Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

GASTROENTERITE INFANTIL

IMG_7460.JPG

Depois de passada a primeira gastroenterite do Gui achei que seria bastante útil fazer um post completo acerca deste tema.

 

1. Mas afinal, o que é uma gastroenterite?

A gastroenterite caracteriza-se por uma inflamação da mucosa do estômago (gastro) e do intestino (enterite). A causa é na maioria das vezes viral, sendo o rotavírus o principal causador da mesma. É uma doença habitualmente benigna que tem uma duração média de cerca de 4 a 5 dias e que é bastante frequente nos primeiros anos de vida.

 

2. Quais são os sintomas da doença?

De uma forma geral, o bebé/criança ao ser infetado apresenta um ou vários sintomas como: diarreia, vómitos, febre, náuseas, cólicas e/ou dor abdominal, perda de apetite ou recusa alimentar.

 

3. Qual o melhor tratamento?

O mais importante no tratamento da gastroenterite é evitar a desidratação, daí que seja fundamental uma boa hidratação oral adequada.

No caso do bebé/criança apresentar vómitos frequentes deve-se fazer uma pausa de alimentos sólidos durante 3 a 4 horas e oferecer soluções de hidratação oral (que se compram na farmácia) em pequenas quantidades (sempre que apresentar um episódio de diarreia deve-se oferecer a solução de hidratação oral para repôr a perda de líquidos e eletrólitos).

Se tolerar os líquidos pode-se reiniciar a alimentação em pequenas quantidades, e tendo em conta o gosto do bebé.
No caso do bebé ser alimentado com leite materno deve manter-se a amamentação habitual, se fôr alimentado com leite em pó deve retomar-se o seu leite habitual em pequenas quantidades de cada vez e mais vezes por dia.

Quando o bebé é maior e já se encontra num patamar elevado na diversificação alimentar, devem evitar-se a ingestão de leite, optando-se antes pela ingestão de iogurtes naturais. Devem ainda evitar-se o consumo de doces, gorduras, alimentos condimentados ou bebidas gaseificadas. O ideal é oferecer alimentos pobres em fibra (para diminuir a diarreia, evitar o feijão, as ervilhas, os legumes verdes, a laranja, o kiwi) e optar por alimentos obstipantes (pão, banana, cenoura, arroz, batata, bolacha de água e sal).

É natural que o bebé/criança tenha menos apetite, por isso nunca se deve forçar a alimentação. Ele acabar por recuperar gradualmente o apetite quando o quadro se resolver.

 

4. Quais são os sinais de desidratação?

Os sinais de desidratação habituais são as mucosas secas e pálidas (lábios e língua), a pele seca, os olhos encovados, a urina mais concentrada (tipo amarelo torrado), uma diminuição do número/volume das micções, irritabilidade ou prostração, choro sem lágrimas e perda de peso.

Se o bebé/criança apresentar algum destes sinais é aconselhável ir ao médico rapidamente.

 

5. Como prevenir que a doença contamine outras pessoas?

Como a doença é de contágio fácil é muito importante tomar medidas para evitar a sua propagação, que passam sobretudo por medidas de higiene: 

- lavagem frequente das mãos com água e sabão depois do contacto com o bebé/criança (especial atenção antes e depois de ir ao WC ou mudar a fralda, depois de tocar em superfícies sujas, antes de comer ou manipular alimentos);

- manter os alimentos em boas condições de conservação;

- lavar bem os biberões/tetinas após as mamadas e posteriormente ferver os mesmos durante 5 minutos (pelo menos uma vez por dia);

- ferver as chupetas durante 5 minutos (pelo menos uma vez por dia).

- e lavar e cozinhar bem os alimentos.

EM CASO DE DESIDRATAÇÃO

IMG_7445.JPG 

Perante o quadro de gastroenterite do Gui, e como já tinha contado, a médica prescreveu-lhe então uma solução de re-hidratação oral (SRO) de forma a evitar que o Gui ficasse desidratado.

 

Para quem nunca ouviu falar, a solução de reidratação oral é nada mais que uma solução de electrólitos e açúcares, utilizadas nos casos de desidratação ligeira e moderada e que visam prevenir a desidratação e ajudar na realimentação. Este medicamento é essencial porque repõe os líquidos bem como todos os sais minerais perdidos nas fezes ou nos vómitos.

 

O problema das SRO é o sabor salgado que estas têm e que é difícil de disfarçar, por isso a maior parte das crianças acaba por recusar a bebida, e muitas vezes é preciso insistir de 10-10 min com uma seringa ou uma colher para que se atinjam as reais necessidades hídricas.

