Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

NOVAS MEDIDAS DE CONFINAMENTO EM FRANÇA

Com mais de 69.000 mortes devido à Covid-19, desde Março passado, e com o número de casos sempre a aumentar, o primeiro-ministro, Jean Castex, anunciou ontem novas medidas .

 

A partir de amanhã foi imposto o recolher obrigatório a partir das 18 horas por, pelo menos, 15 dias, de forma a evitar a propagação das novas variantes britânica e sul-africana. Até agora, apenas 25 dos 101 departamentos franceses cumpriam um recolher obrigatório a partir das 18 horas até às 6h, e os restantes cumpriam das 20h às 6h. Medidas estas que segundo eles parecem ter bons resultados. Nos primeiros departamentos onde foi implementada, a 2 de Janeiro, o número de novos casos é duas a três vezes mais baixo do que noutros locais.

860_visactu-couvre-feu-national-de-18h-a-6h-des-sa

Desta forma, todos os locais, lojas ou serviços que recebem o público vão ter que encerrar às 18h, com excepção de alguns serviços públicos. Já os restaurantes, bares, museus e cinemas continuarão fechados, situação esta que dura há mais de dois meses.

 

Quem pretende viajar para a França, a partir de algum país fora da UE, a partir de segunda-feira, terá também que apresentar um teste negativo PCR. As pessoas que não puderem fazer o teste no país de origem terão a opção de fazê-lo na chegada à França e serão obrigadas a "isolar-se por 7 dias num hotel indicado pelo Estado. 

 

No que diz respeito às viagens dentro da UE, e em particular da Irlanda e da Dinamarca, onde a situação da epidemia parece estar difícil de controlar, os ministros irão trabalhar na elaboração de um quadro de coordenação no próximo Conselho Europeu, dia 21 de Janeiro.

 

Tal como tem vindo a acontecer, há algumas exceções ao novo recolher obrigatório, como deslocações para ir trabalhar, ir levar/buscar crianças à escola ou ir ao médico, entre outras mais específicas, pelo que nestes casos será necessário preencher o documento (attestation de déplacement dérogatoire) que justifica a saída de casa, caso contrário uma multa de 135 euros será aplicada. E se a pessoa fôr multado 3 vezes, a multa passa para 3750 euros mais 6 meses de prisão.

 

Confesso que esta nova medida pouco ou nada altera as nossas vidas, ainda por mais nesta altura do ano, quando as 17h é noite... 

ÉPIPHANIE

Hoje celebramos a Épiphanie, o famoso Dia de Reis em Portugal, e para isso compramos a Galette des Rois, o tradicional "Bolo Rei Francês" que se come no dia 6 de Janeiro. Tivemos ainda direito a uma Cidra, a bebida que por aqui acompanha a bela da galette! 

IMG_1496.JPG

A partir de amanhã já podemos começar a retirar toda a decoração de Natal cá de casa, se bem que aqui em França a decoração nas ruas costuma durar até ao final do mês de Janeiro...

 

E por aí, também costumam festejar esta data?

ADEUS 2020... OLÁ 2021 ❤️

O ano 2020 vai ficar marcado na história de todos... Por causa da pandemia, fomos obrigados a mudar as nossas vidas, a mudar as nossas rotinas... Fomos obrigados a nos ausentar e a nos reinventar dentro das nossas casas, tivemos de nos transformar constantemente a esta nova realidade, nas nossas profissões e na nossa relação com os outros... E cada um de nós acabou por analisar o estilo de vida que tinha e acabou por mudar de hábitos...

 

Nunca a lavagem das mãos foi tão importante... As máscaras e o desinfectante para as mãos passaram a fazer parte da vida de toda a gente... E de repente, cumprimentar as pessoas com um beijo, um abraço ou um aperto de mão passou a ser um gesto proibido...

 

Foi o ano em que vimos muitas pessoas a partir mais cedo... O ano em que nos decepcionamos com algumas pessoas e talvez algumas pessoas se decepcionaram connosco... Foi o ano que sofremos por dores que não eram as nossas e ouvimos o desabafo de milhares de pessoas que não conhecíamos...

