Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

100.000 MORTES

Covid-19

Ontem a França ultrapassou as 100.000 mortes devido ao coronavírus, inscrevendo-se, desta forma, a Covid-19 na linha histórica das grandes epidemias em França.

Na Europa, apenas o Reino Unido e a Itália ultrapassaram este número com 127.000 e 115.000 mortos, respectivamente.  

Atualmente, existem cerca de 6.000 pessoas com covid nas unidades de cuidados intensivos, o que tem levado vários hospitais a adiar cirurgias consideradas não urgentes.

A continuar assim, e com este panorama sombrio, fica difícil diminuir as restrições, que estavam previstas para meados de maio, data que o Presidente Macron fixou para uma reabertura progressiva das esplanadas de restaurantes e cafés, fechados desde final de outubro. Além disso, temo que outras medidas de confinamento mais restrito tenham que ser tomadas... 

IMG_1519.JPG

E pensar que ainda existe muita muita gente que não acredita nesta Pandemia...

20 ANOS ENGANADA

Coisas do dia-a-dia

Será que só fui eu que andei este tempo todo enganada na forma mais correcta de se colocar o ambientador na sanita?! 

Confesso que sempre achei bastante estranho e pouco funcional cada vez que o colocava na sanita, tal como se vê na imagem da esquerda...IMG_1756.JPG

Foram precisos 20 anos (ou até mais) para descobrir a forma mais correcta de o colocar! 

Quem mais andava enganado?!

 

QUESTÃO EXISTENCIAL

IMG_1753.JPG

Alguém tem uma opção melhor?

Quem mais sofre do mesmo problema?! (Eh... Eh... Eh...)

PANQUECAS DE MAÇÃ E AVEIA

Para os amantes de panquecas, como nós, aqui deixo esta receita super simples e deliciosa.

Quem daí vai querer experimentar?!

 

Ingredientes

3 maçãs 

3 ovos

10 colheres de sopa de farinha de aveia

1 colher de chá de fermento 

Canela em pó a gosto

 

1. Junte todos os ingredientes, e bata no liquificador, ou com a ajuda de uma varinha mágica, até obter uma massa homogénea. 

2. Aqueça uma frigideira antiaderente e coloque meia colher de café de manteiga. Assim que estiver quente deite a massa no centro da frigideira, formando um círculo.

3. Quando a massa começar a ganhar bolhinhas, vire-a com uma espátula e deixe cozinhar por cerca de 45 segundos.

4. Retire e repita o processo até acabar a massa.

5. Sirva acompanhado como mais gostar: queijo, mel, iogurte, doce de frutas, chocolate, caramelo ou outro acompanhamento a gosto!

IMG_20210411_223956_899.jpg

Bom Apetite!

QUEM FAZIA DE COMER?

Conversas do Gui

Estávamos a jantar quando de repente o Gui, com uma cara de espanto, perguntou :

- Mamã, quando éramos todos pequeninhos quem fazia de comer para nós?! 

IMG_20201215_101642.jpg

- Todos pequeninhos?! Sabes Gui, nós nunca fomos todos pequeninhos ao mesmo tempo... Primeiro nasceu o papá, na barriga da avó L., e a avó L. e o avô B. é que faziam de comida para o papá. Depois nasceu a mamã, na barriga da avó L, e a avó L. e o avô P. faziam a comida para a mamã. O tempo passou, o papá e a mamã cresceram, um dia conheceram-se e nasceste tu, e a seguir o Martin... Disto já te lembras, certo?

- Ah.... Agora já percebi... Não sabia... - respondeu o Gui todo admirado.

 

Mais uma das conversas profundas do Gui...

É mesmo giro a curiosidade que ele vai demonstrando cada vez mais com tudo...

CANTINA ESCOLAR EM TEMPO DE CONFINAMENTO

Coisas que ninguém fala...

Tal como relatei no post de ontem, o governo francês estabeleceu quais os profissionais que podem deixar os filhos em escolas/tempos livres durante o período de emergência (entre os quais serviços de saúde, apoio social e forças de segurança), mas o que o governo francês não se preocupou foi em assegurar que a cantina desses estabelecimentos funcionasse. Com isto, cabe aos pais assegurar que os filhos levem para a escola o almoço, que deve ser frio de forma a comerem em "piquenique". 

Ora, o Gui que não gosta nada saladas nem de comidas frias nem imaginam o quanto fica difícil tentar variar a alimentação dele. Acho inadmissível que crianças tão pequeninas tenham que ser privadas de uma refeição dita "normal", não basta os nossos filhos terem que ser privados da nossa presença em tempos de confinamento?!

