Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

GRAVIDEZ: DA PRÉ-CONCEPÇÃO AO PÓS-PARTO

image.jpegAntes de decidirmos ser pais, pensámos imensas vezes como iria ser vivenciarmos a experiência da maternidade/paternidade... E se a experiência por si só já nos deixava "inquietos", o facto desta ter que ser vivida num país estrangeiro deixáva-nos ainda mais ansiosos.

 

Não é que eu saiba o que é ter filhos em Portugal, mas é óbvio que as coisas seriam bem mais facilitadas... Estaríamos no nosso país, a falar a nossa língua e rodeados de familiares e amigos que nos iriam ajudar...

 

Aqui as coisas não são bem assim, longe de tudo e de todos, somos obrigados a pesquisar por nós mesmos... Desde a primeira consulta para confirmar a gravidez até a escolha da maternidade, tudo é uma novidade que exige de nós uma pesquisa profunda, e ao mesmo tempo angustiante, pois o medo de falhar em algum passo é muito grande!

 

De forma a poder ajudar futuros papás, que se possam encontrar numa situação semelhante, decidi que seria útil fazer um resumo de todo este processo que vai da fase da pré-concepção até ao parto... 

 

 

ANTES DE ENGRAVIDAR

image.jpeg

Tal como acontece em Portugal, o ideal é que, pelo menos 3 meses antes de se engravidar, se recorra ao médico de família/ginecologista para fazer uma consulta de pré-concepção. Nessa consulta, e de uma forma muito resumida, o médico:

 

- prescreve um suplemento de ácido fólico 400 µg (0.4 mg), um comprimido que contribui para o bom desenvolvimento do sistema nervoso central do bebé. Este medicamento, deve se começar a tomar 3 meses antes de engravidar (pelo menos) e até aos 3 primeiros meses da gravidez;

 

- pede um exame de sangue com hemograma completo, glicemia em jejum e grupo sanguíneo, bem como exames sorológicos para citomegalovírus, rubéola, toxoplasmose, hepatite B, hepatite C e SIDA;

 

- faz um exame ginecológico completo, que consiste no exame e palpação das mamas + o exame de Papanicolau (caso o último tenha sido feito há mais de 3 anos);

 

- verifica o cartão de vacinas, para ver se está em dia (a última dose da vacina anti-tetânica deve ter menos de 10 anos; deverá estar imune à rubéola, resultado que se vê através de análises ao sangue, caso contrário será necessário vacinar-se e só passados 3 meses é que pode tentar engravidar; e deve ter a vacina da Coqueluche, uma doença que em recém-nascidos pode causar complicações graves, como pneumonia, convulsões e danos cerebraisas, até à morte);

 

- e aconselha-a sobre os medicamentos que está a tomar (há medicamentos que têm que ser suspensos ou substituídos antes de se iniciar a tentativa de engravidar) e à prática de uma vida saudável (alimentação saudável, actividade física regular, redução de ingestão de bebidas alcoólicas e deixar de fumar).

 

 

QUANDO O TESTE É POSITIVO...

 

image.jpeg

Basicamente quando se faz o teste de farmácia e se descobre que se está grávida, marca-se uma consulta de forma a ser feita uma colheita de sangue que confirmará a gravidez. Esta consulta é geralmente feita no médico de família.

 

Se a gravidez decorre sem intercorrências, durante os primeiros meses, pode ser seguida clinicamente pelo médico de família, um ginecologista ou uma parteira, no privado. Tudo depende onde quer ser seguida!

 

A partir do 6º mês passa-se a ser seguida pela maternidade (eu pessoalmente comecei a ser seguida a partir do 7º mês).

 

 

PRIMEIRO TRIMESTRE - OFICIALIZAÇÃO DA GRAVIDEZ

image.jpeg

Basicamente no primeiro trimestre, faz-se uma consulta mensal para acompanhar a gravidez.

 

primeira consulta, a mais importante por ser a mais completa, pretende-se datar a gravidez, pesquisar factores de risco, executar ou prescrever exames de acompanhamento e explicar como irá decorrer a gravidez. O médico (se não o tiver feito na consulta de pré-concepção, ou até antes) procurará saber o histórico pessoal e familiar da grávida, bem como o seu estilo de vida; um exame clínico é feito: medição da pressão arterial, ganho de peso, exame pélvico, bem como a primeira ecografia endovaginal (porque o útero ainda não está grande o suficiente para permitir a visualização do seu interior através da barriga. O objectivo é assegurar que o saco gestacional se encontra dentro do útero). Sáo pedidos exames à urina (para verificar se há açúcar, glicosúria: sinal de distúrbios metabólicos de açúcar como a diabetes gestacional; e proteinúria, pesquisa de proteínas que pode ser um sinal de hipertensão, anomalias renais ou infecção do trato urinário) e ao sangue (grupo sanguíneo, pesquisa de anticorpos irregulares (RAI), sorologia contra a rubéola, toxoplasmose, sífilis, hepatite B, hepatite C e HIV - estas análises também vão ser pedidas dependendo se fez ou não a consulta de pré-concepção). 

