Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Nossas Voltas

A vida dá muitas voltas, e foi numa dessas voltas, que nos tornamos emigrantes e viemos parar a Paris. Um blog sobre um pouco de mim, um pouco de nós, o dia-a-dia e não só.Simples mas cheio de ternura e dedicação!

MINI-FÉRIAS

IMG_7259.JPG

Já vos tinha falado que íamos comemorar as nossas bodas de madeira num fim-de-semana prolongado... Pois é, é já amanhã... Juntamos o útil ao agradável,  aproveitamos o facto de ser feriado amanhã, e termos direito a fim-de-semana prolongado (de 4 dias), e partimos em direcção à La Rochelle, Île de Ré e Nantes... O bom disto tudo é que o tempo promete estar a nosso favor!

 

Por isso andarei um bocadinho mais ausente por aqui (dêem um saltinho pelo Instagram)... Mas não se preocupem, depois digo-vos como foi...

TEMPERATURAS ANORMAIS...

IMG_7255.PNG

Depois de semanas de frio e com a chuva sempre "à porta", parece que a Primavera decidiu transformar-se em Verão e compensar-nos desta forma: uma semana completa cheiinha de calor!

 

Diga-se de passagem que estas temperaturas não são nada habituais para esta altura do ano, e eu até confesso que prefiro, no máximo, uns 25 graus para trabalhar... Mas uma vez que quinta-feira é feriado, e temos fim-de-semana prolongado com direito a mini-férias e tudo, estas temperaturas chegam mesmo no momento certo!

 

Só não estou a gostar nada do panorama que depois se avizinha... Novamente chuva a partir do dia 31?! Espero que essa chuva não venha para ficar pois o Principezinho cá de casa faz o seu primeiro aninho brevemente e a festa está prevista ser ao ar livre... Haver vamos...

É COM CERTEZA UMA CASA PORTUGUESA

Este fim-de-semana fartei-me de rir quando uma colega de trabalho me perguntou se eu morava num apartamento ou numa casa... Respondi-lhe que morava num apartamento e perguntei-lhe o motivo da questão... Quando ela me responde: "era para saber se eras mesmo portuguesa, porque aqui em França é fácil descobrir quando é que a casa é de um português, basta olhares para o jardim... Se encontrares estas couves altas (rapidamente fez uma pesquisa no Google e encontrou a imagem que partilho aqui com vocês) a casa é de certeza de um português!" 

 

E não é que hoje fomos visitar uma amiga que está grávida, e tem um jardim em casa, e as famosas couves portuguesas estavam lá plantadas, lembrei-me logo da peripécia  deste fim-de-semana... É caso para dizer, se vires couves num jardim, já sabes, é com certeza uma casa portuguesa! (Eh... Eh... Eh...)

IMG_7254.JPG

BODAS DE MADEIRA

IMG_7253.JPG

Hoje completamos 5 anos de casamento, uma mão completa, onde cada dedo simboliza um ano, cada um com histórias diferentes, mas todos eles com o mesmo sabor de sempre: muito companheirismo, muita alegria, muitos sonhos sonhados e outros até vividos... 

 

 

Diz a tradição, que o símbolo do quinto aniversário de casamento é a madeira, que simboliza o fortalecimento e "enraizamento" da relação, que começa agora a gerar "galhos" (filhos), assim como as árvores... E não é que foi mesmo assim connosco?

 

Para comemorar esta data decidimos aproveitar um fim-de-semana prolongado, que se avizinha, e viajar um bocadinho cá dentro, de modo a conhecermos mais outro cantinho da França... E mais não posso desvendar porque se não corro o risco de estragar a supressa... ❤️

KIT DE AMAMENTAÇÃO

Posto fim a este capítulo das nossas vidas, achei que seria bastante útil partilhar os produtos que considero indispensáveis para o sucesso da amamentação.

 

Para quem pretende amamentar, o ideal é comprar todos os artigos antes do bebé nascer, pois todos eles são bastante úteis desde o primeiro dia.

