Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

LA DÉFENSE

La Défense (A Defesa) é uma área moderna da cidade de Paris onde se localizam os escritórios das principais empresas, sendo o maior centro financeiro da Europa. Cerca de 200 mil pessoas trabalham lá, das quais 20 mil são habitantes.

 

O seu nome teve origem no monumento La Défense de Paris, uma estátua de bronze que se encontra na Praça de La Défense, como homenagem aos soldados que defenderam a cidade durante a Guerra franco-prussiana de 1870. 

 

A sua construção é recente. Começou nos anos 1950, quando o governo francês teve a ideia de criar uma área dedicada aos negócios e ao trabalho, de aspecto prático e futurista.

 

Os Estados Unidos foram a inspiração, e tal como todos os outros monumentos modernos, os parisienses não viram com bons olhos a sua construção.

 

Ainda hoje este lugar provoca muitas divisões mesmo a quem o visita, por se tratar exactamente do oposto de Paris a que nos acostumamos ver em fotos e em filmes, por isso há quem a admire e há quem a odeie. Talvez até seja por isso que este lugar é cada vez mais visitado.

 

Sem dúvida, que a arquitectura dos prédios lembra o centro comercial de grandes cidades do mundo; eu pessoalmente acho que vale a pensa visitar pelo seu lado inovador, futurista, gigantesco e contemporâneo.

 

Existem inúmeras obras de arte para quem aprecia, mas mesmo para quem não dê grande importância é impossível passar despercebido a muitas delas.

DSC00958.JPG

DSC00989.JPG

O marco mais emblemático de La Défense é o “Grande Arco” (La Grande Arche de La Défense). Inaugurado a 14 de Julho de 1989, na comemoração dos 200 anos da Revolução Francesa, possui cerca de 110 metros de altura. 

 

 

Visitar La Défense é ver uma série de torres empresariais, grandes espaços públicos com jardins, hotéis, restaurantes e ao mesmo tempo conhecer o maior shopping da cidade (o Le Quatre Temps), sem qualquer movimento de veículos (todo o trânsito e estacionamentos são subterrâneos).  

Quando subir à Torre Eiffel não deixe de observar este lugar… Facilmente se vê ao longe este lugar diferente, repleto de arranha-céus e o “Grande Arco”. O mais impressionante é que os 3 arcos da cidade, o Arco do Triunfo, o Arco de La Defense e o Arco do Triunfo do Caroussel do Louvre, estão em linha.

Certamente vai querer visitar!

JARDIM DES TUILERIES

O Jardim de Tuileries é um dos mais importantes e antigos da região parisiense, e encontra-se inscrito na lista de Património Mundial da Unesco.

 

Localizado no 1º arrondissement de Paris, entre o Louvre e a Place de la Concorde, assim se chama devido do facto do local onde se encontra ter sido durante muito tempo, ocupado por fábricas de telhas e azulejos (tuiles = telhas).

 

Idealizado inicialmente em estilo italiano, o jardim foi renovado por André Le Nôtre, o mesmo artista que criou os Jardins do Parc de Sceaux e do Palácio de Versalhes, que o transformou num jardim francês clássico, simétrico e ornamentado com fontes e esculturas.

 

Para quem gosta de obras de arte, existem também dois Museus: o Musée de l’Orangerie (www.musee-orangerie.fr) e o Musée Jeu de Paume (www.jeudepaume.org). No primeiro podem-se ver as famosas Nymphéas de Claude Monet, bem como obras de Renoir, Picasso, Cézanne e Matisse; já o segundo é dedicado a exposições de fotografia e imagem. Em volta do Musée de L’Orangerie encontram-se muitas esculturas de Rodin, inclusive “O Beijo”.

 

O parque é sem dúvida muito frequentado quer pelos turistas como pelos parisienses, que aproveitam para desfrutar das muitas actividades que o parque oferece. Além disso, existem grandes lagos artificiais onde as pessoas se sentam, em volta, para contemplar a paisagem, ler um livro, conversar, descansar ou até aproveitar o sol.

 

Ao longo do parque existem cafés onde podemos lanchar e desfrutar das sombras das árvores (para os dias de maiores calor).

 

No Verão, de Junho a Agosto, existe ainda uma Festa (Fête des Tuileries) onde é montado um grande parque de diversões, mesmo ao lado do jardim, na Rue de Rivoli.

 

Um local sem dúvida a visitar!

MUSEU DO LOUVRE

Hoje vou falar um bocadinho de um dos maiores e mais famosos museus do mundo: o Museu do Louvre (Musée du Louvre).

 

Instalado no Palácio do Louvre, encontra-se no centro de Paris, entre o rio Sena e a Rue de Riral dos Champs-Élysées.

 

A sua fachada é, sem dúvida, imponente… Impossível de passar despercebida mesmo aos olhos dos mais distraídos. A pirâmide é a construção mais recente e, tal como aconteceu com a Torre Eiffel, os parisienses, no início contestaram-na, pois achavam-na demasiado futurista para o local. Dá para imaginar isto?

