Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

QUANDO AS TURMAS SÃO NUMEROSAS...

Emigrantes em Paris

... E tens um filho de 4 anos super tímido (fora de casa), corres o risco que ele não tenha a devida atenção que precisa...

Foi exactamente isso que aconteceu ontem ao Gui... No dia anterior, a Educadora tinha pedido aos pais para colocarem uma garrafa de água na mochila porque este ano, por causa da Pandemia, não podiam dar água nos habituais copos que existem na escola... 

Agora percebo aquela sede toda quando o ía buscar no final do dia, tinha mais sede do que fome, e bebia a água super rápido...

Ontem, coloquei-lhe então uma garrafa  de  água, pensando eu que a tinha bebido toda... Mas pelos vistos passou novamente sede porque não conseguiu abrir a garrafa, nem teve coragem de pedir a uma pessoa para lhe abrir! Fiquei com o coração apertado quando ele me disse que não bebeu água porque não conseguiu abrir a garrafa... Perguntei-lhe porque motivo ele não tinha pedido a alguém para o ajudar, ou se alguém não estava à beira dele para o ajudar, ao que ele simplesmente me respondeu que teve vergonha de o fazer!

Tentei explicar-lhe que ele ainda é pequenino e que vai precisar muitas vezes da ajuda de outros adultos porque a mamã e o papá nem sempre vão estar perto... Acho que ele percebeu a mensagem, mas duvido que numa próxima vez ele vá pedir ajuda... 

 

São nestes pequenos pormenores que vemos a sensibilidade que existe aqui em relação às crianças. Na minha opinião esta informação devia ser dada aos pais antes de começar a escola, e na escola devia haver mais atenção se as crianças bebem água suficiente, principalmente quando as temperaturas estão altas, como se fez sentir nos últimos dias...

IMG_1332.JPG

REUNIÃO ESCOLAR...

Emigrantes em Paris

Ontem foi dia de reunião de Pais, na escolinha do Gui, dia de conhecer o programa lectivo, o nome dos profissionais, as regras/normas gerais, o protocolo por causa da Pandemia, entre outras coisas...

As minhas suspeitas de que esta Educadora parecia bem mais simpática e atenciosa, do que a do ano passado, parece que estavam certas. Em relação à Covid-19 confirmei que pouco ou nada se faz em especial... São 30 crianças numa sala, sem qualquer tipo de distanciamento e onde a desinfecção do material escolar é exatamente o mesmo que antes da Pandemia... Enfim, é rezar para que tudo dê mesmo certo...

 

De tudo o que foi dito e se passou na reunião, houveram duas coisas que se destacaram e achei que era giro partilhar com vocês:

- a Educadora, de origem francesa, ter crescido e vivido na China e ter um projeto para a turma sobre a cultura chinesa, a celebração do Ano Novo Chinês e a aprendizagem de algumas palavras em mandarim.

O Gui bem me dizia que também sabia falar "inglês", e fartava-se de repetir umas palavras que, a meu ver, não se pareciam com nada... Quando lhe perguntava onde tinha apreendido isso, dizia que tinha sido na escola... Achei que era da imaginação dele, mas afinal aquilo a que ele chamava inglês era mesmo "chinês"!!!

- e ter descoberto que a mãe de uma menina tem exactamente o mesmo nome próprio e o último apelido do que eu!!! 

Nunca imaginei encontrar, aqui em França, uma pessoa com o mesmo nome do que eu... O engraçado foi preenchermos um papel com os nossos dados que passava por todos os pais, e quando passo a folha para essa jovem ela pergunta-me, super espantada, se aquele era mesmo o meu nome. E o interessante é que eu sou loira e ela é de origem Africana, mais precisamente de Cabo Verde!

IMG_1328.JPG

E por aí, o que mudou este ano lectivo?! Se é que mudou...

AS NOVAS REGRAS ESCOLARES...

COVID-19

Hoje quando liguei a televisão, falava-se muito do novo ano escolar e fiquei com uma sensação estranha por sentir que aqui as coisas não são levadas tão a sério...

Aqui a escola começou no dia 1 de Setembro, mas o Gui só voltou à escolinha no dia 11 por causa das nossas férias de Portugal e uma vez que a professora dele só iria começar nessa altura... Achei que com esta Pandemia a escola iria enviar algumas normas específicas para os pais, mas nada disso se verificou... Voltamos à escola como se nenhuma Pandemia houvesse, e assim que chegamos lá apenas haviam duas alterações:

- as 5 turmas não entram pela entrada principal, estão agora divididas em duas partes (3 turmas entram pela entrada das traseiras e 2 pela entrada principal);

- e o uso de máscara obrigatório (para os pais e profissionais).

