Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

PARIS VAI TER TÁXIS QUE VOAM!

IMG_6747.JPG

Paris quer tornar-se na cidade do futuro e ter carros menos poluentes e sem motoristas que circulem nas ruas, mas antes disso os franceses e os turistas irão descobrir algo ainda mais inovador: os táxis voadores.

 

É já em Março que estes táxis começam a voar sobre o Rio Sena, tornando-se assim na primeira cidade do Mundo a ter "táxis que voam". Uma medida que promete ser parte da solução para o trânsito de Paris.

 

O carro que foi batizado pelo nome "Sea Bubble" tem a forma de ovo e possui quatro asas submersas. É feito de fibra de vidro, possui baterias recarregáveis por energia solar e tem zero emissão de CO². Inventado pelo velejador francês, Alain Thébault, e pelo surfista sueco, Anders Bringdal, o novo veículo será capaz de transportar quatro passageiros.  

IMG_6748.JPG

A ideia é que até Junho meia dúzia destas bolhas estejam voando sobre o Rio Sena. Ainda não são conhecidos os preços de cada viagem, por isso ainda há dúvidas se este transporte venha a ser uma real alternativa aos táxis em Paris, caso contrário ficará reservado a uso turístico.

 

A ideia é sem dúvida bastante interessante, temos é que aguardar para que seja lançada ao público e vermos se os preços nos convidam a experimentar!

O MEU SORRISO VAI FICAR MAIS METÁLICO

IMG_6734.JPG

Depois das férias de Natal, e como acontece todos os meses, tive consulta com a minha ortodentista... Foi mais ou menos há 15 dias, saí de lá tão desorientada com o que ela me disse que nem sei se fiquei mais zangada, se fiquei mais preocupada ou chateada... 

 

O meu tratamento tinha uma duração prevista de 2 anos a 2 anos e meio, o que significava que este ano, entre Março a Setembro, o tratamento ficaria finalizado... Infelizmente a previsão dela falhou e soube então que tenho um problema no maxiliar inferior, que nem ela percebe se já o tinha ou se surgiu com o aparelho (alguma posição que eu inconscientemente fui adoptando), e que me provoca uma diferença de cerca de 3 milímetros... Ou seja, os meus dentes não encaixam correctamente uns nos outros!

 

Possíveis soluções que ela me apresentou: retirar 2 dentes em cima ou uma cirurgia ao maxilar inferior... Soluções essas que dependiam das radiografias que teria que fazer. Diga-se de passagem que as duas hipóteses não me agradaram de maneira nenhuma, mas como é óbvio não posso ficar assim...

 

Fiz as radiografias e tive consulta novamente na quarta-feira passada... Depois de analisar o meu caso, e antes de partir para uma solução irreversível a ortodentista decidiu experimentar colocar-me uma espécie de mola em aço que fica presa nos arcos superior e inferior ao mesmo tempo, de forma a empurrar os dentes superiores para trás e os inferiores para frente, uma técnica utilizada mais nos adolescentes mas que ela acredita que poderá funcionar comigo.

 

Confesso que a ideia de ter mais um pedaço de metal não me agrada nadinha, mas dentro das soluções apontadas esta é sem dúvida a melhor de todas, só rezo agora para que funcione mesmo e não seja preciso partir para algo mais radical!

 

Não vejo a hora de tirar o aparelho e ver o resultado final, mas lá terei que esperar mais algum tempo... O mais importante é que isto agora resulte!

 

Logo às 16h:30min tenho então consulta para colocar mais este acessório, ficando assim com um sorriso ainda mais metálico! 

 

Vamos lá ver se isto vai-me incomodar ou não...

VIVER OU JUNTAR DINHEIRO?

Em gesto de fim-de-semana, aqui fica a cópia de um texto, escrito em português do Brasil, bastante interessante, que nos faz refletir sobre o que é realmente importante... Espero que gostem!

