caranguejos... Isso é quando vamos à casa dos avós em Portugal, lá é que há a Praia... Aqui é à Alemanha, é como na França, não temos praias perto... No Natal vamos todos à Praia, mas olha que vamos mas não vai estar calor, porque calor é só no Verão, depois dos teus anos... - tentei eu explicar da melhor maneira possível.

- Oh, o Gui esqueceu... - respondeu o Gui num tom mais envergonhado. 

- É complicado Gui, eu sei, ainda és muito pequenino para saberes e te lembrares de tudo... Não faz mal, acontece... Logo, logo vai perceber melhor... O importante é não te esqueceres agora que é na casa de Portugal, onde a avó tem gatos, que o Gui pode ir à Praia... - finalizei eu para o tranquilizar.

 

E assim que saímos à rua, o Gui percebeu de imediato que ali não era de facto o sítio onde costumava ir à Praia... Fartamos-nos de rir todos com esta situação e até o Gui foi capaz de se rir daquele pedido inocente...

 

Escusado será dizer que agora que falamos no Natal, a conversa de ir à Praia vem sempre ao de cima... Este miúdo tem uma memória de Elefante!

IMG_0601.JPG

 

QUARTA-FEIRA SANTA

Quarta-feira é dia do Gui não ter escolinha, por isso fica em casa comigo e com o mano... Confesso que há vezes em que o Gui me consegue deixar com os "cabelos completamente de pé", pois ele é exactamente de opostos: tanto pode ser super fofinho e querido, como depressa se transforma no super-pestinha...

E se na escola é o verdadeiro aluno modelo que até dorme à tarde e tudo, em casa dormir está sempre fora de questão, é que nem se quer vale a pena andar a perder tempo... Claro que depois, no final do dia, fica naquela versão super chata que ninguém gosta... Por isso, as minhas quartas-feiras acabam por ser sempre "quartas-feiras loucas", pois ficar com os dois em casa é realmente cansativo para mim, o Gui consegue ter mais bateria que as pilhas Duracel...

Hoje, como o Gui está um bocadinho doente (está com uma rinofaringite: inflamação da cavidade nasal e faringe), as baterias não estão carregadas como costumam estar... Tentei-lhe explicar que era bom ele descansar um bocadinho depois do almoço, tal como faz na escolinha, mas disse-me logo que não... O Martin entretanto adormeceu, fui fazer umas coisas ao quarto e quando regressei encontrei-o a dormir no sofá! Nem queria acreditar no que estava a ver, tive que registar este momento pois desde que o Martin nasceu, é a primeira vez que isto me acontece... Finalmente tive direito a uma "quarta-feira santa", só é pena isto ter acontecido só porque o Gui está um bocadinho doente... Mas não posso negar que soube bem ter um tempinho para eu poder relaxar um bocadinho também!

IMG_0572.JPG

A MAMÃ ESTÁ CONTENTE ❤️

Com este tempo que convida a ficar por casa, e com o Gui de férias, confesso que a televisão tem funcionado mais horas por dia... É óbvio que às vezes coloco uns desenhos animados que o Gui gosta,  mas na maioria do tempo tenho o cuidado de colocar num programa que possa ser educativo...

Ontem, por exemplo, lembrei-me de colocar num programa sobre vida selvagem, algo que eu gosto imenso e que há muito tempo não via... Apesar disso, nem estava a ver o programa com grande atenção, e parecia que o Gui também não estava a ligar muito... De repente, todo entusiasmado, o Gui aponta para a televisão e grita: "Mamã, mamã, olha um PELICANO!". Fiquei com a cara mais parva a olhar para ele e perguntei-lhe como é que ele sabia o nome daquele animal, pois a única e última vez que eu me lembro de termos visto aquele animal foi quando fomos ao ZOO de Beauval, em Agosto de 2018... Tinha ele dois anos... Devo ter esboçado um sorriso discretamente assim que lhe perguntei isto, pois de imediato ele respondeu-me eufórico: "O Gui sabe mamã. A mamã está contente...." 

Claro que fiquei bastante contente, e ao mesmo tempo surpreendida com a super memória que ele tem... E fiz questão de lhe dizer isso mesmo para ele sentir o quanto é bom e importante apreender coisas novas!

IMG_0425.JPG

NINGUÉM DISSE QUE SERIA FÁCIL

"Tem dias que o bicho pega. O bebé chora. Não dorme...

O filho mais velho desobedece...

Tem dias que tem mais comida no chão do que na barriga. E mais “nãos” do que abraços...

Tem dias que a gente não coloca maquilhagem, não faz a cama, nem escova os dentes...

