Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

A MATERNIDADE É PARA AS FORTES

"Por isso não duvides de ti mesma nos dias que mais parecem uma avalanche de desafios. 

Tu tens sido forte, Mãe. 

Forte porque a maternidade é linda claro, mas é também árdua e cheia de obstáculos. E tu tens superado cada um deles com medo, ou sem.

Tu tens sido forte, Mãe. 

Tens sido forte lidando com essa questão confusa de quem eras antes, de quem és agora, e de quem te estás a tornar... Tens sido forte porque, de repente, não sabes mais quem és... A identidade fica confusa, dá nó na cabeça... Deixa-nos meio confusas. Encontrar-se através de tantas novas obrigações e emoções não é fácil não... 

Tu tens sido forte, Mãe. 

Afinal a maternidade exige muito. Exige tudo. Tempo, doação, paciência. Amor jorrando de uma fonte sem fim. Faz chorar, sangrar, doer, transformar.

Tens sido forte, Mãe.

Tens sido forte porque mesmo que o pai participe ativamente e que tu tenhas uma rede de apoio espetacular, uma hora ou outra és só tu. Uma hora ou outra é profundamente solitário e complicado lidar com a nossa escuridão. 

Tu tens sido forte, Mãe. 

Tens sido forte porque vais dormir cansada, e quando acordas continuas cansada mas sorris sem te dares conta, espontaneamente e agradeces. Agradeces porque um filho é um presente, uma alegria, um amor, uma luz.
Não aceites, não ouses dizer que tu não és boa o suficiente. Valoriza-te. Valoriza o teu esforço. O teu papel. A tua entrega!

Toda a Mãe é força. Todo o filho é luz.
Já fomos luz, hoje somos força e devemos orgulhar-nos disso!"

(Texto da leitora: @maniryvasconcelos / Co-autoria: @maeforadacaixa)

Image-4894.jpg

DEPOIS QUE ELE NASCE

“Depois que ele nasce,

Ela fica ali.

O útero vazio,

O coração apertado.

O peito cheio de leite.

Todo a gente em cima do bebé...

E ela ali, de resguardo...

Resguardo? Até parece.

O Puerpério é puro agitação, pura emoção, sentimentos à flor da pele.

O bebé está perto mas não está mais dentro, e isso não gera nenhum acalento.

É uma delícia ver nascer, mas é um processo até entender.

Descarga de hormonas,

Sangramento por 40 dias,

Dar de mamar,

E enfrentar desafios...

Quando o bebé nasce acabam as regalias...

- Você é mãe.

Toda a gente espera dela,

enquanto ela se recupera...

E o bebé? Mamou? Dormiu? Tomou banho?

E todo a gente continua à olhar para o bebé.

E ela ali, à mercê...

Ninguém quer saber do banho dela, do conforto, do bem estar como faziam na gravidez.

É tudo sobre o bebé.

E ela ali à mercê, lidando com o que tinha dentro, fora.

O coração que batia dentro, batendo fora, e com vida própria.

Uma vida que todos dizem depender dela,

Mas quem é mesmo que olha por ela?

A delicadeza é perceber que o bebé precisa de cuidados, claro. Mas é a mãe que precisa de muita atenção, depois de tanta emoção.

E não só atenção, é mais, muito mais.

É carinho, abraço apertado, um olhar com cuidado.

É por isso que eu digo: a Mulher no puerpério precisa do seu abraço como abrigo.

Não importa se você é o marido, a irmã, o irmão, a mãe, o pai, a sogra, o sogro, a vizinha, a amiga, ou o doutor. Todo a gente cabe para ser o abraço acolhedor.

Abrace, acolha e lembre-se:

O bebé está para ela, assim como ela está para você.”

