Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

ATÉ QUE A MORTE NOS SEPARE

IMG_9191.JPG

Estes dias fiquei fascinada com uma senhora que está hospitalizada onde eu trabalho... Orientada, praticamente independente, apenas uma ajudinha para as actividades de vida diária já que o coração dela vai ficando cansado e frágil... Com um olhar doce e um ar sereno que cativa qualquer pessoa que se cruza com ela... Ninguém diria que ela tem 107 anos! Fiquei parva quando olhei para o computador e vi a idade daquela idosa... Contou-me que ficou viúva quando tinha 62 anos, perdeu o marido devido a um "cancro fulminante"... Na altura, vivia sozinha, não tinha carta de condução pois era o marido que a levava a todo o lado... Arregaçou as mangas e tirou a carta de condução nessa altura, pois não queria depender dos vizinhos nem da filha... Viveu sozinha até aos 105 anos, altura em que o médico de família aconselhou-a a ir viver para a casa da filha, que também era viúva e tinha 80 anos... Duas mulheres incríveis que ninguém diria a idade que elas têm... 

 

Ninguém conseguiu ficar indiferente a esta senhora... Assim vale a pena viver... De repente, e ainda no hospital, eu e os meus colegas demos por nós a divagar e a pensar que se esta senhora tivesse vendido a casa no modo "viager" a pesssoa que tivesse feito o negócio com ela tinha perdido...

 

Sabem o que quer dizer  "viager"?

O "viager" é uma forma de venda imobiliária que existe, cá em França, onde a pessoa  vende o seu apartamento ou a sua casa tendo como garantia uma renda vitalícia (la rente viagère) e um capital inicial (le bouquet). De uma forma geral, os proprietários  são idosos viúvos e sem filhos ou família que vendem os seus imovéis a preços mais baixos do valor de mercado. Por exemplo, Um apartamento avaliado em 300 mil euros é vendido a 150 mil euros de entrada + 500€ de mensalidades. A pessoa compra o imóvel mas não o leva imediatamente, pois é preciso esperar que o proprietário morra... É aqui que fica complicado pois as pessoas ficam a rezar para que o proprietário "bata a bota" depressa para o negócio ser mais rentável e poderem instalar-se na casa.

 

"Mas, de onde é que os franceses tiraram esta ideia?"

A ideia do "viager" surgiu porque haviam muitas pessoas que morriam e não tinham família e acabavam por deixar imóveis caríssimos ao Estado. Desta forma, uma família pode comprar com mais facilidade uma casa, e ao mesmo tempo pode garantir uma vida mais confortável ao reformado. Ambos beneficiam, porque o reformado, além de receber o "capital inicial" de entrada, recebe uma quantia todos os meses e tem a garantia de poder continuar a viver na sua casa até morrer, e o comprador pode ter a sorte de economizar até 50%.

 

O "viager" é, antes de mais, um enorme risco para quem compra, porque não se sabe quantos anos o proprietário vai viver. Existe um caso famoso aqui em França que retrata bem esse risco... Jeanne Calment, uma viúva de 90 anos e mãe de dois filhos já falecidos, vendeu a sua casa para um casal (o homem tinha 47 anos na época) e recebia todos os meses uma boa quantia de renda. Trinta anos depois, quando o comprador faleceu aos 77 anos, a proprietária continuava viva e cheia de saúde. A esposa do comprador teve que continuar a pagar as mensalidades até que Jeanne falecesse, aos 122 anos de idade! No final, a casa custou duas vezes mais o valor negociado.

 

Mesmo assim, existem muitas pessoas que arriscam e compram casa nesta modalidade, existindo para isso até sites especializados, onde para além da descrição tradicional, existe também a idade dos proprietários. Pessoalmente, confesso que não conseguia fazer uma compra dessas até porque azarada como sou, tenho a certeza que só iria perder dinheiro!

 

E vocês, comprariam uma casa nesta modalidade?

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.