O distanciamento social aparece afixado nos papéis do Ministério da Saúde, mas na realidade isso não acontece e parece não incomodar muita gente... É chegar à escola e ver os pais com os miúdos, todos aglomerados à espera que abram os portões da escola...

E a desinfecção das mãos? E a avaliação da temperatura? Isso também não faz parte das medidas, nem um desinfectante das mãos existe, muito menos um termómetro à vista...

Numa altura em que a França regista um número de contágio  tão alto, pela Covid-19, confesso que fiquei chocada quando vi tão poucos cuidados no início deste ano escolar. Vamos acreditar que tudo vai dar certo e não vai haver nenhum problema...

No meio disto tudo, vem a reunião aos pais só na próxima segunda-feira para falar deste novo ano lectivo... 20 Dias depois...

É impressão minha ou a França gosta de fazer tudo ao contrário?!

IMG_1294.JPG

E por aí, como foi o início deste ano escolar?

REGRESSO À ESCOLA

EM TEMPO DE PANDEMIA

E ao fim de 6 meses, o Gui regressou à escolinha, na passada sexta-feira... Passou as férias todas a dizer que no fim das férias tinha que regressar para a França para a escolinha dele porque era para lá que ele queria voltar... Acreditem que ainda hoje não conseguimos perceber como ele gosta tanto daqui estar... E ai de quem lhe diga que um dia vai viver em Portugal, está completamente fora de hipótese... Com 4 anos parece que já sabe bem o que quer, e mesmo que não mostre interesse em falar francês diz que aqui é que é a casa dele... Ora aqui está algo que nos preocupa um bocadinho: o facto dele nunca querer falar francês connosco.

Imaginem agora o nível de francês que ele deve ter passados 6 meses sem ter grande contacto com a língua... É óbvio que isto limita-o na interacção com os outros, não fosse ele também tímido fora de casa... 

E embora tivéssemos bastante receio deste novo ano lectivo, sobretudo por causa desta Pandemia, o balanço dos primeiros 3 dias foi bastante positivo.

Pensei que o regresso à escola fosse ser bem mais difícil, felizmente foi bem mais fácil... Mesmo sem falar, e super tímido, o Gui entrou sempre na sala de aula super confiante e cheio de vontade de voltar a ver os seus coleguinhas... Desta vez, com uma nova Educadora, bem mais sorridente...

Agora é rezar que tudo continue a correr bem e que esta Pandemia não venha estragar de novo a integração do Gui à escola!

IMG_1285.JPG

MALDITAS FÉRIAS

O Gui andava super feliz com a escolinha, até que vieram as famosas férias escolares... Foram 15 dias em casa, aproveitamos e fomos três dias à Alemanha ter com os meus pais e depois foi a vez dos pais do R. darem um saltinho até aqui para matar também saudades... Sem falar que logo a seguir à escola ter começado veio o feriado do 11 de Novembro... Resumindo: foram demasiados dias de férias, passados em boa companhia, por isso voltou a ser difícil regressar à escola... 

 

Hoje foi particularmente o dia mais difícil... Parecia que estava a deixar o Gui, na sala de aula, pela primeira vez... Chorou, abraçou-se a mim e pediu-me para o levar dali... Dei-lhe um abraço bem forte e tornei-lhe a explicar que a escola era um lugar agradável e que logo ele iria tornar a gostar de estar ali... Não ficou muito convencido, a vontade de vir embora era maior... A professora não valorizou esta atitude nem fez nada para o cativar... Valeu a auxiliar da sala que o tentou tranquilizar... Assim que ela lhe pegou na mão, saí apressadamente pois sabia que seria pior se eu ficasse mais algum tempo ali...

 

Não consigo compreender porque motivo existem estas férias nesta altura do ano... Com tantas férias ao longo de um ano lectivo,  é óbvio que fica difícil o processo de integração... Eu por acaso até estou em casa porque decidimos que ficava, mais uma vez, em "congé parental", mas se já tivesse começado a trabalhar o Gui teria que ficar nos chamados "tempos livres", e teríamos que pagar cada dia que ficasse lá, que por sinal não é nada de "graça"... Não consigo ver a lógica disto... Mais parece um negócio que outra coisa... Ninguém tem tantas férias para poder ficar com os filhos em casa... Enfim, se alguém me soubesse explicar o motivo destas férias, ficaria agradecida...

