Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

DE FÉRIAS ❤️

Pois é, quem segue o blog pelo Instagram deve ter reparado que estamos de férias no nosso Portugal. Saímos hoje de Paris, no final da manhã, e chegamos a Portugal cheios de fome, bem na hora do almoço, prontos para almoçar... A segunda viagem que eu e o Gui fizemos sozinhos, porque o papá só pode vir no próximo sábado. 

 

Desta vez, a viagem foi um bocadinho mais fácil, com o Gui um bocadinho mais crescido, optamos por comprar um carrinho mais prático para viajar, o qual recomendo pela qualidade/preço: o carrinho Liteway da Chicco.

 

Confesso que a viagem foi bastante cansativa porque o Gui não consegue estar quieto um segundo, lá tive que puxar pela minha imaginação e criatividade e pelos meus dotes musicais... Eh... Eh... Eh... 

 

Por este motivo, já sabem, andarei um bocadinho mais ausente por aqui, mas prometo trazer novidades!

IMG_6965.JPG

O TESTEMUNHO DE QUEM VIAJOU DE AVIÃO COM UM BEBÉ

IMG_6684.JPG

Achei que seria interessante partilhar a minha aventura do Natal, quando decidimos que eu e o Gui iríamos de férias mais cedo que o papá... Confesso que procurei não pensar muito nas dificuldades que iria ter, sabia que não iria ser muito fácil, mas também sabia que não era a primeira pessoa a aventurar-me numa viagem destas...

 

Compramos os bilhetes pela TAP, o voo estava previsto sair às 7h da manhã, mas tivemos azar e, devido a um problema técnico, só pudemos levantar voo 2 horas e meia depois... Duas horas de espera na sala de espera, que correram bem porque o Gui estava confortável a dormir no carrinho, e 30 minutos dentro do avião à espera para levantar voo, que mais pareceram 30 horas, pois o Gui não queria que eu estivesse sentada com ele!

 

Para viajar com o Gui, de Paris para o Porto, é possível levar o carrinho do bebé connosco até à porta do avião, o que se torna bastante confortável... O problema é ir sozinho com a tralha toda que é necessária: o carrinho de bebé e um saco com as coisas minhas e do Gui.

 

Para entrarmos na zona de controlo, o carrinho de bebé tem que ser colocado no tapete por onde também passam as malas de mão... Imaginem o que é desmontar um carrinho (sim, porque o carrinho do Gui levava também o babycoque, e para passar no tapete até as rodas laterais tinham que ser removidas para caber), com um bebé ao colo... Valeu a ajuda do pessoal de controle que foi 5 Estrelas e lá se ofereceu para dar colinho ao Gui enquanto eu suava a desmontar e a montar tudo...

 

E para fechar o carrinho junto da  porta do avião?! Mais um filme... As hospedeiras da TAP nem quiseram saber, o que me valeu foi um passageiro ter oferecido a sua ajuda... Ajuda esta imprescindível para pegar no Gui e eu fechar então o carrinho (sim, porque até para fechar o carrinho é quase preciso uma formação).

 

Azar do caraças, o nosso lugar no avião, atribuído no check-in online, calhou entre dois senhores... Até aqui a TAP podia ser mais inteligente e colocar-me junto ao corredor ou a uma janela... Enfim, a cada passo o Gui lá se esticava todo e dava um pontapé ao vizinho do lado... Felizmente a meio do voo, o senhor que viajava junto à janela propôs trocar de lugar com ele porque queria ir ao WC, e lá ficamos um bocadinho melhor... Quer dizer, incomodávamos era menos...

 

Ao longo do voo o Gui dormiu uns 20 minutinhos, felizmente este tempo coincidiu com a hora em que a TAP serviu as refeições, o que me permitiu comer.

 

A parte pior de toda a viagem, foi sem dúvida dentro do avião, porque o Gui não sossegou, transpirou que se fartou, pois estava muito calor, e eu para o distrair tive que mostrar os meus dotes de palhaça (Eh... Eh... Eh...)... Sem falar que vim super apertada, cheia de tralhas à minha volta porque não me deixaram colocar os casacos no sítio onde se colocam as malas de mão (casacos estes que ocupavam imenso espaço)!

 

Quando o avião aterrou o Gui transpirava tanto que parecia que tinha acabado de sair do banho... Esperei uns 5 minutos pelo carrinho do Gui, fora da porta do avião, e lá me safei a desdobrar o carrinho e consegui colocar o Gui dentro (sem qualquer ajuda).

 

Faltava agora a parte de ir buscar as malas: duas malas de porão, uma minha e outra do Gui... Eu com o carrinho de bebé lá fui buscar o carrinho para colocar as malas em cima... Tirei as malas do tapete rolante, sem qualquer ajuda, coloquei-as no carrinho e com uma mão empurrei o carrinho do Gui e com a outra empurrei o carrinho das malas... Sabem quantas pessoas se ofereceram para nos ajudar?! Nenhuma!!! Felizmente consegui safar-me sozinha.

 

Nem imaginam o alívio que foi quando entrei para o carro... Estava super cansada mas  contente por esta mini-aventura ter corrido bem!

 

A próxima viagem de avião será outra vez só com o Gui, mas desta vez acho que vai ser um bocadinho mais fácil pois levarei um carrinho de bebé bem mais pequeno. Agora que o Gui começa a ser um bocadinho mais crescido, vou acreditar que terei a vida mais facilitada... Haver vamos...

VIAJAR DE AVIÃO COM UM BEBÉ

image.jpegDomingo o Gui vai fazer a sua primeira viagem de avião (fora da barriga da mamã, ou seja, da minha), vamos de férias para Portugal, sabemos que não são muitas horas de voo mas é óbvio que estamos um bocadinho ansiosos por saber como ele vai reagir. Só espero que não tenha nenhuma dor de ouvidos ou outro tipo de dor, caso contrário, não vai ser nada agradável termos que ficar limitados a um espaço tão pequeno durante 2 horas... Logo o Gui que não gosta de estar parado muito tempo no mesmo lugar... Vou rezar para ele dormir a viagem toda.

 

O que dava jeito era um acessório como o da fotografia, porque isto de ir ao colinho dos papás com um mini-cinto de segurança (que se prende ao nosso cinto), não deve ser lá muito confortável... Haver vamos!