O que vale é que nestas 3 semanas de confinamento o Gui irá, em média, 2 dias por semana, caso contrário ficaria complicado ter que gerir tudo isto...

E é desta forma que o governo francês se preocupa com quem não pode reclamar...  

IMG_1747.JPG

ESCOLA E AMA EM TEMPOS DE PANDEMIA

Terceira vaga Covid-19 em França

Depois de tantas incertezas e confusões, na sexta-feira, ficamos a saber que afinal as amas íam poder continuar a trabalhar, por isso o Martin poderia continuar a ir para a Manu. Faltava agora ter certeza em relação ao Gui...

Na sexta-feira de manhã perguntei à directora se o Gui teria direito a ter acesso à escola/ tempos livres uma vez que eu era considerada "profissional prioritária no combate à Covid-19", embora o R. não fizesse parte dessa lista. Com a maior das convicções, a directora afirmou-me que o Gui não teria direito porque para isso os dois pais teriam que fazer parte dessa "lista de profissionais prioritários". 

Confesso que não fiquei convencida com aquela resposta e tentei obter informações noutras fontes... Perguntei às minhas colegas como estavam a fazer as outras escolas, e uma delas, que pertence à associação de pais, disse-me que tínhamos direito, e que bastava apenas um dos pais ter uma profissão considerada "prioritária". Aproveitei que nesse dia o Gui tinha ido aos tempos livres e coloquei a mesma questão, ao qual responderam com um "grande sim"...

Nesse mesmo dia, enviei os documentos necessários, para a Câmara Municipal, de forma a transmitir os dias que precisávamos que o Gui frequentasse a escola/tempos livres. Mas na segunda-feira à noite, a directora da outra escola informava-me que o Gui não fazia parte da lista de alunos inscritos, lista essa que tinha sido fornecida pela escola dele... Li duas ou três vezes aquele e-mail e naquele instante nem queria acreditar que a directora não tivesse colocado o Gui na lista... Enviei-lhe imediatamente um e-mail a pedir-lhe que fizesse a inscrição dele porque reuníamos todos os critérios necessários. Numa questão de minutos, sem qualquer pedido de desculpas por parte dela, a inscrição estava feita, alegando apenas que as directivas tinham apenas sido alteradas naquele dia à noite...

Fiquei impressionada com a falta de organização e informação por parte da directora da escola, mas cá para mim tudo isto deveu-se à conversa que tivemos na sexta-feira de manhã quando ela chamou por mim para me fazer um comunicado que me deixou estupefacta... Mas isto, deixarei para um outro post porque ainda hoje estou a digerir essa conversa... 

O importante é que o Gui e o Martin vão poder continuar a ficar na escolinha e na ama, de forma a que possamos trabalhar os dois sem sermos penalizado. 

Quantos aos riscos, sabemos que eles sempre vão existir, mas nunca serão superiores aqueles que eles estiveram sujeitos até então...

IMG_1745.JPG

DETALHES DE UM DIA DE PÁSCOA EM TEMPOS DE PANDEMIA

Confinamento a quanto obrigas

E pelo segundo ano consecutivo, ficamos aqui em casa os 4... Tínhamos esperança que as coisas pudessem ter sido bem diferentes, mas infelizmente a situação por aqui não se tem revelado animadora... De qualquer forma demos o nosso melhor, de forma a que os nossos Pequeninos passassem um dia diferente...

IMG_1742.JPG

E sabem quem mais?! Acho que conseguimos passar a nossa mensagem... 

 

E por aí, como foram esses dias?!

ATÉ PARECE MENTIRA

Ainda sobre a Pandemia da Covid-19

Com o aumento do número de pessoas internadas nos cuidados intensivos por causa da Covid-19, e com a lenta vacinação da população, a França, 15 dias depois de ter anunciado medidas mais severas em 16 departamentos, viu-se obrigada a aplicar as medidas a todo o país. 

As medidas foram anunciadas ontem pelo Presidente Francês, Emmanuel Macron, e entram em vigor no próximo sábado e vão durar, no mínimo, quatro semanas.

 

A grande novidade é o encerramento das creches e das escolas, a partir do próximo dia 5 de Abril, durante três semanas, sendo que duas semanas coincidem "mais ou menos" com as férias de Páscoa. Digo "mais ou menos" porque o calendário das férias escolares depende da zona em que se mora pois existe uma divisão das férias por zonas: A, B e C. No nosso caso as férias foram antecipadas 1 semana. Com esta nova medida, as férias de Páscoa serão gozadas no mesmo período em todo o território francês.

