Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

CONTADO NINGUÉM ACREDITA

IMG_0100.JPG

Na passada quinta-feira passada fui fazer a última ecografia para saber então se o Martin estava bem posicionado para nascer... Com tanto calor disse ao R. que o melhor seria ficar em casa com o Gui pois tinha a certeza que iria estar um calor insuportável na sala de espera, sem falar do tempo de espera que iria haver... Não conhecesse eu o funcionamento do hospital...

 

Por uma questão de comodidade, e como já tinha falado num post anterior,  desta vez escolhemos a Maternidade que fica mesmo ao lado de casa, que pertence ao sistema de saúde público, sem falar que tem boa reputação (sempre ouvi muita gente a falar que o atendimento é muito bom)... Diga-se de passagem que pelo menos, até agora, tenho que concordar que, comparado com a Clínica onde o Gui nasceu (una Clínica do sector privado), esta Maternidade não fica em nada "atrás", pelo contrário, considero até que há um melhor acompanhamento de toda a gravidez...

 

No entanto, "há um grande se não" nesta Maternidade, o tempo de espera para realizar uma ecografia... Isto se a ecografia fôr realizada pelo Director do Serviço, que foi quase sempre o meu caso.... Nesse dia há que se estar preparada para se apanhar uma grandíssima seca...

 

Se nas últimas vezes, já achei um absurdo ter que esperar 2 e 3 horas, imaginem na quinta-feira passada... Um calor insuportável na sala de espera, sem luz (para não aquecer mais o espaço), com um mini ventilador ligado (que de nada servia), numa sala de espera repleta de grávidas, e eu com quase 38 semanas (9 meses!) ter que aguentar isto tudo durante 3 horas e meia!!!! É verdade, tive exactamente 3h30min para ser atendida e ter uma consulta de 3 minutos onde, basicamente, o médico apenas verificou com o ecógrafo se o Martin estava na posição cefálica!!! 

 

A boa notícia é que o Martin está bem posicionado para nascer, mas considero um absurdo este tipo de prática pois bastava fazer esta avaliação numa das consultas de rotina que vou... Tenho a certeza que muitas das grávidas que lá estavam, como eu, não precisavam de passar por este tipo de tortura, pois é simplesmente inadmissível este tempo de espera!!!

 

Com isto, eram quase 22 horas quando jantamos, pois assim que cheguei a casa a primeira coisa que fiz foi correr para o chuveiro! Por isso, se ouvirem pessoas a dizer que "na França o sistema de saúde é mais organizado", enganem-se... Aqui encontramos de tudo também... Infelizmente, já cheguei à conclusão que a má organização está em todo o lado... Era tão fácil evitar tanta coisa... Enfim...

DEUS TE LIVRE DO MAU VIZINHO QUE É A PIOR PRAGA QUE EXISTE!

Lembram-se do post que um dia destes fiz por causa do nosso jardim ter virado um cinzeiro?! Pois é, felizmente esse problema ficou imediatamente resolvido depois do tal aviso que fiz... Desde essa altura nunca mais houveram problemas, não sei se esses vizinhos foram embora, ou se foram advertidos pelo condomínio ou se até os meus panfletos surtiram o efeito  que eu tanto pretendia... O que é certo é que desde essa altura tudo andava mais ou menos calmo...

 

Tudo andava calmo até que na passada sexta-feira, por volta das 18 horas, a minha vizinha do terceiro andar decidiu lavar a varanda com a água aberta a todo o gaz... Escusado será dizer que assim que ouvi aquele barulho todo, e aquela água toda suja a cair no meu terraço, fui lá fora tentar perceber o que se passava... Olhei para cima, e qual não foi o meu espanto quando arrrogantemente ela do nada começou a dizer que não era culpa dela, que a água tinha que cair por algum lado e que ela estava no direito dela... Ora, eu, que até sou das pessoas mais calmas e pacientes do Mundo, de imediato fiquei "cega" com aquela explicação tão estúpida... Julguei que ía ter o Martin mesmo ali no jardim, de tão enervada que fiquei... Logo eu que detesto peixeirada.... Perguntei-lhe se gostava que lhe fizessem o mesmo e se o meu terraço/jardim eram agora uma lixeira a céu aberto... Mas nada do que eu dizia tinha importância, aquele ser acéfalo continuou a lavar a varanda durante uns 20minutos... Dez minutos mais tarde, o R. chegava a casa com o Gui, contei-lhe o que se tinha passado, e disse-lhe que achava que ela iria fazer aquilo mais vezes, pois vi pela cara dela que aquilo era uma situação perfeitamente normal... Com isto, o R. acabou por ter que limpar o nosso terraço, e eu limitei-me a fazer um e-mail ao Condominio...

 

O email enviado não teve nem se quer tempo de "chegar ao Condominio", e já a acéfala da vizinha, do terceiro andar, deitava um balde de água em pleno Domingo, às 14 horas, para o nosso terraço... Desta vez, a água só não apanhou o Gui porque ele tinha acabado de entrar na sala... De imediato, o R. e eu viemos até ao terraço para exigir uma explicação, e mais uma vez lá estava a acéfala com a maior cara de pau, debruçada na varanda, a dizer que não tinha feito nada de mais...  Mais uma vez, voltei a enervar-me, uma das vizinhas da frente acabou por dar-me um certo apoio, e lá voltei a enviar um novo email ao Condominio a explicar que era necessário fazer urgentemente alguma coisa....