 

Foi o ano que descobrimos que sozinhos não somos ninguém. O ano em que tivemos mais tempo para prestar mais atenção aos outros e em nós mesmos. Ninguém imaginou que seria um ano tão atípico, tão transformador e tão difícil para muitos... Nunca um ano pareceu tão longo... 

 

Há quem diga que 2020 foi o ano em que aprendemos a dar valor aos abraços, aos beijos, à família e aos amigos...  Eu cá acho que esta valorização não foi para todos... Há pessoas que se isolaram de tudo e de todos, tornaram-se mais egocêntricas e egoístas, e não conseguiram ver o quanto cada um de nós é importante para o bem estar de todos. Prova disso é que vamos a caminho da terceira vaga desta Pandemia... E isto significa que muita gente não aprendeu quase nada, pois continuamos a cair no mesmo erro... Um erro cada vez maior... 

 

Pessoalmente, o ano 2020 foi o mais transformador de todos e talvez aquele que mais nos ensinou... Não foi com ele que aprendemos o valor dos beijos e dos abraços porque isso já nós sabíamos há muito, pois estar longe do nosso país é estar privado disso tudo e muito mais... Não foi com esta pandemia que aprendemos a dar valor à saúde, nem a celebrar os momentos vividos, nem a dar valor às pequenas vitórias... Mas foi com ele que tivemos a oportunidade de estar dois meses confinados em casa, 24 horas sobre 24 horas, apenas os quatro... E isso acabou por se tornar maravilhoso porque tivemos mais juntos do que nunca! Estarmos fechados em casa no meio desta pandemia, fez-nos:

  • valorizar o amor que nos une;
  • valorizar ainda mais as pessoas que estão sempre connosco mesmo estando a quilómetros de distância;
  • relembrar o quanto as coisas mais banais são, muitas vezes, as mais importantes;
  • reconhecer quais são as pessoas imprescindíveis no nosso dia-a-dia;
  • e dar ainda mais valor á saúde e à liberdade.

 

Janeiro foi um mês tranquilo.... Depois veio Fevereiro, o aniversário meu e do meu pai, e o nascimento da minha primeira sobrinha, foram momentos só de alegria, com muita gente cá em casa... Tudo parecia correr bem...

 

Em Março ainda fomos a Portugal, mas quando regressávamos de avião, já vinhamos com o coração nas mãos, com medo do que aí vinha... Depois veio o confinamento, estávamos exactamente a 17 de Março, dias depois o Gui e o Martin ficavam doentes...

 

Tinhamos planeado um ano completamente diferente, repleto de pequenas viagens, encontros e abraços, uma vez que eu estava em casa em "congé parental", mas a pandemia roubou-nos tudo isso... Estávamos habituados a receber a nossa família que vinha de Portugal /Alemanha no aniversário do Gui, e era o primeiro aniversário do Martin, mas ninguém pôde estar presente...

 

De confinamento em confinamento, as videochamadas foram cada vez mais substituídas pelas visitas e de repente fomos ficando cada vez mais só os quatro... Ainda tivemos a felicidade de passar as férias de Verão em Portugal, e fazer o Batizado do Martin, mesmo com tantas restrições que a pandemia exigia...

 

Voltamos para aqui em Setembro, tentando encontrar o nosso equilíbrio no meio de tanta incerteza.... O Gui voltou à escola mesmo com o nosso coração apertadinho com medo que lhe pudesse acontecer alguma coisa... 

 

Depois veio Outubro, o Martin começava a integração na ama porque eu recomeçava dias depois a trabalhar... A integração corria às mil maravilhas... Um dia antes de começar a trabalhar o Martin sofria o primeiro acidente doméstico, e o meu coração de mãe quase parou... 

 

A seguir, veio o regresso ao trabalho, agora lado a lado com o maldito vírus... Cheia de medo de levá-lo para casa e contaminar os meus, mas orgulhosa por estar na linha da frente desta luta... 

 

Em Novembro, tornámos a entrar em confiamento, com novas restrições, e entre máscaras, desinfectantes e lavagens das mãos, o trabalho e a escola funcionavam normalmente ...