 

"Recebi uma mensagem muito interessante de um ouvinte da CBN e peço licença para lê-la na íntegra, porque ela nem precisa dos meus comentários. Lá vai: "Prezado Max meu nome é Sérgio, tenho 61 anos, e pertenço a uma geração azarada. Quando eu era jovem as pessoas diziam para escutar os mais velhos, que eram mais sábios, agora me dizem que tenho de escutar os jovens porque são mais inteligentes. Na semana passada eu li numa revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. E eu aprendi muita coisa.

 

Aprendi por exemplo, que se eu tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, durante os últimos 40 anos, eu teria economizado R$ 30.000,00. Se eu tivesse deixado de comer uma pizza por mês teria economizado R$ 12.000,00 e assim por diante.

 

Impressionado peguei um papel e comecei a fazer contas, e descobri para minha surpresa que hoje eu poderia estar milionário. Bastava eu não ter tomado os cafés que eu tomei, não ter feito muitas das viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que eu comprei, e principalmente não ter desperdiçado meu dinheiro, em itens supérfluos e descartáveis.

 

Ao concluir os cálculos percebi que hoje eu poderia ter quase R$ 500.000,00 na conta bancária. É claro que eu não tenho este dinheiro. Mas se tivesse sabe o que este dinheiro me permitiria fazer? Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar com itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que eu quisesse e tomar cafezinhos à vontade. Por isso acho que me sinto feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro com prazer e por prazer, porque hoje com 61 anos não tenho mais o mesmo pique de jovem, nem a mesma saúde, portanto viajar, comer pizzas e cafés não fazem bem na minha idade, e roupas hoje não vão melhorar muito o meu visual!

 

E recomendo aos jovens e brilhantes executivos, que façam a mesma coisa que eu fiz. Caso contrário eles chegarão aos 61 anos com um monte de dinheiro, mas sem ter vivido a vida.

 

Não eduque o seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o valor das coisas, não o seu preço. A vida é muito curta, apenas por isso curta ela e seus amigos." (Max Gehringer)

IMG_6728.JPG

LIBERDADE DE ESCOLHA

IMG_6708.JPG

Sempre que decidimos ir almoçar ou jantar num shopping temos sempre um grande problema: escolher onde vamos! O problema é que aqui em França (pelo menos nesta zona de Paris) quando vamos comer a um shopping, além da oferta ser bem menor do que a que existe em Portugal, somos obrigados a comer no restaurante onde vamos pedir a refeição, o que faz com que seja impossível cada pessoa escolher livremente o que quer realmente comer.

 

Será que só sou eu que me deparo com esta dificuldade? Porque será que os "franceses" não fazem como em Portugal, e até na Alemanha, onde existe uma área de restauração e cada pessoa come o que lhe apetece e onde lhe apetece! Seria bem mais simples e iria agradar a muita gente mesmo, não acham?!

MOMENTOS

IMG_6705.JPG

Hoje o dia foi dedicado às amigas (e ao Gui, claro).... 

Almoço no shopping, ida aos saldos, muita conversa colocada em dia,

e boa disposição...

Escusado será dizer que o Gui também ADOROU,

pois até ele já sabe que passear é que é bom! (Eh... Eh... Eh...)

Sabe tão bem momentos simples como este!

O TESTEMUNHO DE QUEM VIAJOU DE AVIÃO COM UM BEBÉ

IMG_6684.JPG

Achei que seria interessante partilhar a minha aventura do Natal, quando decidimos que eu e o Gui iríamos de férias mais cedo que o papá... Confesso que procurei não pensar muito nas dificuldades que iria ter, sabia que não iria ser muito fácil, mas também sabia que não era a primeira pessoa a aventurar-me numa viagem destas...

 

Compramos os bilhetes pela TAP, o voo estava previsto sair às 7h da manhã, mas tivemos azar e, devido a um problema técnico, só pudemos levantar voo 2 horas e meia depois... Duas horas de espera na sala de espera, que correram bem porque o Gui estava confortável a dormir no carrinho, e 30 minutos dentro do avião à espera para levantar voo, que mais pareceram 30 horas, pois o Gui não queria que eu estivesse sentada com ele!