(@maeforadacaixa)

IMG_20190726_200347_059.jpg

E ASSIM NASCEU O MARTIN 💙

IMG_0154.JPG

Já devem ter suspeitado desta minha ausência por aqui no blog... Pois é, faz hoje uma semana que eu e o R. "corríamos" para a Maternidade, com contracções rítmicas e dolorosas... Ao fim de 40 semanas e 4 dias, exactamente no dia 16 de Julho, o Martin dava sinais de que queria finalmente nascer... Mas foram precisas mais umas horas, pois ele achou que seria melhor nascer com 40 semanas e 5 dias, no dia dos 7, mais precisamente no dia 17 de Julho (17/7)  às 3h27min (hora francesa)...

 

Hoje passei só para vos dar esta excelente notícia, prometo partilhar com vocês esta minha segunda experiência do parto... Um parto normal, onde nasceu um Principezinho 2, mais gordinho que o Gui, com 3.890gr e 53cm... Mais um dia muito esperado, repleto de boas emoções que ficará para sempre na nossa memória!

 

Dá para imaginar que a nossa vida tornou a dar uma volta de 360 graus, uma volta que apesar de cansativa, mudou a nossa vida agora para 10000 vezes melhor...

 

Quanto ao Gui só posso dizer que, para já, superou em muito as nossas expectativas... Um Super Irmão, babado e protector, tal e qual a nós... Agora sim, a Família está completa! ❤️

IMG_0165.JPG

PROTEJA O RECÉM-NASCIDO ❤️

Quando um bebé nasce, todos ficam contagiados com a alegria do seu nascimento...  Querem conhecer o rosto, descobrir com quem se parece, se é magrinho, se é gordinho, bochechudo, grande ou pequenino... Contudo, apesar das intenções serem as melhores, os erros são frequentes... Muitas pessoas não têm noção do que é um recém-nascido e, por vezes, os pais ficam numa posição em que não se querem afirmar para não parecerem mal-educados, por isso, antes de visitar o recém-nascido, é preciso estar atento a certos cuidados pois é importante protegê-lo!

 

Existe um conjunto de regras básicas a ter em conta, que, se não forem cumpridas, colocam em causa a saúde e a segurança do recém-nascido. E são estes comportamentos errados que podem levar a infeções no período neonatal que, muitas vezes, levam ao internamento, e o internamento é uma situação violenta. O ideal é manter estes cuidados nos primeiros 28 dias de vida...

 

IMG_0143.JPG

1. Esqueça os beijos

Existem muitas pessoas que não percebem, mas isto é essencialmente uma questão de higiéne e saúde. Já pensou na quantidade de coisas que nós adultos tocámos no dia-a-dia?!

Embora as mãozinhas de um bebé sejam fofinhas, evite pegar nelas e, muito menos,  beijá-las, já que muitas vezes ele leva-as à boca, e o sistema imunológico do bebé não está totalmente desenvolvido para combater uma simples infecção.

 

2. Lave sempre as mãos

Assim que chegar à maternidade/casa da família, deve lavar de imediato as mãos. 

 

3. Não pegue no bebé

O contato com o bebé pode eventualmente contaminá-lo com algum germe. Quanto menor o contato menor a probabilidade de contaminação. As pessoas têm milhentos microrganismos que podem não lhes fazer mal, mas que não são benéficos para o bebé, o ideal é que o bebé contacte só com os microrganismos dos pais. Por isso, só pegue no bebé a não ser que a mãe peça ou se ofereça.

 

4. Se estiver doente, não vá

Mesmo que seja familiar próximo ou amigo chegado, nunca deve visitar o recém-nascido se estiver doente, a ideia de “não vou chegar perto” não é suficiente. Enquanto um adulto reage com ranho a uma constipação, o bebé pode desenvolver uma bronquiolite, ou algo bem mais grave!

 

5. Telefone antes de aparecer

Não apareça sem avisar. Se quiser fazer uma visita, confirme com os pais qual a melhor altura. Está provado que nos primeiros 30 dias a mãe está à beira de um ataque de nervos, exausta, por isso as visitas são de uma agressividade e de uma violência enormes. 

