Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

O QUINTO ANIVERSÁRIO DO GUI ❤️

Para finalizar o mês de Junho, decidi deixar um post que retrata mais um dia feliz, o quinto Aniversário do Gui, celebrado no passado dia 6 de Junho...

 

Como manda a tradição, festejamos este dia ao ar livre, no Domaine de Chamarande, e mais uma vez a Pandemia fez com que nem todas as pessoas pudessem vir. Apenas a minha mãe conseguiu fazer uma super surpresa ao Gui, que delirou com a sua presença por isso, tal como o ano passado, a festa acabou por ser pequenina.

 

Desta vez, o Gui escolheu o tema "Spiderman", um dos super-heróis favoritos dele. Como sempre, a decoração ficou da minha responsabilidade e o bolo tornou a ser confeccionado por mim e pelo R.! Este ano não sei muito bem o motivo, mas foi bem mais fácil esticar a pasta de açúcar e cobrir o bolo por completo.

 

Depois de vermos tudo no sítio, ficamos super contentes por termos conseguido superar as expectativas do Gui...

IMG_1923.JPG 

O GUI FEZ 5 ANOS ❤️

E de repente o Gui fez 5 aninhos, no passado dia 6 de Junho, e eu continuo a sentir que o tempo está a passar demasiadamente rápido... 

 

Já mede 1.13m e pesa cerca de 21.5Kg. Continua super curioso, teimoso, resmungão e atrevido.... Muitas vezes, olhamos para ele e perguntamo-nos a quem saiu aquele mau feitio... Mas depois, derretemo-nos com o seu sorriso malandro e doce... Quantas vezes pedimos-lhe um abraço ou um beijinho e ele não dá... Mas depois, quando menos esperamos abraça-nos forte e diz-nos que gosta de nós "daqui até à lua e voltar". 

 

Continua a não gostar de adormecer, dormir muito e ser o centro das atenções. Em casa, adora saltar no sofá e na cama, andar de bicicleta, fazer corridas, falar alto, fazer bolinhas de sabão, ouvir histórias, conversar sem parar (é um autêntico fala barato), jogar à bola, jogar a jogos de "tabuleiro" e ver desenhos animados (neste momento anda fascinado com os Pokémons). Tem uma adoração pelos super-heróis como o Homem Aranha, o Capitão América, o Hulk, o Batman e o Homem de Ferro. Continua a ter uma adoração por animais, mas o fascínio agora é para os animais aquáticos e os caracóis.

 

Adora passear ao ar livre, receber amigos e família e que brinquem com ele... Por isso, o confinamento foi um bocadinho difícil de se viver, pois tornou-nos muito mais solitários...

 

Adora desenhar, faz imensos desenhos e faz questão de os guardar todos! Conhece e sabe escrever todas as letras do alfabeto, sabe contar até 20 (embora às vezes ainda se perca um bocadinho a partir do 15), é capaz de escrever os principais números e sabe escrever o seu nome próprio sem qualquer ajuda. Aprendeu muitas coisas na escolinha, mas ainda não aprendeu o que eu considero fundamental: a ser um menino bem menos tímido e mais conversador quando está fora de casa. Isto tem trazido alguns "problemas" pois tenho sempre que explicar que esse comportamento introvertido só acontece fora de casa...

 

É incrível a quantidade de perguntas e reflexões que ele pode fazer, às vezes, tantas que nem sempre conseguimos ter respostas para as suas curiosidades. Passa a vida a perguntar "porquê" e quando não quer fazer alguma coisa as frases mais ouvidas são o "não consigo" e "estou cansado". 

 

Só quem o conhece bem é que sabe, que por detrás deste menino rebelde e tímido, existe um menino com um coração cheio de amor... Um super mano que fica zangado porque o mano lhe desarruma o quarto e destrói tudo o que ele cuidadosamente faz... Um super mano que, por esse motivo, não deixa o mano entrar no quarto, mas que apesar disso não consegue viver sem ele, enchê-lo de beijos e abraços e ensinar-lhe palavras carinhosamente... 

 

É incrível olhar para trás e ver todo o percurso que ele fez até aqui... Não vou negar que foi um caminho difícil, cheio de medos e inseguranças, e muitas vezes resolvido no meio de um turbilhão de emoções... O Gui foi talvez o nosso maior desafio, talvez por ser o nosso primeiro filho...  Foi com ele que descobrimos que, afinal, aquilo que nós ensinamos é muito inferior àquilo que aprendemos com ele... Talvez seja este o segredo para o tamanho de todo o nosso AMOR!

