Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

O CONSULADO DE PORTUGAL EM PARIS

image.jpeg

Estou tão incrédula com o funcionamento do Consulado Português em Paris que achei que tinha que desabafar com vocês a nossa indignação...

 

Um ano depois de termos chegado aqui, achamos que seria útil inscrevermo-nos junto do Consulado Português, mas nunca o chegamos a fazer... Na primeira vez, chegamos por volta das 11h e as senhas para atender as pessoas já tinham esgotado, na segunda vez chegamos às 9:30 e a pessoa que estava a fornecer as senhas informou-nos de imediato que seriamos atendidos por volta das 15h, perguntou-nos o motivo de estarmos ali e como era para nos inscrever-nos aconselhou-nos a ir embora, dizendo que a inscrição não servia para nada... Verdade ou não, o que é certo é que nunca mais lá fomos pois não estávamos para apanhar mais uma seca... E vendo bem as coisas, talvez o senhor das senhas até tinha razão...

 

O tempo passou até que o Gui nasceu... Ora, sendo eu e o meu marido portugueses, o Gui tinha obrigatoriamente que fazer a certidão de nascimento junto ao Consulado de Portugal, bem como o cartão de cidadão (só a partir dos 18 anos é que tem direito a ter nacionalidade francesa, se quiser), por isso consultamos a página da internet para ver o que teríamos que fazer para podermos ter os documentos do Gui. Descobrimos então que para pedirmos os tais documentos era preciso fazer uma marcação, havendo apenas disponibilidades perto do final do mês de Julho. O problema é que nós queríamos comprar os bilhetes de avião para irmos de férias em Agosto, por isso tínhamos que ter a certeza que os documentos do Gui estariam prontos a tempo para podermos viajar os três... 

 

Liguei para o consulado, expliquei a situação e disseram-me que enviasse um e-mail à "responsável", indicando o meu número de telemóvel para que esta pudesse agendar mais cedo o nosso encontro. A partir daqui pude comprovar a minha teoria de que o funcionamento deste consulado deixava muito a desejar....

 

Depois do e-mail enviado fiquei então à espera de uma resposta, esperei 2 dias, mas como não obtinha resposta optei por enviar um segundo email... Foi aí que recebi uma mensagem de voz no telemovel da tal senhora, algo como: "Já é a segunda vez que lhe tento ligar, mas não atende, assim é impossível fazer uma marcação."

 

De facto era a segunda vez que ela me ligava, mas eu tinha o telemóvel no modo de vibração para o Gui não acordar, por isso nas duas chamadas que ela me fez nunca ouvi o telemóvel tocar. Como aqui em França toda a gente deixa uma mensagem de voz quando a pessoa não atende o telemóvel, e esta da primeira vez não deixou, ignorei completamente a ligação, nem imaginei que se tratasse do consulado, daí ter enviado o segundo email. Foi aí que a tal funcionária ligou e deixou a tal mensagem... Com tanta "simpatia concentrada", enviei um terceiro e-mail e expliquei o motivo de não ter atendido as chamadas e pedi-lhe para me tornar a ligar assim que pudesse, pois eu não tinha como o fazer (esta não tinha deixado nenhum contacto, a não ser o número geral do consulado, nem se tinha identificado)...

 

Cerca de 2 horas depois a funcionária ligou e disse que apenas havia disponibilidade para o dia 1 de Julho, às 10h45, e que apenas seria para fazer a Certidão de Nascimento, o cartão de cidadão seria feito numa segunda fase já que seria preciso a Certidão de Nascimento que só ficaria pronta 3 ou 4 dias depois... Indignada, falei-lhe que precisávamos do cartão de cidadão do Gui para podermos viajar, foi então que ela me disse que no dia 1 de Julho teria que falar com o colega dela para agendar uma data para isso...

 

Pois é, fomos então na sexta-feira fazer a certidão de nascimento, o cúmulo dos cúmulos... Saímos de casa às 8h:30min, para sermos atendidos à hora marcada, estivemos cerca de 45 minutos à espera para que um funcionário se limitasse a copiar os nossos dados e os do Gui e nós assinássemos no fim! Mas que palhaçada... O tempo que uma pessoa perde para fazer algo tão simples! No final, pedimos para agendar uma data para fazermos o cartão de cidadão e foi aqui que descobrimos que seria impossível pois apenas havia disponibilidade a partir do 25 de Agosto! 

 

Ora o Gui nasceu no dia 6 de Junho, contactei uma semana depois o consulado, só consegui ser atendida na passada sexta-feira e o principal mesmo, que era o cartão de cidadão do Gui, não vamos conseguir fazer! Não consigo perceber como é que um recém-nascido não tem prioridade!

 

O cúmulo é que há uma alternativa ao cartão do cidadão, um tal "visto de viagem ou titulo de viagem", que deve ser feito uns dias antes de viajar e que nos permite poder sair com o Gui do país! Um documento no qual são precisas 2 fotografias do bebé, e tem um custo de cerca de 25 euros, sem falar que neste caso não é preciso qualquer marcação porque eles fazem mesmo no dia antes da viagem!

 

Para o cartão de cidadão não há espaço na agenda mas para esse tal documento já têm todo o tempo do mundo... Para nós tudo não passa de um negócio para ganhar dinheiro! Ninguém quer saber o facto de termos que andar com um recém-nascido "para trás e para a frente" para tratar de documentos obrigatórios!

 

Como é que é possível termos que esperar meses a fio para conseguirmos fazer um simples cartão de cidadão, quando fazemos parte da Europa?! Surreal, mas é a pura realidade! 

 

Resta-nos voltar ao Consulado uma semana antes da nossa viagem e "comprar" o tal "visto ou titulo de viagem" para podermos sair da França e irmos até ao nosso Portugal! Chegando a Portugal faremos então o Cartão de Cidadão do Gui, porque esse documento que nos permite sair daqui não serve para regressar! 

8 comentários

Comentar post