 

Por volta das 12 semanas é realizada a Ecografia do Primeiro Trimestre, e é nesta altura que o médico entrega a "Déclaration de Grossesse" (declaração de gravidez), um documento que comprova a gravidez e que deve ser enviado à "Caisse d'Allocations Familiales" - CAF (órgão de pensões familiares) e à "Caisse Primaire D'assurance Maladie" - CPAM (Segurança Social), para garantir o acesso ao acompanhamento completo oferecido gratuitamente pela saúde pública francesa. Depois disto, a CPAM envia para casa uma espécie de calendário dos exames que precisam ser realizados ao longo da gravidez e as datas de licença-maternidade. Para as pessoas que preenchem os critérios estabelecidos pela Segurança Social (CPAM), o governo oferece um valor de até 923,08 € de prémio no nascimento de um bebé (prestation d'accueil du jeune enfant - PAJE), valor este que é depositado dois meses depois do nascimento do bebé). 

 

É no final do primeiro trimestre que deve comunicar no seu local de trabalho que está grávida, para isso basta que entregue uma fotocópia do certificado de gravidez.

 

 

SEGUNDO TRIMESTRE

image.jpeg

No segundo trimestre, as consultas e os exames de rotina, feitos na primeira consulta, passam a ser feitos todos os meses (medição da pressão arterial, peso, análises ao sangue, análises à urina e exame obstétrico). Além disto, é no segundo trimestre que se começa a fazer a medição da altura uterina (para verificar se o tamanho do útero é consistente com o progresso da gravidez).

 

Entre as 20 e as 24 semanas é feita a Ecografia do Segundo Trimestre.

 

Entre as 24 e a 28 semanas faz-se a Prova de Tolerância Oral à Glicose (PTOG) e, no caso de ser Rh negativa, o médico prescreve a injeção de imunoglobulina anti-D (Rh), às 28 semanas de gestação.

 

Por volta do 5º mês, é feita a inscrição numa maternidade à sua escolha (tópico que falarei num outro post) e começam a programar-se as consultas com o obstetra da maternidade.

 

 

 TERCEIRO TRIMESTRE

image.jpeg

Tal como acontece com as consultas do segundo trimestre, haverão análises à urina, análises ao sangue, exame clínicos gerais e obstétricos, de forma a monitorizar a saúde da grávida e do bebé. Nesta fase, a gravidez começa a ser acompanhada pelo obstetra da maternidade.

 

Dão-se início às aulas de preparação para o parto.

 

É feita a Ecografia do Terceiro Trimestre, entre as 30 e as 32 semanas.

 

Por volta do 8º mês, há uma consulta de carácter obrigatório com o anestesista, quer se queira anestesia epidural ou não, uma vez que a anestesia geral pode ser necessária em caso de complicações durante o parto. Basicamente é explicado o procedimentos, tiram-se dúvidas e pedem-se umas análises ao sangue (para descartar problemas de coagulação).

 

Entre as 35 semanas e 38ª de gestação faz-se ainda uma despistagem do Streptococcus B, por esfregaço vaginal e anal (o estreptococo do grupo B é um tipo de bactéria que existe frequentemente no intestino das pessoas, essas bactérias podem acabar "colonizando" a vagina também, daí o risco de transmissão ao bebé durante o parto). Se o resultado fôr positivo, será prescrito um tratamento antibiótico durante o trabalho de parto a fim de evitar a contaminação do recém-nascido. 

 

 

DEPOIS DO NASCIMENTO

image.jpeg

Para garantir que o corpo está se recuperando bem depois do parto, estão previstas as seguintes consultas:

 

- Oito dias após o parto (e antes da consulta pós-natal/puerpério) - duas consultas com a enfermeira parteira são feitas, em casa ou no consultório (a escolha faz-se no momento da marcação das consultas para avaliar o bebé e tirar dúvidas que possam surgir;

 

- Seis a oito semanas após o parto, existe uma consulta do puerpério de carácter obrigatório, com o ginecologista (à sua escolha) ou com uma enfermeira parteira (se o parto tiver sido normal e sem complicações), onde são feitos alguns exames ginecológicos, faz-se um ponto da situação relativamente à amamentação (se fôr o caso), ao retomar da atividade sexual e da contraceção.

 

Dois meses após o parto, se o médico/enfermeira parteira achar que o períneo está enfraquecido (podendo mesmo haver perda de urina ou sensação de desconforto), iniciam-se sessões de reabilitação perineal, junto a uma enfermeira-parteira ou a um fisioterapeuta.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.