IMG_1850.JPG

FELIZ DIA DA CRIANÇA

O tempo que gastamos com as nossas crianças nunca é tempo "mal gasto" ou desperdiçado!  

DSC07963.JPG

E quem disse que este dia é apenas para as crianças comemorarem? Cante, salte, dance, brinque e corra como se tivesses voltado no tempo... Não há nada como brincar!

Feliz Dia das Crianças em Especial para as todas as crianças da nossa vida!

CADA CRIANÇA É ÚNICA

Mãe de dois

Enquanto que o Martin sempre adormeceu sozinho no berço, o Gui sempre teve necessidade de um contacto permanente... Tanto que ainda hoje o Gui é assim...

IMG_9509.JPG

Depois dele adormecer, eu e o R. tornamos a ir para a sala ver televisão, e no final da noite, bem já tarde, encontrarmo-nos os três, a dormir juntinhos!

Sei que muitos de vocês vão criticar ou achar estranho, mas nós não nos importamos nadinha... Já fizemos vários testes para ele dormir no quarto dele, tal como faz o Martin, mas não adianta, acaba sempre no nosso quarto... No final, o R. olha para mim e chegamos à conclusão que nós também precisamos daqueles pezinhos e daquelas mãozinhas bem em cima de nós... E eles crescem tão rápido que há que aproveitar esta fase em que eles nos pertencem só a nós!

Quem mais concorda com isto?!

 

EM PORTUGUÊS...

Peripécias com o Gui

Um dia destes a comer a sopa o Gui começou a reclamar que a sopa tinha um legume estranho... Olhei para ele e disse-lhe que não havia legume estranho nenhum, que sempre deitei aquele legume na sopa só que desta vez tinha ficado mal ralado. 

Espantado, olha para mim e diz:

- Mamã, diz lá então qual é o nome do legume...

- Alho francês - disse eu no mesmo instante.

- Não, mamã. Diz lá, em português - barafustou o Gui.

- Em português, é alho francês - respondi eu sem perceber a dúvida.

- Oh... Está bem, não queres dizer não digas. - disse o Gui já meio amuado.

- Gui, estou a dizer que esse legume, em português, chama-se mesmo alho francês, e em francês é POIREAU!

- Ah... Já percebi! Não sabia... - exclamou o Gui espantado.IMG_1778.JPG

"MUITO BONITO"

Ontem, o Gui chegou dos tempos livres e disse-me:

- Mamã, amanhã tenho que ir muito bonito.

- Muito bonito... Mas tu vais sempre muito bonito. O que há amanhã Gui? - perguntei super curiosa.

- Porque amanhã tenho um espectáculo e tenho que ir bonito... Mas, não é bonito de camisa, não vou tirar fotografias.

Respirei fundo para não rir, e respondi-lhe: 

- Sabes Gui, tu ficas tão bonito de camisa que a mamã de vez enquando gosta de te ver assim.

Sem exitção, o Gui respondeu: 

- Está bem mamã, pode ser levo então uma camisa para ir bonito!

IMG_20210421_172214_968.jpg

Moral da história: o meu Principezinho está a crescer rápido demais! 

QUEM FAZIA DE COMER?

Conversas do Gui

Estávamos a jantar quando de repente o Gui, com uma cara de espanto, perguntou :

- Mamã, quando éramos todos pequeninhos quem fazia de comer para nós?! 

IMG_20201215_101642.jpg

- Todos pequeninhos?! Sabes Gui, nós nunca fomos todos pequeninhos ao mesmo tempo... Primeiro nasceu o papá, na barriga da avó L., e a avó L. e o avô B. é que faziam de comida para o papá. Depois nasceu a mamã, na barriga da avó L, e a avó L. e o avô P. faziam a comida para a mamã. O tempo passou, o papá e a mamã cresceram, um dia conheceram-se e nasceste tu, e a seguir o Martin... Disto já te lembras, certo?

- Ah.... Agora já percebi... Não sabia... - respondeu o Gui todo admirado.

 

Mais uma das conversas profundas do Gui...

É mesmo giro a curiosidade que ele vai demonstrando cada vez mais com tudo...