 

6. Nunca leve crianças

À exceção do agregado familiar, as crianças não devem estar com os recém-nascidos. Teoricamente, podem estar na presença dos bebés a partir do primeiro mês, mas com muitos cuidados porque estas, além de serem uma fonte de germes, é difícil controlar as suas acções... Num segundo metem a mão no nariz, no outro segundo estão a querer pegar no bebé...

O mesmo não se aplica aos irmãos do recém-nascido, que devem continuar a sentir-se incluídos na família e não excluídos...

 

7. Não tire Fotos

Evite tirar fotos para não invadir a privacidade da família, se quer fotografar pergunte antes para a mãe/pai se ela/ele não se importa. 

Fotos com flash, nem pensar.

 

8. Não Fume e Não use Perfume 

O olfato do bebé é muito sensível, sem falar na possibilidade que ele pode ter uma série de restrições, ainda não diagnosticadas. Por isso, expor a criança a cheiros desnecessários deve ser evitado. Não fume antes da visita e esqueça os perfumes fortes.

 

9. Não dê palpites, faça elogios

O cansaço, a ansiedade e as hormonas deixam as mães extremamente vulneráveis no período pós-parto, por isso, é importante que as visitas não dêem palpites ou sugestões, porque uma simples observação inocente, naquela altura, pode ter um efeito bastante negativo. O melhor mesmo é dar elogios.

 

10. É íntimo? Coloque a mão na massa! 
Se for próximo do casal, o melhor que pode fazer é ajudá-los em casa: lavar a louça, lavar a roupa, passar um aspirador no chão ou deixar uma comida pronta, são tarefas simples e que se acumulam por causa da chegada do novo elemento à família.

Também pode cuidar do bebé enquanto a mãe toma um banho ou faz uma refeição ou, então, cuide do filho mais velho, se fôr o caso.

Acredite, esses serão os melhores presentes que pode dar para ajudar o casal! 

ABERTURA OFICIAL DA ÉPOCA BALNEAR 💙

Com estas temperaturas altas, e com um tempinho agora de "sobra", demos finalmente abertura à nossa época balnear! O Gui ficou super animado e houve quem teve curiosidade e acabou por ganhar coragem para se juntar ao nosso cenário de Verão...(Eh... Eh... Eh...)

  IMG_0096.JPG

 

ÉCOLE MATERNELLE - PARTE 4

Hoje foi o dia tão esperado, o dia em que o Gui foi uma hora para aquela que vai ser a sua Escolinha em Setembro... 

 

A preparação foi básica, começámos por lhe dizer, ontem, que hoje iria conhecer melhor a escolinha, e hoje de manhã tornei a dizer-lhe o que iria fazer... Afinal, trata-se de uma nova etapa que se avizinha, e o Gui já consegue assimilar e perceber muita da informação que lhe é dada, por isso era fundamental que ele estivesse preparado para o que iria fazer... 

 

Desta vez, o Gui mostrou-se pouco receptivo à ideia de voltar à escola, tentei não valorizar aquele sentimento negativo por ele demonstrado e expliquei-lhe que seria muito bom começar a conhecer melhor o lugar onde ele iria brincar com muitos mais meninos...

 

Tal como combinado, chegamos à escola às 9h, o Gui continuava de "pé atrás" com toda aquela situação, mas não reclamou, apenas dava para ver na cara de descontentamento... Eram 6 crianças ao todo que iriam ficar uma hora, repartidas pelas 3 ou 4 salas, misturados com os outros meninos... O Gui foi direccionado para uma sala juntamente com outro menino, eu e a mãe do outro menino fomos até à sala com ele porque ambos não nos queriam deixar... A porta da sala abriu-se, os dois entraram e sem qualquer tipo de despedida a porta tornou a fechar-se para que eles não tivessem muito tempo de correr na nossa direcção... Confesso que, naquele momento, o meu coração ficou um bocadinho despedaçado, senti que o Gui pensou que eu o iria abandonar ali... Felizmente, não estava sozinha nesta "missão", haviam mais 5 mães como eu...

