Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

ATÉ SEMPRE WILLY!

image.jpeg

O Willy era o cão dos meus pais, mas era como se fosse meu também... Era um cão diferente de todos os outros e não existia em lado nenhum um cão igual a ele, pelo menos nunca vimos nenhum!

 

Era arraçado de um Husky Siberiano, a mãe era de raça e o pai um rafeiro, por isso tinha as principais características da raça: um olhos azul e outro castanho, a pelagem comprida e espessa e, só sabia uivar. O tamanho esse era, como nós dizíamos carinhosamente, do "tamanho de um banco de cozinha": comprido, baixinho e gordinho, mas com uma agilidade e uma força incríveis!

 

Tinha mais ou menos 1 ano quando veio para a casa dos meus pais, pertencia a uns primos nossos que viviam numa casa com pouco espaço e que tinham pouco tempo para estar com ele, e decidiram dá-lo... Daí a te ter vindo para a casa dos meus pais foi um saltinho... 

 

Lembro-me, como se fosse hoje, o dia em que ele chegou lá a casa... Atrevido, desobediente, cheio de energia, louco por água e por crianças, um devorador de comida, obsecado pelas galinhas da minha mãe e pelas ovelhas de uma vizinha (que estavam sempre a pastar num campo ao lado da nossa casa)... Mas, no fundo, um verdadeiro fofo!

 

Para sempre ficam as duas histórias mais hilariantes que passamos com ele:

- a primeira noite que ficou lá em casa e descobrimos que só sabia uivar. Na altura os meus pais tinham outro cãozinho, por isso, assim que este ladrou ele tentou imitá-lo mas só conseguia uivar... Com o tempo, e à força do treino, aprendeu a ladrar e nunca mais soube uivar;

 

- e o dia em que o portão da entrada na casa dos meus pais avariou e ficou aberto e o Willy deciciu fugir em direcção às ovelhas da minha vizinha, e estas foram parar à Estrada Nacional! Na altura não teve piada nenhuma pois o desfecho podia ter sido trágico, felizmente não foi o caso, mas à conta deste episódio a minha mãe ficou em pânico e o Willy ficou "preso" durante muito tempo.

 

A característica que o distinguia de todos os outros cães que tivemos, para além do seu porte físico, era o facto deste adorar comer tudo... Ninguém podia comer à frente dele, era uma verdadeira criança, tudo o que estivessemos a comer ele também tinha que comer... E quando digo tudo, é tudo mesmo! Desde banana, a laranjas, passando por pipocas e tudo o que possam imaginar, o Willy tinha que comer também! 

 

Foram 16 aninhos cheios de aventuras e amor...

 

Partiu este madrugada, depois de ter começado a perder muita da sua vitalidade há cerca de um ano e meio... Ouvia mal, via mal e deslocava-se com muita dificuldade. Mas nesse tempo, e apesar de todas as dificuldades que ele tinha, houve uma coisa que nunca deixou de fazer: comer! Muito mais selectivo e requintado, nunca perdeu o apetite, e mesmo ontem, dizia a minha mãe, comeu como se não fosse partir... Mas partiu, durante a noite, num sono onde nunca mais acordou... 

 

Até sempre querido Willy! 

AFINAL ATÉ TENHO UMA DOR QUE ME CHATEIA...

image.jpeg

Até parecia estranho não ter nenhum sintoma menos bom neste terceiro trimestre da minha gravidez... Pois é, há cerca de 2 semanitas que tenho uma dor que de vez enquando me atormenta um bocadinho para o muito e me deixa a "mancar": a famosa dor do ligamento redondo!

 

Toda a gente ouve falar das famosas lombalgia (dores nas costas) e até da dor ciática que muitas grávidas chegam a ter, mas o que eu desconhecia (ou pelo menos não me lembro de falar disto nas aulas de obstetrícia, que tive durante o curso de enfermagem) era a existência deste tipo de dor a nível dos ligamentos que surge na região inferior do abdómen e que irradia para a virilha. Daí que, de início, fiquei um bocadinho preocupada pois não sabia do que realmente se tratava!

 

 

PORQUE SURGE ESTA DOR?