 

Depois veio Dezembro, vieram as festas, tinhamos decidido ficar cá pela primeira vez... E quase a acabar o ano, o R. começava a ficar doente, pensando ele que fosse uma crise de sinusite... Até que marquei um teste para despistar se não se tratava do maldito vírus, e a minha suspeita confirmou-se... Entrámos em quarentena exactemente no dia 30 de Dezembro, o R. com Covid positivo e eu com um primeiro teste negativo, o Gui e o Martin também doentes...

IMG_1492.JPG

Demos as boas-vindas a 2021, de mãos dadas com o vírus, confiantes de que vamos ter um ano muito melhor pois tivemos um ano repleto de testes onde cada um de nós foi posto à prova... Agora é tempo de colocarmos em prática tudo o que aprendemos com este ano 2020 para que possamos ter um Novo Ano simplesmente incrível!

 

Feliz 2021 ❤️

 

SERÃO EFEITOS DO CORONAVÍRUS?!

Páscoa 2021

Estes dias fui à procura de alguns acessórios e artigos para a Passagem de Ano... Entrei numa loja e nem queria acreditar no que estava a ver: produtos para a Páscoa!!! Fiquei incrédula, durante alguns minutos, a olhar para todas aquelas prateleiras repletas de artigos para a Páscoa... E artigos para a Passagem de Ano?! Esses nem vê-los!!!! 

IMG_1465.JPG

Mas quem raio terá tido esta ideia?! Lá por estarmos confinados, não quer dizer que não vamos festejar o Novo Ano, certo?!

FELIZ NATAL ♥️

IMG_20201225_230257_195.jpg

Mesmo diante de tantos presentes natalinos recebidos, o mais precioso é sem dúvida o Amor!

Feliz Natal 2020

E DE REPENTE É NATAL ❤️

Natal 2020

E num abrir e fechar de olhos chegamos a mais um Natal, este ano com um sabor bem diferente, porque vamos ficar por cá, apenas os quatro... 

O Gui tem andado em pulgas, super entusiasmado pela chegada do Pai Natal... E embora continue a não gostar da sua presença, anda há algum tempo a programar o lanchinho que lhe vai deixar na noite de Natal... 

As prendas que estão debaixo do pinheirinho diz ele que são todas para oferecer, aos avós, aos tios, aos padrinhos, aos primos, aos amigos... Pois as dele e as do mano vão ser trazidas no trenó do Pai Natal...

Já o Martin, ainda não tem noção do que estamos a falar... Mas tenho a certeza que vai delirar...

Infelizmente, este ano, trabalho nos dias 25, 26 e 27, pelo que hoje teremos que esticar bem o dia, de forma a rentabilizá-lo da melhor maneira possível...

Por isso o dia começou bem cedinho... Cá em casa, já cheira a arroz doce, bolo rei e rabanadas... E embora sejamos só os 4, acreditem que o ambiente é de muita algazarra e confusão...

Logo, fazemos questão de fazer uma videochamada aos nossos familiares mais próximos, àqueles que nos costumam receber nestes dias de festa e que tanto nos fazem falta... 

Este ano não podemos estar presentes fisicamente, mas estaremos unidos pelo coração, porque o melhor presente que podemos dar este ano, é sem dúvida o nosso AMOR!  

IMG_20201224_003758_584.jpg

E por aí, como vão passar o Natal?

MANIAS ESTRANHAS DOS FRANCESES

Emigrantes em Paris

Hoje partilho com vocês uma mania bastante estranha dos franceses que nos chocou quando aqui chegámos, e que talvez a maior parte de vocês não sabe: quase todos os apartamentos / casas francesas têm um WC e uma casa de banho separados! Dito desta forma até não parece anormal, o cúmulo é que no WC (toilette) apenas existe uma sanita e na casa de banho (salle de bain) existe apenas um lavatório, um chuveiro, ou uma banheira, e um local para colocar a máquina de lavar roupa! Bidé, esse nem vê-o, acho que nem sabem para que serve... 

