Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

O TERCEIRO ANIVERSÁRIO DO GUI

O Gui completou 3 aninhos no passado dia 6 de Junho, mas a verdadeira festa, e como já vem sendo habitual foi no sábado, mais precisamente no dia de 8 de Junho.

 

Mais uma vez, e como o sol acabou por aparecer, fomos para o Domaine de Chamarande para festejar em grande. Os convidados foram praticamente os mesmos do ano passado, só não puderam estar presentes os Padrinhos do Gui, a Jess e o G.

 

Este ano escolhemos o Tema do Patrulha Pata (como o Gui diz: "da Pata Acção") um dos desenhos animados favoritos do Gui. A decoração foi toda planeada por mim, mas desta vez o bolo não foi feito pelas minhas amigas (pois a Jess não estava presente), por isso eu e a minha irmã mais nova decidimos arriscar tudo e fazer pela primeira vez um Bolo de Cake Design... Diga-se de passagem que o Bolo foi de facto o que nos deu mais trabalho a fazer, mas o resultado final ficou bem acima do esperado! Baseado nos bolos que fui pesquisando na internet, planifiquei como seria o do Gui, a minha irmã escolheu e fez a massa (um bolo de banana, tal como o Gui adora) e na decoração além de mim e da minha irmã, tivemos ainda uma ajudinha especial do namorado da minha irmã e do meu sogro!

 

Mais uma vez, tivemos um dia quase, quase, perfeito... E o mais giro foi ver a euforia do Gui por saber que aquela festa era especialmente para ele! 

IMG_9939.JPG

ÉCOLE MATERNELLE - PARTE 3

IMG_9856.JPG

Tal como já tinha contado, o Gui em Setembro entra para a chamada "École Maternelle", por isso depois das férias de Verão deixará definitivamente de ir para a ama dele, a Assistente Maternelle que ele tanto gosta...

 

Tal como tinha sido já agendado, na sexta-feira fomos então conhecer a escolinha do Gui na presença da Directora da Escola e para o meu grande espanto o Gui estava todo entusiasmado com tantos miúdos juntos que só queria entrar nas salas e ficar com eles! A Directora pareceu uma pessoa calma, disponível, simpática e super acessível, fiquei com uma boa impressão geral de tudo e o mais giro foi quando ela fez questão de referir que haviam duas animadoras portuguesas na escola, por isso se o Gui tivesse alguma dificuldade em se exprimir em francês haveria sempre alguém que o compreenderia melhor. Ainda tivemos contacto com as duas animadoras, trocamos umas palavrinhas em português e assim que o Gui percebeu que elas falavam a mesma língua que nós, não hesitou em dar a mão a uma delas assim que esta o convidou a ir com ela ter com os outros meninos ao recreio.

 

Foi muito bom sentir que este primeiro contacto despertou uma grande curiosidade no Gui, falta agora saber como será realmente... Entretanto, ontem tivemos uma reunião com todos os pais para esclarecer algumas dúvidas que pudessem existir e aproveitamos para escolher o tal dia para a adaptação de 1 hora... Agora é esperar pelo dia 13 de Junho para ver como é que o Gui vai reagir quando ficar 1hora na escolinha com os outros meninos sem a minha presença... Eu estarei algures numa sala a terminar a inscrição dele e ele terá "o primeiro contacto a sério", naquela que vai ser a escolinha dele durante algum tempo...

ECOGRAFIA DO TERCEIRO TRIMESTRE

IMG_9848.JPG

Fiz a ecografia do terceiro trimestre na passada quinta-feira, exactamente com 32 semanas e 6 dias de gravidez e ficámos a saber que está tudo bem com o nosso Principezinho 2. 

 

Pesa cerca de 2100gr e mede uma média de 43cm, e estava tão teimosinho que não quis mostrar a carinha de forma a podermos registar o seu rosto na ecografia. Escondeu-se tanto que apesar do médico andar a fazer umas manobras para que ele se mexesse, ele continuou "na dele", bem "escondidinho"... Conseguimos apenas uma "foto" de perfil, e tanto eu como o papá R. achamos que já deu para ver que tem muitas semelhanças com o Gui... 

IMG_9850.JPGO "malandreco" estava sentado e não na posição cefálica ("de cabeça para baixo"), a posição ideal para o parto, por isso no final do mês de  Junho lá vamos nós repetir a ecografia só para ver se ele está correctamente posicionado! 