Normalmente, o útero é do tamanho de uma maçã, mas com o decorrer da gravidez, o útero cresce e expande-se em tamanho e peso. Ora este crescimento faz com que os ligamentos que suportam o útero no lugar do abdómen (os chamados ligamentos redondos) se estiquem e se tornem mais longos e finos a fim de suportar o crescimento fetal. Quando os ligamentos esticam, dá-se uma irritação das fibras nervosas que resulta numa dor aguda em um ou ambos os lados do abdómen, e que irradia para a virilha.

image.jpeg

A dor surge normalmente a partir do segundo trimestre de gravidez (no meu caso, tive a sorte de começar só agora no terceiro trimestre) e acontece quando há uma mudança na posição ou no movimento como levantar da posição sentada, sair ou rolar na cama, espirrar, tossir, rir, entre outros. 

 
 

COMO LIDAR COM A DOR

Existem várias dicas que são realmente simples e eficazes, entre elas, são:

- Mover-se devagar, evitando fazer movimentos bruscos ou rápidos (pois isso vai agravar a contração do ligamento e aumentar a dor);

- Sentar-se e relaxar;

- Dobrar os joelhos sob o abdómen;

- Deitar-se de lado, colocando um travesseiro sob a barriga e outro entre as pernas;

- Tomar um banho quente;

- Dobrar e flexionar os quadris no momento de tossir ou espirrar.

Caso a dor não abrande, o melhor será tomar 1gr de paracetamol, e se mesmo assim a dor persistir mais vale expô o caso ao médico que acompanha a sua gravidez. 

Eu costumo sentar-me, dobrar os joelhos sob o abdómen, e relaxar... E a dor alivia de imediato, mas para que esta desapareça são sempre precisos uns bons 15 minutos. Felizmente esta situação acontece-me muito esporadicamente, tão esporadicamente que até já me tinha esquecido que ela existe!

32 SEMANAS DE BOAS EMOÇÕES!

image.jpeg

Hoje entrámos nas 32 semanas, que é como quem diz, no início do 8º mês de Gravidez! Dá para acreditar?! O tempo passou tão rápido, que nem consigo imaginar que faltam cerca de 8 semanas para o Gui nascer.

 

Nesta fase, o Gui mexe imenso, é uma sensação tão mágica, que hoje compreendo aquelas mães que me dizem que têm saudades destes momentos! Ainda me sinto bastante confortável, felizmente, não tenho tido sintomas chatos típicos desta fase, azia, lombalgias, insónias, pés inchados... Por isso nem tenho muito por onde me queixar.

 

Reconheço que ando um bocadinho mais cansada, custa-me um bocadinho mais a respirar se fizer alguma actividade que exige mais esforço, e tenho mais sono no final do dia... A minha diabetes gestacional não me tem perturbado nadinha, tenho-me conseguido controlar facilmente, até porque volta e meia cometo uns abusinhos na minha dieta.

 

As aulas de Preparação para o Parto tem-me permitido comparar a minha barriga com as das outras mamãs... Acho que é inevitável não fazê-lo... E dei por mim a achar que a minha barriga não está assim tão enorme... Se é verdade, ou não, não sei, pode ser impressão minha!

 

Fiz hoje a Ecografia do Terceiro Trimestre, era para ser feita só no próximo sábado mas como o médico não estava anteciparam a data, de forma a que o meu marido também pudesse estar presente... E mais uma vez vimos o nosso Principezinho mais de perto, ficámos a saber que já está na posição cefálica (a posição ideal para o parto, vamos torcer para ele continuar assim até o grande dia), pesa quase 1800gr e mede cerca de 42cm. Infelizmente ele estava tão "enroladinho" que foi impossível vermos a sua carinha, apenas conseguimos vê-lo de perfil... Bem, o malandro acho que nos quer fazer uma surpresa, assim não começámos a fazer previsões com quem ele é mais parecido (eh..eh..eh...)!

image.jpeg

A partir de agora o Gui vai continuar a aumentar de peso, cerca de 200gr por semana, e tendo em conta o peso actual do Gui, o médico disse-nos que deve nascer com cerca de 3Kg.

 

Estamos muito felizes com estas "32 semanas de Gui", pode parecer estranho, mas continuamos calmos e sem pressas, queremos continuar a saborear estes momentos até ao último segundo!