 

O que eu posso dizer é que esta semana é de partir o coração quando vou levar o Gui de manhã à escola... Há sempre umas três ou quatro crianças que choram pelos pais... Entrar neste ambiente logo de manhã acaba por ser constrangedor, pois por muito que eu tente que o Gui se abstraia deste panorama, fica muito difícil...

 

Fui buscá-lo à escola e com o ar mais tristonho disse-me que "não gostava da mamã"... Perguntei-lhe se era por o ter deixado esta manhã na escola, mas de imediato disse-me que "estava a brincar e que gostava muito de mim"... Senti que me disse aquilo para demonstrar que não tinha ficado contente comigo por o ter deixado esta manhã, e fez questão de dizer que amanhã não queria ir... Em breve serão as férias de Natal... E temo que voltaremos ao mesmo...

IMG_0485.JPG

O PRIMEIRO DIA DE ESCOLA DO GUI

IMG_0248.JPG

O Gui começou a ir à escola uma semana depois desta ter começado, pois estávamos de férias em Portugal e não dava para vir antes... A directora da escola estava informada de tal e, a seu pedido, tinha mesmo entregue uma carta a informar sobre o mesmo...

 

Sabíamos que não ía ser muito bom ele perder a primeira semana de integração, mas à medida que as férias chegavam ao fim íamos explicando ao Gui o motivo dele ir para a escola assim que chegássemos à nossa casa...

 

Ontem foi o tal dia, o dia de começar a ir à escola... Comecei por acordá-lo, e mal abriu os olhos, sem me dizer o seu típico bom-dia, disse-me com um tom amuado que não queria para a escola... Contei-lhe maravilhas sobre a escola, e o motivo dele ter de ir, e deixei-o a reflectir sobre o assunto... Enquanto isso, eu vestia-me e preparava o Martin também... Sempre a resmungar, o Gui lá acabou por vir ter à sala, tomou o pequeno-almoço, coloquei-o prontinho para sair e lá fomos nós em direcção à Escola...

 

Durante o percurso de casa à escola, e por incrível que pareça, o Gui fartou-se de repetir que queria ir para a escola, mas assim que entramos na escola e fomos acompanhados à sala de aula o Gui começou a dizer que queria ficar com a mamã... Fiz-me de forte, tornei a explicar o motivo dele estar ali e prometi-lhe que o iria buscar... Ao fim de umas três tentativas, a Educadora (que não tem o ar mais simpático do mundo) pegou-lhe na mão e acompanhou-o a uma das mesas onde brincavam 3 meninas mais pequeninas... No mesmo instante, o Gui olhou para trás a chorar e a chamar por mim, disse-lhe chau e saí dali no mesmo instante... Confesso que foi duro vê-lo chamar por mim e ignorá-lo...

 

Assim que cheguei ao carro, senti que tinha um "nó na garganta e o coração apertado" só de pensar que ele podia achar que eu o tinha abandonado na "mão de pessoas estranhas"... Tentei abstrair-me daquele momento, fui para casa com o Martin, e durante aquele tempo imaginei todo o percurso que ele estaria a fazer naquele momento...

 

Eram 16h quando fui buscar o Gui, entrei na escola, dirigi-me à sala de aula para fazer fila, onde estavam já outros pais para recuperarem os filhos, e mal me viu desatou a chorar e a chamar por mim... Foram 2 ou 3 minutos ainda na fila, à espera de poder dar um abraço apertado ao meu Principezinho, e assim que ele saiu deu-me o abraço mais apertado e perguntou pelo mano...

 

Fiquei a saber que o dia tinha corrido bem, tinha chorado só quando o deixei, brincou com os alguns meninos da sala, dormiu 1h e meia, mas só almoçou o pão e a fruta... Sabia que o almoço na cantina da escola não lhe iria agradar muito, e dei por mim a reparar que ele não era o único pois haviam imensos país que já levavam com eles um lanche para dar aos filhos assim que eles saíssem da escola.

 

No regresso a casa, o Gui vinha cheio de fome, mas parecia contente, contou-me o que tinha feito durante o dia e fartei-me de rir quando ele me confidenciou que não gostou da comida da escola porque não era boa, pois ele gosta mesmo é de comer carne e arroz, e não tomates e cenouras!