ESCOLA E AMA EM TEMPOS DE PANDEMIA

Terceira vaga Covid-19 em França

Depois de tantas incertezas e confusões, na sexta-feira, ficamos a saber que afinal as amas íam poder continuar a trabalhar, por isso o Martin poderia continuar a ir para a Manu. Faltava agora ter certeza em relação ao Gui...

Na sexta-feira de manhã perguntei à directora se o Gui teria direito a ter acesso à escola/ tempos livres uma vez que eu era considerada "profissional prioritária no combate à Covid-19", embora o R. não fizesse parte dessa lista. Com a maior das convicções, a directora afirmou-me que o Gui não teria direito porque para isso os dois pais teriam que fazer parte dessa "lista de profissionais prioritários". 

Confesso que não fiquei convencida com aquela resposta e tentei obter informações noutras fontes... Perguntei às minhas colegas como estavam a fazer as outras escolas, e uma delas, que pertence à associação de pais, disse-me que tínhamos direito, e que bastava apenas um dos pais ter uma profissão considerada "prioritária". Aproveitei que nesse dia o Gui tinha ido aos tempos livres e coloquei a mesma questão, ao qual responderam com um "grande sim"...

Nesse mesmo dia, enviei os documentos necessários, para a Câmara Municipal, de forma a transmitir os dias que precisávamos que o Gui frequentasse a escola/tempos livres. Mas na segunda-feira à noite, a directora da outra escola informava-me que o Gui não fazia parte da lista de alunos inscritos, lista essa que tinha sido fornecida pela escola dele... Li duas ou três vezes aquele e-mail e naquele instante nem queria acreditar que a directora não tivesse colocado o Gui na lista... Enviei-lhe imediatamente um e-mail a pedir-lhe que fizesse a inscrição dele porque reuníamos todos os critérios necessários. Numa questão de minutos, sem qualquer pedido de desculpas por parte dela, a inscrição estava feita, alegando apenas que as directivas tinham apenas sido alteradas naquele dia à noite...

Fiquei impressionada com a falta de organização e informação por parte da directora da escola, mas cá para mim tudo isto deveu-se à conversa que tivemos na sexta-feira de manhã quando ela chamou por mim para me fazer um comunicado que me deixou estupefacta... Mas isto, deixarei para um outro post porque ainda hoje estou a digerir essa conversa... 

O importante é que o Gui e o Martin vão poder continuar a ficar na escolinha e na ama, de forma a que possamos trabalhar os dois sem sermos penalizado. 

Quantos aos riscos, sabemos que eles sempre vão existir, mas nunca serão superiores aqueles que eles estiveram sujeitos até então...

IMG_1745.JPG

PRECISA-SE DE UMA BRUXA

Humor na Maternidade

Ontem fui trabalhar, e quando vinha a caminho de casa, estava com aquela sensação de férias de Páscoa... Tínhamos programado ir à Alemanha, como fazemos deste que cá estamos, mas com as restrições impostas ficamos limitados a ficar aqui...

Entrei em casa, toda contente, mas assim que o R. apareceu a dizer que tinha notícias menos boas, fiquei imediatamente preocupada...

O Gui tinha vindo da escolinha com diarreias, cheio de cólicas e sempre a correr para a casa de banho...  

O Martin tinha escorregado na casa de banho ao sair do banho, e caiu para a frente, de cabeça, sem qualquer apoio... Tinha sangrado imenso do nariz, tinha uma marca na testa e o nariz inchado, que mais parecia o Batatinha...

Nem queria acreditar no que o R me acabava de contar.... Para ficar mais tranquila, liguei para o Centro de Emergência Médica para saber se seria pertinente levar o Martin às Urgências... O meu maior receio era que ele tivesse fracturado o nariz... Do outro lado, a médica, disse que não seria necessário, apenas precisávamos de estar atentos para avaliar se o seu comportamento não mudava.

Ao Gui dei-lhe um antidiarreico e o paracetamol para acalmar a dor de barriga...

Uma hora e meia depois, com o Martin e o Gui já a dormir, o ambiente tornava a ficar tranquilo. Felizmente, a noite foi calma e de manhã o ambiente parecia novamente normal...

Mesmo assim, não pude deixar de voltar a pensar que ultimamente parece que tudo nos acontece, e a nossa vida gira em torno de médicos e hospitais... Acho que precisamos de "ir à Bruxa"! 

IMG_1702.JPG

PLANETAS...