 

Para viajar com o Gui, de Paris para o Porto, é possível levar o carrinho do bebé connosco até à porta do avião, o que se torna bastante confortável... O problema é ir sozinho com a tralha toda que é necessária: o carrinho de bebé e um saco com as coisas minhas e do Gui.

 

Para entrarmos na zona de controlo, o carrinho de bebé tem que ser colocado no tapete por onde também passam as malas de mão... Imaginem o que é desmontar um carrinho (sim, porque o carrinho do Gui levava também o babycoque, e para passar no tapete até as rodas laterais tinham que ser removidas para caber), com um bebé ao colo... Valeu a ajuda do pessoal de controle que foi 5 Estrelas e lá se ofereceu para dar colinho ao Gui enquanto eu suava a desmontar e a montar tudo...

 

E para fechar o carrinho junto da  porta do avião?! Mais um filme... As hospedeiras da TAP nem quiseram saber, o que me valeu foi um passageiro ter oferecido a sua ajuda... Ajuda esta imprescindível para pegar no Gui e eu fechar então o carrinho (sim, porque até para fechar o carrinho é quase preciso uma formação).

 

Azar do caraças, o nosso lugar no avião, atribuído no check-in online, calhou entre dois senhores... Até aqui a TAP podia ser mais inteligente e colocar-me junto ao corredor ou a uma janela... Enfim, a cada passo o Gui lá se esticava todo e dava um pontapé ao vizinho do lado... Felizmente a meio do voo, o senhor que viajava junto à janela propôs trocar de lugar com ele porque queria ir ao WC, e lá ficamos um bocadinho melhor... Quer dizer, incomodávamos era menos...

 

Ao longo do voo o Gui dormiu uns 20 minutinhos, felizmente este tempo coincidiu com a hora em que a TAP serviu as refeições, o que me permitiu comer.

 

A parte pior de toda a viagem, foi sem dúvida dentro do avião, porque o Gui não sossegou, transpirou que se fartou, pois estava muito calor, e eu para o distrair tive que mostrar os meus dotes de palhaça (Eh... Eh... Eh...)... Sem falar que vim super apertada, cheia de tralhas à minha volta porque não me deixaram colocar os casacos no sítio onde se colocam as malas de mão (casacos estes que ocupavam imenso espaço)!

 

Quando o avião aterrou o Gui transpirava tanto que parecia que tinha acabado de sair do banho... Esperei uns 5 minutos pelo carrinho do Gui, fora da porta do avião, e lá me safei a desdobrar o carrinho e consegui colocar o Gui dentro (sem qualquer ajuda).

 

Faltava agora a parte de ir buscar as malas: duas malas de porão, uma minha e outra do Gui... Eu com o carrinho de bebé lá fui buscar o carrinho para colocar as malas em cima... Tirei as malas do tapete rolante, sem qualquer ajuda, coloquei-as no carrinho e com uma mão empurrei o carrinho do Gui e com a outra empurrei o carrinho das malas... Sabem quantas pessoas se ofereceram para nos ajudar?! Nenhuma!!! Felizmente consegui safar-me sozinha.

 

Nem imaginam o alívio que foi quando entrei para o carro... Estava super cansada mas  contente por esta mini-aventura ter corrido bem!

 

A próxima viagem de avião será outra vez só com o Gui, mas desta vez acho que vai ser um bocadinho mais fácil pois levarei um carrinho de bebé bem mais pequeno. Agora que o Gui começa a ser um bocadinho mais crescido, vou acreditar que terei a vida mais facilitada... Haver vamos...

A CHAMADA SEXTA-FEIRA 13...

IMG_6681.JPG

Hoje, eu e o Gui, passamos o dia todo em casa, tinha combinado com o meu marido irmos juntos, no final da tarde, entregar o resultado de uma radiografia, que tinha feito, e era necessário levar à secretária da minha ortodentista... Até aqui tudo normal, não fosse na hora H a porta da entrada do nosso apartamento não abrir... O meu marido do lado de fora da porta a tentar abrir e eu do lado de dentro a tentar fazer o mesmo!

 

Não é que a maldita fechadura lembrou-se de avariar?! A chave não rodava de maneira nenhuma... Ainda tentamos ao empurrão... Mas nada!