NOVIDADES PARA PAIS e GRÁVIDAS

DSC08670.JPGNo sábado fomos ao "Salon Baby Paris" e o balanço foi bastante positivo. Confesso que pensava que ía encontrar uma exposição muito maior, de qualquer forma foi o suficiente para nos perdermos lá 3 horas...

DSC08692.JPGDSC08679.JPGDSC08686.JPGDSC08685.JPG

DSC08691.JPGDSC08695.JPG

De tudo o que vimos e ouvimos, gostei imenso do wokshop de "Iniciação aos Primeiros Socorros" (talvez um dia faça um post sobre este tema pois acho-o muito pertinente), e houveram duas coisas que me marcaram, pelo desconhecimento da sua existência... Por achar que poderia ser útil divulgar, partilho com vocês essas informações.

 

 

 

     1. A Radio Doudou - uma Rádio 100% dedicada aos Bebés

image.jpeg

É verdade, aqui em França, existe uma rádio 100% dedicada aos bebés, que apresenta um programa musical especialmente concebido para todos os bebés dos 0 aos 3 anos. Uma estação de rádio online que pode também ser obtida descarregando o aplicativo para smartphones e tablettes. 

Claro que depois de saber disto, andei a pesquisar na internet se em Portugal também haveria algo semelhante... Infelizmente acho que não!

 

 

     2. O aparelho EPI-NO Delphine Plus para grávidas 

EPINO.jpg

Confesso que desconhecia a existência de um aparelho que fortalecesse o assoalho pélvico e preparasse o períneo para o parto, o EPI-NO Delphine Plus (o nome deriva da palavra “episiotomia”, que significa incisão efetuada na região do períneo - área muscular entre a vagina e o ânus - para ampliar o canal de parto).

De origem alemã, o Epi-No  é um aparelho composto por um balão de silicone, conectado a um medidor de pressão através de um tubo em silicone, com bomba em elastómero termoplástico e válvula de liberação de ar. O balão é introduzido na vagina e é insuflado lentamente, proporcionando o alongamento do períneo e simulando a cabeça do bebé, um movimento semelhante ao que acontece durante o parto.

utilizaçao do EPINO.jpg

A sua utilização vai contínua, vai favorecer o alongamento da musculatura do assoalho pélvico de forma gradual, de forma a reduzir o risco de lacerações do períneo durante o parto, bem como problemas futuros relacionados ao relaxamento desta musculatura, tais como incontinência urinária (perda de urina).

Indicado a partir dos 6 meses de gravidez, recomenda-se a sua utilização diária, devendo ser utilizado com prescrição médica e sob a orientação de um profissional especializado, que irá ensinar a melhor forma de o utilizar.

É certo que este aparelho aumenta as probabilidades de manter o períneo íntegro, mas a grávida tem que estar ciente que no fundo não há como garantir que não haverá lesão durante o parto.

Amanhã é dia de curso de preparação para o parto, e o tema a abordar é exactamente "como preservar o períneo", por isso vou ver se falam deste aparelho, caso contrário vou aproveitar para esclarecer até que ponto é que eles recomendam a sua utilização. Mas não se preocupem... Depois conto-vos como foi!

PREPARAÇÃO PARA O PARTO

curso de preparação para o parto.jpg

Tal como existe em Portugal, aqui em França também existem os "Cursos de Preparação para o Parto", e embora eles possam ter abordagens diferentes, todos têm o mesmo objectivo: diminuir a ansiedade dos futuros papás, esclarecendo dúvidas, dando a conhecer exercícios e técnicas de relaxamento durante o trabalho de parto e orientando sobre os cuidados com o recém-nascido. E apesar de eu ser enfermeira, e ter algum conhecimento teórico e prático sobre este tema (pois o curso de enfermagem tem uma disciplina teórico-prática de obstetrícia, com estágio em sala de partos e internamento), considero que mesmo estando "por dentro do assunto", nunca é demais frequentar estas aulas, porque quando estamos do "outro lado"  as coisas são bem diferentes!

 

Por isso, assim que me inscrevi na maternidade sabia que teria a possibilidade de frequentar essas aulas, tinha apenas que esperar que chegasse uma carta a casa (por volta do 7º mês de gravidez), e ligar para me inscrever nas aulas que queria frequentar. 