IMG_1703.JPG

Fiquei sem saber se as amas vão continuar a trabalhar, mas ela confirmou-me hoje que sim... Entretanto, agora à noite vi uma notícia a informar que não... Como sou profissional de saúde e pertenço ao grupo de profissionais  "prioritários" talvez ela possa ficar.... Além disso, também não sabemos se o Gui vai poder frequentar os tempos livres, durante estas 3 semanas... Perguntei hoje à Educadora do Gui mas ela também não sabia de nada, ainda não tinha qualquer tipo de informação... Nem me soube dizer como fizeram quando as escolas encerraram na primeira vaga, em Março do ano passado, altura em que eu estava de "congé parental"... Mesmo à moda francesa: tudo desorganizado, ninguém sabe de nada, nem parece querer saber... Mas esta falta de informação , que tanto me enerva, ninguém passa na televisão!

 

Até parece mentira, amanhã é o último dia de escola, e ainda não sabemos como vamos fazer depois... Se o Gui e o Martin tiverem que ficar em casa, o R. terá obrigatoriamente que deixar de trabalhar e ficar no tal "desemprego parcial"... Sinceramente, preferíamos que eles pudessem continuar a socializar com os amiguinhos deles, porque isto de estarmos aqui isolados, não é nada saudável  para o desenvolvimento social deles e nosso!

PRECISA-SE DE UMA BRUXA

Humor na Maternidade

Ontem fui trabalhar, e quando vinha a caminho de casa, estava com aquela sensação de férias de Páscoa... Tínhamos programado ir à Alemanha, como fazemos deste que cá estamos, mas com as restrições impostas ficamos limitados a ficar aqui...

Entrei em casa, toda contente, mas assim que o R. apareceu a dizer que tinha notícias menos boas, fiquei imediatamente preocupada...

O Gui tinha vindo da escolinha com diarreias, cheio de cólicas e sempre a correr para a casa de banho...  

O Martin tinha escorregado na casa de banho ao sair do banho, e caiu para a frente, de cabeça, sem qualquer apoio... Tinha sangrado imenso do nariz, tinha uma marca na testa e o nariz inchado, que mais parecia o Batatinha...

Nem queria acreditar no que o R me acabava de contar.... Para ficar mais tranquila, liguei para o Centro de Emergência Médica para saber se seria pertinente levar o Martin às Urgências... O meu maior receio era que ele tivesse fracturado o nariz... Do outro lado, a médica, disse que não seria necessário, apenas precisávamos de estar atentos para avaliar se o seu comportamento não mudava.

Ao Gui dei-lhe um antidiarreico e o paracetamol para acalmar a dor de barriga...

Uma hora e meia depois, com o Martin e o Gui já a dormir, o ambiente tornava a ficar tranquilo. Felizmente, a noite foi calma e de manhã o ambiente parecia novamente normal...

Mesmo assim, não pude deixar de voltar a pensar que ultimamente parece que tudo nos acontece, e a nossa vida gira em torno de médicos e hospitais... Acho que precisamos de "ir à Bruxa"! 

IMG_1702.JPG

NOVAS MEDIDAS DE CONFINAMENTO EM PARIS

Sobre a Pandemia da Covid-19

Com os números de pessoas internadas dos cuidados intensivos sempre a aumentar, a França viu-se obrigada a tomar novas medidas, desde o passado dia 19 de Março, de forma a travar a terceira vaga desta Pandemia... As medidas, que deverão durar cerca de 4 semanas, atingem sobretudo 16 departamentos, entre eles a região de Paris (Ile de France)... 

 

Na realidade, as novas restrições pouco se fazem sentir no dia-a-dia... As escolas e os locais de culto mantiveram-se abertos e as lojas não essenciais tiveram que encerrar. Se antes não podíamos sair entre as 18h e as 6h, agora passou a ser entre as 19h e as 6h... Acabamos por ganhar mais 1 hora, por causa da aproximação do horário de Verão. 

 

Podemos sair entre as 6h e as 19h, num raio de 10km do domicílio, o tempo que quisermos, sendo apenas necessário fazer um justificativo no caso de termos  necessidade de nos deslocar para distâncias superiores, e em situações devidamente predefinidas.

860_visactu-covid-19-la-carte-des-taux-d-incidence

A medida mais restritivas que mudou um bocadinho a nossa vida foi a proibição de deslocações para outras regiões, o que incluiu também viagens para fora do país... Com isto, e tal como aconteceu o ano passado, não podemos ir à Alemanha, vamos ter que passar aqui a Páscoa apenas os 4!