 

Eram quase 17horas... Ligo duas vezes ao proprietário do apartamento e a chamada simplesmente cai no atendedor de chamadas! Deixo uma mensagem de voz, como toda a gente faz aqui, mas não obtenho qualquer resposta!

 

Já começava a imaginar o filme que não ía ser arranjar alguém a esta hora que resolvesse o assunto... Torno  a insistir... Dou mais dois ou três empurrões à porta enquanto que tento simultaneamente rodar a chave e o "milagre" acontece: a chave roda e consigo abrir a porta. Nem imaginam o alívio que isto não foi!  Se estivéssemos à espera do senhorio, bem que podíamos "esperar deitados", pois até agora este não deu qualquer sinal de vida!

 

Até estou para ver quando é que este me vai ligar... Até lá, e como precaução, a porta não poderá ser fechada à chave... Só espero que nenhum de nós se esqueça deste pequeno pormenor!

JÁ SÓ FALTA 1 MÊS

Pois é, depois que o Gui nasceu e passados os 2 meses e meio de licença de maternidade, optamos por fazer um sacrifício financeiro e ficar eu em casa mais 6 meses com a tal "ajuda" miserável do Estado... 

 

Passou tão rápido que já só falta um mês para recomeçar a trabalhar. Felizmente pude gozar todas as minhas férias logo de seguida, o que faz que comece a trabalhar só no dia 29 de Março.

 

Em nenhum momento nos arrependemos de termos tomado esta decisão, muito pelo contrário... Posso garantir que ganhamos muito mais do que perdemos!

 

Perdemos algum dinheiro, sem dúvida, mas pude proporcionar ao Gui todo o tempo do mundo só para ele... Cada conquista que ele teve eu tive o privilégio de poder ter estado presente, e isso não há dinheiro do mundo que pague esse tempo tão precioso... Assim será até ele completar quase 10 mesinhos, depois lá terá que ficar sob o cuidado de outra pessoa enquanto estivermos a trabalhar... Ainda não me consigo imaginar longe do meu Principezinho, mas lá terá que ser... Até lá, vou continuar a usufruir de cada segundinho junto do bem mais precioso que temos! 

IMG_6676.JPG

AMIZADE

IMG_6673.JPG

Quando estamos longe da "família de sangue", surge a família do coração para nos ajudar nas pequenas dificuldades do dia-a-dia... Hoje foi mais um desses dias...

 

Tinha um exame médico para fazer, e para não levar o Gui comigo pois teria que ficar um "bocadinho abandonado" na sala de espera (e ele não gosta nada, e eu muito menos), a Jess, a tia do coração do Gui, fez o favorzão de ficar com ele hoje (diga-se de passagem que até se portou bem). Quarta-feira o episódio repete-se, e serão as duas "tias" que ficarão a tomar conta do Gui... 

 

Tinha que partilhar isto... É mesmo bom termos Amigos destes juntinho do coração e a morar ao pé de nós! 

TÁ FRIO AÍ?

IMG_6670.JPG

Hoje começamos o dia com quatro graus negativos, mas com uma sensação térmica de 10 graus abaixo de zero. Amanhã dizem os entendidos que estará mais frio ainda... Vamos lá ver quanto é que estas temperaturas vão descer mais...

MALDITA BRONQUIOLITE...

IMG_6660.JPG 

Desde que nasceu, o Gui ficou uma vez doentinho, tinha ele 5 mesinhos... Tudo começou com uma simples constipação... Ficou cheio de ranhinhos, os quais ele ía engolindo e eu ía ajudando a fluidificar (com a colocação de gotas de soro fisiológico, nas narinas, várias vezes ao longo do dia)... Três dias depois de estar assim, os ranhinhos tinham desaparecido mas  o Gui tinha acumulado secreções nos pulmões... Era notório o barulho que ele fazia a respirar... Nunca fez febre, nunca perdeu a boa disposição e, mesmo cheio de secreções, nunca perdeu o apetite, mas eu sabia que ele não estava muito bem assim e tinha receio que este quadro evoluísse para algo mais sério... Marcamos então uma consulta médica e descobrimos que o Gui afinal tinha uma Bronquiolite!