 

Hoje, foi o segundo dia de aulas, acordou com a mesma filosofia de não querer ir, e eu tornei-lhe a contar maravilhas da Escola, e a dizer-lhe que era normal ele agora não gostar mas que com o tempo ía passar a adorar... Lá acabou por mudar de ideias e ceder... Dirigiu-se à escola contente, mas mal chegou à sala de aula queria vir embora.... Hesitou umas 3 vezes, e quando decidiu finalmente entrar, despedi-me de longe e vim embora apressadamente pois ouvi-o a choramingar...

IMG_0247.JPG

Vamos lá ver quantos dias vão ser precisos para ele se integrar, até lá é continuar a torcer para que ele esteja sempre rodeado de pessoas maravilhosas!

 

E por aí, como foi que tudo se passou? Que estratégias utilizaram para tornar esta fase mais fácil? Vá lá, partilhem connosco como foi...

ÉCOLE MATERNELLE - PARTE 4

Hoje foi o dia tão esperado, o dia em que o Gui foi uma hora para aquela que vai ser a sua Escolinha em Setembro... 

 

A preparação foi básica, começámos por lhe dizer, ontem, que hoje iria conhecer melhor a escolinha, e hoje de manhã tornei a dizer-lhe o que iria fazer... Afinal, trata-se de uma nova etapa que se avizinha, e o Gui já consegue assimilar e perceber muita da informação que lhe é dada, por isso era fundamental que ele estivesse preparado para o que iria fazer... 

 

Desta vez, o Gui mostrou-se pouco receptivo à ideia de voltar à escola, tentei não valorizar aquele sentimento negativo por ele demonstrado e expliquei-lhe que seria muito bom começar a conhecer melhor o lugar onde ele iria brincar com muitos mais meninos...

 

Tal como combinado, chegamos à escola às 9h, o Gui continuava de "pé atrás" com toda aquela situação, mas não reclamou, apenas dava para ver na cara de descontentamento... Eram 6 crianças ao todo que iriam ficar uma hora, repartidas pelas 3 ou 4 salas, misturados com os outros meninos... O Gui foi direccionado para uma sala juntamente com outro menino, eu e a mãe do outro menino fomos até à sala com ele porque ambos não nos queriam deixar... A porta da sala abriu-se, os dois entraram e sem qualquer tipo de despedida a porta tornou a fechar-se para que eles não tivessem muito tempo de correr na nossa direcção... Confesso que, naquele momento, o meu coração ficou um bocadinho despedaçado, senti que o Gui pensou que eu o iria abandonar ali... Felizmente, não estava sozinha nesta "missão", haviam mais 5 mães como eu...

 

Passamos então para uma sala onde preenchemos uns impressos, ao mesmo tempo que partilhávamos algumas informações...  Cerca de uns 15 minutos depois, uma das animadoras dava notícias sobre o comportamento de cada criança... Um dos meninos não aguentou a pressão e acabaram por o trazer à mãe para não o traumatizar.... O Gui, tinha chorado um bocado no início, juntamente com o outro menino, mas tinha acabado por sossegar... O tempo foi passando... Mais duas meninas acabaram por se juntar às mães... Entretanto tinha chegado a hora do recreio, o Gui, o outro menino e mais uma menina, continuaram a seguir os outros e foi nesta altura que pudemos espreitar da janela para o exterior, no tal recreio que onde todos os meninos brincavam juntos...

BDA4C41C-7737-40F0-9BE1-195FFEB94038.jpg

Dava para perceber que o Gui continuava muito tímido, a observar mais os outros...  Tinha a certeza que se ele soubesse que eu estava naquela janela a espreitar como ele se comportava, tinha corrido de imediato na minha direcção...

 

Ficámos, talvez, uns 10 minutinhos ali a olhar para eles... De repente, 1 hora tinha passado... Uma das animadoras foi buscá-los para virem ter connosco, mas mais uma vez o Gui não achou piada ter que dar a mão a mais uma pessoa estranha... Assim que me viu, esboçou o maior sorriso, agarrrou-se a mim e disse-me que queria ir para casa e ficar comigo... Abracei-o, despedi-me das outras duas mães e da educadora, e tornei a explicar ao Gui que aquele lugar ía ser muito bom para ele brincar, aprender e crescer com outros meninos... E que só depois das férias de Verão, em Portugal, é que iria voltar para conhecer melhor aquela que irá ser a sua Escolinha, pois ele agora já era um menino mais crescido... Apesar destas minhas explicações, acho que o Gui não ficou nada convencido! Haver vamos em Setembro...