SOCORRO O GUI NÃO COME LEGUMES

O Gui está prestes a fazer 3 aninhos, mas não está nada fácil que ele coma legumes, nem em saladas, nem cozidos, nem salteados, nem em forma de "desenhos animados"... E não é por falta de exemplos cá em casa, pois nós comemos imensos legumes e, de uma forma ou de outra, fazem parte do nosso almoço e jantar! 

 

Acho que cada cada vez que lhe colocamos os legumes no prato ele deve pensar exactamente assim....

IMG_9779.JPG

... Pelo menos faz exactamente esta cara assim que vê os legumes a chegar à mesa! (Eh... Eh... Eh...)

 

Felizmente é raro recusar comer a sopa de legumes, por isso ao almoço e ao jantar a sopa faz parte sempre do menu dele, caso contrário não sei como iríamos fazer para ele comer legumes... Falta saber se os hábitos alimentares vão mudar quando fôr em Setembro para a escolinha...

 

E por aí, também foi ou está a ser difícil esta tarefa?

SER MÃE DÓI

Ser mãe é a experiência mais forte, transformadora e engrandecedora que uma mulher pode experimentar, mas ser mãe também dói, faz-nos sofrer, corta a nossa carne e o nosso coração. Parece que, como nunca, na maternidade se faz valer aquele ditado “no pain, no gain” e vivemos isso todos os dias, do nascer até o pôr do sol e do pôr do sol até ao nascer novamente. 

 

Dói quando vemos o nosso corpo transformar-se, quando sentimos o corpo dividir-se em dois para trazer uma nova vida, quando as nossas hormonas entram em ebulição. 

 

Dói ver a dor da cólica, a dor dos dentes a nascer, a dor da primeira rejeição. Dói quando não podemos dormir uma noite inteira de sono, quando temos que nos levantar da cama muitas mais vezes do que aquelas que gostaríamos, quando não descansamos por meses a fio. Dói muito quando eles ficam doentes, quando não sabemos o que eles têm, quando eles se põem a chorar... 

 

Dói não podermos fazer mais o que fazíamos antes, não ter tempo para ir ao cinema, não conseguir nem tomar um café... Dói não poder mais chegar a casa e ver televisão de pijama, deitada no sofá, não poder dormir e acordar à hora que bem entendermos, não ter mais o direito de ir e vir sem se preocupar com todo uma logística por trás. 

 

Amamentar dói, não amamentar dói mais ainda... Dói quando o filho não come, quando ele insiste em fazer birras, quando ele faz o contrário do que gostaríamos... Dói quando não sabemos se estamos no caminho certo, quando não temos certeza se estamos a ser uma boa mãe... Perguntamo-nos se tudo é mesmo tão difícil, tão complicado, tão desafiador...

 

Dói quando nos sentimos culpadas (e nós culpamo-nos por quase tudo), quando as pessoas nos culpam, quando nos vemos julgadas. Dói ouvir palpites a todos os momentos, ouvir críticas da forma como estamos a criar, do nosso jeito de educar... Dói quando alguém dá algo para o nosso filho comer sem pedir a nossa autorização, quando nos desautorizam, quando fazem pouco caso às regras que consideramos importantes...

 

Dói, e dói muito, dói acima de tudo o medo que ser mãe traz. O medo do futuro, o medo da violência, o medo que o nosso filho venha a sofrer... Nós, mães, gostaríamos de poder protegê-los para sempre, assim como fazemos quando eles são bebezinhos, mas isso não é possível... Eles são do Mundo! E dói saber que eles são do Mundo, porque um dia vão-se embora, deixam a nossa casa e deixam a convivência diária para trás.

 

Dói pensar que um dia os abraços não serão mais tão frequentes, o sorrisos poderão ser só de final de semana e um telefonema poderá ser o que de mais próximo teremos por semanas ou até meses. Dói pensar na saudade, na falta, na ausência... Dói pensar que o Mundo os levará para longe sem dó nem piedade e isso faz parte da vida, faz parte da existência, faz parte do seu crescimento e realização!

 

Dói só de pensar em toda essa dor, de pensar nas coisas que ainda nem passamos, mas dói acima de tudo pensar que poderíamos passar pela vida sem ter experimentando toda essa força pulsante que é ser Mãe!

 

Se por um lado dói, e dói muito, dói nas pequenas e nas grandes coisas, por outro, como eu disse lá no início, também enaltece, engrandece, completa. Ser mãe é viver uma montanha russa de experiências e emoções, encher-se e fartar-se do maior amor do mundo, mas também saber que ele vem acompanhado de preocupações, de entregas, de perdas e de desafios...