 

À primeira vista, até pode parecer fazer sentido: temos um sítio menos limpo e outro mais limpo, onde lavamos os dentes e tomamos banho... O cúmulo é quando o apartamento tem várias divisões e eles colocam o WC num lado da casa, e a casa de banho na outra ponta mais distante... Já devem estar a imaginar o quanto isto se torna prático na hora de lavar as mãos depois de fazermos as nossas "necessidades fisiológicas"... Abrirmos a porta do WC e percorrermos a casa toda sem lavar as mãos!

 

A explicação histórica parece surgir do final do século 19 e início do século 20 quando as casas de banho eram consideradas um luxo, um privilégio apenas reservado à aristocracia e à alta burguesia. Por isso, e de acordo com essa época, o luxo não era compatível com o mau cheiro, daí a sanita ter sido afastada desse local e colocada no fundo do corredor junto à cozinha onde se encontravam os empregados.

 

Só para terem uma ideia, o apartamento onde vivemos tem as duas divisões completamente serparadas, e foi construído em 2017... Digam lá se já não era tempo de colocarem um lavatório no WC, nem que fosse daqueles que vêm incorporados na sanita...

IMG_1440.JPG

BEM-VINDO DEZEMBRO ❤️

Este ano, Dezembro tem um cheirinho a Natal bem diferente dos anos anteriores...

Fizemos a nossa árvore de Natal, decoramos a casa a rigor e, aos poucos, fomos tentando entrar no famoso espírito Natalício...

Mas esta maldita pandemia transformou completamente as nossas vidas...

Este ano, pela primeira vez, não vamos fazer as malas, apanhar o avião, e festejar uma (ou duas) das festas com os nossos familiares mais próximos...

Este ano, seremos apenas os quatro...

 

Não vamos poder matar as saudades junto dos nossos...

Não haverá abraços apertados, nem beijos demorados...

Não haverá gargalhadas compartilhadas, nem as correrias habituais para se preparar a ceia de Natal/Passagem de Ano...

Apesar disto, prometi a mim mesma que daremos o nosso melhor, para podermos estar presentes, mesmo ausentes... Porque sei que esta distância vai nos custar um bocadinho a cada um de nós...

IMG_20201201_143720_437.jpg

CONFINAMENTO NACIONAL ATÉ 1 DE DEZEMBRO

Emigrantes em Paris

Na passada quarta-feira, tal como era esperado, ficamos a conhecer as novas medidas de confinamento que entraram hoje em vigor e, que vão durar durar, no mínimo, até ao 1 de Dezembro.



A partir de hoje, só podemos sair de casa, com um justificativo e por motivos bem particulares. Entre esses motivos estão: os motivos profissionais, por razões médicas, para fazer compras, ir à farmácia, ajudar um familiar ou alguma pessoa em risco, levar ou buscar as crianças às creches/escolas, por uma convocação judicial ou administrativa. Além disso, podemos sair de casa, durante uma hora por dia, num raio de 1 quilómetro de casa, para "apanhar ar", passear o cão, ou praticar uma actividade física individual.

 

Desta vez, os parques e os jardins continuam abertos. Em contrapartida, todos os desportos colectivos estão proibidos, assim como as visitas familiares e as festas privadas.

 

Em relação aos eventos religiosos apenas são permitidos funerais, com 30 pessoas, e casamentos, com 6 pessoas.


Os bares, os restaurantes e outros estabelecimentos comerciais não essenciais estão fechados (como é o caso dos ginásios, salas de cinema e espectáculos). Já as "fábricas, propriedades rurais e obras públicas" continuam a funcionar. 


As creches e as escolas permanecem abertas, com medidas de higiene mais apertadas, enquanto as universidades têm apenas aulas online. O uso da máscara é agora obrigatório a partir dos 6 anos, e não a partir dos 12 anos como era até ontem.

 

As visitas aos lares estão permitidas, mas com protocolos bem restritos. 

 

As fronteiras no espaço europeu continuam abertas, e todas as pessoas que chegam agora passam a ser testadas ou têm que trazer um teste com menos de 72 horas.


