Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

O TERCEIRO MÊS DO GUI

O Gui completou o seu terceiro mês de vida no passado dia 6 de Setembro, mas só hoje é que pude completar o post do seu terceiro mesinho de vida uma vez que faltavam alguns dados mais precisos: o peso e a altura.

 

Podíamos ter ido ao centro de saúde durante as férias, em Portugal, mas como tinha ficado doente não quis perder mais nenhum dia de férias em instituições de saúde... Sabíamos que o Gui estava a desenvolver-se bem e que não era urgente saber quanto ele tinha crescido.

 

Tivemos então hoje consulta, e ficamos a saber que o Gui está um Principezinho bastante crescido: pesa 6.520gr e já mede 64cm. 

 

Este terceiro mês de vida passou a voar... Foi praticamente vivenciado em Portugal, junto à nossa família e amigos (com a excepção da primeira semana, que estávamos ainda cá).

 

As alterações no Gui foram bem sentidas, não sei se as férias influenciaram em alguma coisa... Talvez sim, talvez não... Certeza nunca teremos...

 

O marco mais importante foi ele ter começado a ter preferência pelo colo da mamã (eu claro!), de repente o Gui começou a estranhar um bocadinho as pessoas... E se antes estas eram-lhe indiferentes, aos poucos começou a fazer "beicinho" e a chorar cada vez que alguém o abordava ou pegava nele. É mesmo incrível como é que um ser tão pequenino é capaz de distinguir perfeitamente as pessoas que fazem parte do seu dia-a-dia. É claro que depois de uns minutos de convivência ele cede e acaba por sorrir, se a pessoa o continuar a estimular (hoje comecei por dizer isto à médica, pois ele continua a estranhar as pessoas, e ela não queria acreditar! Até que comprovou o que eu dizia...).

 

Outro aspecto engraçado foi ele começar a exigir uma atenção constante, aos poucos começou a ser obrigatório falar e brincar com ele, mesmo na hora das nossas refeições, caso contrário é certo que vai haver "berreiro"!

 

O seu lado observador ficou ainda mais apurado. A cada sítio que vamos ele quer explorar tudo com o olhar, como se estivesse a avaliar onde se encontra.

 

Neste terceiro mês, a sua indiferença pelos brinquedos manteve-se, o que ele gosta mesmo é que sorriam, falem e cantem para ele (mas nada de muita euforia pois ele assuta-se... Eh... Eh... Eh...!

 

Em relação à comida, o Gui ainda não estabeleceu nenhuma rotina, e com tantos ambientes novos e com o calor, acho até que ficou mais descontrolado. De dia passou a estar 4 ou 5 horas sem comer quando íamos à algum lado, mas se estivéssemos em casa o reloginho funcionava e lá estava ele a comer de 2 em 2 horas. De noite, ficou também desregulado, ora acordava para comer a cada 3 horas, como estava 5 ou 6 horas sem comer. Acho que não vai tardar muito para ele começar a dormir umas 6 ou 7 horas seguidas! (Depois que completou o seu terceiro mesinho de vida, confesso que já me fez isso 2 ou 3 vezinhas... Soube tão bem!)

 

As cólicas, neste período, ficaram praticamente "esquecidas", estávamos com receio que se agravassem com as férias, mas felizmente foi exactamente o contrário que aconteceu.

 

Um problema que se agravou foi a dificuldade em adormecer a meio da noite, cada vez que acordava para comer... Foi talvez o aspecto mais negativo deste período (felizmente foi uma fase bem curta que parece que já foi ultrapassada), a maior parte das vezes era preciso andar com ele ao colo de um lado para o outro, a cantar, durante a noite só para ele voltar a adormecer... Sim porque o Gui tem uma particularidade, adora colo e não gosta que estejam muito tempo "parado" no mesmo sítio (vicio este que ainda hoje se mantem). Nem imaginam a tortura que foi fazer isto uma série de vezes às 3h, 4h ou 5h da manhã, chegando a ser precisas mais que 1 hora para ele voltar a dormir!

 

Para além do "colinho em movimento" (estar no colo mas sempre a passear), o Gui tem outra particularidade: não suporta estar sozinho ou ser ignorado, a atenção para ele tem que ser uma constante! Dá para imaginar agora um dia de Gui, certo?!

 

E com tantas descobertas e aprendizagens, o Gui vai crescendo rodeado de muito carinho e amor! 

 

image.jpeg

2 comentários

Comentar post