 

1. Almofada de Amamentação 

IMG_7250.JPG

Ora aqui está um artigo que aí já tinha destacado num post quando estava grávida, e que eu recomendo comprar. Para mim teria sido muito mais difícil amamentar se não tivesse comprado este artigo, tanto eu como o Gui ficavamos super confortáveis na hora da amamentação, foi realmente muito, muito, útil!

 

2.  Soutien de Amamentação 

IMG_7243.JPG 

Os sutiãs de amamentação são importantes pois evitam a distensão dos ligamentos. Devem ter alças largas e que sustentem bem as mamas, evitando dor e desconforto. O ideal é comprar alguns (entre 4 a 6) para permitir que possa ser trocado sempre que houver algum desconforto, de forma a manter também uma boa higiéne. Porém, deve evitar-se comprar soutiens com muita antecedência, uma vez que não é possível prever as alterações do corpo após a gravidez.

 

3. Protetores de Seios descartáveis 

IMG_7245.JPG 

Os protetores de seio descartáveis servem para absorver e proteger contra as perdas de leite, por isso são uma excelente opção para manter os seios secos. O ideal é usar de forma contínua, tanto de dia como de noite.

Da minha experiência, aconselho os descartáveis pois são muito mais confortáveis, práticos e higiénicos. 

 

4. Pomada Lansinoh Lanolina pura Proteger os Mamilos 

IMG_7244.JPG 

Uma pomada indispensável que ajuda a aliviar os mamilos sensíveis ou secos e a formar uma barreira protetora adicional nos mamilos doridos ou irritados durante a amamentação (pode ser utilizado durante a gravidez).

Aconselho esta marca, que me recomendaram na maternidade, e que é um verdadeiro milagre. Nunca tive qualquer problema! Além disso é 100% segura para o bebé e não precisa de ser removida antes de amamentar. A melhor opção do mercado.

 

5. TheraPearl terapia 3 em 1 Lansinoh

IMG_7246.JPG 

Estes saquinhos são na verdade compressas que podem ser utilizadas quentes ou frias, eficientes para aliviar dores provocadas por mastites, ductos obstruídos e ingurgitamento dos seios. São 100% seguras, laváveis e reutilizáveis.

 

6. Bomba tira leite eléctrica natural da PHILIPS AVENT

IMG_7242.JPG 

Mesmo no primeiro mês de vida do bebé, este aparelho é fundamental quer para quando se dá a subida do leite quer para estimular a produção ou até para armazenar leite quando fizer falta.

Comprei esta máquina depois de uma pesquisa intensiva na internet, e foi uma boa escolha pois além de ser prática, a pressão pode ser ajustada, e não provoca qualquer dor! Uma excelente escolha.

 

7. Sacos para armazenar leite materno Lansinoh

IMG_7249.JPG

Para quem pretende armazenar leite no congelador é fundamental comprar este tipo de saquinhos.

Recomendo esta marca por serem bastante práticos e funcionais: podemos registar a data, a hora, bem como outros dados pertinentes.

  

E por aí, alguém utilizou mais algum produto que acabou por ser imprescindível?

DE CORAÇÃO CHEIO ❤️

IMG_7233.JPG

Ontem fui trabalhar e à minha espera tinha um presentinho de uma doente que tinha alta e que pensava que eu hoje não ía trabalhar...

 

Numa espécie de guardanapo, cuidadosamente dobrado, com o meu nome escrito, estava uma prendinha que ela entregou à minha chefe para ela me entregar... Fui surpreendida com um belo relógio de bolso de Enfermeiro juntamente com um papelinho que dizia: "Avec mon amical souvenir", que é como quem diz "aqui deixo uma lembrança amiga"...

 

A doente ficou super contente por me ter dado uma lembrança (que ela própria comprou numa pequena loja que existe na entrada do hospital) e eu fiquei com o "coração cheio" por saber que tinha feito diferença durante o seu internamento.

 

Prometi que iria usar o relógio no trabalho, e que ía guardar carinhosamente o papel que ela tinha escrito... Sei que um dia corro o risco de perder o papel, por ser demasiado pequenino, mas agora que o fotografei e partilhei aqui com vocês, ficará para sempre guardado neste cantinho! ❤️

ÇA VA?