Todas as medidas vão ser avaliadas a cada 15 dias e, se necessário, novas restrições poderão ser aplicadas mas, se a situação melhorar, algumas restrições poderão ser suspensas. Para os mais indisciplinados, ou para quem não quer cumprir as novas regras uma multa de 135 euros será aplicada. 

 

Vamos lá ver se com estas medidas os números de doentes hospitalizados nos hospitais, principalmente nos cuidados intensivos, vai diminuir... Prevê-se que esta segunda vaga  possa ser bem pior do que a primeira, já que desta vez o vírus circula em todo o território francês praticamente com a mesma intensidade!

 

As medidas ainda só começaram hoje, mas eu já começo a pensar quando é que poderemos voltar a ter momentos simples como este...

IMG_20201003_115933.jpg

UMA QUESTÃO DE LIBERDADE

No passado dia 16 de Outubro, um professor - Samuel Paty - de 47 anos, foi decapitado após mostrar caricaturas do profeta Maomé numa aula sobre liberdade de expressão. Tudo aconteceu, por volta das 17 horas, na saída da escola onde trabalhava, na pequena cidade de Conflans-Saint-Honorine, em Yvelines, na região parisiense, quando um terrorista o assassinou. Um ataque feito por um jovem de 18 anos de origem chechena, que acabou por morrer ao ser baleado pela polícia, no momento da captura.

 

Perante esta tragédia, o Presidente Emmanuel Macron defendeu a liberdade de expressão e o uso de caricaturas satíricas, como as do profeta Mohamed, mostradas pelo professor Samuel Paty, mas desde aí, vários países muçulmanos, como a Turquia, têm lançado várias críticas contra a França.

 

Hoje, foi em Nice, no sul da França... Mais três pessoas morreram num novo ataque com uma faca! O atentado aconteceu às 9h dentro da basílica Notre-Dame. Duas das pessoas, um homem de 55 anos e uma mulher de 60 anos, foram mortos dentro da igreja. A mulher foi degolada e o homem, ferido com diversos golpes de faca no pescoço. Já a terceira vítima, de 44 anos, ainda conseguiu fugir da igreja, mas acabou por não resistir e morreu num bar que se situava próximo do local onde aconteceu a tragédia. "Digam aos meus filhos que eu os amo", ainda conseguiu dizer pouco antes de morrer, segundo depoimentos de testemunhas.

Desta vez, o terrorista, um migrante tunisiano de 21 anos que chegou à França no início do mês, foi ferido durante a intervenção policial e levado ao hospital e enquanto estava algemado proclamou as palavras "Allahou akbar" (Allah é o maior). 

 

Com isto, o governo francês aumentou o nível de segurança em todo o país para "atentado de emergência" (urgence attentat), que corresponde a um estado de alerta máximo, aumentando de 3.000 para 7.000 os militares que vão patrulhar as ruas e proteger especialmente os locais de culto nas vésperas da festa católica de Todos os Santos.

 

Com tantos atentados, confesso que começo a ficar um bocadinho preocupada... Sem falar que na próxima segunda-feira está prevista uma homenagem em todas as escolas ao professor que foi assassinado... Só espero que nenhuma tragédia volte a acontecer...

FB_IMG_1603975597935.jpg

AVIZINHA-SE UM NOVO CONFINAMENTO...

Duas semanas depois do recolher obrigatório, entre as 21h e as 6h, em Paris e em mais oito outras regiões, e com a rápida propagação da Pandemia, o Presidente da República - Emmanuel Macron - vai anunciar hoje, às 20h, novas medidas... Um novo confinamento está à vista, embora com medidas mais leves em relação às que tivemos na primeira vaga, de forma a evitar um colapso da economia.

 

Confesso que já estava à espera que isto fosse acontecer porque, a meu ver, as pessoas continuam a não cumprir as medidas mais básicas, como lavar/desinfectar as mãos e o distanciamento social... Sem falar, das superfícies comerciais, das escolas, dos transportes públicos, onde facilmente encontramos aglomerados de pessoas...