 

 

Mas afinal o que é uma Bronquiolite?

Uma bronquiolite é uma infecção respiratória que se caracteriza pela produção exagerada de secreções, secreções estas que vão provocar um inchaço nas minúsculas vias respiratórias (no interior dos pulmões do bebé) que, por sua vez, vão fazer com que a respiração se torne difícil. O bebé produz “ranho” no nariz que se não for limpo pode descer para o interior dos pulmões. Se as crianças produzirem secreções sem as deitar fora, esta acumulação torna-se o espaço ideal para que as bactérias se desenvolvam, causem inflamação e seguidamente surja uma bronquiolite.

 

A doença abrange quem? E quando surge?

A doença atinge frequentemente bebés e crianças (até aos dois anos de idade) e ocorre principalmente no Inverno e no início da Primavera. 

 

Como é causada?

A maioria dos casos de bronquiolite são causados pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR), mas podem haver outras causas responsáveis, como bactérias, infecções respiratórias anteriores “mal curadas”, otites, nascimento de dentes, entre outros.

IMG_6661.JPG 

Em que situações o o médico prescreve sessões de fisioterapia respiratória?

Depois da doença estar instalada, se houver obstrução a nível do nariz ou dos pulmões, por excesso de secreções e se o bebé não consegue libertá-las, o médico pode recomendar fazer algumas sessões de fisioterapia respiratória.

 

Em que consiste a fisioterapia respiratória?

A fisioterapia respiratória é uma espécie de ginástica respiratória onde o fisioterapeuta aplica uma certa pressão sobre o tórax, de forma ritmada. A pressão aplicada no toráx não provoca dor, nem constitui nenhum perigo para o bebé, serve sim para ajudar a tirar o ar todo do pulmão de forma a facilitar a subida das secreções. 

Ao longo da sessão o bebé chora bastante e esperneia por se encontrar ansioso com esta situação desconfortável, pois não gosta que o agarrem à força e o obriguem a sujeitar-se à pressão que é feita no tórax. Este choro acaba por ser um grande aliado porque a vibração que provoca é transmitida às vias aéreas pulmonares, o que vai ajudar no descolamento das secreções.

Depois das secreções subirem, e estarem soltas, estas ficam prontas para serem expelidas através da tosse.

 

Como podemos comprovar que as secreções foram mobilizadas, após uma sessão de fisioterapia respiratória?

O bebé vai tossir naturalmente durante a sessão e engolir as secreções e, para comprovar que as secreções foram engolidas, o bebé pode vomitar as próprias secreções ou simplesmente fará um cocó com um aspecto mais fluido ou mucoso.

 

Quanto tempo demora cada sessão? 

A sessão demora cerca de 20 minutos havendo várias pausas sempre que o bebé está cansado e são nestas pausas que a mãe (ou o pai) pode abraçar o bebé para ele se acalmar. 

 

Quantas sessões são necessárias?

O número de sessões varia da capacidade de recuperação do bebé e da gravidade da situação, e normalmente vai entre 2 a 5. 

 

Em que situações está contra-indicada a fisioterapia respiratória?
Existem situações em que o fisioterapeuta não pode intervir:

- febre;

- sinais de dificuldade respiratória (incluindo sibilos ouvidos na auscultação)

- secreções muito secas com tosse não produtiva;

- secreções em quantidade reduzida;

- ou se o bebé consegue mobilizar as secreções.

 

 

O Gui na altura fez duas sessões de fisioterapia respiratória e, apesar de ser enfermeira,  confesso que a primeira sessão impressionou-me um bocadinho, pois o facto de o ver a chorar compulsivamente e a olhar para mim, como se estivesse a pedir para o tirar dali, deixou-me "despedaçada"... Nesse mesmo dia o Gui melhorou consideravelmente o que nos deixou aliviados. No dia seguinte fez outra sessão, de cerca de 10 minutos, e no outro dia o Gui nem parecia que tinha estado doente! Foi mesmo bom ver o quanto foi vantajoso fazer as duas sessões de fisioterapia respiratória. Por isso já sabem, se suspeitam que o vosso bebé (ou criança) possa ter uma bronquiolite o melhor é prevenir e levá-lo ao médico/pediatra!