 

Passamos então para uma sala onde preenchemos uns impressos, ao mesmo tempo que partilhávamos algumas informações...  Cerca de uns 15 minutos depois, uma das animadoras dava notícias sobre o comportamento de cada criança... Um dos meninos não aguentou a pressão e acabaram por o trazer à mãe para não o traumatizar.... O Gui, tinha chorado um bocado no início, juntamente com o outro menino, mas tinha acabado por sossegar... O tempo foi passando... Mais duas meninas acabaram por se juntar às mães... Entretanto tinha chegado a hora do recreio, o Gui, o outro menino e mais uma menina, continuaram a seguir os outros e foi nesta altura que pudemos espreitar da janela para o exterior, no tal recreio que onde todos os meninos brincavam juntos...

BDA4C41C-7737-40F0-9BE1-195FFEB94038.jpg

Dava para perceber que o Gui continuava muito tímido, a observar mais os outros...  Tinha a certeza que se ele soubesse que eu estava naquela janela a espreitar como ele se comportava, tinha corrido de imediato na minha direcção...

 

Ficámos, talvez, uns 10 minutinhos ali a olhar para eles... De repente, 1 hora tinha passado... Uma das animadoras foi buscá-los para virem ter connosco, mas mais uma vez o Gui não achou piada ter que dar a mão a mais uma pessoa estranha... Assim que me viu, esboçou o maior sorriso, agarrrou-se a mim e disse-me que queria ir para casa e ficar comigo... Abracei-o, despedi-me das outras duas mães e da educadora, e tornei a explicar ao Gui que aquele lugar ía ser muito bom para ele brincar, aprender e crescer com outros meninos... E que só depois das férias de Verão, em Portugal, é que iria voltar para conhecer melhor aquela que irá ser a sua Escolinha, pois ele agora já era um menino mais crescido... Apesar destas minhas explicações, acho que o Gui não ficou nada convencido! Haver vamos em Setembro...

 

O TERCEIRO ANIVERSÁRIO DO GUI

O Gui completou 3 aninhos no passado dia 6 de Junho, mas a verdadeira festa, e como já vem sendo habitual foi no sábado, mais precisamente no dia de 8 de Junho.

 

Mais uma vez, e como o sol acabou por aparecer, fomos para o Domaine de Chamarande para festejar em grande. Os convidados foram praticamente os mesmos do ano passado, só não puderam estar presentes os Padrinhos do Gui, a Jess e o G.

 

Este ano escolhemos o Tema do Patrulha Pata (como o Gui diz: "da Pata Acção") um dos desenhos animados favoritos do Gui. A decoração foi toda planeada por mim, mas desta vez o bolo não foi feito pelas minhas amigas (pois a Jess não estava presente), por isso eu e a minha irmã mais nova decidimos arriscar tudo e fazer pela primeira vez um Bolo de Cake Design... Diga-se de passagem que o Bolo foi de facto o que nos deu mais trabalho a fazer, mas o resultado final ficou bem acima do esperado! Baseado nos bolos que fui pesquisando na internet, planifiquei como seria o do Gui, a minha irmã escolheu e fez a massa (um bolo de banana, tal como o Gui adora) e na decoração além de mim e da minha irmã, tivemos ainda uma ajudinha especial do namorado da minha irmã e do meu sogro!

 

Mais uma vez, tivemos um dia quase, quase, perfeito... E o mais giro foi ver a euforia do Gui por saber que aquela festa era especialmente para ele! 

IMG_9939.JPG

ÉCOLE MATERNELLE - PARTE 3

IMG_9856.JPG

Tal como já tinha contado, o Gui em Setembro entra para a chamada "École Maternelle", por isso depois das férias de Verão deixará definitivamente de ir para a ama dele, a Assistente Maternelle que ele tanto gosta...