 

O pior disto tudo é que temo que estas medidas não vão servir rigorosamente para nada porque, por incrível que pareça, quem vive mesmo cá, e tem a família perto, continua a ter a mesma "vidinha" que tinha antes desta Pandemia...

PENSAMENTO DO DIA

É só a mim que me aconteceu isto, ou mais alguém teve este pensamento hoje?

IMG_1693.JPG

 

COCÓ DE BEBÉ COM AREIA

Maternidade

O tema pode parecer estranho, mas foi exactamente isto que aconteceu com o Martin... No sábado, pouco menos de uma semana depois dele ter ficado doente, e já à noite, o Martin fez um cocó bastante estranho: líquido e cheio de grãozinhos tal e qual como se fosse areia! Parecia mesmo que o Martin tinha estado na Praia ou, na pior das hipóteses, tinha comido muita areia... Tanto, que as toalhitas não serviram para limpar o rabinho, foi obrigado a ir ao banho para ficar devidamente limpinho.

Como tinha trabalhado nesse dia, perguntei ao R. se havia a possibilidade dele ter comido areia naquele dia, mas ele respondeu logo que não...

Na sexta o Martin tinha ido para a ama, e embora achasse que fosse bastante difícil isto acontecer, comecei a imaginar que ele teria comido areia num parque...

IMG_1691.JPG

Na mesma hora, enviei mensagem à Manu para a questionar se isso tinha acontecido, mas ela disse-me logo que não...

Confesso que fiquei um bocadinho preocupada, e disse ao Rui para ir vigiando o cocó, pois caso continuasse teria que o levar ao Pediatra.

No domingo, tornou a fazer cocó uma vez, exactamente com as mesmas características, e na segunda de manhã outra vez...

 

Como a Pediatra tinha-me pedido para lhe enviar um e-mail para lhe contar o que tinham decidido nas urgências, depois da nossa última consulta, aproveitei e contei então o que se tinha passado e contei-lhe deste novo problema que o Martin tinha: "cocó com areia"! Foi então que ela me disse para não me alarmar, que me aconselhava apenas a suspender o leite e derivados e substituir para um leite sem lactose, até ele voltar a ter o cocó normal. 

Perguntei-lhe de imediato se suspeitava de uma alergia à lactose, mas ele explicou-me que se tratava, muito provavelmente, de uma intolerância transitória à lactose depois de um episódio viral! 

Desconhecia completamente este tipo de situação, e nunca tinha visto um cocó com estas características, mesmo eu sendo enfermeira... Ainda perguntei aos meus colegas se alguém tinha tido ou conhecia aum caso destes, mas ninguém tinha passado por tal... Por isso achei que seria bastante útil partilhar aqui com vocês.

 

Alguém por aí já passou por algo semelhante?

PLANETAS...

Perguntas de uma criança de 4 anos...

No dia em que o Martin teve alta, o Gui, do nada, colocou-me duas perguntas pertinentes na hora do jantar:

- Mamã, como se formaram os Planetas? E nós, como aparecemos?

Olhei para o R. e sem saber o que lhe responder, pois jamais imaginava que ele faria este tipo de perguntas com esta idade, perguntei-lhe porque tinha interesse em saber sobre isso e se alguém tinha falado desse assunto na escolinha...

Com o ar de "menino inteligente", e na inocência dos seus pouco mais de 4 anos e meio, o Gui respondeu: 

- Não, ninguém falou disso, sou eu que quero saber.

Incrédula com aquela resposta perguntei de imediato ao R. o que tinham andado a fazer nos 3 dias em que eu e o Martin estivemos ausentes de casa.

- Nada de mais, o costume, até eu fiquei impressionado! - disse o R. com ar de espanto.

IMG_1690.JPG

E foi naquele minuto que nos sentimos as pessoas mais ignorantes do Mundo... Como Raio podemos falar disto a uma criança de 4 anos?!

Naquele dia, confesso que divaguei um bocadinho porque tinha tido uns dias bastante cansativos, mas prometi que iria aprofundar o assunto e encontrar a melhor forma de lhe responder a essas perguntas tão pertinentes....

SE PUDESSE FICARIA DOENTE NO TEU LUGAR...

Mãe sofre a dobrar!

Faz hoje precisamente uma semana que o Martin ficou internado no serviço de Pediatria, depois de ter sido encaminhado para o serviço de urgências... 

 

Tudo começou dois dias antes, com o Martin a fazer febres altas de 39 e tal na quarta-feira, atingindo os 40.7 º C na quinta-feira... Foi a primeira vez que vi o Martin realmente doente... Chorava facilmente, irritava-se com tudo, só queria colo, e quando a febre começava a subir tinha imensos tremores... Estava demasiado desconfortável...