 

Sei que ainda está muito cedo para deitar foguetes, mas desde domingo ainda "não voltou a chover" do terceiro andar, e espero bem que não volte a acontecer... Entretanto, outros vizinhos novos surgiram na vizinhança.... Felizmente, não no nosso edifício, mas no edifício ao lado.... Mais uns acéfalos que devem acreditar que os vizinhos são burros, surdos ou que moram sozinhos, pois é surreal alguém colocar a música no volume máximo durante o dia e serem 23 horas e a música continuar a tocar.... 

 

Hoje pensei que tinha um concerto cá em casa de tão alto que a música estava, comecei a imaginar como seria morar por cima ou por baixo destes inergumenes.... É óbvio que alguém acabou por chamar a polícia pois ninguém aguenta uma cena destas todos os dias... O cúmulo é que assim que a polícia foi embora, os acéfalos (um casal na casa dos 20 e tal anos) começaram a gritar da varanda e a insultar toda a gente... Cheguei a pensar que estava no meio de um filme de malucos, mas infelizmente era mesmo uma situação real... Com isto, acabei por conhecer quase todos os vizinhos, pois depressa toda a gente veio à varanda tentar perceber o que de facto se passava...Sorrateiramente espreitei da minha porta e ainda puder ouvir a acéfala a dizer cheia de razão que escusavam de chamar a polícia, que eles pagavam o aluguer e tinham o direito de ouvir a música que eles quisessem no home cinema, que a música era a vida deles e que só nós é que não compreendíamos isso... Com tanta barbaridade junta, não perdi tempo a ouvir mais, fechei a porta e voltei para o meu canto, enquanto isso uma vizinha tentava mostra-lhe que eles não moravam sozinhos e que por isso tinham que aprender a viver em comunidade....

 

Ainda agora estou incrédula com estes episódios que aconteceram nos últimos dias, nunca conheci gente tão anormal... E só tenho medo que as coisas não mudem... Pois acreditem, não há praga maior que ter vizinhos como estes!!!

IMG_9987.JPG

CONTADO NINGUÉM ACREDITA

IMG_9925.JPG

Faltava mais ou menos um mês para o meu cartão de cidadão caducar, caducava exactamente no dia 19 de Maio, por isso fui ao site do Consulado de Portugal em Paris e já só consegui uma marcação para o dia 22 de Maio às 15h30min... Tinha decidido ir de carro pois sabia que nos transportes públicos iria ser necessário uma série de trocas, e com a minha super barriga de grávida não me estava a ver nessas aventuras...

 

Só para terem uma ideia, o Consulado fica a cerca de 30km da minha casa, mas como costuma haver trânsito, saí de casa às 14h para me certificar que chegava a tempo e horas. E assim foi, cheguei 30 minutos mais cedo, mesmo assim demorei 1 hora para chegar... Dirigi-me ao balcão e mesmo tendo marcação foi-me dada uma senha... Sentei-me na sala de espera, e 10 minutos depois da hora marcada lá fui atendida... O cúmulo aconteceu a partir do momento que me sentei em frente daquela funcionária para renovar então o meu cartão de cidadão...

 

Expliquei-lhe o que estava ali a fazer, e enquanto que ela esperava que a máquina lê-se o meu cartão de cidadão, aproveitei para lhe perguntar se me podia exclarecer umas dúvidas que tinha... Rapidamente, a senhora com os seus 60anos, começa por me dizer que faço bem em lhe perguntar porque "em Portugal ninguém sabe informar sobre nada".... Confesso que fiquei incrédula por ela ter dito aquilo sem mais nem menos, mas fiz de conta que nem tinha ouvido tamanha estupidez... Foi então que lhe perguntei se era possível renovar o cartão de cidadão em Portugal, apesar de termos morada aqui em França, e fazer o levantamento do mesmo também lá... Com um ar de sabichona e um tom irónico, olha para mim e diz-me que não percebe porque motivo as pessoas gostam de complicar quando é bem mais fácil fazer e levantar o cartão de cidadão no Consulado... Tornei a repetir que precisava desta informação pois o cartão do cidadão do meu marido iria caducar durante as férias de Verão do próximo ano e queria estar certa que poderia ser feito desta forma, caso contrário o meu marido seria obrigado a faltar ao trabalho um dia para renovar este documento em Paris... Sem perceber porquê, a senhora responde-me num tom meio enervado que o melhor seria fazer no Consulado, mas se quisesse fazer dessa forma também daria, só tinha que avisar a morada para onde queria que enviassem os códigos do cartão para levantar o cartão... Engoli em seco e fiz que acreditei naquela informação, mas a forma como ela disse aquilo não me convenceu...