E nos hospitais?! Muitos parece que estiveram a "brincar" até agora... Como é possível o pessoal estar mais que em alerta para a possibilidade de uma segunda grande vaga e não se prepararem minimamente, a nível de material/equipamentos/profissionais de saúde contratados e formados?! Por este andar, e contra mim falo, vamos acabar também todos contaminados... 

 

É lamentável como existe um grande número de pessoas que não são capazes de cumprir medidas simples... Nós cá vamos cumprir a nossa parte, embora reconheça que não seja fácil ficarmos tanto tempo confinados em casa... Hoje, com o Gui de férias e o Martin um bocadinho melhor, aproveitamos os raios de sol, para ir dar uma voltinha até ao parque...

IMG_1395.JPG

Vamos lá ver se iremos continuar a poder dar estes passeios ou se ficaremos privados deles...

O DIA EM QUE O NOSSO MUNDO TREMEU - PARTE 4

A ESCOLHA DA NOVA AMA

Depois da terrível experiência com a primeira ama do Gui, lembrei-me imensas vezes do que a filha da madrinha da minha sogra nos disse, a primeira vez que lhe dissemos que a ama do Gui era francesa:

- "A ama é francesa?! Hum... E ela gosta mesmo de crianças? Só digo isto porque trabalho na creche e sempre achei que nós portugueses somos muito mais carinhosos e sensíveis com as crianças... Eles aqui são muito diferentes"... 

 

De facto, comentávamos muitas vezes, os dois, que a Aurélie não era muito carinhosa com o Gui, quando o Rui o ía buscar no final do dia, vinha quase sempre todo sujo, nunca lhe deu um beijo (pelo menos à nossa frente), e quando completou o primeiro aniversário nem uma palavra disse... Achava que ela era demasiado distante, mas nunca pensei que fosse louca... 

 

Depois desta experiência negativa, e tendo nós alguém daqui a dar essa opinião, decidimos que desta vez a ama teria que ser portuguesa... Além disso, tinha que ter alguns anos de experiência profissional e não ter filhos pequenos porque temíamos que o nosso filho fosse outra vez prejudicado...

 

Comecei por procurar a lista das amas, em várias zonas, não muito longe do meu local de trabalho, e liguei apenas àquelas que tinham o nome português... Fiz uma série de chamadas, e acreditem que não foi fácil encontrar alguém disponível... No meio de tantos nomes, e de tantas chamadas telefónicas, encontramos a Manuela, aquela que viria a ser a nova Ama do Gui...

Marcamos um encontro na casa dela, falamos dos horários que pretendíamos e preferi não contar o que se tinha passado com a anterior ama, para não causar uma má impressão... 

 

A Manuela só aceitava contratos a tempo completo, e apesar de nós só querermos que o Gui fosse nos dias em que eu trabalhava, durante a semana, aceitamos de imediato essa condição. Naquele dia, fizemos o contrato do Gui para começar logo depois das férias de Verão... 

 

Passei as férias de Verão a pensar no terror que o Gui tinha vivido, e só pensava que não iria aguentar se isto nos tornasse a acontecer... Felizmente a Manuela revelou-se uma ama completamente diferente... Tão diferente, que um simples beijo e carinho, de bom dia e de despedida, fazia toda a diferença... Tão diferente que nunca o obrigou a dormir no berço, apesar de ter feito algumas tentativas sem sucesso... O Gui preferia dormir sempre no sofá da sala (talvez tivesse ficado traumatizado com a outra louca)... Tão diferente que em cada festinha, a Manuela oferecia um presente... Tão diferente que quando o ía buscar, e ainda haviam "amiguinhos", o Gui queria ficar a brincar mais... Tão diferente, e ao mesmo tempo, tão normal... Coisas básicas que no início nos faziam falta, e que depois encontramos na Manuela... Foi assim que comprovamos que aquilo que nos era estranho, era realmente anormal, que aquilo que queríamos para o Gui não tínhamos encontrado da primeira vez...

 

Meses depois acabamos por contar à Manuela o motivo de termos demitido a primeira ama do Gui... E ela ficou incrédula com tudo o que se tinha passado... 

 

O Gui ficou lá até completar 3 aninhos, altura em que tinha que entrar na escolinha... Foi muito feliz, e ainda hoje relembra com carinho muitos dos momentos passados com a "Manu", como ela fazia questão que os pequeninos lhe chamassem... 