 

E longe de mim dizer que toda essa dor não vale a pena. Vale sim. Vale cada suspiro dado, cada lágrima derramada, cada pingo de suor que cai. Vale a dor da carne, da alma e do coração, porque Amor de Mãe é o sentimento mais forte que alguém pode experimentar e nada substitui essa experiência. Nem de longe!

(Texto retirado e adaptado do site macetesdemae.com)

IMG_9762.JPG

Feliz Dia das Mães ❤️

BABY BOY OR BABY GIRL?

IMG_9599.JPG

Ontem foi dia de fazermos a ecografia do segundo trimestre, e ficamos a saber o sexo do nosso Baby 2... Depois de tantos palpites, desta vez o nosso feeling estava certo...

 

A ecografia estava marcada para as 15h30min, e nós tínhamos explicado ao Gui que íamos então ver o bebé numa "televisão" e descobrir se ele ía ter um mano ou uma mana para brincar... A hora não era das melhores para ele, por isso, tal como na primeira ecografia, o Gui adormeceu antes de sermos atendidos e só acordou quando estávamos a chegar a casa. 

 

Contamos-lhe então o que iria ser, mas sinceramente não sei até que ponto ele realizou o que lhe dissemos... Faltava agora fazer uma surpresinha gira à família: desvendar finalmente o sexo do nosso Baby 2 de uma maneira original!

 

É óbvio que a surpresa já estava todo ela planeada na minha cabeça, não gostasse eu de fazer surpresas... Há muito que tinha encomendado um balão preto para anunciar a novidade, por isso faltava só saber exactamente como iríamos fazer a surpresa, de forma a que o Gui estivesse 100% de acordo... Tudo dependia do seu estado de espírito...

 

Colocamos um balão da cor do sexo do BABY 2 dentro do balão preto, enchemo-lo e demos um nós, de seguida colocamos uns confetis, e enchemos o balão preto... No início pensei que seria melhor o R. rebentar o balão com a ajuda do Gui, pois ele não seria capaz, mas na hora achei que seria bem mais giro se fosse o Gui a rebentar o balão... Depois de explicarmos ao Gui o que tinha que fazer, ele ficou todo entusiasmado para fazer o que estávamos a pedir... Depois disso, foram preciso apenas uns segundinhos de forma a fazermos uma introdução ao vídeo e o Gui poder finalmente rebentar o balão no berço do BABY 2...

IMG_9606.JPG

Pois é, sempre vem aí um segundo menininho! O nosso feeling esteve sempre certo, e o Gui acabou por ver o seu desejo concretizado, pois dizia que queria um bebé menino... Nós também ficamos com a "vida facilitada" pois desde o início que já tínhamos escolhido o nome do nosso Principezinho 2! 💙

TAL E QUAL

Andámos há cerca de um mês a tentar que o Gui comece aos poucos a deixar as fraldas durante o dia, sem pressões e da forma mais calma pois sentimos que a curiosidade já começa a despertar nele, embora ainda não consiga controlar completamente...

 

Para tornar esta prática mais divertida, até comprámos o pote da Fisher Price, aquele que dá umas músicas sempre que é utilizado... Confesso que pensei que ele ía achar imensa graça e ter mais curiosidade em utilizar o pote, mas na verdade acho que este treino vai demorar... E se às vezes dá "o alerta" que tem a fralda suja, a maior parte das vezes é este o cenário que nos deparámos quando lhe perguntámos se fez chichi ou cocó...

IMG_9546.JPG

E por aí, também acontece o mesmo? Quais os truques que adoptaram para agilizar esta fase? 

O PRIMEIRO TRIMESTRE

Já lá vai um tempinho que o primeiro trimestre desta segunda Gravidez passou, começou em Outubro e terminou no dia 19 de Janeiro, altura em que entrámos no quarto mês de gravidez...

 

É impressionante como esta segunda gravidez nada teve a ver com a primeira... Nesta, e falando do primeiro trimestre, o cansaço e as náuseas matinais foram os dois sintomas que mais perturbaram o meu dia-a-dia... Acho que o excesso de cansaço teve a ver não só com as alterações hormonais, mas com o facto de ser mãe de uma criança de 2 anos e meio... E diga-se de passagem que nesta fase o Gui exige muita energia de mim...

 

A barriga cresceu muito mais rápido que na primeira, já as mamas acho que cresceram na mesma proporção (Lol), o peso, e tendo em conta o que como, não me posso queixar nadinha, aumentei uns 2 ou 3 Kgs (se pensarmos que as minhas mamas triplicaram de volume... Lol)...