Perguntas de uma criança de 4 anos...

No dia em que o Martin teve alta, o Gui, do nada, colocou-me duas perguntas pertinentes na hora do jantar:

- Mamã, como se formaram os Planetas? E nós, como aparecemos?

Olhei para o R. e sem saber o que lhe responder, pois jamais imaginava que ele faria este tipo de perguntas com esta idade, perguntei-lhe porque tinha interesse em saber sobre isso e se alguém tinha falado desse assunto na escolinha...

Com o ar de "menino inteligente", e na inocência dos seus pouco mais de 4 anos e meio, o Gui respondeu: 

- Não, ninguém falou disso, sou eu que quero saber.

Incrédula com aquela resposta perguntei de imediato ao R. o que tinham andado a fazer nos 3 dias em que eu e o Martin estivemos ausentes de casa.

- Nada de mais, o costume, até eu fiquei impressionado! - disse o R. com ar de espanto.

IMG_1690.JPG

E foi naquele minuto que nos sentimos as pessoas mais ignorantes do Mundo... Como Raio podemos falar disto a uma criança de 4 anos?!

Naquele dia, confesso que divaguei um bocadinho porque tinha tido uns dias bastante cansativos, mas prometi que iria aprofundar o assunto e encontrar a melhor forma de lhe responder a essas perguntas tão pertinentes....

NÃO ENSINE O SEU FILHO A COMPARTILHAR - PARTE 1

O Gui nunca foi um bebé egoísta, sempre gostou de compartilhar tudo, com adultos ou até crianças que não conhecia... E ao contrário do que tínhamos imaginado, quando o Martin nasceu o seu comportamento pouco ou nada mudou, talvez porque o mano não andasse, os brinquedos do mano eram de "bebé" e os dele não os podia emprestar ao mano ..

 

O tempo foi passando, o Martin e o Gui foram crescendo... E neste último Natal, as coisas começaram a ficar diferentes... Com tantos brinquedos novos o Gui surpreendentemente achou que era crescido... E num dos  fins-de-semana em que fui trabalhar cheguei a casa e encontrei o quarto do Martin todo atulhado de coisas do Gui... Perguntei ao R. o que tinha acontecido, mas foi o Gui que se apressou a dizer que não queria mais aqueles brinquedos porque eram de bebé e por isso podiam ser para o mano...

Fiquei incrédula com aquele gesto de amor, e o meu coração de mãe sentiu-se tão orgulhoso que achei que tudo iria permanecer assim tão maravilhoso, pelo menos, por mais algum tempo...

DSC06249.JPG

Tornamos a remodelar os dois quartos de forma a que os brinquedos ficassem melhor organizados e um tempo depois, com o Martin a completar 18 meses, as coisas começaram a ficar bem diferentes... O Martin cada vez mais curioso e atrevido em relação a tudo o que o Gui fazia, e o Gui a sentir-se ameaçado pela presença do mano no seu quarto... Se até ali o Martin apenas se limitava a seguir o Gui, agora o Martin começava a ter vontades próprias...

 

Agora tem sido assim mais assim: o Martin só quer entrar no quarto do Gui para brincar e espalhar tudo no chão, enquanto que o Gui não suporta ver o quarto dele desarrumado, nem quer que o mano entre no quarto dele, já ele pode entrar no quarto do irmão! E se há dias que até correm mais ou menos, há outros que parece que estamos num autêntico campo de batalha... 

IMG_20210224_152128_241.jpg

Quem tem filhos sabe bem do que falo, e sabe o quanto é difícil tentar atenuar estes conflitos... 

Quem é que nunca viu duas crianças a brincar, numa sala cheia de brinquedos, e muitas vezes as duas a querer o mesmo?! É nessa altura que a "guerra começa" e junto com ela as crises de choro... Eu sempre fui ensinada a compartilhar, como se fosse algo de bom, no entanto existe um movimento que diz que não devemos ensinar os nossos filhos a compartilhar, da qual a Dra. Laura Markham (autora do livro “Peaceful Parent, Happy Siblings”) faz parte. Uma metodologia bastante interessante onde ela justifica isso de uma maneira válida, trazendo informações valiosas para criarmos os nossos filhos e torná-los pessoas simpáticas e equilibradas.... Mas isso vou deixar para o post de amanhã...

 

E vocês, também lidam com este tipo de conflitos? Como costumam resolvê-los?!