Tem dias que o nosso maior desejo é a nossa cama ou um banho...

Tem dias que a gente acredita que está a fazer tudo errado. Tem dias que a gente tem certeza...

Mas a verdade é que, apesar destas adversidades, ser mãe é bom demais!

Porque só quem é mãe sabe como é se sentir amada quando apenas o seu colo acalma o bebé. Por mais cansada que estejamos, tem dias que dá uma sensação indescritível de superpoder.

Porque só quem é mãe sabe como é receber um abraço e um pedido de desculpas depois de uma crise de birra e desobediência. Passar pela tempestade cansa, mas ouvir um “eu não quero te desobedecer” não tem preço.

Porque só quem é mãe sabe o que é ser resiliente. Usar cada dificuldade para se superar. Usar cada comida no chão para melhorar a próxima receita. E cada “não” para aprender uma nova forma de se comunicar e educar.

Porque só quem é mãe sabe o valor de 8, 6, 5 horas de sono. E apesar das muitas madrugadas em claro, quem é mãe sabe o sentimento de satisfação ao colocar o bebé no berço ou o filho mais velho na cama e voltar para o seu quarto sabendo que acolheu e amou o seu bem mais precioso quando ele precisava.

Porque só quem é mãe entende que realmente a alegria deixa o rosto bonito e vale mais do que uma casa arrumada.

Porque só quem é mãe aprende a lidar com as cobranças internas e externas e entende que está fazendo um bom trabalho quando ouve “mamã, és a melhor mãe do mundo”!

Eu não, eu não vivo num mar de rosas. Eu tenho sono, fico stressada, às vezes perco o controle e até grito. Sinto falta de um tempo para mim e me cobro constantemente. Mas tenho aprendido que a vida é muito curta para perder momentos preciosos por coisas de pouca importância. Para o chão, tem pano; para o sono, café; para a roupa, sabão em pó; para as notas, livros de estudo. Tudo isso vai passar e que lembranças ficarão?"

IMG_20191017_181010.jpg

(texto adaptado de autor desconhecido)

BEM-VINDO JULHO 💙

IMG_0098.JPG

Para este mês não vou pedir nada, apenas quero agradecer tudo o que vivi até aqui! Agora é certo, o Martin vai nascer mesmo no mês de Julho... 💙

 

9 MESES DE MARTIN 💙

85B6F6D0-780C-4BCB-9DC0-6D9D81E33635.jpg

Com tanta correria cá em casa, nem demos conta que entramos no nono mês de gravidez na passada sexta-feira, exactamente nas 36 semanas de gravidez

 

lavei e passei todas as roupinhas do Martin,  e acho que tenho quase tudo pronto, no caso do Martin nascer... Digo quase, pois só hoje é que vou fazer a "mala de maternidade"... 

 

O tempo tem passado demasiado rápido, e se há dias que acho que não vou aguentar muito mais tempo este "peso todo", há outros que me sinto tão bem que chego a desejar que o tempo pare só para poder aproveitar mais, e mais, cada segundo desta fase tão mágica... 

 

Na última consulta, dia 11 de Junho, o Martin já se encontrava bem posicionado, estava com a cabeça para baixo, vamos lá ver se ele consegue manter-se nessa posição, porque tal como o Gui, o Martin tem-se revelado um verdadeiro acrobata na minha barriga... E o mais engraçado é que os horários das acrobacias são exactamente os mesmo!

 

Para quem desconhece, a partir das 37 semanas, o bebé já está pronto para nascer a qualquer momento, por isso é normal que entre as 36 e as 37 semanas cerca de 98% dos bebés já tenham dado a volta, ou seja, viraram-se de forma a ficar de cabeça para baixo, em direção à pélvis da mãe. Esta é a melhor posição para o bebé nascer por parto normal porque a cabeça é a área maior do corpo, depois de sair a cabeça, o corpo do bebé desliza facilmente para o exterior. Gostava que o parto fosse outra vez normal, mas claro que o mais importante é que no final tudo corra bem e o Martin nasça cheio de vida! 

 

Tal como na gravidez do Gui, tenho um pressentimento que o Martin vai nascer para breve, mas pode ser só mais um dos meus pressentimentos errados... Se dependesse de mim, pedia ao Martin para nascer às 39 semanas, o que daria no início de mês de Julho, pois em Agosto rumamos de férias a Portugal... Assim ele não seria tão pequenino para viajar e eu também estaria  mais em forma! 

 

Enquanto que ele não nasce, vou tentando registar a minha super barriga, pois quero que um dia o Martin também possa sentir todo o amor que  sentimos por ele desde que soubemos que ele fazia parte da nossa família...

IMG_9982.JPG