 

A carta chegou a casa na quinta-feira antes da Páscoa, exactamente no dia em que fiz 30 semanas (7 meses), e tive a minha primeira consulta com a enfermeira parteira da maternidade, por isso aproveitei para me inscrever.

 

Basicamente o curso divide-se em 8 aulas:

  1. Respiração adaptada à Gravidez e ao Parto
  2. Parto: como preservar o períneo
  3. Como gerir as dores das contracções?
  4. O dia "J"
  5. O nascimento
  6. Visita à Sala de Partos
  7. Aleitamento Maternal e Artificial
  8. Aula com o Obstetra

 

As aulas aplicam-se às mamãs e aos papás mas, tal como acontece em Portugal, é complicado gerir o horário de trabalho para que o pai possa estar presente, daí que a maior parte dos cursos acabe por ser frequentado apenas pelas grávidas. A pensar nisso, e porque existem umas aulas mais importantes para os futuros papás, do que outras, a maternidade onde eu me inscrevi propõe que as 3 aulas mais importantes (nº 3, 5 e 6) para o casal, sejam leccionadas ao sábado, uma boa iniciativa que fez com que fosse possível inscrever o meu marido também.

 

Felizmente, os tempos mudaram e a gravidez/parto deixou de ser uma tarefa exclusiva das mulheres, hoje o pai tem um papel mais activo que torna-se fundamental para este momento tão importante na vida do casal!

 

Ontem fui à primeira aula, e como era de prever, apenas um pai estava presente, quinta tenho mais uma, e sábado temos a primeira aula de casal de preparação para o parto (aula nº3), confesso que o meu marido anda um bocadinho assustado pois o maior medo que ele tem é não perceber termos técnicos. À conta disto, e para "descomprimir", fartamo-nos de rir cada vez que comecámos a pensar como tudo vai acontecer.

 

O momento ainda é de grande descontracção, mas à medida que o Dia "J" se aproxima vamos imaginando como irá ser... Tenho a certeza que as aulas vão ser uma peça fundamental para que este processo seja mais tranquilo. Se é uma "aventura" ser mãe/pai de primeira viagem, as coisas ficam muito mais intensas quando o somos longe do nosso país e da nossa família/amigos!

O AUMENTO DO PESO NA GRAVIDEZ

image.jpeg

Se há assunto que se fala quando se está grávida é do peso que se adquire ao longo da gravidez... Sabemos que vamos aumentar de peso, mas não se pode prever o quanto vamos aumentar até porque isto vai variar de mulher para mulher e de gravidez para gravidez. 

 

De uma forma geral, a grávida deve engordar entre 7 a 15 Kg durante os nove meses ou as 40 semanas de gestação, com excepção das mulheres com baixo peso ou obesidade, mas este peso vai depender muito do peso que se tinha antes de engravidar, mais concretamente do Índice de Massa Corporal (IMC  = peso (quilos) ÷ altura² (metros)).

 

Por isso, é importante saber o Índice de Massa Corporal (ver tabela a seguir), antes de engravidar, pois quanto maior o IMC inicial menos se deverá engordar.

IMC.jpg 

Normalmente, nos três primeiros meses a grávida não aumenta muito de peso, e pode até emagrecer, devido às náuseas, à diminuição de apetite, ou aos vómitos, provocadas pelas mudanças hormonais. Desde que a grávida se mantenha hidratada e o bebé receba os nutrientes essenciais para se desenvolver, a falta de aumento de peso nesta fase não deve ser motivo de alarme.

 

No segundo e terceiro trimestres, regra geral, as náuseas e os vómitos desaparecem, o apetite aumenta, e é natural que se engorde mais.

 image.jpeg

O facto de se engordar de forma gradual e moderada mostra que o corpo da mulher está a proporcionar ao bebé os nutrientes de que este necessita para crescer de forma saudável. Daí que a vigilância do peso durante a gravidez faça parte das rotinas das consultas pré-natais pois, caso o médico considere necessário, a grávida será reencaminhada para uma consulta de nutrição.