 

Lembrei-me então de lhe perguntar também se ainda se fazia o Título de Viagem Única ou um outro documento, uma vez que estava grávida e a data prevista do parto era em meados de Julho, e o meu filho iria precisar de um documento oficial para poder viajar, e sabia que o cartão de cidadão não iria estar pronto no início de Agosto... Mal acabo de lhe perguntar isto, a senhora responde-me que esse documento nunca existiu e se eu alguma vez tive acesso a ele não sabia como era possível pois apenas era emitido para pessoas com residência em Portugal que estivessem cá de férias e por um motivo ou outro tivessem perdido o cartão de cidadão... Farta de tanta burrice, e mantendo aparentemente toda a minha calma, explico à senhora como é que o Consulado fez em 2016, quando o meu primeiro filho nasceu, para que ele pudesse então viajar de avião... Nem queria acreditar que a funcionária continuava a ignorar o que lhe estava a dizer, e a afirmar que a lei não era nada assim... Segundo ela, tinha que fazer o Registo Civil do Bebé, esperar 10 dias para depois poder fazer o cartão de cidadão, cartão este que só chegaria no espaço de 3 semanas!!!! Foi então que decidi ser irónica e lhe perguntar se fazia sentido só poder viajar passado 2 meses com o bebé porque o Consulado de Portugal em Paris tinha decidido assim, como era possível não haver uma alternativa para emitir um documento, e se ela achava lógico o que me estava a dizer... Estupidamente respondeu-me que era assim e que comigo não seria diferente, que tinha que ter paciência e esperar para poder ir de férias mais tarde... Olhei para ela já sem conseguir esconder toda a minha indignação e disse-lhe para esquecer o assunto que eu iria informar-me de outra forma, e que passássemos então ao meu cartão de cidadão...

 

De imediato, tirou-me a fotografia, com o meu ar mais enervado, e disse-me para assinar... Daqui passamos para as impressões digitais... Tentámos uma vez, duas... E foi então que me lembrei que, já em Portugal, quando renovei o meu cartão de cidadão os meus dedos indicadores não eram reconhecidos pela máquina... Informei a senhora e mais uma vez ela ignorou a minha informação dizendo que o problema era do software dela... Teimosa, lá repetimos o processo 1, 2, 3 e 4 vezes... E só ao fim da quarta vez, e sem nunca reconhecer que eu estava certa, disse-me para colocar outros dedos...

 

Levantei-me para pagar o documento, num balcão no fundo da sala, e tornei a dirigir-me à funcionária que me devolveu o meu cartão de cidadão caducado e o comprovativo de como tinha feito a renovação... Agora, e segundo ela, tinha que esperar 3 semanas para receber os códigos em casa e poder levantar o novo cartão de cidadão... Mas isto, segundo ela...

 

E eu a pensar que a senhora tinha muita experiência no que estava a fazer, mas pelos vistos não tinha experiência era nenhuma!!!

 

(Não percam o segundo post que dará continuação a esta palhaçada toda....)

CONTADO NINGUÉM ACREDITA

IMG_9657.JPG

Lembram-se do post de Maio de 2018 no qual eu falava da lentidão para se encerrar uma conta bancária aqui em França?! Pois é, estava bem longe de imaginar que esse processo de mudança bancária fosse nos dar milhentas dores de cabeça...

 

Depois de várias deslocações à agência bancária do Banco BCP (Banque BCP), inúmeros e-mails para saber o que era preciso fazer para acelerar o processo, e depois de tanta indiferença da dita "gerente da conta", foi preciso enviar uma carta registada com aviso de recepção para a central do Banco para que alguém tomasse uma atitude e encerrasse de uma vez por todas a conta bancária! Tudo porque os inteligentes teimavam em fazer as coisas "às pinguinhas"... Num mês transferiam X dinheiro, reclamávamos a perguntar porquê mas ninguém respondia... Uns meses depois mais outra quantia... E claro, cada transferência tinha o seu custo associado... Cheguei a acreditar que estávamos milionários e não sabíamos, pois o Banco parecia que não nos queria largar, ou então não queria mesmo era saber de nós (estava mais que óbvio que não queriam mesmo saber de nós!)!

 

O cúmulo aconteceu quando encerraram a nossa conta deixando a conta do Gui em aberto... Reclamei, reclamei, reclamei.... E mesmo depois da carta registada, enviada em Fevereiro, e vários e-mails trovados, só hoje é que parece que finalmente o dinheiro foi transferido para a nossa nova conta bancária... Sim, parece.... Não vou dar o caso por encerrado porque da última vez que me disseram isso a conta do Gui ficou pendente! Agora é esperar pelo dia de amanhã para ver se o dinheiro foi finalmente transferido!

 

No meio de tanta incompetência e irresponsabilidade, o que mais me enerva é saber que não houve ninguém que reconhecesse esta falha nem pedisse desculpa! E pensar que eu achava que abrir uma conta bancária era difícil... Difícil mesmo é mudar de banco!!! E depois venham-me contar histórias que "na França é que é"...

O MEU JARDIM VIROU CINZEIRO!!

Esta manhã nem queria acreditar quando abri a porta do nosso quarto, que dá para o nosso jardim, e me deparei com uma série de beatas espalhadas... Pensei que fossem só umas três ou quatro, mas quando comecei a apanhar é que entrei em choque... Tinha o jardim cheio de beatas!!! Nem imaginam o quanto isto me enervou, fiquei perplexa por saber que existem pessoas sem qualquer civismo nem respeito pelos outros!