 

Tal como tinha sido já agendado, na sexta-feira fomos então conhecer a escolinha do Gui na presença da Directora da Escola e para o meu grande espanto o Gui estava todo entusiasmado com tantos miúdos juntos que só queria entrar nas salas e ficar com eles! A Directora pareceu uma pessoa calma, disponível, simpática e super acessível, fiquei com uma boa impressão geral de tudo e o mais giro foi quando ela fez questão de referir que haviam duas animadoras portuguesas na escola, por isso se o Gui tivesse alguma dificuldade em se exprimir em francês haveria sempre alguém que o compreenderia melhor. Ainda tivemos contacto com as duas animadoras, trocamos umas palavrinhas em português e assim que o Gui percebeu que elas falavam a mesma língua que nós, não hesitou em dar a mão a uma delas assim que esta o convidou a ir com ela ter com os outros meninos ao recreio.

 

Foi muito bom sentir que este primeiro contacto despertou uma grande curiosidade no Gui, falta agora saber como será realmente... Entretanto, ontem tivemos uma reunião com todos os pais para esclarecer algumas dúvidas que pudessem existir e aproveitamos para escolher o tal dia para a adaptação de 1 hora... Agora é esperar pelo dia 13 de Junho para ver como é que o Gui vai reagir quando ficar 1hora na escolinha com os outros meninos sem a minha presença... Eu estarei algures numa sala a terminar a inscrição dele e ele terá "o primeiro contacto a sério", naquela que vai ser a escolinha dele durante algum tempo...

ECOGRAFIA DO TERCEIRO TRIMESTRE

IMG_9848.JPG

Fiz a ecografia do terceiro trimestre na passada quinta-feira, exactamente com 32 semanas e 6 dias de gravidez e ficámos a saber que está tudo bem com o nosso Principezinho 2. 

 

Pesa cerca de 2100gr e mede uma média de 43cm, e estava tão teimosinho que não quis mostrar a carinha de forma a podermos registar o seu rosto na ecografia. Escondeu-se tanto que apesar do médico andar a fazer umas manobras para que ele se mexesse, ele continuou "na dele", bem "escondidinho"... Conseguimos apenas uma "foto" de perfil, e tanto eu como o papá R. achamos que já deu para ver que tem muitas semelhanças com o Gui... 

IMG_9850.JPGO "malandreco" estava sentado e não na posição cefálica ("de cabeça para baixo"), a posição ideal para o parto, por isso no final do mês de  Junho lá vamos nós repetir a ecografia só para ver se ele está correctamente posicionado! 

SOCORRO O GUI NÃO COME LEGUMES

O Gui está prestes a fazer 3 aninhos, mas não está nada fácil que ele coma legumes, nem em saladas, nem cozidos, nem salteados, nem em forma de "desenhos animados"... E não é por falta de exemplos cá em casa, pois nós comemos imensos legumes e, de uma forma ou de outra, fazem parte do nosso almoço e jantar! 

 

Acho que cada cada vez que lhe colocamos os legumes no prato ele deve pensar exactamente assim....

IMG_9779.JPG

... Pelo menos faz exactamente esta cara assim que vê os legumes a chegar à mesa! (Eh... Eh... Eh...)

 

Felizmente é raro recusar comer a sopa de legumes, por isso ao almoço e ao jantar a sopa faz parte sempre do menu dele, caso contrário não sei como iríamos fazer para ele comer legumes... Falta saber se os hábitos alimentares vão mudar quando fôr em Setembro para a escolinha...

 

E por aí, também foi ou está a ser difícil esta tarefa?

SER MÃE DÓI

Ser mãe é a experiência mais forte, transformadora e engrandecedora que uma mulher pode experimentar, mas ser mãe também dói, faz-nos sofrer, corta a nossa carne e o nosso coração. Parece que, como nunca, na maternidade se faz valer aquele ditado “no pain, no gain” e vivemos isso todos os dias, do nascer até o pôr do sol e do pôr do sol até ao nascer novamente. 

 

Dói quando vemos o nosso corpo transformar-se, quando sentimos o corpo dividir-se em dois para trazer uma nova vida, quando as nossas hormonas entram em ebulição. 