 

Confesso que já estivemos lá algumas vezes mas ainda não entramos no museu, porque as filas são intermináveis… Mas pretendemos fazê-lo! E embora não perceba nadinha de arte tenho uma grande curiosidade em fazer esta visita.

 

Dizem que se quisermos conhecer, com calma, são precisos cerca de 2 dias pois em meio-dia apenas se conseguem ver as atracções principais do museu… Quando fizermos a visita, contarei aqui a minha experiência!

 

Visitar o Louvre é ver variadas obras de arte como a famosa Monalisa (Gioconda), de Leonardo da Vinci; obras de Michelangelo, Goya, Delacroix, Gericault, Rembrandt, Rubens, Ticiano, David, e também antiguidades egípcias, gregas e romanas.

 

Para quem está pensar visitar o museu, como eu, achei interessante partilhar estas dicas, que encontrei na internet, de forma a evitar as imensas filas... Procure (veja no mapa abaixo os locais):

- entrar pela entrada mais tranquila, a chamada Porta do Leões (Porte des Lions)

- ou ir pela entrada do metro. Na estação Palais-Royal/Musée du Louvre siga na direcção de La Defense e vá para a saída do Carrousel du Louvre.

 

 

Boa sorte!

 

 

PARA MAIS INFORMAÇÕES CONSULTE:


Site do Museu do Louvrehttp://www.louvre.fr/

 

Guia do Museu do Louvre em Português

http://www.louvre.fr/sites/default/files/medias/medias_fichiers/fichiers/pdf/louvre-mapa-informacao.pdf

DISNEYLAND PARIS

Disneyland Paris é a versão europeia dos parques temáticos americanos Disneyland, em Anaheim, e Walt Disney World, na Flórida, da The Walt Disney Company.

 

Se no início, os franceses se opuseram à sua construção, por se tratar de um símbolo tipicamente americano, 20 anos mais tarde é sem dúvida um “símbolo” de orgulho, sendo conhecido mundialmente.

 

O complexo turístico situa-se em Marne-la-Vallée, a 32 km de Paris e foi inaugurado a 12 de Abril de 1992.

 

Existem dois parques, o Parque Disneyland e o Parque da Walt Disney Studios, e ainda uma zona de compras, a Disney Village.

 

Na Disneyland Paris existem mais coisas para fazer do que para ver… As principais coisas a fazer consistem em andar nas diversões do parque, que são inúmeras.

 

Durante o dia existem também vários desfiles que incluem várias personagens da Disney, e não só; estes ocorrem em várias partes do parque e em horários diferentes. Existem também personagens da Disney espalhadas por todo o parque, durante o dia, alguns só aparecem em certas alturas, são eles que dão autógrafos, e a sua intenção principal é posar para as fotos.

 

Se há uma coisa que facilmente vai encontrar na Disneyland Paris são lojas, espalhadas, vendendo inúmeras lembranças alusivas à Disney.

 

 

VAMOS AOS PARQUES…

 

1.       Parque Disneyland

É o principal parque temático inspirado na Disneyland da Califórnia. É o parque que todos nós ouvimos falar e que não vai querer perder, inclui a maior parte das diversões e o tão famoso Castelo da Bela Adormecida. Este Parque divide-se em 5 terras mágicas – Main Street, U.S.A®; Discoveryland®, Fantasyland®, Adventureland® e Frontierland®.

 

Logo que se entra no parque estamos na Main Street USA, uma verdadeira rua americana, com lojas belas e restaurantes, plena de detalhe… No fundo, está o admirável Castelo da Cinderela, sem dúvida o ponto principal do parque, o seu fascínio não passa despercebido.

 

Aqui ficam algumas das atracções deste parque…

 

 

Space Mountain

Esta é a montanha-russa mais intensa do Parque Disneyland, com um disparo de um foguete (onde nós estamos dentro) para o universo espacial, a velocidade é rápida e no escuro, como se fossemos projectados para o “espaço”, com sonorização, muitas voltas… Uma verdadeira adrenalina!

 

Alice’s Curious Labyrinth

Para quem é fã da Alice no País das Maravilhas, nada melhor que explorar os inúmeros caminho que levam ao Castelo da Rainha de Copas e tirar fotos com as inúmeras personagens!

 

Adventure Isle

A Ilha da Aventura situa-se na Adventureland, aqui há pontes suspensas, cavernas repletas de estalactites e estalagmites e a cabana da família Robinson (no topo de uma árvore gigantesca). Um lugar a explorar!

 

Pirates of the Caribbean

Uma viagem de barco, com dezenas de figuras de animação de tamanho real em constante movimento, ruídos de tiros de canhão, e subidas de cascatas.

 

Disney Dreams®!

 Um espectáculo nocturno, de aproximadamente de 30 minutos, de cortar a respiração, repleto de luzes e cores, com lasers, fontes de água, fogo-de-artifício, uma viagem verdadeira viagem às principais histórias da Disney guiada pelo Peter Pan. A não perder!