 

Fizemos a ecografia do primeiro trimestre quase no último dia recomendado, tudo porque as férias de Natal, para Portugal, já estavam marcadas.  E se o meu médico ginecologista na altura tinha desvalorizado o facto de fazer a ecografia "no limite do tempo", já o mesmo não aconteceu no dia da ecografia... O médico não achou muito correcto fazer a ecografia às 13 semanas e 6 dias porque a colheita de sangue, que permite fazer o rastreio das anomalias cromossómicas (as chamadas trissomia 13, 18 e 21), deveria ser realizada até às 13 semanas e 6 dias, e como a ecografia foi feita no final do dia, as ditas análises só foram feitas no dia seguinte... 

 

Ainda chegamos a pensar que iríamos saber o sexo do nosso bebezinho naquele dia, mas o médico disse que ainda não dava para ter certeza de nada, por isso nem um palpite quis dar... O engraçado é que durante o procedimento eu e o R. vimos um Principezinho a olhar para nós... (Lol...)

 

Tirando o facto de andar  "morta de cansaço" e, consequentemente, cheia de sono, neste primeiro trimestre desta segunda gravidez, andei muito mais descontraída... Tão descontraída que assim que fizemos a primeira ecografia e o médico disse que estava tudo certinho, nunca mais me lembrei que ainda faltava o resultado combinado da colheita de sangue (o chamado teste bioquímico) com a ecografia... Mas isto será assunto para o próximo post...

IMG_9416.JPG

COISAS DE MÃE

E ao fim de 33 mesinhos de vida, o Gui começa a ter iniciativa para lavar os dentinhos... É óbvio que primeiro somos nós que o guiamos e depois deixamos que ele fique sozinho mais uns minutinhos só para que ele comece, aos poucos, a ganhar alguma destreza... E são esses minutinhos do dia-a-dia, minutinhos esses simples, que derretem o meu coração de mãe! 💙

IMG_9480.JPG

SOCORRO A TAP FICOU COM O BAUBAU DO GUI

Lembram-se de eu ter falado da história de amor entre o Gui e o seu Doudou? Para quem não se lembra, pode sempre ver aqui o post... O que eu não tinha contado é que o Gui tinha perdido a sua foca predilecta em Setembro, no final das férias de Verão, exactamente no primeiro fim-de-semana que chegamos aqui e fomos até a uma festa aqui da cidade...

 

Mas antes desta perda definitiva, o Gui tinha perdido a foca no Verão em Portugal, inclusive tínhamos colocados papéis, com fotos e contactos, no suposto local que o Doudou tinha sido perdido, mais precisamente na rua da casa de um casal nosso amigo... O cúmulo é que o Doudou viria a ser encontrado, uma semana mais tarde, pela minha irmã, na casa dos meus pais, dentro de uma caixa de papel vazia.... Enfim.... Tinha sido o Gui que a tinha colocado lá e nunca mais se lembrou...

 

No final, o Doudou acabou mesmo perdido... O Gui acabou por substituir o Doudou pelo seu gémeo, até que nestas férias de Natal, na vinda para cá, com a confusão de sairmos do avião, o Doudou ficou caído dentro do avião... Mal chegamos à zona de espera das malas de porão, o Gui lembrou-se do seu Doudou... No mesmo instante apercebi-me que este tinha ficado esquecido! Olhei para a nossa volta e vi que a equipa da tripulação da TAP, que tinha viajado connosco, tinha acabado de chegar... Dirigi-me a eles, na esperança de reaver o Doudou predilecto do Gui, o "Baubau" o nome que o Gui lhe dava carinhosamente... Expliquei a situação, e para nossa desilusão todos se mostraram indiferentes a esta perda, limitaram a dizer-se que a equipa de limpeza estava já dentro do avião e a solução seria ir depois aos perdidos e achados... Fiquei sem palavras, com uma certa raiva por saber que teria sido tão simples alguém voltar e recuperar algo tão importante para o Gui... Esperamos pelas malas, e saímos disparados em direcção à zona dos achados e perdidos... O cúmulo é que esta área estava fechada! 

 

Depressa percebi que seria uma uma missão impossível o Doudou aparecer pois o mais certo era este ter ido parar ao lixo no mesmo instante que fosse encontrado... Afinal, para quem o encontrasse, não iria passar de um peluche velho e sem qualquer valor... Mas para o Gui era o seu brinquedo preferido, aquele que o seguia para todo o lado, aquele que o ajudava a adormecer, aquele que o ajudava a se acalmar...