TODOS DIFERENTES TODOS IGUAIS 💚

Peripécias com o Gui

Ontem a televisão estava ligada quando o Gui muito espantado perguntou:

- Mamã, aquela menina tem um bebé na barriga?

Fiquei curiosa com aquela pergunta e respondi-lhe que não, ao mesmo tempo que lhe perguntei porque motivo ele achava que a menina estava grávida... E foi aí que o Gui respondeu:

- Porque tem umas mamas muito grandes mamã!

Achei engraçado a ligação que ele estabeleceu, e ainda lhe perguntei se eu tinha as mamas muito grandes quando estava grávida do mano... E se na realidade até as tinha bem grandinhas, o Gui respondeu-me na sua inocência que não. E em seguida ainda me perguntou porque razão tinha aquela menina as mamas tão grandes...

- Sabes Gui, há mamas grandes e mamas pequenas, há adultos altos e adultos baixos, assim como há meninos grandes e meninos pequenos... Somos todos diferentes, mas no fundo somos todos iguais... E sabes o melhor?! Está tudo bem, o importante é que cada um de nós saiba respeitar isso! 

IMG_1635.JPG

No final do dia, quando o R. chegou o Gui contou orgulhoso que éramos todos diferentes, mesmo sendo iguais... Acho que percebeu a mensagem... Pelo menos, foi com a ideia que fiquei! ❤️

ATIVIDADES PARA OS DIAS DE QUARENTENA

Para fazer com os mais Pequenos

Nestes dias de quarentena tenho aproveitado para fazer algumas actividades só com o Gui, enquanto que o Martin faz a sesta depois do almoço. Um momento a dois que o Gui tanto aprecia porque me tem só para ele, porque apesar de não viver sem o irmão, existe um certo ciúminho e uma certa saudade daqueles tempos em que nos divertíamos os dois sem termos que pensar se a actividade era adequada ao mano...

IMG_1606.JPG

CARNAVAL 2021 💛

Para o meu Super Pai

Este ano o Carnaval não foi muito diferente dos últimos anos, porque na realidade é uma data que não se comemora aqui, nem mesmo nas escolas. Eu faço questão de celebrar este dia porque sei que, mais dia menos dia, eles vão poder festejar esta data em Portugal e não quero que fiquem tão surpresos quando esse dia chegar...

 

A data só teve um toque especial porque foi também o aniversário do meu Super Pai, que mesmo longe esteve bem presente neste dia...

IMG_20210216_193901_807.jpg

Nem imaginam o quanto foi difícil tirar esta fotografia, e foi a melhor que consegui tirar... O Gui sempre a complicar, e o Martin sempre a fugir da máquina fotográfica...

A PRIMEIRA BARBIE COM PERNAS

Do episódio "quero uma Barbie com pernas"

Ainda não tinha partilhado com vocês o dia em que o Gui recebeu a famosa "Barbie com pernas"... Afinal nem foi preciso comprar, porque a minha irmã mais velha estava de férias em Portugal e trouxe uma das minhas Barbies de infância...

Assim que o Gui abriu o embrulho ficou super feliz e perguntou se era uma Barbie verdadeira...

- Claro que sim, Gui. É uma Barbie da mamã, quando eu era pequenina, tal como tu... Essa é bem especial, ainda por cima veio da Venezuela, como a mamã. Porque é que achas que não é verdadeira? - perguntei eu, curiosa pela resposta.

- Porque esta Barbie tem uns olhos esquisitos...  - respondeu o Gui, enquanto que analisava ao pormenor a Barbie.

Tentei não rir com tamanha observação e disse-lhe que a antigamente as Barbies tinham esse tipo de maquilhagem nos olhos...

IMG_1513.JPG

O R. ainda lhe tornou a dizer que não percebia porque é que ele queria uma Barbie Sereia e uma Barbie com pernas quando tinha a mamã em casa... Mas ele não se mostrou minimamente convencido com a ideia do papá, e ainda finalizou dizendo:

- A mamã não é nada parecida com uma Barbie Sereia, ela tem pernas... A mamã parece mais uma baleia!... - respondeu o Gui, com o ar mais inocente do Mundo.

Fartamo-nos os dois de rir com aquela resposta, mas ao mesmo tempo ficamos incrédulos como ele arranjou aquela resposta, sem qualquer tipo de maldade...