 

 

 2.       Parque da Walt Disney Studios

Foi o segundo parque inaugurado na Disneyland Paris, aqui encontra-se o fantástico mundo dos bastidores do cinema, da televisão e da animação. É constituído por quatro zonas - Front Lot®, Toon Studio®, Production Courtyard® e Backlot®.

 

A entrada deste parque faz-se pelo Front Lot®, um local inspirado nos estúdios de cinema de Hollywood dos anos 20 e 30, repleta de lojas e restaurantes, com fachadas feitas ao pormenor.

 

Ao sair deste local temos as Boas vindas de Walt Disney e do Mickey…

 

Aqui vou detalhar algumas atracções….

 

 

Crush’s Coaster – Toon Studio®

Uma aventura radical e divertida no Crush’s Coaster. Não percas esta delirante viagem na corrente australiana, a uma velocidade extraordinária e no escuro, com sonorização e muitas voltas!

 


The Twilight Zone Tower of Terror
 

Pra nós foi das melhores atracções… Um requintado hotel da idade de ouro de Hollywood, abandonado, com teias de aranha por todos os lados, onde aos visitantes é lhes contada a história do hotel e são convidados a entrar no elevador que os levará aos seus quartos, mas algo irá acontecer quando o elevador entrar… na Quinta Dimensão.

 

 3.       Disney Village

É a área destinada a receber os visitantes durante sua estada na Disneyland Resort e que está acessível de forma gratuita a todo o público. Aqui existem várias lojas, restaurantes, bares.

 

 

DICAS

Na entrada dos Parques estão disponíveis gratuitamente mapas e programação do parque, não deixe de usufruir deste guia imprescindível para não se perder!

 

Existem algumas atracções que dispõem Fast Pass (FP), isto é, um passe que se tira junto das atracções e que marca o horário para poder voltar enquanto aproveita outras atracções, sim porque as filas nalgumas atracções são imensas!

 

O ideal será visitar o parque num dia de semana, além disso, se comprar o bilhete de visitar 2 parques em 1 dia, como foi o nosso caso, procure fazer um plano e optar pelas atracções que mais te interessam, caso contrário vai perder muito tempo! O melhor será mesmo conhecer um parque em cada dia!

 

http://www.disneylandparis.fr/index.html

DOMAINE / PARC DE SCEAUX

A França é conhecida pelos seus castelos e jardins maravilhosos.

 

Ora, num destes dias fomos conhecer um dos locais menos falado ou até mesmo desconhecido por muitos, o “Domaine / Parc de Sceaux"... O Domaine é composto por um jardim enorme e um castelo…

 

Para quem gosta de natureza e aprecia uma bela paisagem e tranquilidade, como eu, o Parque de Sceaux  é o lugar ideal… Um sítio perfeito para relaxar, fazer um piquenique, fazer uma boa caminhada ou até correr.

 

 

 

   
 

 

 

LOCALIZAÇÃO

 

Localiza-se a sul de Paris, a cerca de 30 minutos.

 

8 rue Claude Perrault

92330 Sceaux

 

 

http://domaine-de-sceaux.hauts-de-seine.net/

A TORRE EIFFEL

Ver de perto a Torre Eiffel é sem dúvida o desejo de muita gente. Toda a gente já a viu pelo menos uma vez na vida, em fotos, em vídeos, em filmes ou até mesmo na publicidade… Mas o que muita gente desconhece é a sua história.

 

Inaugurada a 31 de Março de 1889, a Torre Eiffel foi projectada e construída para ser temporária, numa Exposição Mundial de 1900. O evento tinha por objectivo comemorar o centenário da Revolução e destacar a França como país moderno e industrializado.

 

O grande chamariz da Exposição seria uma Torre, e para escolher o melhor projecto o governo francês achou por bem abrir um concurso de projectos para que fosse eleita a melhor. O vencedor do projecto foi Gustave Eiffel, um engenheiro com grande reputação em construir pontes gigantescas em ferro, que a ergueu em apenas 22 meses.

 

A obra custou, na altura, 7.8 milhões de francos franceses (cerca de 1.2 milhões de euros) e foram necessários mais de 300 trabalhadores para colocar as 18.038 peças de ferro.

 

Assim que o projecto foi divulgado os parisienses, sobretudo os artistas, abominaram a Torre Eiffel. Afinal Paris era uma cidade plena de construções e monumentos, e a torre assemelhava-se a uma obra inacabada e muito industrial.

 

Porém o seu sucesso por todo o mundo foi imenso, e nunca foi desmontada, e desde então não parou de atrair turistas de todo o mundo tornando-se num dos principais símbolos de Paris.

 

 

SUBIR A TORRE…

 

Para os que não querem ver apenas a Torre, é possível subir até o topo dos seus 300m.

 

A torre é constituída por três níveis. A primeira estrutura fica a 57,63 metros do solo, a segunda a 115,73 metros e a terceira a 276,13 metros. Para chegar aos dois primeiros andares, pode-se subir pelas escadas (704 degraus até o segundo andar) ou utilizar os elevadores; já para o topo só mesmo de elevador (este é o andar que está mais condicionado pelo clima). Consoante a opção há um preço diferente.