O PRIMEIRO DENTE

IMG_6653.JPG 

Dias depois do Gui ter completado 7 meses começamos a reparar num pontinho que começava a romper mesmo no meio da gengiva de baixo... Finalmente, o primeiro dente do Gui começava a dar sinal! 

 

Normalmente esta etapa ocorre entre os 6 e os 8 meses, e os primeiros dentes costumam ser os incisivos centrais inferiores, seguidos dos incisivos centrais superiores (tal como vem numerado na imagem acima). Para alguns bebés esta fase pode passar despercebida, mas para a grande maioria esta é caracterizada por uma série de desconfortos: nervosismo, irritabilidade, dificuldade em dormir, salivação abundante, perda de apetite e/ou rejeição do biberão (uma vez que as gengivas doridas podem causar incómodo durante a mamada). O Gui tem os primeiros quatro sintomas há cerca de três dias e não está a ser nada fácil...

 

Para ajudar no desconforto temos lhe dado daqueles mordedores que se colocam no frigorífico, massajado as gengivas (com aquelas escovas que a Chicco tem, próprias para esse efeito - podem ver as imagens no Instagram do blog) e aplicado gel, com o objetivo de anestesiar a área e a minimizar o desconforto... Mas mesmo assim ele, e nós, temos passado um "mau bocado"!

 

Por aí, conhecem mais alguma dica que nos possa ser útil?

 

 

 

CURIOSIDADE...

A dentição de leite, composta por 20 dentes, fica completa até aos 3 anos. Geralmente,  as meninas, sendo mais precoces, terão aos 2 anos e meio todos os dentes temporários, e os meninos aos 3 anos de idade. 

 

A dentição permanente ou definitiva inicia-se entre os 5 e os 7 anos e é composta por 32 dentes, caso erupcionem também os dentes do siso (os terceiros molares), o que nem sempre acontece.

 

QUANDO VAIS À ZIPPY...

... E queres trocar uma peça de roupa que veio com defeito e a funcionária da loja te diz que não pode trocar o artigo porque cortaste a etiqueta que tinha o código da camisola, mesmo tendo o talão de compra...

IMG_6495.JPG

Foi exactamente isto que me aconteceu! O Gui, no Natal, ofereceram-lhe uma camisola da Zippy... Como é habitual, antes de lavar a camisola, cortei as etiquetas que vem no interior (estas que estão na imagem acima)... Etiquetas essas que estão identificadas para serem cortadas antes de usar a roupa pela primeira vez. A camisola é lavada na máquina, passada, e o Gui veste a camisola pela primeira vez... Que azar, a camisola tinha um defeito: um furo mesmo na frente! No dia seguinte, dirigi-me a uma loja da Zippy e expus o problema, a funcionária diz que troca o artigo, mas ao reparar que esta não tinha as tais etiquetas diz que não pode fazer nada! Fiquei incrédula a olhar para ela...

 

Como é possível uma camisola com defeito não poder ser trocada por falta dessas etiquetas?! A camisola tendo defeito vai para o lixo, certo?! Além disso, haviam imensas camisolas iguais na loja para ela ver o código!!! Que diferença faz ter ou não ter uma coisa que até vem identificada para cortar antes de usar?! Tive que ficar com a camisola defeituosa porque a marca não assumiu o defeito!

 

Já tinha tido alguns problemas com roupa do Gui nas lojas da Zara e, mesmo sem etiquetas, trocaram sempre o artigo. Com esta política de garantia as lojas Zippy não devem ir muito longe...

IMG_6635.JPG

O GUI FEZ 7 MESES

É verdade, o Gui já fez 7 mesinhos, na passada sexta-feira, mais precisamente no Dia de Reis. Foi um mês fantástico, marcado pelo primeiro Natal do Gui, e que foi passado, praticamente, em Portugal.

 

Confesso que ainda não fomos à consulta do sétimo mês, pois as férias não nos permitiram, mas sabemos que pesa agora 8kg200gr e mede cerca de 69cm. 