 

Para se ter uma ideia de como é distribuído o peso final de uma grávida, calcula-se que:

  • ao nascer, o bebé vai pesar entre 3 a 3,8Kg
  • a placenta 500gr a 1Kg
  • o útero 1Kg
  • o volume de sangue que circula no corpo cresce, e todo o sangue extra pesa uma media de 1,2kg
  • a gordura corporal vai variar entre 1,8 a 4Kg
  • o tecido das mamas vai aumentar cerca de 500gr
  • a retenção de líquidos, além do líquido amniótico que envolve o bebé, é responsável por cerca de 2Kg

É claro que estes valores não passam de uma média, daí que nem todas as grávidas vão aumentar de peso da mesma forma.

 

Mais importante que o peso, é a nutrição que a grávida deve ter, pois independentemente do peso inicial, o importante é que a grávida tenha uma dieta equilibrada de forma a garantir a saúde do bebé e o bom desenvolvimento da gravidez, evitando os exageros nas calorias, os açúcares e os fritos; comendo pequenas porções, várias vezes por dia; sem esquecer de evitar o jejum por mais que 4 horas (durante o período em que se está acordado). Ninguém melhor que o médico para acompanhar e orientar o ganho de peso de uma grávida.

PARECE MENTIRA!

help me.jpg

Até podia ser uma "peta", porque hoje é o dia das mentiras, e ao início até eu pensei que me estivessem a pregar uma...

 

Como já vem sendo habitual, todos os meses, hoje fui fazer novas análises aos sangue relativas ao meu 7º mês de gravidez, entre elas umas específicas relativas ao meu grupo sanguíneo. Como tinha feito a injeção de imunoglobulina anti-D (Rh), há cerca de 15 dias, a técnica pediu-me o meu cartão de grupo sanguíneo (cartão esse que tinha sido feito no laboratório) e perguntou-me o meu apelido de solteira (em francês, nom de naissance ou nom jeune fille) e o apelido de casada (em francês, nom d'époux (se))... E foi aqui que, pela milésima vez desde que aqui estamos, a confusão começou...

 

«Como?! Você tem o mesmo apelido?? E qual é o apelido do seu marido?? Isto não pode ser, você aqui no cartão não pode ter o mesmo nome de "jeune fille" e "d'épouse"!» - diz a técnica toda eufórica, enquanto eu tentava-lhe explicar que o meu nome de casada é exactamente o mesmo de solteira, que era portuguesa, que podia ajustar ou não o apelido do meu marido... etc... etc... Mas ela estava tão alarmada com aquela situação que mais parecia que eu estava a "falar pra o boneco"... Foi então que ela lá disse: «O laboratório tem um problema no sistema informático que não permite colocar o mesmo nome, para isso temos que colocar que é solteira... Isto em breve irá resolver-se, mas para já tem que ser assim e vamos lá ver se na maternidade não lhe vão colocar problemas...»

 

E mais uma vez fiquei com a "cabeça em água"! O cartão do grupo sanguíneo feito há mais de um ano e hoje lembram-se que não pode ser assim! A única coisa que lhe pedi foi para não me mudarem os apelidos pois estou fartinha de ter que corrigir esta situação, e isso sim é que, a meu ver, me pode dar sérios problemas!!! 

 

Fiz sempre todas as colheitas de sangue no mesmo laboratório, achando eu que as coisas assim seriam mais simplificadas, mas pelos vistos não... A todo o lado que vou tenho que explicar o motivo de eu ter uns apelidos e o meu marido outros, tantos portugueses a viverem aqui e ainda ninguém quis perceber o lógico! 

 

Nem imaginam o quanto eu estou FARTA desta situação, nem sabem a quantidade de vezes que eu já tive que pedir para corrigirem os meus apelidos, pois mesmo enviando toda a documentação que comprova o meu nome eles teimam em mudar os meus apelidos... Mas se eles pensam que alguma vez eu vou mudar de apelidos para lhes facilitar a vida, estão muito enganados... Sim, ainda no outro dia falava eu com um senhor português que morava aqui há muitos anos e ele dizia-me exactamente isso: «Eu para evitar confusões, quando me nacionalizei francês, fiquei só com o apelido do meu pai». Nem queria acreditar no que ele me estava a dizer... Mas isto alguma vez "cabe na cabeça de alguém"?? No meu caso teria que esquecer os meus apelidos de família e adoptar apenas o último apelido do meu marido... Uma situação que está fora de questão!

image.jpegE com esta história toda, até me esqueci que entramos hoje no mês de Abril...

Bem-vindo Abril!

Pág. 2/2