 

ÉCOLE MATERNELLE - PARTE 3

IMG_9856.JPG

Tal como já tinha contado, o Gui em Setembro entra para a chamada "École Maternelle", por isso depois das férias de Verão deixará definitivamente de ir para a ama dele, a Assistente Maternelle que ele tanto gosta...

 

Tal como tinha sido já agendado, na sexta-feira fomos então conhecer a escolinha do Gui na presença da Directora da Escola e para o meu grande espanto o Gui estava todo entusiasmado com tantos miúdos juntos que só queria entrar nas salas e ficar com eles! A Directora pareceu uma pessoa calma, disponível, simpática e super acessível, fiquei com uma boa impressão geral de tudo e o mais giro foi quando ela fez questão de referir que haviam duas animadoras portuguesas na escola, por isso se o Gui tivesse alguma dificuldade em se exprimir em francês haveria sempre alguém que o compreenderia melhor. Ainda tivemos contacto com as duas animadoras, trocamos umas palavrinhas em português e assim que o Gui percebeu que elas falavam a mesma língua que nós, não hesitou em dar a mão a uma delas assim que esta o convidou a ir com ela ter com os outros meninos ao recreio.

 

Foi muito bom sentir que este primeiro contacto despertou uma grande curiosidade no Gui, falta agora saber como será realmente... Entretanto, ontem tivemos uma reunião com todos os pais para esclarecer algumas dúvidas que pudessem existir e aproveitamos para escolher o tal dia para a adaptação de 1 hora... Agora é esperar pelo dia 13 de Junho para ver como é que o Gui vai reagir quando ficar 1hora na escolinha com os outros meninos sem a minha presença... Eu estarei algures numa sala a terminar a inscrição dele e ele terá "o primeiro contacto a sério", naquela que vai ser a escolinha dele durante algum tempo...

ÉCOLE MATERNELLE - PARTE 2

Se bem se lembram, em Janeiro inscrevi o Gui na "Escola Maternal", sem saber exactamente em qual das três escolas que aqui existem ele iria ficar... Na sexta-feira uma funcionária da Câmara Municipal ligou-me e informou-me então qual iria ser a escola do Gui, aquela que por sinal fica mais longe cá de casa, a aproximadamente 500 metros daqui...

 

Tinha que ligar esta semana para a Directora da Escola para completar a inscrição do Gui, por isso liguei hoje e fiquei agradavelmente surpreendida  da forma como se processa a inscrição...

 

Existem três etapas que eles fazem e aconselham a que os pais e as crianças participem de forma a que as crianças comecem desde cedo a aperceberem-se de que em breve terão rotinas bem diferentes:

  • a primeira começa com um encontro na escola com a directora na qual nos é apresentada a escola e feita uma visita guiada (já no dia 24 de Maio);
  • a segunda fase é uma reunião com todos os pais para esclarecer todas as dúvidas (dia 28 de Maio);
  • e na terceira e última fase, mais direccionada para a criança, levamos a criança à escola onde ela ficará cerca de uma hora sem a nossa presença para ver como ela reage (apenas sei que irá decorrer entre a semana do 3 ao 7 de Junho, numa data a escolher na reunião do dia 28 de Maio).

 

Confesso que estou curiosa para ver a reacção do Gui, pois mesmo que ele diga que quer ir para a escolinha, não sei até que ponto ele vai compreender que a vida dele está a um passo de mudar... A dele e a nossa também... 

IMG_9776.JPG

ÉCOLE MATERNELLE

IMG_9458.JPG

O Gui faz 3 aninhos este ano, por isso em Setembro deixará de ir para a ama e passará a frequentar a Escola Maternal, ao que os franceses chamam aqui de École Maternelle.

 

A inscrição é sempre feita na Câmara Municipal da Cidade onde se mora, e geralmente ocorre sempre no início do ano, no caso do Gui as inscrições começaram  a 15 de Outubro de 2018 e terminam no dia 1 de Fevereiro de 2019. 