 

Confesso que ainda não subimos até ao topo, mas o que dizem é que, mesmo no Verão, há muito vento. Já estivemos nos dois primeiros andares e é, sem dúvida, espectacular, pois além de permitir admirar toda cidade é possível ver os mais importantes monumentos da capital, como o Arco do Triunfo, o Louvre e a  Catedral Notre-Dame.

 

Da próxima vez que a formos visitar será ao anoitecer, e subiremos até ao topo, dizem que é a melhor altura, porque para além de se verem bem todos os pontos turísticos pode-se desfrutar do romantismo da cidade acendendo as suas luzes.

 

                                                            

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 
 
 
 
Para quem está a pensar visitá-la, e quiser saber os horários, os preços dos bilhetes ou até mesmo conhecer o mapa de acesso, nada melhor que consultar o site: http://www.toureiffel.paris/pt .
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

ABRIR UMA CONTA NUM BANCO EM FRANÇA

O sistema bancário francês deve ser certamente um dos mais atrasados dos países ditos “desenvolvidos”, e decididamente muito mais atrasado que o sistema bancário português.

 

Depois de reunidos todos os documentos necessários para abrir uma conta bancária, decidimos que a conta seria aberta num banco português... Dirigimo-nos ao banco que se situava mais próximo de nós, e ao fim de aproximadamente 15 minutos à espera para sermos atendidos, a funcionária perguntou-nos se tinhamos uma “rendez-vous” (como quem diz uma marcação) … Uma rendez-vous?! Como assim?! Para abrir uma conta bancária?! Sim, aqui, em França, para irmos ao banco, a maior parte das vezes, temos que marcar uma “rendez-vous”. Ora, para abrir uma conta bancária isso é quase uma regra em todos os bancos!

 

Como tínhamos alguma pressa em obter um número de conta bancária, pedimos se podia ser então para o dia seguinte… Depois de ver na sua agenda a funcionária respondeu-nos que até tínhamos sorte porque havia uma vaga dali a 3 dias, caso contrário podíamos ir a outro lado…

 

Enfim, marcamos a rendez-vous e no dia lá nos dirigimos à hora marcada, munidos com todos os documentos que eram precisos…. Quinze minutos depois da hora marcada fomos atendidos, tendo sido precisos cerca de 1h30minutos para abrir uma simples conta bancária…

 

A partir daqui foram só problemas…

 

Foi preciso esperar que chegasse tudo a casa… Sim, aqui é preciso ter muita paciência porque tudo funciona por correspondência, é preciso esperar que nos enviem uma carta com a senha pessoal online, uma outra carta com a senha do cartão multibanco, e mais outra carta a dizer que o cartão chegou ao banco…

 

Quando recebi as primeiras cartas em casa reparei que o meu nome completo estava errado, ora o banco tinha colocado o meu nome e, em vez dos meus apelidos, estavam os apelidos do meu marido. De imediato tentei telefonar para o banco mas ninguém me atendeu, foi então que me lembrei que era segunda-feira…

 

Na França os bancos não abrem à segunda-feira, em vez disso eles abrem ao sábado, regra geral, até às 14horas, o que é uma vantagem para quem trabalha de segunda à sexta… Quer dizer, isto se as pessoas marcarem uma rendez-vous com algumas semanas de antecedência!

 

Enviei então um email à pessoa que tinha aberto a conta no banco a pedir que fizessem essa correcção, pois mesmo quando acedia à minha conta online o meu nome estava errado. Pensei que o problema seria facilmente resolvido até porque para abrir a conta tínhamos deixado uma série de documentos que serviam para isso e muito mais….

 

Cerca de duas semanas mais tarde, recebo uma carta do banco a dizer que o meu cartão multibanco tinha chegado… Dirigi-me de imediato ao banco, até porque precisava do cartão, e para meu desagrado, também no cartão multibanco constava o meu nome com os apelidos do meu marido! Nunca tal isto me tinha acontecido… Ainda me lembro da funcionária a perguntar-me a quem pertenciam então os apelidos… Incrédula, tentei explicar-lhe que os meus apelidos nada tinham a ver com os do meu marido, pois embora sejamos casados o meu nome de solteira não se tinha alterado.

 

Sim, aqui em França as pessoas não conseguem perceber que sou casada e não tenho o apelido do meu marido. Aqui, as mulheres quando se casam adoptam automaticamente o apelido do marido.

 

Sem nunca se desculparem pelo equívoco, vim-me embora do banco, e mais uma vez fiquei à espera do novo cartão… Enquanto isso, e como precisava de um cartão multibanco, fiquei com o cartão errado….

 

Mais quinze dias e recebo então a carta a informar quer o cartão tinha chegado… Vou ao banco, dão-me o cartão e mais uma vez este vem exactamente igual: com o meu nome e os apelidos do meu marido! E embora a funcionária fosse exactamente a mesma, tive que lhe tornar a explicar tudo…. E não é porque o meu francês fosse difícil de perceber, porque ambas falávamos em português!