IMG_20210311_175405.jpg

E ao contrário do Gui que com 37.5 º C já está estendido no sofá com ar de doente, o Martin nunca tinha ficado assim, mesmo com febre ele mantinha toda a energia que tanto o caracteriza... Mas desta vez as coisas estavam realmente muito diferentes o que nos deixou muito preocupados...

 

Na quinta-feira, liguei para a Pediatra dele para saber se o podia observar, nas não tinha nenhuma disponibilidade nem para aquele dia nem para o dia seguinte, por isso marquei consulta de urgência numa outra Pediatra que fica mais longe, mas que também costumamos ir, mas só havia vaga para o dia seguinte... 

 

Na noite de quinta para sexta-feira, ainda hesitamos levá-lo à urgência, porque a febre, além de ser alta, demorava a descer com o paracetamol, e quando descia era por pouco tempo, mantendo-se nos 38º C... Mesmo assim, e com medo que o Martin pudesse apanhar "outra coisa qualquer" no hospital, optámos que iria à Pediatra no dia seguinte...

 

Aquela noite tinha sido muito curta, por isso quando acordamos, o Martin estava super cansado, e por incrível que pareça, 4h30 depois de ter tomado o paracetamol, exactamente na hora da consulta, a temperatura era só de 37.7º C... Apesar disso, o Martin chorava a cada aproximação da Pediatra, notava-se que alguma coisa não estava bem... A médica examinou-o mas não viu qualquer problema que pudesse levar o Martin a ter aquele quadro de febre, por isso achou pertinente fazer um teste rápido para determinar a quantidade de proteína C reactiva (conhecida pela sigla PCR, é uma proteína produzida no fígado, cuja concentração sanguínea se eleva radicalmente quando há uma infecção viral ou bacteriana). O teste consiste em picar um dedo e colher uma gota de sangue para ser analisado num aparelho portátil, o resultado é revelado em poucos minutos.

Assim que fez o teste, o valor era anormalmente elevado, por isso, e de forma a despistar uma possível infecção mais grave, fez uma carta e encaminhou o Martin para o hospital...

 

Chegamos ao hospital por volta das 11h30, fomos atendidos uns 15 minutos depois... Fez análises ao sangue, colheita de urina, colheita de fezes, Rx ao tórax, teste à Covid-19... A febre voltava a subir, o desconforto dele era visível... A PCR estava realmente elevada, o Martin tinha todos os critérios para ficar internado... 

 

Felizmente, nunca deixou de comer, comia menos mas comia, e todas as vezes que eu lhe dizia para beber água, ele cumpria rigorosamente o que lhe pedia... 

 

Três horas depois de chegarmos ao hospital, o Pediatra informava-me que o Martin teria que ficar internado para avaliar a evolução do quadro clínico... Liguei ao R e contar-lhe o que eu já temia, e num misto de medo não consegui passar-lhe a informação sem chorar... Tinha o coração bem apertadinho, mas sabia que tinha que ser mais forte e mostrar mais confiança e paz ao Martin... Respirei fundo, engoli em seco, e prometi que iria dar o melhor de mim...

 

Subimos para o internamento às 16h... Eu sem comer desde as 7h30, e o Martin com um biberão, dois iogurtes e uma fruta no estômago, nunca ninguém se preocupou em saber se precisávamos de comer... Felizmente o R. tinha autorização para entrar no serviço e trazer tudo o que fosse preciso, tinha receio que com a Pandemia ele não pudesse vir... 

IMG_20210312_213745.jpg

No sábado, o Pediatra confirmava que os exames estavam todos negativos, com a excepção da PCR... Tornou a colher análises e o resultado mantinha-se alto... A febre era menos frequente... No domingo, tornava a colher análises ao sangue... A PCR tinha descido para quase metade, e apesar de continuar alta, o Martin estava novamente em forma e sem febre desde o dia anterior, por isso tivemos alta do hospital...

 

Regressamos na quarta-feira para colher novas análises e ter consulta com o Pediatra... E ontem soubemos que tudo estava normal, o Martin tinha tido uma infecção viral.

 

Foram apenas 3 dias no hospital, que pareceram 3 meses... Ver o Martin internado, sem termos um diagnóstico do que ele tinha foi o mais preocupante... E por mais forte que possamos ser, ou por mais conhecimentos que tenhamos, a partir do momento que um filho fica doente nós também ficamos doentes...

Quem me dera que quando um filho ficasse doente, pudessemos trocar de lugar com ele... Sem pensar duas vezes eu trocaria de lugar com ele!

received_280944690083941.jpeg