 

É uma mudança grande na vida de uma criança, pois antes dos 3 anos, a criança está numa creche (onde as regras são menos rígidas), com uma assistante maternelle (uma ama que recebe as crianças na casa dela) ou com uma nounou (quando a ama toma conta da criança na própria casa dos pais), num ambiente muito mais acolhedor. Quando entra na escola maternal depara-se com uma grande turma onde existem muitas mais regras... É um grande orgulho para a criança mas também é um grande desafio.

 

A Escolha da Escola

A escola é gratuita a partir dos 3 anos, a menos que optemos por uma escola  particular. Por norma, em cada cidade existem várias escolas, não se pode escolher a escola porque estas são separadas por setores e estão ligadas ao local onde morámos. 

 

Turmas
As turmas estão divididas em 4 sectores: toute petite section (TPS), petite section (PS), moyenne section (MS) e grande section (GS), respectivamente 2-3 anos, 3, 4 e 5-6 anos. Costumam ser turmas  grandes, entre 25 a 30 crianças, com 1 professor e até 3 auxiliares.

 

Horários

O horário da escola varia de escola para escola, em regra pode começar entre as 8:15 e 8:30 e terminar às 16:30.

O almoço é sempre pago, quer seja uma escola pública ou particular, e o valor depende do rendimento da família. Podemos escolher se a criança almoça na escola ou em casa, claro que isto só é viável para os pais que não trabalham ou têm um horário que permita ir buscar os filhos às 11:30 e levá-los às 13:30. 

Infelizmente, para quem trabalha, e não tem com quem deixar os filhos, o horário da Escola Maternal não é compatível com o horário laboral, daí que exista ainda o chamado período peri scolaire, que são nada mais que os períodos antes e depois das aulas. Trata-se de uma espécie de "tempos livres" onde as escolas possuem um espaço (ao que os franceses chamam de garderie), ou na própria escola ou fora desta, que permite que as crianças possam ficar mais cedo na escola e entrar mais tarde em casa (os horários começam às 7h da manhã e terminam às 19h). Esta opção é paga e o valor também depende dos rendimentos de cada família. 

 

Dias de Escola

Para complicar a vida, aqui em França a maioria das escolas não têm aulas à quarta-feira. Há pessoas que conseguem ter um horário laboral que lhes permita não trabalharem à quarta-feira para ficar com os filhos, mas para quem não tem essa sorte a opção passa por deixar os filhos na tal garderia (opção esta que também tem que ser paga).

 

Período Letivo e Férias Escolares

O ano letivo começa em Setembro e vai até final de Junho, existindo as  férias grandes de Verão, de Julho a Agosto. Além destas férias, as crianças têm 2 semanas de férias a cada 2 meses, ou seja: em Outubro, Dezembro, Fevereiro e Abril, sendo que as datas específicas dependem sempre da região onde se mora (tal como já tinha falado uma vez aqui). Escusado será dizer que nestas alturas, e para quem não tem alternativa, existem os centros de lazer, a pagar. 

 

 

No nosso caso...

Fizemos  a inscrição do Gui ontem e ainda não sabemos qual a escola que   vai frequentar pois a escola que deveria ir já está sobrelotada, tudo devido a uma série de imóveis que se construíram perto o que aumentou o número de crianças na zona. Ora, sendo assim, a funcionária da Câmara Municipal informou que só no final de Maio é que saberia a escola seleccionada. Depois disto, teremos que em entrar em contacto com a directora da escola para inscrever o Gui e tirarmos todas a dúvidas, espero que nessa altura possa conhecer também a escola.

Como estou grávida, numa primeira fase o Gui não vai precisar de ir para a Garderie, fará apenas o horário escolar, que no caso dele é das 8:30 às 16:30. No entanto, a opção de comer não cantina da escola será uma excelente ideia, para se adaptar mais facilmente à escola e também às refeições daqui pois desde pequenino está habituado a comer comida portuguesa feita por nós (mesmo quando vai para a ama).  

Vai ser uma grande mudança na vida dele até porque acho que ele ainda não tem noção do que lhe estou a falar quando lhe digo que um dia terá que ir para a escola. Além disso, como vamos de férias de Verão, o mais provável é que ele entre uns dias mais tarde depois do início escolar... Vão ser muitas mudanças que se avizinham para ele, e sei que vai ser um período um bocadinho complicado até para nós, mas calma e muito amor, tudo vai dar certo... Afinal vão ser mudanças positivas que vão permitir que o Gui cresça e desenvolva cada vez mais a sua autonomia!