 

Outros quinze dias à espera e lá chega a carta a avisar… O processo repete-se… Cartão novamente errado! Farta e zangada com a situação, torno a explicar à mesma funcionária a mesma coisa, e esta, sem nunca se desculpar, diz-me que tinha encontrado o erro… Ora, segundo ela, o erro era do sistema, tinha que tirar dos meus dados pessoais que eu era casada para que o sistema não fosse buscar os apelidos do meu marido… Enfim, não era apenas o meu último apelido que estava errado, eram todos, os meus apelidos eram simplesmente eliminados e eles achavam isto normal! Só ao fim do quarto cartão é que consegui obter o correcto!


No decorrer disto, levantamos também um livro de cheques, sim, um verdadeiro livro composto por 50 cheques! Ora, nós que nunca gostámos de cheques dissemos de imediato que não seria necessário… E muito menos 50! O problema é que aqui nada é pago através das caixas multibanco: o cartão multibanco só serve mesmo para fazer pagamentos directamente nas lojas, na internet e para levantar dinheiro, nem o saldo podemos consultar! Agora compreendo porque é que aqui as caixas multibanco se chamam distributeur de billets, de facto estas só servem para levantar "billets", como quem diz, notas! Isto sem falar que é impossível mudar o código original do cartão multibanco ou mesmo obter um cheque na hora, essas opções simplesmente não existem! Um verdadeiro atraso para quem estava habituada a outras andanças...

  

E se quisermos abrir uma conta a prazo em conjunto, também não é assim tão evidente, aqui essa conta só pode estar no nome de uma pessoa sendo que o segundo titular (mesmo tratando-se do cônjuge) só pode constar se for feita uma procuração, depois tudo é enviado para o banco de França para que a conta a prazo possa ser aprovada. Uma verdadeira complicação!

 

Moral da história, quando pensamos que abrir uma conta bancária num banco de origem portuguesa nos facilita a vida chegamos à conclusão que é exactamente igual porque o sistema já está entranhado nas próprias pessoas! Enfim, um sistema verdadeiramente obsoleto!

 

 

 

Documentos Necessários Para Abrir Uma Conta Bancária

 

- Cartão de cidadão / bilhete de identidade

- Certidão de nascimento

- Comprovativo de morada (factura de electricidade, contrato de arrendamento…)

- Contrato de trabalho e um recibo de pagamento (fiche de paye)

 

 

RIB (Releve d’identité bancaire)

 

Quando abrir a conta terá então o seu Rib, o número de identidade bancária, útil para a transferência do salário, e para o pagamento de certas facturas (telemóvel, electricidade, renda de casa, etc.).

 

 

Despesas Bancárias

 

Geralmente são deduzidos cerca de 10 €/mês da conta para manutenção da conta bancária.

 

 

Principais Bancos Franceses


- Societe Generale (http://www.societegenerale.fr/) 

- BNP Paribas (http://www.bnpparibas.net/ )

- HSBC France (http://www.hsbc.fr/)

- Crédit Agricole (http://www.credit-agricole.fr/)

- Caisse d'Epargne (http://www.caisse-epargne.fr/)

 

 

 

 

Principais Bancos Portugueses em França

 

- Caixa Geral de Depósitos (www.cgd.fr/)

- Banque BCP (www.banquebcp.fr/)

 

TELEMÓVEL, TELEFONE, INTERNET E TELEVISÃO

A França deve ser um dos países da Europa que tem o preço dos Telefones (fixos e móveis), da Internet e da Televisão mais baratos.

 

Para conseguirmos o melhor tarifário, é preciso aderir aos pacotes a partir da internet, pois se formos directamente às lojas, para a mesma linha e para o mesmo tarifário, os preços sobem consideravelmente.

 

Para aderirmos basta ter um número de conta bancária francês, para que a encomende chegue depois a casa.

 

Aqui é possível ter um tarifário de telemóvel por 2€/mês, com 2h de chamadas/mês (para todos os telefones fixos e móveis em França e cerca de 100 destinos internacionais, incluindo Portugal), SMS/MMS ilimitados, 50 MB de internet 3G/4G.

 

Eu, por exemplo, por menos de 15€/mês tenho um tarifário de telemóvel com chamadas ilimitadas (para todos os telefones fixos e móveis na França e cerca de 100 destinos internacionais), SMS e MMS ilimitados, 3 GB de Internet 3G e 20 GB de internet 4G. Além disso, quando estou em Portugal posso usufruir praticamente das mesmas condições como se estivesse em França, isto é, posso fazer chamadas para telemóveis franceses, chamadas para fixos (para França, Portugal, Alemanha e não só), enviar SMS’s MMS’s e utilizar a Internet, sem pagar roaming, durante 35 dias por ano.

 

Em relação à Internet existem pacotes que incluem também o telefone fixo e a televisão a preços atractivos. Por cerca de 31€/mês, tenho telefone fixo (que inclui chamadas ilimitadas para os telefones fixos franceses e cerca de 107 destinos internacionais), internet ilimitada e televisão com 197 canais.