Se vieram até aqui, e não "pescarem patavina" de francês, para além do tradicional "Bonjour" (Bom Dia, em português) saibam que existe um diálogo simples, muito utilizado aqui, e que podem memorizar para utilizar em quase todas as ocasiões... (Eh... Eh... Eh...)

IMG_7231.JPG

(Que é como quem diz: "-Tudo bem? - Tudo bem. Tudo bem? - Tudo bem!")

 

UM BELO CAPÍTULO QUE CHEGOU AO FIM...

Antes de ficar grávida, já tinha conhecimentos sobre a importância da amamentação, conhecimentos estes adquiridos durante o meu curso de enfermagem... Talvez por isso nunca tive dúvidas que um dia, assim que tivesse um filho, fosse amamentar... Não condeno, nem julgo quem opta pelo aleitamento artificial, mas quem me segue sabe bem o quanto defendo este tipo de alimentação natural.

 

Confesso que, mesmo tendo todos os conhecimentos necessários, tive muitas dúvidas, quer durante a gravidez, quer quando o Gui nasceu... Existe uma grande distância entre o que uma pessoa pensa que vai ser capaz de fazer ao acontecer...

 

Sabia que o início não ía ser assim tão expontâneo e evidente, e confesso até que pensava que ía ser um bocadinho mais fácil...

 

No primeiro mês, desistir passou-me pela cabeça umas centenas de vezes, tinha receio de não estar a alimentar suficientemente o Gui... Depois vinham as consultas semanais onde o Gui era pesado e depressa as dúvidas desapareciam e a confiança em mim era maior.

 

Os primeiros 3 meses foram, sem dúvida, os mais cansativos, o Gui demorava imenso tempo a mamar, mamava a cada duas horas (tanto de dia como de noite), tinha algumas dores e  andava super cansada. Mas o pior aconteceu quando o Gui tinha dois meses e meio... Fiz uma mastite na mama direita e quase que desisti de amamentar... Estávamos de férias em Portugal, de um dia para o outro a mama direita começou a ficar engurgitada, e depressa se formou um grande abcesso... Parecia que tinha uma bola de ténis, na mama... As dores eram imensas... Fiz de tudo para conseguir reverter esta situação... Desde massagens, com quente e frio, passando por colocar o Gui a mamar em "N" posições diferentes até a utilização da bomba de extracção de leite... Nada resultou, o abcesso parecia querer ficar... Não dormia em condições, tinha dores horríveis e estava exausta... Comecei então a fazer febre... Entre as idas aos Centros de Saúde, anti-inflamatórios e antibiótico, acabei por ir parar ao serviço de Urgências onde fui submetida a uma drenagem de abcesso... A partir daqui as dores começaram a desaparecer... Fiquei com um dreno, tive uma semana a fazer tratamento diário (e graças à boa vontade da vizinha dos meus pais, que também é enfermeira, tive a sorte de fazer os tratamentos em casa, todos os dias vinha-me "fazer o penso")... Foram 15 dias péssimos... Coloquei tudo em questão, pensei em desistir de amamentar, mas não o fiz, e mesmo com o abcesso, e com o dreno na mama, amamentei sempre!

 

Confesso que tive muito medo de voltar a passar por isto novamente, e disse a mim mesmo que se voltasse a acontecer teria que desistir. Felizmente não se repetiu, o processo de amamentação acabou por se tornar natural e simples, conseguimos estabelecer aquela "relação especial tão desejada"...

 

Uns dias antes do Gui completar 10 mesinhos, recomecei a trabalhar, mas com um horário de trabalho de 12 horas/dia e com o Gui a acordar a cada 3 horas para comer, andava demasiada cansada... Foi então que achamos que era a altura de começar a introduzir o leite artificial, porque não sabíamos quanto tempo seria preciso para o Gui se habituar... Falei com a Pediatra, compramos o leite que ela nos indicou e, aos 10 meses e meio o Gui bebeu então pela primeira vez leite artificial... Em dois dias o Gui rejeitou completamente a mama e nunca mais quis mamar! Nunca pensei que ele fizesse um desmame tão repentino e fácil. Foram 10 meses e meio que ficarão bem guardadinhos na minha memória...