 

Enervada, coloquei todas as betas dentro de um saco plástico transparente, tirei uma fotografia e enviei um e-mail ao Condomínio, ao mesmo tempo que fiz 4 anúncios que espalhei pelas entradas principais de forma a que toda a gente visse e talvez pudesse ter alguma consciência do que anda a fazer e parar de fazer isso! 

 

Para mostrar o meu desagrado fiz questão de colocar o saquinho de beatas agrafado a um dos anúncios, precisamente ao anúncio que se situa mesmo no Hall da entrada do prédio, para criar um impacto maior.

 

Falta agora saber se o energúmeno que fez isto vai parar de o fazer, caso contrário teremos que fazer uns "turnos no jardim" para apanhá-lo em flagrante delito!

 

E vocês, que fariam numa situação destas?! Já passaram por alguma situação semelhante?!

IMG_9527.JPG

(Tradução ao anúncio: Bom dia, parece-me um bocado estranho ter que precisar, mas o nosso  jardim não é um cinzeiro. Todos os dias encontramos beatas. Sejamos respeituosos com os vizinhos!!)

CONTADO NINGUÉM ACREDITA

IMG_9514.JPG

Este fim-de-semana o meu pai fez anos, e como já tem vindo a ser habitual, depois que o Gui nasceu, a família mais próxima veio até cá para festejarmos o dia juntos... Foram 3 dias muito bem passados, não fosse o Gui ficar doente...

 

Tudo começou no sábado, com febre, alguma tosse seca, e uma certa irritação por parte do Gui... Ao princípio pensávamos que era por ele andar eufórico com tanto movimento cá em casa, mas com o passar do tempo vimos que afinal era o início de uma virose qualquer... A febre passou a ser contínua, a tosse seca passou a tosse produtiva, com diarreia e noites mal dormidas... Enfim, na segunda decidimos que o Gui devia ser avaliado por um médico...

 

Infelizmente não haviam vagas na médica de família, nem no chamado "SOS Médecin" (um serviço que existe aqui para evitar ir às urgências dos hospitais)... Fui à internet, procurei por uma vaga num site muito conhecido, que existe para esse efeito, chamado Doctolib, e encontrei uma vaga num suposto Pediatra, a 30 km de casa, às 20h... Vasculhei na internet se haviam avaliações deste médico, e encontrei boas recomendações... Sem hesitar, marquei a consulta e avisei o R. que íriamos então juntos...

 

Como não havia um lugar de estacionamento próximo do Gabinete de Pediatria, eu e o Gui saímos do carro e entramos para a sala de espera, enquanto o R. foi estacionar o carro... Rapidamente fomos chamados, tão rápido que nem o R. teve tempo de entrar connosco...

 

Confesso que mal entramos no consultório, fiquei com uma impressão estranha do médico... Havia qualquer coisa "bizarra" (como dizem os franceses... Lol...)... O olhar, a maneira de estar... Enfim... Um conjunto de coisas...

 

Comecei por explicar que estava preocupada com o Gui pois andava, desde sábado, com febre, perda de apetite, diarreia, tosse e mal-estar geral... Contei inclusivé que tinha feito 39.3 de temperatura às 17h30, mas que devido ao paracetamol ele estava muito mais enérgico naquele momento... Olhou para mim, e a primeira reacção foi: "e veio de tão longe só por isso?!"... Preferi nem comentar aquela pergunta tão parva, pois estava mais interessada que o Gui fosse examinado... 

 

Pesámos o Gui (15kg), medimos (98cm) e rapidamente examinou os ouvidos e a garganta... Sentia-me tão "deslocada" que, para ser sincera, nem me lembro se ele auscultou os pulmões ao Gui... Depois de fazer esta avaliação rápida, deslocou-se a um armário e pegou numa caixa branca cheia de bocadinhos de chocolate... Abriu a caixa e ofereceu ao Gui... O Gui, com o ar mais desconfiado, que a própria mãe (eu, Lol...), não aceitou aquela oferta estranha, e eu senti-me na obrigação de lhe dizer que ele não gosta de comer chocolates... Que ideia a dele... Não percebi porque carga de água se lembrou de oferecer chocolate... Sentou-se na secretária,  escreve a receita médica e diz que o Gui tem uma inflamação a nível pulmonar e que por isso tem febre... O cúmulo é quando indica estes dois tratamentos que deve fazer, e ainda os escreve na receita médica:

- continuar a dar o paracetamol xarope para 15kg (dose indicada na seringa, e seguindo o peso do Gui) de 4 em 4 horas, mas para ser ainda mais eficaz a dose ideal é a de 22.5kg de 6 em 6 horas (50% a mais do peso dele!!!);

- e correr 10 a 15 minutos, três vezes por dia, antes das refeições, para tossir, eliminar a expectoração e ganhar apetite!!!