 

Para mais informações deixo algumas páginas que podem consultar:

 

http://www.touslesforfaits.fr/

www.free.fr/

www.bouyguestelecom.fr/

www.sfr.fr/

www.orange.fr/

O SISTEMA DE SAÚDE FRANCÊS

O sistema de saúde pública francesa é bem diferente do de Portugal.

 

Aqui a segurança social (Assurance Maladie) paga uma boa parte das despesas, que varia entre os 70% aos 100%, e para compensar o que a segurança social não paga, a maior parte das pessoas opta por um seguro de saúde (Mutuelle) que cobre o restante (com alguns limites).

 

Normalmente as empresas têm acordos com as Mutuelles e os funcionários podem ter acesso a esse seguro que pode ser gratuito ou comparticipado em grande parte (esse seguro pode ser familiar).

 

A partir daqui, devemos escolher um Médecin Traitant (o chamado médico de família em Portugal) para que, no caso de ser necessário, este nos envie para um médico especialista – Médecin Correspondant - com a excepção de dentistas, oftalmologistas e ginecologistas aos quais podemos ir directamente sem qualquer prejuízo monetário.


Esse médico generalista deve ser referenciado à segurança social através de uma declaração, a chamada "Déclaration de Médecin Traitant”. A este trajecto a segurança social francesa chama “Parcours de soins Coordonnés”. As idas às urgências médicas dos hospitais são consideradas dentro do “Parcours de Soins Coordonnés”. 


Podemos ir directamente a um médico (generalista ou especialista) sem passar por este percurso, mas nestes casos, a segurança social reembolsa segundo uma taxa bastante inferior (cerca de 30% em vez dos 70%). 


De forma geral, pagamos primeiro a totalidade da consulta médica e mais tarde é que somos reembolsados pela segurança social e pela Mutuelle.

Existem excepções em alguns serviços de saúde, como é o caso das farmácias, raio X e análises clinicas, na qual só pagamos o montante que não é coberto. Na maior parte dos consultórios médicos existe um aparelho que faz a leitura da Carte Vitale, sendo o valor da consulta declarado automaticamente à segurança social e à Mutuelle, restando depois esperar o reembolso por transferência bancária. Nos casos em que o médico não dispõe do aparelho, este preenche um papel que deverá ser enviado por correio à segurança social e à Mutuelle, de forma a obter o reembolso. 

 

Para mais informações, nada melhor que consultar o site da segurança social: http://www.ameli.fr/.

ALUGAR CASA EM FRANÇA

Uma das maiores dificuldades para quem quer morar em França, e não tenha um contrato de trabalho, é encontrar alguém disposto a alugar um apartamento ou uma casa. Geralmente, os arrendatários exigem um contrato de trabalho de duração indeterminada (CDI), os últimos recibos do salário, as folhas de IRS, e no caso de se tratar de uma agência exigem que  o salário das duas pessoas (do casal) seja três vezes superior ao aluguer.

 

O principal motivo para exigirem esta documentação é que na França, caso o inquilino não pague a renda não é simples de “expulsar” os inquilinos (principalmente se for no Inverno, por causa do frio, ou se estes tiverem filhos). Com os emigrantes a situação ainda é mais difícil porque os arrendatários têm receio que os inquilinos saiam do país.

 

Por isso, para quem vem à procura de emprego o melhor é ter um plano alternativo já que é quase impossível alugar uma casa. O melhor será:

 

• Procurar emprego na internet. Certas empresas fazem as entrevistas por telefone ou por Skype. Como foi no meu caso, o hospital ofereceu-me alojamento durante 6 meses.

• Residir provisoriamente na casa de familiares ou amigos.

• Ou morar durante algum tempo num aparthotel ou mesmo num parque de campismo.

 

O valor das rendas variam muito com a localização, e quanto mais perto for de Paris mais caro se torna a renda. Em compensação, é muito mais fácil encontrar emprego.

 

Além disso, se a casa for arrendada a partir de uma agência temos que pagar as despesas de agência, que variam de agência para agência, normalmente o equivalente a uma renda.

 

Assim que se aluga uma casa/apartamento temos que ter em conta que temos que pagar os impostos desta.

 

Existem dois tipos de impostos a pagar por ano: o imposto de habitação e o imposto de proprietário. O primeiro é pago pelo inquilino e o segundo pelo proprietário (quem tem casa/apartamento próprios, tem que pagar os dois).

 

Esse imposto depende do município, da localização e da habitação, normalmente não varia muito do valor da renda paga.

 

Aqui ficam os sites mais conhecidos para quem está a procura de casa:

 

 

http://www.century21.fr/

http://www.logic-immo.com/

http://www.laforet.com/

http://www.apartmentparis.fr/

http://www.seloger.com/

http://www.parisattitude.com/

http://www.locservice.fr/

http://www.acheter-louer.fr/

http://www.leboncoin.fr/

http://www.annoncesjaunes.fr/immobilier-location

http://www.annoncesjaunes.fr/

CURSOS DE FRANCÊS GRATUITOS EM FRANÇA

Não sei se em Portugal também existe, mas na França existem cursos gratuitos para aprender a língua francesa.