 

Dói ver a dor da cólica, a dor dos dentes a nascer, a dor da primeira rejeição. Dói quando não podemos dormir uma noite inteira de sono, quando temos que nos levantar da cama muitas mais vezes do que aquelas que gostaríamos, quando não descansamos por meses a fio. Dói muito quando eles ficam doentes, quando não sabemos o que eles têm, quando eles se põem a chorar... 

 

Dói não podermos fazer mais o que fazíamos antes, não ter tempo para ir ao cinema, não conseguir nem tomar um café... Dói não poder mais chegar a casa e ver televisão de pijama, deitada no sofá, não poder dormir e acordar à hora que bem entendermos, não ter mais o direito de ir e vir sem se preocupar com todo uma logística por trás. 

 

Amamentar dói, não amamentar dói mais ainda... Dói quando o filho não come, quando ele insiste em fazer birras, quando ele faz o contrário do que gostaríamos... Dói quando não sabemos se estamos no caminho certo, quando não temos certeza se estamos a ser uma boa mãe... Perguntamo-nos se tudo é mesmo tão difícil, tão complicado, tão desafiador...

 

Dói quando nos sentimos culpadas (e nós culpamo-nos por quase tudo), quando as pessoas nos culpam, quando nos vemos julgadas. Dói ouvir palpites a todos os momentos, ouvir críticas da forma como estamos a criar, do nosso jeito de educar... Dói quando alguém dá algo para o nosso filho comer sem pedir a nossa autorização, quando nos desautorizam, quando fazem pouco caso às regras que consideramos importantes...

 

Dói, e dói muito, dói acima de tudo o medo que ser mãe traz. O medo do futuro, o medo da violência, o medo que o nosso filho venha a sofrer... Nós, mães, gostaríamos de poder protegê-los para sempre, assim como fazemos quando eles são bebezinhos, mas isso não é possível... Eles são do Mundo! E dói saber que eles são do Mundo, porque um dia vão-se embora, deixam a nossa casa e deixam a convivência diária para trás.

 

Dói pensar que um dia os abraços não serão mais tão frequentes, o sorrisos poderão ser só de final de semana e um telefonema poderá ser o que de mais próximo teremos por semanas ou até meses. Dói pensar na saudade, na falta, na ausência... Dói pensar que o Mundo os levará para longe sem dó nem piedade e isso faz parte da vida, faz parte da existência, faz parte do seu crescimento e realização!

 

Dói só de pensar em toda essa dor, de pensar nas coisas que ainda nem passamos, mas dói acima de tudo pensar que poderíamos passar pela vida sem ter experimentando toda essa força pulsante que é ser Mãe!

 

Se por um lado dói, e dói muito, dói nas pequenas e nas grandes coisas, por outro, como eu disse lá no início, também enaltece, engrandece, completa. Ser mãe é viver uma montanha russa de experiências e emoções, encher-se e fartar-se do maior amor do mundo, mas também saber que ele vem acompanhado de preocupações, de entregas, de perdas e de desafios...

 

E longe de mim dizer que toda essa dor não vale a pena. Vale sim. Vale cada suspiro dado, cada lágrima derramada, cada pingo de suor que cai. Vale a dor da carne, da alma e do coração, porque Amor de Mãe é o sentimento mais forte que alguém pode experimentar e nada substitui essa experiência. Nem de longe!

(Texto retirado e adaptado do site macetesdemae.com)

IMG_9762.JPG

Feliz Dia das Mães ❤️

DUPLAMENTE FÃ 💙

Já tinha comentado algures, num post que publiquei, que tinha ficado fã de uma marca de produtos para bebé, chamada Suavinex... Fiquei tão fã que, se no Gui tinha tudo da marca Chicco e da Philips Avent, no Martin optei por comprar da marca Suavinex pois adoro o design e a qualidade dos produtos.