 

No caminho para casa, procurei onde poderia reclamar e assim o fiz... Reclamei em vários locais na TAP, fiz a reclamação para os objectos perdidos do Aeroporto de Orly, e no dia seguinte contactei as diferentes entidades...

 

Infelizmente o meu pressentimento estava certo, ninguém tinha encontrado o Doudou e o Gui tinha perdido da forma mais estúpida  algo que tanto adorava!

IMG_9420.JPG

COISAS DE MÃE

IMG_9184.JPG

CRESCEM TÃO RÁPIDO...

Depois do Gui ter feito "fisioterapia respiratória" na quinta-feira, sexta, sábado e domingo, hoje tinha ficado marcado passarmos no fisioterapeuta para ver se ele estava bem melhor... Optei por não dizer ao Gui onde íamos porque achei que iria causar-lhe uma ansiedade desnecessária, sabia que ele estava bem melhor e por isso seria uma sessão bem mais "soft"... No entanto, e ainda a meio do trajeto o Gui começou a perceber onde estávamos a ir, e depressa manifestou o seu descontentamento... Foi então que lhe expliquei o que íamos fazer...

 

Estacionei o carro, fez um gemido a mostrar o seu descontentamento mas depressa se acalmou...  Entrámos na sala de espera, "demos logo de cara" com o fisioterapeuta e, para meu espanto, o Gui sorriu timidamente para ele... Tornei-lhe a explicar o que ía fazer hoje... 5 minutos de espera e o fisioterapeuta apareceu na sala e chamou pelo Gui... Sem hesitar, o Gui levantou-se da cadeira e seguiu-o... Nem queria acreditar quando vi o Gui todo confiante a seguir todas as indicações... Quando chegou a parte dos exercícios, ouviu-o atentamente e não reclamou uma única vez! No final, ainda cumprimentou o fisioterapeuta com um grande sorriso... Fiquei mesmo feliz por constatar que o Gui tinha compreendido o motivo de estarmos ali! 

IMG_9165.JPG

A IDADE DO "NÃO"

IMG_9161.JPG

Depois da primeira sessão de fisioterapia de ontem, o Gui tinha que voltar hoje para fazer uma segunda sessão... Acorda de manhã, toma o biberão de leite, explico-lhe que precisa de tomar os medicamentos para ficar bom, da tosse e dos ouvidos, mas de pouco adianta... Teimoso, diz que não quer, começa por aceitar mas, mal sente o gosto, recusa-se a tomar o resto... Lá tive que o "forçar" para ele terminar...

 

Visto-o para sairmos, digo-lhe para vir vestir o colete dos carros que tanto gosta e até  aqui diz-me que não... Dirige-se para o quarto dele, consegue abrir o roupeiro e aponta para o casaco que quer levar... Nem queria acreditar que uma Pipoca de 27 meses me estava a dizer o que queria levar vestido... Consigo negociar e acaba por colocar um casaco que combina mais com a roupa que lhe vesti... Entramos no carro, e explico-lhe que vamos fazer os exercícios para ele respirar melhor, mas ele parece não me ligar nenhum e fala de outro assunto... Mal estaciono o carro em frente ao gabinete de fisioterapia começa a chorar a dizer que "não quer"... E eu a pensar que não se lembrava onde era... Não é que tinha memorizado como era o edifício?! Escusado será dizer que foi chorar, quase sempre, até voltarmos a sair de lá... Só em pensar que amanhã ainda tem mais uma sessão... Aguenta coração... 

AMOR MAIOR

Faz hoje 3 anos que a nossa vida mudou para SEMPRE...

E foi a partir desse dia que descobrimos o AMOR eterno e incondicional!

Surpresa 2 10 2015 (3).jpg

Porque "quando num filho nasce,

nasce também no coração dos pais,

um Amor Maior que a vida e mais eterno que o tempo!"

COISAS DE MÃE

Ontem fui trabalhar, por isso o Gui foi para a casa da ama... Por volta das 11h, espreito para o telemóvel e vejo uma mensagem da ama do Gui...  Mas que foto tão ternurenta e cheia de cumplicidade.... Era o Gui com o seu novo amiguinho Rafael! Coração de mãe não aguenta com tanto amor junto! ❤️

IMG_9136.JPG

Escusado será dizer que o meu dia correu mil vezes melhor!