Acho que naquele instante não consegui esconder a minha cara de parva com tantas parvoíces juntas... Peguei na receita, e depois de dar o cartão de saúde, peguei no Gui e saí incrédula com toda aquela palhaçada... Nem consegui dizer que não concordava com nada do que ele estava a dizer... Saí para fora, e o R. estava à nossa espera... Contei-lhe sobre o sucedido, e acreditem que mais parecia que eu estava a inventar toda aquela história ou que não tinha percebido nadinha de nada do que ele tinha dito... 

 

Fomos para casa incrédulos com tudo, e durante os cerca de 30 minutos de viagem para casa, só falamos disto... Nem à farmácia fomos pois tínhamos tudo o que estava prescrito naquela receita... 

 

No dia seguinte, e porque o paracetamol estava também a acabar, dirigi-me à farmácia perto de casa para levantar os dois medicamentos que estavam na receita médica... A cara de espanto do farmacêutico foi imediata, depressa me questionou para quem era aquela receita e que idade e peso afinal tinha a criança em questão... É óbvio que acabei por contar como tudo se passou, e garanti ao farmacêutico que jamais tivemos a intenção de dar uma dose maior de paracetamol do que o peso do Gui, mesmo quando o Pediatra nos prescreveu outra dose... Fartou-se de rir quando viu a prescrição de correr antes das refeições, e até em jeito de piada me perguntou qual era o truque do Pediatra para conseguir colocar uma criança doente de 2 anos a correr 10 a 15 minutos antes das refeições...

 

Infelizmente, o farmacêutico acabou por me contar que existem muitos médicos, Pediatras e não só, que todos os dias fazem prescrições escandalosas. Nesses casos,  eles ligam para os médicos para terem certeza daquelas anormalidades, e a maior parte das vezes acabam por ser insultados... No final, a farmácia não fornece o medicamento e faz uma sinalização à Segurança Social, mas mesmo depois de inúmeras denúncias, existem muitos maus profissionais que continuam a exercer a profissão e a colocar a vida das pessoas em risco!

 

Neste tempo que estamos cá já tinha chegado à conclusão que é preciso ter sorte para encontrar um bom médico, já suspeitava que existissem maus profissionais pois, infelizmente, cruzei-me com alguns... Mas ouvir o farmacêutico a confirmar isto foi, sem dúvida, assustador... No final, acabou por me indicar o nome de uma Pediatra da cidade e aconselhou-me a nunca recorrer a médicos que têm logo vagas disponíveis, pois esses são para desconfiar e fugir deles!!!

 

Como vêem, os maus profissionais estão em todo o lado, é preciso é estarmos atentos e, em caso de dúvidas, não hesitar em pedir uma segunda opinião! 

"ECOLOGIA À FRANCESA"

IMG_9387.JPG

Uma coisa que me deixou surpreendida quando passei o primeiro Natal cá foi quando ver os inúmeros comerciantes que se instalam nas ruas para vender os pinheiros de Natal... Pinheiros estes que são plantados com  esse intuito, depois cortados, e vendidos para serem decorados nesta época. Fiquei incrédula por ver que esta prática era a mais frequente e o cúmulo foi quando perguntei porque não optavam antes por um pinheiro de Plástico... Para além de me dizerem que é horrível, ainda me responderam que é muito mais ecológico que um pinheiro de plástico! Escangalhei-me a rir com tamanha resposta e tive que lhes responder que não concordava com essa teoria do ser mais ecológico, pois não via ecologia nenhuma em plantar uma árvore para depois cortá-la, usá-la 1 mês (ou nem isso) e depois deitá-la ao lixo!

 

Quando lhes disse que o meu pinheiro de Natal era de plástico e já tinha mais de 10 anos, tiveram que concordar que afinal a parte da ecologia não fazia muito sentido...

"CHINESICES"

Há algum tempo para cá tenho reparado que no supermercado, que habitualmente faço as compras, os produtos da secção "Made in Portugal" têm sofrido bastante alterações... Hoje fui às compras e fiquei tão incrédula com o que vi que registei o que vi...

IMG_9171.JPG

Fiquei a pensar que às tantas Portugal foi comprado pelos chineses e eu não soube de nada! 

 

CONTADO NINGUÉM ACREDITA

Esta semana o Presidente francês, Emmanuel Macron, visitou a ilha francesa de Saint-Martin, no Caribe, um ano depois da passagem do furacão Irma... Até aqui nada de anormal, não fosse a polémica foto onde ele aparece com um jovem que faz um gesto obsceno! É óbvio que a foto viralizou na internet e eu cheguei a pensar que se tratasse de uma montagem...

IMG_9151.JPG

Diga-se de passagem que, para um Presidente quem em Junho passado repreendeu um adolescente por chamá-lo de "Manu" e pediu respeito, não se compreende como é que desta vez ele achou esta postura adequada! 

IMG_9154.JPG

Às vezes fico com a ideia que querem ser tão liberais que chegam a cair no ridículo.... Se é que a isto se pode chamar de ridículo!

CONTADO NINGUÉM ACREDITA - PARTE 2

IMG_8892.JPG

Lembram-se da história do meu registo do carro como autocaravana?! Talvez não, pois a história começou no dia 2 de Fevereiro e, por incrível que pareça, só agora parece que teve um fim: 5 meses depois!!! 