 

Para trás ficam só as belas recordações e também aquelas situações mais caricatas (se é que lhe podemos chamar assim)... As vezes que tive que amamentar no carro porque não haviam locais apropriados para o fazermos confortavelmente, o Gui distraísse imenso, além disso não me sentia à vontade em fazê-lo no meio de uma multidão... Sem falar daqueles cantinhos de amamentação/fraldários que não lembram ao menino Jesus, que cheiravam a esgoto, ou pareciam saunas (no Verão) ou então arcas frigoríficas (no Inverno)... 

 

E se no início tinha muito pudor, o tempo e a naturalidade do acto acabaram por resolver este meu "problema"... Tive sempre cuidado de fazê-lo discretamente, até porque aqui em França sentia-me um bocadinho "estranha", era raríssimo ver alguém a fazê-lo.. Nunca usei nenhum avental ou lenço porque o Gui suava imenso e não suportava estar tapado... Tenho algumas fotografias a amamentar que registam com carinho esses belos momentos, e lamento não o ter registado muito mais...

 

Como foram mágicos estes 10 meses e meio... Como fomos felizes... Como foi bom para mim e, muito mais ainda, para o Gui... Sinto-me uma felizarda por o ter feito e voltaria a repetir tudo novamente, mesmo com todos os obstáculos que tivemos. Quem já amamentou sabe bem do que falo, e apesar de existirem sempre alguns momentos difíceis, na realidade quase ninguém acaba por os contar porque, quando falamos da amamentação, não nos lembramos das coisas difíceis, lembramo-nos apenas das coisas maravilhosas que ela nos dá!

IMG_7223.JPG

DIA INTERNACIONAL DO ENFERMEIRO

"O princípio da Enfermagem é o CUIDAR. Mesmo que não haja possibilidade de cura, sempre haverá o cuidado. Isso nos torna imprescindíveis, essenciais."

 

A mim, e a todos os colegas Enfermeiros, que lutam por fazer a diferença, os meus sinceros PARABÉNS! Hoje o dia é nosso ❤️

IMG_7214.JPG

O GUI FEZ 11 MESES

E de repente o Gui completou 11 mesinhos no passado sábado... E que crescido está o nosso Principezinho, estes 11 meses passaram mesmo demasiado rápido...

 

Fomos à consulta dos 11 meses na passada quarta-feira, dia em que apanhou as vacinas, e ficamos a saber que pesa agora 9kg650 gr e continua a medir 74cm (este mês não cresceu).

 

As três grandes novidades deste mês foram:

- o aparecimento de mais dois dentes em cima, quando completou 10 meses e meio; 

- o fim da amamentação, bebé 2 biberões de leite artificial por dia, cada um de 210ml, um por volta da 1h e outro por volta das 6h (quando completou 10 meses e meio comecei a introduzir, pela primeira vez, leite artificial e em 2 dias o Gui não quis mais ser amamentado! Falarei deste assunto num próximo post);

- e a primeira otite (uma experiência que espero não voltar a repetir...). 

 

A sua personalidade está agora ainda mais vincada do que quando completou 10 mesinhos, detesta que o contrariem, odeia que lhe troquem a fralda, vestir é outra aventura e adormecer não é nada fácil (pode estar super cansado que faz imensa birra para dormir... É cá uma luta... Eh... Eh... Eh...)

 

Faz cada vez mais birras, e passa o tempo a desafiar-nos para coisas que já sabe que vamos dizer "não"... Está um verdadeiro traquina! 

 

A parte super fofa é que começou a demonstrar carinho, adora encostar a cabeça dele à nossa e lançar um mega sorriso que faz derreter qualquer coração. 

 

Começou a compreender várias palavras e ordens, e a obedecer a coisas simples. Adora ouvir com atenção os adultos a falar e quando estamos ao telemóvel procura estar quieto e atento ao que dizemos (é mesmo giro!).

 

Palra cada vez mais, grita super alto quando está contente e dá gargalhadas contagiantes. O engraçado é que começou a tentar imitar-nos!