 

Ora, esses cursos são uma mais valia para quem acaba de chegar e pretende aprender ou até mesmo aperfeiçoar a língua.

 

Para as pessoas de países que nãopertencem à Comunidade Europeia, a França dá cursos gratuitos, para as que pertencem à Comunidade Europeia existem cursos nas Câmaras Municipais (mairies) a preços convidativos. Também é possível se inscrever, em cursos de francês, através do Centro de Emprego (pôle emploi), sobretudo se o Centro de Emprego achar que é importante para encontrar trabalho.

 

No entanto, nem todas as Câmaras Municipais e Centros de Emprego funcionam da mesma forma, tudo depende um pouco da região, em alguns sítios este processo pode ser moroso.

 

No meu caso foi super simples, tive conhecimento destes cursos através de uma enfermeira portuguesa que já cá estava e já tinha frequentado. Fui directamente ao centro, juntamente com o meu marido, fizemos um teste linguístico e ficamos de imediato inscritos para um ano lectivo (pagamos apenas 23euros). O curso é leccionado várias vezes por semana, quer em horário laboral e pós-laboral e podemos frequentar todas as aulas que quisermos, o que se torna fácil quando se trabalha por turnos.

 

Aqui fica o site para quem pretende informações sobre esses cursos, na Île de France: http://www.reseau-alpha.org/

COMO APRENDI FRANCÊS

Antes de decidir emigrar sabia que era preciso aprender francês. Não vou dizer que não tinha nenhumas noções porque estaria a mentir. Sim, tinha algumas bases da escola (do ciclo e do secundário) e gostava da língua, mas sabia que não era o suficiente até porque não praticava o francês há  algum tempo.

 

Perguntei-me muitas vezes se seria capaz de aprender sozinha tudo o que era preciso para trabalhar como enfermeira noutro país, pois sabia que era imprescindível saber falar e escrever para trabalhar.

 

Hoje acredito que toda a gente é capaz de aprender sozinha uma língua, mas para isso é preciso disciplina e determinação. E se tivermos alguém que estude connosco ou tenha o mesmo objectivo que nós, tudo se torna ainda mais fácil.

 

Comecei por estudar sozinha… Tinha os meus livros de francês da escola, um dicionário, um livro de gramática, e alguns sites na internet… Estipulei o número de horas que teria que começar por estudar por semana, pois sabia que quanto mais estudasse semanalmente, mais rápido aprenderia.

 

A internet foi também imprescindível para desenvolver o meu vocabulário.

 

Com o tempo, sentia que o meu nível de francês ía evoluindo, começava a ser capaz de ler blogs/sites de notícias estrangeiras, era mais fácil assistir a filmes estrangeiros (em francês), claro que com muitas limitações… Mas sem dúvida que me ajudaram imenso.

 

No entanto, e como o meu objectivo no início era ir para a Suiça, haviam pessoas que diziam que era preciso ter um certificado internacional da língua… Pesquisei na internet e encontrei a “Alliance Française” (http://www.alliancefr.pt/), onde fiz um teste para verificar o meu nível de francês… Inscrevi-me, frequentei alguns cursos e apesar destes serem um pouco dispendiosos, não me arrependo de os ter feito pois foram uma mais valia para mim. Ao mesmo tempo, obrigavam-me a estudar quando não tinha vontade, a cumprir horas de estudo, e a alcançar mais depressa os meus objectivos, porque quando se trabalha e se estuda ao mesmo tempo, arranjamos sempre uma desculpa para não estudar…

 

Hoje olho para trás e vejo que tudo isto foi importante para me ajudar a aprender francês.

 

Estou em França há um ano, sei muito mais do que sabia há um ano atrás, porque quando vivemos no país aprendemos ainda mais.

 

Tenho ainda muito para aprender, muitas vezes ainda tenho dificuldade em me exprimir, há expressões e palavras que não conheço… E apesar de me dizerem que até “falo bem francês”, estou ciente das minhas limitações, e tenho a perfeita noção que o caminho ainda agora começou!

 

 

Deixo aqui  alguns sites que eu aconselho a quem quer aprender ou até praticar Francês:

 

http://www.busuu.com/aprende-frances-online

pt.babbel.com/

http://www.tv5.org/

http://livemocha.com/

http://www.tresbienfrench.com/

 

      

 


 
 
 

PALAVRAS E FRASES BÁSICAS EM FRANCÊS

 

Para quem não tem muitas noções de francês aqui vai um pequeno capítulo dedicado a palavras e expressões básicas que podem ser muito úteis... 

 

 

COMO CUMPRIMENTAR

 

Bom dia – Bonjour 

 

O “bonjour” utliza-se para grande parte do dia... Para os franceses, a educação é um elemento fundamental, por isso sempre que abordar um francês para perguntar ou pedir alguma coisa diga um super “bonjour” com um belo sorriso. Se fôr uma mulher, diga “bonjour Madame” e se fôr um homem diga “bonjour Monsieur”.

 

Boa noite – Bonsoir

 

Utilizado ao fim do dia, a partir das 18 ou 19 horas.