 

Nem imaginam como eu andava fula com esta história, fiz a minha reclamação no dia 3 de Fevereiro, um mês depois obtive uma simples resposta de como tinham recebido a minha reclamação, mas foram precisos mais 4 meses para ver o problema corrigido! O cúmulo é que só começaram a tratar do meu caso a meios de Junho, nunca reconheceram o erro, e mesmo explicando onde estava a falha, teimavam em dizer que estava tudo certo!!! Andava fartinha desta troca de e-mails, cheguei ao cúmulo de ter que fazer um esquema a assinalar na carta grise e na fotocópia do documento emitido pela Peugeot onde eles se tinham enganado pois diziam que estava tudo bem. E para finalizar, eles é que erraram e eu é que tive que pagar por um novo documento (carte grise): 34€!!! É verdade, depois deste tempo todo perdido ainda paguei 34€ pela burrice deles!!!

 

O documento foi enviado por carta regista com aviso de recepção, mas como na sexta-feira fui trabalhar, só no sábado é que levantei a maldita da "carte grise". Agora falta saber se realmente está tudo certo, para isso temos então que nos dirigir a um centro de inspecções para fazer o chamado "contrôle technique", que por sinal já devia ter sido feito em Fevereiro... 

 

Como vêem as coisas por aqui também acontecem... Os outros é que erram e nós é que pagamos por isso!

CONTADO NINGUÉM ACREDITA

IMG_8693.JPG

Ora aqui vai mais um post daqueles que eu gosto de intitular de "contado ninguém acredita", chamo-os assim pois são situações tão surreais que se não acontecessem comigo ou eu não visse não me acreditava.

 

Hoje este post é uma certa continuação do post anterior, por isso para quem desconhece o teor do primeiro vale a pena "clicar aqui" para perceber melhor toda esta história...

 

Ora, depois de ter as malditas gotas para a minha otite, no mesmo dia, comecei o tratamento (5 gotas de ofloxacina, em cada ouvido, 2 vezes por dia)... Entre "paracetamol, brufen, descongestionantes nasais e afins", lá fui trabalhar na sexta, no sábado e no domingo... Cada dia sentia-me pior, sentia sobretudo os ouvidos cada vez mais entupidos, mais zumbidos e mais pressão... As dores até não eram muitas... Mesmo sendo enfermeira, confesso que não sabia ao certo se isto era asim tão normal.... No meu entendimento, deveria estar a melhorar e não a piorar, por isso, no domingo, como estava a trabalhar e o médico que estava de urgência era supostamente profissional e acessível, aproveitei que ele foi ao serviço, para avaliar um doente, expliquei a minha situação e pedi-lhe se me podia dar uma examinadela com o otoscópio nos ouvidos para ficar mais descansada... Para o meu espanto, o médico deu-me a resposta mais descabida e despropositada: não tinha nenhum otoscópio, mas que realmente não era normal estar assim, por isso aconselhou-me ir a um especialista, um otorrinolaringologista!

 

Ainda falei com o pessoal que trabalha comigo que, supostamente, conhece melhor o sistema de saúde francês mas ninguém sabia ao certo a que hospital era melhor ir... Já estava mentalizada que ía perder mais um dia a correr em hospitais...

 

Como hoje estava de folga, liguei para a médica de família para saber se havia alguma disponibilidade para me atender, mas não havia, decidi ir então a um serviço de urgência. Deixei o Gui com a minha amiga J., e lá fui eu... Não fui ao mesmo hospital que tinha ido na quinta-feira, pois sabia que não havia a especialidade que precisava, por isso fui a outro... 

 

Cheguei às urgências do hospital mas fui logo informada que tinha que ir a outro hospital pois também ali não haviam otorrinolaringologistas, nem sabiam exactamente onde havia...

 

Fui então a outro hospital, dirigi-me ao balcão das Urgências, apresentei o meu problemas e no mesmo instante disseram-me que não era ali que devia estar para ser avaliada pelo otorrino, tinha que me dirigir à entrada principal do hospital...

 

Era a segunda vez que ía a um hospital e era a segunda vez que estacionava o carro nos "cascos de rolha".... Nestes as urgências ficavam num pavilhão por trás do hospital, e quando lá chego ainda descubro que tinha que ir ao Hall do Hospital... Mas que raio de organização estranha...

 

Não tirei nenhuma fotografia do hall do hospital porque dizia ser proibido, mas digo-vos que entre macas a entrar e a sair, bebés e crianças a passar, gabinetes de consultas e admissões, tudo não passava de uma autêntica salgalhada... Confesso que me senti completamente desorientada pois não sabia o que devia fazer... Num canto, lá descobri um balcão que dizia otorrino... Falei com a secretária, tornei a explicar o caso, da secretária entrei para falar com outra secretária e tornei a repetir a mesma história, para ver se me atendiam, e dali mandaram-me tirar uma senha para fazer o meu dossier... Tirei a senha, haviam 12 pessoas à minha frente, esperei mais ou menos uns 30 minutinhos (talvez nem tanto)... Dei o meu cartão de cidadão, o de saúde e o do seguro de saúde, e sem dizer mais nada, voltei à secretária de otorrino onde fui atendida por uma médica, de imediato (isto porque não havia ninguém à espera)! 

