Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

RESTRIÇÕES ALIMENTARES NA GRAVIDEZ

Alimentação na gravidez.jpg

A dois dias de estarmos de férias em Portugal, o que para nós é sinónimo de grandes patuscadas e jantaradas, nada melhor que fazer um post para avisar que muitas das coisas que eu comia, que eu adorava, não posso comer enquanto estiver grávida.

 

Antes as mulheres grávidas "comiam por dois" ou continuavam a comer normalmente, não é por acaso que as nossas mães nos dizem que "comeram sempre de tudo", mas hoje não é bem assim, está mais que comprovado que durante a gravidez é fundamental ter cuidados redobrados com a alimentação, por três motivos principais:

 

  • Segurança alimentar, de forma a diminuir o risco de intoxicações alimentares;
  • Risco de contrair toxoplasmose;
  • Risco de desenvolver diabetes gestacional (ou estando já presente esta doença, controlar o desenvolvimento da doença, bem como excesso de peso e obesidade).

 

 

 

1. SEGURANÇA ALIMENTAR

gravidez legumes.jpg

Como na gravidez, o sistema imunológico não funciona tão bem como antes, a grávida torna-se mais propensa a germes responsáveis pelas intoxicações alimentares, daí que devem-se evitar alimentos que facilmente podem estar contaminados e provocar intoxicações alimentares. As consequências graves que podem surgir daqui são principalmente para o bebé, por isso o melhor mesmo é não facilitar e tentar comer de forma saudável.

 

Evite:

Ovos fora de casa e cremes à base de ovos (como ovo frito com gema crua, massa de bolo, gemada, e algumas sobremesas - mousses, por exemplo), já que não temos a certeza de que estamos a comer ovos frescos e que foram acondicionados corretamente. Desta forma evitamos uma intoxicação por Salmonella (uma doença grave, cujos sintomas incluem diarreia, vómitos severos, dor de cabeça, dor abdominal e febre. O tratamento exige antibióticos e reidratação com soro, e dependendo do quadro, pode haver necessidade de hospitalização);

 

Maionese, bechamel e alimentos com natas, em que não há certezas de que sejam frescos e de que foram bem conservados no frigorífico;

 

- Queijos não pasteurizados e de pasta mole (como o brie, o camembert; queijos com fungos, como o roquefort e gorgonzola), queijos ralados e empacotados, bem como patês. O problema é a possível presença de uma bactéria que causa a Listeriose (uma doença provocada por uma bactéria, a listeria, que normalmente é uma infeção simples e benigna, mas em mulheres grávidas os riscos são muito graves como aborto, parto prematuro, dificuldades respiratórias, etc. Os sintomas da doença podem passar totalmente despercebidos, ou podem parecer uma constipação com uma febre ligeira. Se for esse o caso o melhor é consultar o seu médico para fazer uma análise ao sangue, caso o resultado seja positivo, será prescrito um antibiótico).

 

- Peixe cru, onde se inclui o sushi/sashimi, salmão fumado, tártaro, carpaccio, os bivalves (como por exemplo as amêijoas) e o marisco no geral (o sushi pode ser ingerido se o peixe tiver sido congelado antes, e os mariscos ou os frutos do mar crus se forem bem cozinhados, a altas temperaturas, são também seguros). O problema aqui também é a possível contaminação por Listeriose;

- Carnes cruas ou mal cozinhadas (devido ao risco de contaminação pela a bactéria da Salmonella e pelo parasita da Toxoplasmose - este último falarei já de seguida);

 

2. TOXOPLASMOSE

A culpa não é do gato.jpg

A toxoplasmose mais conhecida como a "doença dos gatos" é uma infecção causada por um parasita, o Toxoplasma Gongii, presente na terra contaminada com fezes de animais (principalmente fezes de gatos), em carnes cruas e mal passadas, é perigosa durante a gravidez pois pode causar malformações graves no bebé ou mesmo um aborto.