 

O Gui não fugiu à regra, e assim que lhe preparei a solução que a médica me prescreveu (da marca "Picot") fez a cara mais feia do mundo, torceu o nariz, e dos 200ml apenas conseguiu beber 50ml... 50ml em cerca de 5 horas!!! Tive que provar se era assim tão ruim, e de facto era quase como se estivesse a beber água do mar. Foi então que me lembrei que tinha uma solução de re-hidratação de outra marca (da marca "Adiaril"), que tinha comprado quando o Gui tinha saído da maternidade (indicação do Pediatra, no caso do Gui ter diarreias, mas que nunca cheguei a utilizar). Dissolvi o conteúdo na água e provei antes de lhe dar para ter certeza se era igual, e de facto tinha um sabor muito diferente, quase imperceptível até. Já dá para adivinhar que o resultado foi positivo e o Gui começou a beber a solução como se de água simples se tratasse! Por isso, aqui fica o conselho, no caso de desidratação, se o bebé/criança recusar a solução prescrita pelo médico vale sempre a pena experimentar uma outra marca, está visto que os sabores dependem diferem (e muito)!

A PRIMEIRA GASTROENTERITE DO GUI

IMG_7429.JPG

Esta noite que passou não foi de todo agradável... Como vem sendo habitual, o Gui começou a reclamar que tinha fome às 2h30min, por isso preparei-lhe o biberão de leite que ele bebeu sem qualquer dificuldade aparente... Eram 3h:15min quando o Gui começou a tossir e de repente começou a vomitar em jacto... Uma mistura do leite, que tinha bebido, com o jantar, com um cheiro verdadeiramente desagradável... Cheios de sono, fomos obrigados a trocar tudo, inclusive tivemos que dar banho ao Gui, pois era impossível só trocarmos a roupa... Já deve dar para imaginar o cenário... Pensei que se tinha tratado de um episódio isolado, devido ao facto de ter tossido simultaneamente, além disso às 7h:30min tinha tornado a acordar para comer e tinha bebido metade do biberão, sem vomitar.

 

Eram 8h30min quando decidiu "acordar de vez", brincamos como de costume, e às 10h30min comeu a papa... Às 11h começou a ficar cansado e com sono, e foi nessa altura que o coloquei no berço para dormir...

 

É verdade que tinha feito três vezes cocó semi-liquido e com um cheiro ácido, mas como continuava cheio de energia, não valorizei este sinal.

 

Acordou depois às 13 h, mas assim que lhe coloquei uma colher de sopa, na boca, vomitou em jacto todo o leite e a papa que tinha comido durante a manhã. Sabia que não podia ficar sem fazer nada pois com estes 35 graus de temperatura, tinha receio que ele começasse a desidratar... E perante estes sinais, pensei logo que se tratava de uma gastroenterite...

 

Milagrosamente, consegui consulta com a médica de família às 16h, mas estava tanto calor quando saímos de casa, que mesmo com o ar condicionado no mínimo, o Gui ficou super sonolento, de maneira que chegou ao consultório com o ar mais cansado que possam imaginar... A médica examinou-o e acabou por confirmou que se tratava de uma gastroenterite, receitou-lhe uma solução de re-hidratação oral (para evitar a desidratação), uns supositórios para o caso de ter mais vómitos e uns comprimidos se tivesse diarreia. Aconselhou ainda a que o Gui só comesse hoje uma compota de fruta e umas bolachas no final do dia, porque mais importante que comer era hidratar... E se durante a noite visse que ele estava sonolento ou o quadro dos vómitos se mantivesse o melhor seria ir a um serviço de urgências...

 

Comprei os medicamentos na farmácia, e mal a primeira coisa que fiz ao chegar a casa foi preparar a solução de re-hidratação oral (da marca Picot), mas o Gui não achou piada nenhuma ao sabor, e dos 200ml apenas consegui que bebesse 50ml.

 

Ainda fiz um caldinho com água, arroz e cenoura cozida, para ver se ele comia alguma coisita, mas nem o prato o Gui queria ver... Comeu uns pedacinhos de pão e um bocadinho de banana e quando lhe propus comer uma compota de fruta, à primeira colherada tornou a vomitar! Voltamos então à "estaca zero"... 

 

A nossa sorte é que o Gui é como eu, adora água, e fartou-se de beber água simples, ao menos a hidratação não fica tão comprometida. Quanto às diarreias não teve mais nenhuma, mas também é verdade que não comeu nada de jeito o dia todo. Só espero que esta noite ele consiga dormir e não se lembre de acordar para pedir o seu biberão de leite, pois o leite está contra-indicado nestas situações... O máximo que lhe poderei dar é água mas se não ficar satisfeito amanhã vou optar por comprar na farmácia um leite sem lactose para ver se ele é capaz de tolerar.

 

Depois disto é rezar que mais ninguém fique contaminado, e para prevenir o melhor é continuar a lavar muito bem as mãos!

 

E é desta forma que entramos na segunda-feira, felizmente hoje era o meu dia de folga, e amanhã amanhã também, caso contrário o Gui tinha ido para a ama assim doentinho sem nós desconfiarmos! 

 

E por aí, alguém tem algum truque para travar uma gastroenterite?