 

Descobri que tinha mesmo razão, as gotas de antibiótico não estavam a fazer qualquer efeito porque a minha infecção é atrás do tímpano... Presceveu-me novo antibiótico oral, e como desta vez eram 16horas, não tive nenhuma complicação em encontrar uma farmácia aberta!

 

Vim-me embora a reflectir sobre tudo isto e cheguei à conclusão que o sistema de saúde francês para situações agudas chega a ser bem pior do que em Portugal, pois cada hospital funciona como quer, não existe nenhuma lógica no atendimento, nem na disposição dos serviços, sem falar da falta de boa vontade do médico que estava no domingo a trabalhar no hospital onde eu trabalho...  

 

Em quase cinco anos que cá estamos, esta foi a segunda vez que fui a um serviço de urgências, sem contar aquela vez que acompanhei o R... E de todas as vezes que fui, nunca percebi a forma como eles definem as prioridades, pois não utilizam a Triagem de Manchester, por isso nunca sabemos quanto tempo teremos que estar à espera! E ainda dizemos nós que, nós Portugueses, somos complicados....

IMG_8692.JPG

CONTADO NINGUÉM ACREDITA

O Gui já andava com febre desde sexta-feira, e um bocadinho aborrecido, mesmo assim a festa de Aniversário tinha corrido bem... No domingo, bem no início da tarde, começou a chorar muito e a queixar-se do ouvido direito, levamo-lo ao médico e foi-lhe diagnosticado duas otites, uma em cada ouvido...

 

Entretanto, e à conta disto, comecei a ter alguns sintomas de doença: dores de cabeça, comichão na garganta, tosse seca... Fui ao médico na terça-feira, diagnosticaram-me uma virose, e medicaram-me... Pensei que ficaria por aqui, mas estava enganada...

 

Esta noite às 5h da manhã acordei com a garganta seca e uma dor terrível no ouvido esquerdo... A primeira coisa que pensei foi que tinha uma otite (algo que nem sei se alguma vez tive na vida...)... Liguei para a médica de família para saber se me podia atender, hoje ou amanhã, mas a resposta foi negativa. Como estava em casa com o Gui, esperei que o R. chegasse a casa para ir às urgências, sozinha, do hospital aqui ao lado de casa... Cheguei às urgências por volta das 19h15, fui atendida por volta das 20h e lá confirmei o que calculava: uma otite no ouvido esquerdo! O pior estava para vir...

 

Tinha uma receita médica para comprar um antibiótico em gotas para colocar nos ouvidos... Como saí às 20h e pouco do hospital, as farmácias estavam todas fechadas (é verdade, aqui as farmácias fecham quase todas entre as 19h30 e as 20h), lembrei-me que havia uma farmácia num centro comercial, a uns 10 km daqui, que fechava às 21h, por isso dirigi-me de imediato para lá... O cúmulo, e para o meu azar, os horários de encerramento da tal farmácia tinham mudado para as 20h30, e eu cheguei às 20h32, 3 minutos mais cedo e tinha apanhado a farmácia aberta! 

 

Só me restava a última solução: dirigir-me à Polícia para saber qual era a farmácia que estava de serviço (é verdade, aqui na França quando as farmácias estão fechadas somos obrigados a dirigirmo- nos a uma Esquadra da Polícia com a receita médica e um cartão de identificação para que esta nos informe qual a farmácia que está de serviço, ao mesmo tempo, a polícia avisa o farmacêutico para que este tenha conhecimento). Nem queria acreditar quando coloquei a morada no GPS: 18km para lá chegar (uns 25 minutos de carro), que é como quem diz 36Km no total e 50 minutos para chegar a casa!!! 

 

Confesso que roguei pragas o caminho todo a quem teve a brilhante ideia de fazer esta gestão de farmácias, deve ter sido feita por alguém que nunca precisou de uma a meio da noite porque se pudessem ver o trajeto que eu tive que fazer para lá chegar... Campos e mais campos, que só rezei para o meu carro não avariar ou me furar um pneu, de tal sozinha que me senti naquele maldito percurso. 

 

Cheguei à farmácia eram quase 21h30, não se via uma alma na ruam apenas o farmacêutico estava à minha espera, só com uns 20 cm da porta aberta (pois não podia abrir mais a porta dizia ele que eram as normas por estar sozinho), olhou para a receita e disse-me que não percebia metade do que estava lá escrito e perguntou-me se a médica me tinha explicado a posologia... Disse-lhe que não, e pensei até que ele fosse ligar para o hospital...  Dirigiu-se ao balcão, trouxe a medicação e disse-me que apenas sabia que tinha que deitar 4 a 5 gotas de antibiótico em cada ouvido, e que o resto teria que confirmar com a médica que me atendeu no Serviço de Urgências! Fiquei incrédula a olhar para ele, estava sem paciência para barafustar, por isso peguei no antibiótico, cheguei ao carro, li o folheto do medicamento, e vim directa para casa! Ainda tinha outros longos 25 minutos de estrada pela frente...