 

O que eu me tinha esquecido é que iria ter o mesmo problema que na altura tive com a marca Chicco: é muito difícil encontrar aqui nas farmácias produtos desta marca. Felizmente os sites online vieram colmatar estas e outras lacunas... Procura, que procura, e lá encontrei uma farmácia online espanhola que faz entregas para vários países, inclusivé para a França: a Mifarma... Confesso que tive um bocadinho de receio de fazer a encomenda pois não tinha nenhuma referência deste site mas, hoje, depois de receber o que encomendei, posso garantir-vos que fiquei fã pois chegou tudo direitinho e a preços bem mais baixos! 

IMG_9691.JPG

E sabem da melhor?! Esta farmácia online também está disponível para entregas em Portugal! E vocês, conheciam este site ou recomendam outro?

SOBRE O DIA DE HOJE

A noite passada foi mesmo para esquecer... Já não me lembrava de uma noite passada em "branco"... Infelizmente o Gui dava sinais de estar mesmo doente...

 

Eram 23 horas quando o Gui, já deitado na cama, começou a dizer que lhe doía o ouvido direito... Como ele não é de se queixar rapidamente acreditei naquela dor... Dei-lhe a dose do paracetamol mas a dor continuava... Tentei que ele dormisse sentado no meu colo, não fosse ele teimoso e querer continuar deitado... Choraminga para aqui, choraminga para ali... O R. ainda o tentou convencer para dormir no colo dele sentado, mas ele não queria estar assim... Depois era o calor, a barriga, tudo incomodava o Gui... Demos o nosso melhor... Mas mesmo assim só por volta das 6:30 é que o Gui acalmou, depois do ouvido direito começar a dar sinais de começar a drenar e da segunda toma do paracetamol... Resultado: o R. que também está com uma bela sinusite foi trabalhar em modo Zombie e eu procurei marcar uma consulta para o Gui assim que pude...

 

Felizmente consegui uma vaga para as 12:30, a cerca de 30 km de casa... A médica de família, mais uma vez não estava disponível, por isso lá tive que recorrer ao famoso número do "SOS Médecin"... Desta vez até tivemos sorte em conseguir uma vaga, caso contrário teríamos que ir para um serviço de urgências, já que o Gui não poderia passar mais um noite assim...

 

Eram 10:45 e o Gui já estava acordado, por incrível que pareça até estava bem disposto... Bebeu o leite como de costume, vesti-o, preparei umas coisas para levar e saímos em direcção ao consultório médico... Quase 30 minutos de carro até chegar lá... O pior aconteceu quando estávamos quase a chegar, a pouquíssimos metros... O Gui começa a dizer que tem calor e, nisto, começou a vomitar o leite que tinha bebido! Dá para imaginar o panorama, certo?! A cadeira do carro toda vomitada, o Gui todo vomitado a reclamar que estava sujo, e eu sem saber para que lado me havia de virar... Valeu o bom tempo que estava pois fui obrigada a mudar o Gui de pé, fora do carro, na rua, pois estava vomitado da cabeça aos pés... Benditas toalhitas que serviram para lhe dar quase um banho! Felizmente támbem tinha uma roupa suplente no saco dele caso contrário estava completamente tramada pois o Gui não ía tolerar ficar sujo...

 

Entramos no gabinete eram 12:27, 2 ou 3 minutos mais tarde estavamos a ser atendidos e tínhamos o diagnóstico confirmado: otite bilateral! A partir daqui foi procurar uma farmácia (sim, porque a maioria das farmácias fecha das 12:30 às 14:30) fazer o caminho inverso para casa e esperar que o Gui não voltasse a ter todo aquele mal-estar...

 

Felizmente o Gui mal começou o tratamento ficou cheio de energia, tanta energia que apesar das pouquíssimas horas de sono não pregou olho a tarde toda, muito pelo contrário, estava com as baterias carregadas a 1000!!! Já eu estava completamente arrasada... Sem falar de tudo aquilo que ainda tive que limpar e lavar... 

IMG_7080.JPG

ESTÁ ESCOLHIDO!