 

A maioria das grávidas não estão imunes a esta infecção, por isso o ideal é fazer uma análise ao sangue antes de engravidar. Para as grávidas não imunizadas, como é o meu caso, é essencial ter alguns cuidados redobrados:

 

- Evite o consumo de carnes cruas ou mal passadas e enchidos crus;

 

- Lave bem as mãos após o contado com carnes cruas ou terra;

 

- Lave bem as frutas, verduras, legumes (lavar em água corrente, deixando durante 5 a 10min em água com uma colher de sopa de vinagre. Não deixe as frutas e os vegetais muito tempo de molho, para evitar perder-se algumas vitaminas e minerais);

 

- Evite usar a mesma tábua ou faca para cortar carnes e verduras;

 

- Tenha cuidado para não ingerir nenhum alimento que tenha estado em contato com carne crua ou mal passada, pois pode ter ocorrido uma contaminação cruzada;

 

Recuse saladas, verduras, bem como frutas cruas fora de casa, já que mesmo descascadas podem estar contaminadas porque não foram previamente lavadas;

 

- Caso tenha um gato, use luvas para limpar a sua caixa de areia ou peça a alguém para o fazer. Evite dar carne crua ao seu gato e apenas lhe dê água filtrada ou fervida.

 

 

Não entre em pânico se tiver um gato, porque para adquirir a toxoplasmose através dele, primeiro ele tem que estar infectado para poder eliminar os oocistos (os ovos do toxoplasma) nas fezes, e isso só acontece uma única vez na sua vida! Quando o gato é contaminado, a eliminação desses ovos ocorre 10 dias após este ter sido infectado e os oocistos só sobrevivem 48h a temperaturas acima de 36ºC, sendo que o ser humano só adquiri a toxoplasmose se ingerir os oocistos! Daí a importância da grávida evitar o contato diretamente com as fezes dos gatos. Perante isto é caso para dizer: A culpa não é do gato, mais depressa somos contaminados pela toxaplosmose ao comer salada ou carne crua!"

Outro dado importante é que tanto os gatos como os humanos (ou mesmo outros animais) só adquirem a toxoplasmose uma vez na vida, por isso, se você ou o seu gato já tiveram a doença, não haverá problema algum. O importante é fazer exames, a si e ao seu gato, antes de engravidar. 

 


3. DIABETES GESTACIONAL

dieta gravida.png

É mais que sabido que os alimentos ricos em açúcares e gorduras não trazem nada de positivo à alimentação, muito menos quando se está grávida pois, além de favorecer o aumento de peso, pode levar ao aparecimento de diabetes gestacional. A doença é caracteriza pelo aumento do teor de açúcar no sangue, com consequências que podem ser graves para a mãe e para o bebé (malformações congênitas, prematuridade, problemas respiratórios e complicações metabólicas como hipoglicemia - baixos níveis de açúcar). Comer os tipos certos de alimentos em porções saudáveis é uma das melhores maneiras de controlar o açúcar no sangue e evitar o ganho de peso.

 

 

amor mãe.jpg

Além destas precauções alimentares, lembre-se que o consumo de álcool, bem como bebidas e alimentos que contenham cafeína, estão também contra-indicados durante a gravidez. Podem parecer muitas restrições, mas com o tempo vão sendo assimiladas automaticamente... Quem é que não quer proteger o seu bebé? No meu caso, confesso que o que mais me me custa é ir almoçar ou jantar fora e não poder comer saladas, frutas frescas, picanha mal passada, um bife meio cru, ou os enchidos crus que eu tanto adoro. Volta e meia lá cedo a uma tentação ou outra, que é como quem diz, a um chocolatinho ou a um bolinho... Hum... Nesta altura é impossível não abusar um bocadinho, não acham?

 

Mas fica aqui o recado... Nada de me submeterem a muitas tentações! (Lol... Lol...)

 

 

4 comentários

Comentar post