 

Só de pensar que perdi mais tempo à procura de uma farmácia que ir às Urgências... E ainda dizem que na "França é que é"... Nota-se...

IMG_8643.JPG

MUDANÇA DE BANCO EM FRANÇA

Depois que mudamos de casa, e de cidade, decidimos mudar também de Banco, por uma questão de distância... Ora o que não imaginávamos era que essa mudança fosse tão longa...

 

Marcamos então com o Banco para fazer o pedido da transferência da nossa conta e, no dia, lá fomos, munidos dos papéis que o banco nos tinha previamente pedido (factura da electricidade, folha de impostos, uma folha de rendimento de cada um de nós e os nossos Cartões de Cidadão)... Mais um dia para assinar todos os papéis... E mais um "bom mesinho", avisou-nos o funcionário do Banco, para que o nosso antigo Banco proceda à transferência para o nosso novo Banco! Nem queria creditar quando ele nos disse isso! O verdadeiro cúmulo da lentidão, diria eu... Não acham?!

 

Se bem me lembro, em Portugal, tudo se faz bem mais rápido, certo?!

IMG_8598.JPG

 

INSÓLITO... OU TALVEZ NÃO!

IMG_8564.JPG

Em França existem supermercados low-cost que vendem apenas produtos cuja data de validade está ultrapassada. Sim, é mesmo verdade! A ideia surgiu como forma de combater os centenas de quilos de comida que todos os anos são desperdiçados e podiam ser consumidos.

 

Na realidade, existos uma grande diferença entre "consumir de preferência até..." (em francês, date limite d'utilisation optimale - DLUO) e "consumir até..."( em francês, date limite de consommation - DLC), e muitas pessoas não fazem essa distinção, o que faz com que sigam à risca a data de validade que vem marcada na embalagem sem terem noção que afinal o produto até podia ser consumido.

 

Quando um produto diz “consumir até...” significa que o produto deve ser consumido no maximo até aquela data pois corre o risco de se estragar rapidamente. Esta data está relacionada com a segurança alimentar. De uma forma geral, é utilizada em produtos frescos, como carne embalada, peixe e lacticínios. 

 

Em contrapartida, quando o produto diz “consumir de preferência até…” significa que o produto pode ser consumido depois do prazo indicado, sem risco de intoxicação alimentar. A data indica apenas o prazo que a marca garante a qualidade máxima do seu produto. Normalmente, aplica-se a produtos que podem ser armazenados por muito tempo, como conservas, especiarias, produtos de higiene, entre outros.

 

São estes últimos produtos que a França comercializa pois a lei existe para que os comerciantes possam vender estes produtos. Só para terem uma ideia, os comerciantes afirmam que as latas de conserva podem ser consumidas 5 anos depois da data, as bebidas 2 anos depois, as bolachas e os chocolates 3 anos depois! Dizem eles que não existe nenhum perigo para a saúde, apenas poderá haver uma alteração na qualidade nutricional e gustativa! Uma  alternativa para quem quer poupar na carteira e, sobretudo, ajuda a evitar o desperdício e poupa o ambiente.

 

Pessoalmente, nunca fui a nenhum supermercado destes, e confesso até que me faz uma certa confusão, principalmente quando penso que também são comercializamos produtos para bebés e crianças!

 

Por isso, se vierem até aqui não fiquem espantados se encontrarem uma loja destas!

QUANDO A JUSTIÇA NÃO FUNCIONA

IMG_8543.JPG

Lembram-se de vos ter contado aqui o maior pesadelo das nossas vidas?! Pois é, parece que esse pesadelo nunca mais tem fim mesmo... Depois do leilão ter sido cancelado, o dinheiro ter sido entregue ao tribunal mas continuar "parado" sem que ninguém lhe possa tocar porque a juíza não se deu ao trabalho de perceber o que pretendíamos... Enfim... Recorremos... Continuamos à espera, e o melhor, a construtora inventou agora que nunca cumpriu com a sentença porque nós nunca quisemos entregar as chaves do apartamento!!! Mas alguém consegue acreditar nisto?!

 

Entretanto, mais um processo idiota foi colocado por eles contra nós: agora dizem que lhes devemos uma quantia absurda por rendas de habitação, que datam do dia da compra (Novembro de 2007) até à data da entrega das chaves, afirmam que enriquecemos com o património deles e que entregamos-lhe um apartamento usado quando eles nos venderam um novo...

 

Fartos des tantas histórias e tantas mentiras, tudo numa tentativa de nos esgotar a paciência e o dinheiro, e depois de várias tentativas para lhes entregarmos as malditas chaves (porque há muito que não nos servem para nada) hoje a nossa advogada lá conseguiu fazer a entrega das chaves.

 

Agora é esperar pelas "cenas dos próximos episódios", temos a certeza absoluta que mais mentiras virão... E mais processos serão colocados contra nós... Enquanto isso, vamos continuar a "queimar dinheiro" porque enquanto a justiça continuar a dar ouvidos a estes ladrões, sabemos que não irão parar tão cedo!

 

Qualquer dia acho que vamos acabar na RTP1 no programa da "Sexta às 9"!