 

Ao contrário do que nos foi recomendado aqui, na consulta dos 6 meses, optámos por não introduzir o peixe tão cedo, seguindo assim as recomendações da sociedade portuguesa de pediatria (farei um post brevemente sobre este tema tão pertinente ).

 

Neste mês, a sopa do Gui passou a levar carne (experimentou frango, coelho e perú), e começou a comer fruta, ao lanche. Tudo etapas que decorreram sem nenhuma dificuldade, não fosse o Gui um verdadeiro comilão! Já experimentou pêra, maçã e banana, mas banana só comeu duas vezes pois teve imensas cólicas. 

 

O que ele gosta mesmo muito é da sopa, fica tão eufórico quando vê o prato que até nós ficamos entusiasmados, por isso foi super fácil introduzir também a sopa ao jantar. Fez ontem uma semana que começou a comer sopa duas vezes ao dia (180 ml em cada refeição) mas mesmo assim continuou a mamar de 2 em 2 horas, sendo que depois da sopa e da fruta espera apenas 1 hora para mamar! Nas noites a rotina não se alterou, continua a acordar a cada 2 ou 3 horas para comer... Era de se esperar que estivesse mais gordinho, mas ele tem "bichos carpinteiros", dorme pouco durante o dia (as sestas de 20 minutos que vai fazendo so longo do dia não devem ultrapassar, no total, 1 hora) e está sempre a mexer, por isso acho muito difícil isso vir a acontecer (Eh... Eh... Eh...).

 

A boa novidade é que as cólicas, felizmente, desapareceram! É verdade, só aos 6 meses e meio é que estas malditas se foram, quem tem filhos sabe bem o alívio que isto é!

 

O Gui está cada vez mais risonho e bem disposto, lança gargalhadas contagiantes e está sempre a desafiar-nos para brincar. Palra imenso e gesticula, tenta “conversar“. Não estranha muito caras que não lhe são familiares, basta uns minutinhos de brincadeira para estar à vontade com pessoas estranhas... Vamos ver até quando isto vai durar.

 

Ainda não consegue interagir muito bem com outras crianças mas gosta de observá-las por longos períodos.

 

Adora tirar fotografias com a máquina fotográfica e fazer vídeos, coloca sempre o seu melhor sorriso, o que deixa toda a gente fascinada. Só espero que esta fase perdure, pois assim terei o modelo fotográfico mais doce de sempre (Eh... Eh... Eh...).

 

Continua a adorar que cantem, que falem, que o movimentem no ar, que brinquem e que joguem ao "cu-cu" com ele. Começou a ter muitas cócegas, adora que lhe façamos cócegas no pescoço e debaixo dos braços. 

 

Mantém-se encantado pelos seus pés, tão encantado que não descansa enquanto não tirar os sapatos e as meias. Descobriu agora que tem língua e boca... É mesmo engraçado vê-lo, muitas vezes, a "morder a língua".

 

Sentado, consegue controlar melhor a sua postura o que permite que consiga estar uns longos segundos sem qualquer apoio. Já se consegue rolar sobre si próprio... Agora fica complicado deixá-lo um segundo sozinho!

 

Descobriu que os brinquedos, bem como todos os objectos que apanha, são óptimos para atirar para o chão, por isso passa grande parte do tempo a fazer isto... E nós passamos grande parte do tempo a apanhar tudo do chão para lhe dar novamente!

 

Já me esquecia de um pormenor importante, que vocês devem ter reparado, o Gui tem agora imenso cabelo, mas como o cabelo é agora loiro dá ideia que ainda tem pouco.

 

E é desta forma doce que o nosso Principezinho vai crescendo...

MOLDIV

MEMÓRIAS QUE FICAM...

20170111_210655.jpg

Faz exactamente 1 ano que descobrimos o sexo do nosso Bebé e que compramos a primeira roupinha... A partir deste dia ficamos a saber que tinhamos sido brindados com um Principezinho!

 

Como é bom recordar momentos felizes como este! 

 

Pág. 1/2