IMG_9639.JPG

Para quem segue o Blog, sabia que assim que soubemos o sexo do nosso Baby 2 o nome já estava escolhido pois já tínhamos um nome se fosse um menino... E se o nome já estava há muito na nossa mente, o que não sabíamos é que este iria revelar-se uma espécie de "armadilha" para nós...

 

Assim que começaram a "cair mensagens" para o Messenger a perguntar o nome do nosso Principezinho 2 o problema do nome surgiu: Martin ou Martim?! Confesso que nunca tinha colocado essa questão, pois sempre pensei que se escrevesse com N, talvez por me parecer mais carinhoso escrito dessa forma... Foi então que descobrimos que em português de Portugal o nome terminava em M e não em N... No Brasil e aqui em França é que o nome se escreve com N... 

 

Quando descobrimos que Martin seria um nome "mais francês", o R. mudou logo de ideias e achou que seria melhor escrever com M pois tinha receio que o nome fosse pronunciado de forma diferente em Portugal... Mesmo não gostando muito da ideia do Principezinho 2 ter um nome mais francês, continuava a gostar muito mais da forma que finalizava em N.... É claro que isto não foi motivo de discussão, nem jamais pensamos em mudar o nome, mas tivemos que ter um tempinho de reflexão... E ontem, lá acabei por meter uma certa "pressãozinha" no R. para chegarmos a um consenso, e decidimos que o nome será mesmo MARTIN! 💙

IMG_9640.JPG

Se Martin/Martim deriva do latim Martinus, não acham que fazia muito mais sentido que fosse sempre escrito com N no fim?! Será que este dilema com o nome Martin/Martim só aconteceu connosco?! 

BABY BOY OR BABY GIRL?

IMG_9599.JPG

Ontem foi dia de fazermos a ecografia do segundo trimestre, e ficamos a saber o sexo do nosso Baby 2... Depois de tantos palpites, desta vez o nosso feeling estava certo...

 

A ecografia estava marcada para as 15h30min, e nós tínhamos explicado ao Gui que íamos então ver o bebé numa "televisão" e descobrir se ele ía ter um mano ou uma mana para brincar... A hora não era das melhores para ele, por isso, tal como na primeira ecografia, o Gui adormeceu antes de sermos atendidos e só acordou quando estávamos a chegar a casa. 

 

Contamos-lhe então o que iria ser, mas sinceramente não sei até que ponto ele realizou o que lhe dissemos... Faltava agora fazer uma surpresinha gira à família: desvendar finalmente o sexo do nosso Baby 2 de uma maneira original!

 

É óbvio que a surpresa já estava todo ela planeada na minha cabeça, não gostasse eu de fazer surpresas... Há muito que tinha encomendado um balão preto para anunciar a novidade, por isso faltava só saber exactamente como iríamos fazer a surpresa, de forma a que o Gui estivesse 100% de acordo... Tudo dependia do seu estado de espírito...

 

Colocamos um balão da cor do sexo do BABY 2 dentro do balão preto, enchemo-lo e demos um nós, de seguida colocamos uns confetis, e enchemos o balão preto... No início pensei que seria melhor o R. rebentar o balão com a ajuda do Gui, pois ele não seria capaz, mas na hora achei que seria bem mais giro se fosse o Gui a rebentar o balão... Depois de explicarmos ao Gui o que tinha que fazer, ele ficou todo entusiasmado para fazer o que estávamos a pedir... Depois disso, foram preciso apenas uns segundinhos de forma a fazermos uma introdução ao vídeo e o Gui poder finalmente rebentar o balão no berço do BABY 2...

IMG_9606.JPG

Pois é, sempre vem aí um segundo menininho! O nosso feeling esteve sempre certo, e o Gui acabou por ver o seu desejo concretizado, pois dizia que queria um bebé menino... Nós também ficamos com a "vida facilitada" pois desde o início que já tínhamos escolhido o nome do nosso Principezinho 2! 💙