IMG_20201019_214057_921.jpg

O Martin nasceu, e não tivemos nenhuma dúvida em contratar novamente a Manu, pois sabiamos que ele ficaria bem entregue! 

O DIA EM QUE O NOSSO MUNDO TREMEU - PARTE 3

UMA DIRECTORA DO RAM DESCOMPENSADA

Passamos o fim-de-semana incrédulos com o que tinha acontecido e só queríamos dar por encerrado este problema o mais rapidamente possível...

 

A carta de rescisão do contrato foi enviada no sábado logo de manhã, pelo R., mas na segunda-feira à hora do almoço já eu recebia uma mensagem de voz da directora do RAM, com um tom ameaçador, a dizer-me que a Aurélie ainda não tinha recebido nenhuma carta, que não percebia o que tínhamos contra ela, que tínhamos que lhe pagar os direitos, que ela lhe tinha dito que nós nunca lhe entregamos os recibos de pagamento do seu ordenado, que se calhar nós nunca declaramos a ama, e que se não fizéssemos tudo direito iriam recorrer ao tribunal do trabalho (em francês, prud'hommes)...

Nem queria acreditar em todas as barbaridades que ela me tinha dito... Como podia ela estar a fazer este tipo acusações contra nós?! Liguei-lhe de imediato e comecei a dizer-lhe que não compreendia o que se estava a passar, que a carta já tinha sido enviada e que teriam agora que aguardar pelos correios, que tudo foi sempre devidamente declarado, que se não demos os recibos foi porque não era uma obrigação nossa (ela podia imprimir directamente do site do centro de emprego), e que se havia alguém que tinha falhado com as suas funções não éramos nós, mas sim a Aurélie... Mal terminei de finalizar a última frase, a directora do RAM disse-me que o problema era eu, que não gostava da Aurélie e tinha implicado com ela desde o início... Preferi respirar fundo e terminar a conversa por ali porque sabia que não adiantava acrescentar mais nada...

 

Cerca de uns dois ou três dias depois, e tal como tinha ficado combinado, dirigi-me ao RAM com o Gui para levantar os pertences dele, que a Aurélie tinha deixado, e para verificar se os documentos e as contas estavam bem feitas... E mal entrei na sala fiz questão de demonstrar o meu descontentamento com a falta de confiança na nossa palavra... No mesmo instante, e sem eu estar à espera disso, a directora do RAM olha para mim com um ar maquiavélico e diz-me: 

- "Sabe, D. Patricia, eu e a Aurélie sabemos perfeitamente que o seu marido no outro dia estava completamente do nosso lado, bastava olhar para ele... Já reparou que ele não disse uma única palavra?! Reagiu assim para não ter que a contrariar... Vê-se perfeitamente que você é quem manda em casa e têm sérios problemas de família.... E digo-lhe mais, NUNCA VAI ENCONTRAR UMA AMA PARA O SEU FILHO, E SABE PORQUÊ?! Porque a senhora nunca vai deixar nenhuma mulher se aproximar dele, você cria uma espécie de bolha que faz com que ninguém se possa aproximar dele..."

IMG_1369.JPG

Fiquei petrificada a ouvir todas aquelas barbaridades, respirei fundo, e sem descer ao nível dela, o nível mais rasco que eu nunca imaginei que ela fosse capaz de chegar, interrompi-a e disse-lhe:

- "Não admito que fale assim de mim e da minha família. A senhora não nos conhece de nenhum lado, nem sabe a relação que eu tenho com o meu marido. É óbvio que o meu marido nunca esteve do fosse lado, vocês sabem perfeitamente que se ele não falou porque não se sente à vontade para se exprimir em francês, e vocês sabem disso desde o início, principalmente a Aurélie. São acusações graves que acaba de fazer. Vamos terminar aqui a conversa porque eu só estou aqui para tratar de burocracias, não para falar de um assunto que já vi que não vale a pena discutir mais."