Bem-vindo - Bienvenue 

 

Olá – Salut 

 

Utilizado entre pessoas que se conhecem. Entre desconhecidos, prefira o clássico “bonjour”.

 

Muito prazer – Enchanté(e) (masculino/ feminino)

 

Chamo-me… – Je m’appelle

 

Como se chama? - Comment vous appelez-vous?

 

Como está? - Comment vas-tu? ou Ça va?  - Se você conhecer a pessoa 

Comment allez-vous? - Para desconhecidos e de uma forma mais impessoal

 

Tenha um bom dia – Bonne journée 

 

Tenha uma boa noite – Bonne soirée 

 

Adeus – Au revoir

 

Até logo – À tout à l’heure 

 

Até breve / até à próxima – À bientôt

 

 

 

PALAVRAS DE CORTESIA

 

Obrigado(a) / Muito obrigado(a) – Merci / Merci beaucoup 

 

Diga sempre “merci” no fim, quando pedir ou perguntar alguma coisa a um francês.

 

Agradeço-lhe a sua ajuda – Je vous remercie de votre aide 

 

De nada / não tem de quê – De rien / il n’y a pas de quoi 

 

Não tem de quê - Je vous en prie

 

Bom apetite - Bon appétit

 

À sua saúde - A votre santé

 

Prazer em conhecê-lo -Ravi de vous rencontrer

 

Por favor – S’il vous plaît 

 

Desculpe – Pardon 

 

Com licença – Excusez-moi 

 

Desculpe o atraso – Désolé d’être en retard 

 

Desculpe o incómodo – Désolé de vous déranger 

 

Não tem importância – Ce n’est pas grave 

 

Desejo-lhe uma boa viagem – Je vous souhaite un bon voyage 

 

 

 

PEDIR INDICAÇÕES / INFORMAÇÕES

 

Qual é o preço? - Quel est le prix?

 

Quanto custa? - Combien ça coûte?

 

O que é isso? - Qu'est-ce que c'est?

 

Vou levar - Je le prends

 

Gostaria de comprar… - Je voudrais acheter …

 

A Senhora/O Senhor tem …? - Avez-vous ... ?

 

Aceita cartões de crédito? - Acceptez-vous les cartes de credit?

 

Vou pagar em dinheiro – Je veux payer en espèces 

 

Aberto - Ouvert

 

Fechado - Fermé

 

Tem este tamanho …? - Auriez-vous cette taille…?

 

Onde fica a rua / praça / avenida – Je cherche la rue / place / avenue 

 

Vá: à direita / à esquerda / sempre em frente – Allez: à droite / à gauche / tout droit


Desculpe, não entendi – Pardon, je n’ai pas compris  

 

Pode falar mais devagar por favor? - Pouvez-vous parler plus lentement s’il vous plaît

 

Não falo francês - Je ne parle pas français

 

Como se diz (…) em francês - Comment dit-on (…) en français ?

 

Fala inglês / português / espanhol? - Parlez-vous anglais / portugais / espagnol?

 

A conta por favor – L’addition s’il vous plaît 

 

 

 

 

 

RER - UMA OPÇÃO PARA CONHECER PARIS

O RER é o comboio da região parisiense (Île de France), a sigla RER significa Réseau Express Régional  (rede expressa regional).

 

Considero que seja uma opção prática, rápida e económica, para quem quer conhecer mais um pouco de Paris.

 

Existem 5 linhas, identificadas  pelas letras – A, B, C, D e E, e cada uma tem uma cor diferente. A linha A é vermelha, a B é azul, a C  é amarela, a D é verde, e a E é lilás.  

 

Existem comboios que são mais rápidos que outros, ou seja, há uns que param em todas as estações até o destino final, há outros que não param em todas estações e ainda há aqueles que saem de Paris e vão diretos.

 

Em algumas estações, dentro da cidade de Paris, as linhas de metro cruzam com as linhas de RER, aqui deve ficar ainda mais atento nas indicações para não se enganar se tiver que trocar de linha. Além disso, em alguns casos, como é o caso da linha A  (que nos leva a Disney Paris e ao outlet Marne la Valley) existe uma bifurcação na linha do comboio, verifique sempre a direção nos painéis antes de subir no vagão, para não ir parar numa estação que não deseja.

 

Os bilhetes (ticket) podem ser comprados nas estações de comboio e de metro e até mesmo em quiosques.

 

O site da companhia encarregada dos transportes de Paris oferece mapas importantíssimos, não só do mapa do RER como também do metro e das linhas de autocarro. Não deixe de visitar: http://www.ratp.fr/

 

 

 

COMPANHIAS AÉREAS QUE OPERAM DE PORTUGAL / PARIS

Aqui fica uma lista das companhias aéreas que operam de Portugal para Paris e vice-versa. O objectivo é dar a conhecer as vantagens de cada companhia aérea na hora de ver os preços. Tenho a certeza que vai ajudar muita gente!

 

 

Para que fique ainda mais fácil achei por bem especificar para onde é que estas companhias operam exactamente, assim fica mais fácil escolher para quem quiser viajar até Paris!

 

 
 

Pág. 1/2