Mal acabei de dizer isto, a cara dela mudou completamente e com o ar mais cínico passou do ar de bruxa para o ar de donzela... Fizemos os cálculos, entreguei os papéis que tinha que entregar, e quando vinha embora disse-me com o ar mais cínico e com o sorriso mais amarelo: 

- "Boas férias em Portugal. Aproveitem muito..."

 

Entrei no carro, com uma vontade enorme de a mandar à M****, nem queria acreditar o que se tinha passado ali naquelas 4 paredes... Estava completamente incrédula com as palavras que ela me tinha dito... Liguei ao R. e contei-lhe o sucedido e disse-lhe que o melhor que tínhamos a fazer era tentar esquecer este pesadelo porque era demasiado cruel para ser verdade... Além disso, quem é que iria acreditar em nós?! Dois portuguesitos perdidos no meio destes abutres?!...

 

Nunca mais tornamos a falar para aquelas senhoras, e felizmente nunca mais se cruzaram no nosso caminho... Mas esta primeira experiência deixou-noscompletamente horrorizados e ficamos com "pena" das crianças que iriam ficar nas mãos daquela psicopata... Ainda por cima, naquele ano, a directora do RAM tinha ficado também directora da creche, o que para nós só nos ajudou a tomar a decisão de mudar de casa longe dali... Agora era hora para tentar tranquilizar o Gui e encontrar uma ama  para depois das férias de Verão... Estávamos mais exigentes e os critérios de selecção tinham mudado...

 

(continua e termina na próxima segunda-feira)

"ZARAGATOA NA PRIMEIRA PESSOA"

Face à pandemia de COVID-19, a França passou a testar em grande escala a população, gratuitamente, de forma a combater a doença, não sendo preciso qualquer prescrição médica para o fazer.

 

Para fazer o diagnóstico, é feito um teste PCR, num laboratório certificado. Estes testes, são realizados por profissionais de saúde que recolhem, com uma zaragatoa (um cotonete grande), uma amostra de produto (exsudado) através do nariz até à nasofaringe. No final, essa amostra é analisada no laboratório certificado para o efeito e os resultados são enviados por email .

IMG_1353.JPG

Quando cheguei de férias de Verão, tinha na caixa de correio uma carta do hospital, onde trabalho, a recomendar fortemente a realização do teste, antes de re-começar a trabalhar depois da minha licença, uma vez que o Ministério da Saúde preconizava que o fizesse.

Agendei um dia na internet para o fazer e hoje lá fui... Deixei o Gui na escola e dirigi-me ao laboratório com o Martin... Felizmente nem do carro tive que sair, os testes são feitos directamente no carro...

Preenchi uma folha com os meus dados pessoais e o motivo do teste e uns minutos depois lá estava eu a levar com a zaragatoa... Uma não, duas, uma zaragatoa em cada narina!!! Se na primeira fechei os olhos e respirei fundo para me tentar abstrair da situação, na segunda já não consegui fazê-lo... A senhora até foi simpática e tudo, mas confesso que foi uma sensação desagradável porque senti uma espécie de dor aguda... Nada que se compare a um parto, claro, mas que não deixa de ser bastante desagradável... Bom mesmo era que inventassem outro tipo de teste tão ou mais eficaz... Agora, resta-me esperar uma semana para obter os resultados!

 

E por aí, quem já fez o teste?! O que acharam?!

FRANÇA APROVA UM AUMENTO NA LICENÇA DE PATERNIDADE

NOTÍCIAS BOAS

Ontem o Presidente da República, Emmanuel Macron, anunciou que a partir de Julho, a licença de paternidade (em francês, "congé paternité") vai passar a ser de 28 dias, o dobro do tempo atual, os míseros 14 dias. Finalmente os pais vão poder estar mais presentes em casa para cuidar dos filhos recém-nascidos, durante quase um mês, e assim aumentar o vínculo entre entre eles!

Eu ainda acho que são poucos dias, mas não deixa de ser uma notícia boa para quem está a pensar ter filhos no próximo ano...

E em Portugal, qual é exactamente o tempo da licença de paternidade?! Tenho ideia que é muito mais tempo...

IMG_1339.JPG