 

Adora gatinhar, gatinha super rápido levantando mais a perna direita como que a dar um impulso, adora andar agarrado às coisas ou agarrado aos adultos, adora trepar e tenta subir para os móveis e para o sofá... Tem muito mais equilíbrio e consegue até equilibrar-se sozinho por uns segundos. É louco por comandos de televisão e garrafas, adora o forno e a máquina de lavar, e sempre que tem uma oportunidade procura abrir portas e gavetas... Agora, mais do que nunca, não o podemos deixar sozinho, nem um segundo! 

 

Senta-se sem ajuda e por iniciativa própria e, quando quer um objecto específico, é capaz de apontar com o dedo e emitir um som como se estivesse a fazer um pedido. 

 

Continua a não gostar de dormir, de noite dorme uma média de 8 horas (sem descontar aquele tempo em que acorda para comer) e de dia dorme um total de 2 horas no máximo!


Em relação à alimentação, o panorama não começou a ficar nada agradável... Por volta dos 10 meses e meio começou a ser difícil dar de comer ao Gui... Faz imensas birras e, quase sempre, só aceita a comida se estiver a ver desenhos animados (não sei como ele apreendeu a fazer isto... Vamos lá ver se esta fase acaba rápido!).

 

A parte mais divertida é que ele continua a delirar que dancem com ele, cantem, que falem, que o movimentem no ar, que brinquem, que lhe façam cócegas, que atirem objectos para o ar e que joguem ao "cu-cu" com ele... Momentos de genuína diversão onde nos divertimos imenso os 3! 

 

E apesar das pequenas "dificuldades" que foram surgindo neste mês, nada se compara à felicidade que sentimos por vermos o nosso Principezinho saudável e feliz! 

 

Agora entramos em contagem decrescente para o Primeiro Aniversário... Um dia que promete ser repleto de boas emoções!

IMG_7208.JPG

FESTIVAL INTERNACIONAL DE FRANCESINHAS

IMG_7193.JPG

Tendo em conta o grande sucesso do ano passado, o Festival Internacional Francesinhas torna a estar presente em Paris, na Expo Porte de Versailles. 

 

Este ano, para além de Paris, o Festival estará, pela primeira vez, em Genebra, Luxemburgo e Londres! 

 

Aqui fica a sugestão para quem gostar de francesinhas e estiver por estas bandas... 

UM EXEMPLO A SEGUIR

IMG_7188.JPGQuando trabalhava em Portugal, levava sempre o almoço ou o jantar de casa, pois ir à cantina do hospital acaba por ser dispendioso no final do mês... Confesso que não me lembro exactamente quanto pagava por cada refeição, até porque foram poucas as que fiz, mas ficava sempre entre os 4 - 5€... 

 

Aqui em França, como antes do Gui nascer trabalhava apenas no turno da noite, não tinha noção dos preços que se praticavam, pois as refeições eram feitas todas em casa. Agora que recomecei a trabalhar, e mudei para o horário diurno rapidamente cheguei à conclusão que não compensa nada levar a marmita de casa...

 

A cantina do hospital, onde trabalho, pratica preços surpreendentes, e por menos de 1.5€ podemos almoçar um prato de carne ou peixe, com a quantidade de acompanhamentos que quisermos! Uma verdadeira pechincha, não acham? E se quisermos, por pouco mais de 1€, podemos levar uma entrada e uma sobremesa. 

 

Pelos visto, estes preços são praticados em várias cantinas de hospitais, uma forma de facilitar a vida a quem trabalha! É pena que em Portugal não se faça a mesma coisa...

 

Aqui fica um exemplo que todas as empresas deviam seguir...

A IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO

IMG_7170.JPG

Hoje o Gui foi ao Pediatra à consulta dos 11 meses (ainda vai fazer sábado, mas a consulta foi marcada uns dias antes), e tal como estava previsto, tendo em conta o sistema de saúde francês, o dia foi marcado por mais duas vacinas...

 

Confesso que nestas alturas, e mesmo sendo enfermeira, o coração de mãe grita mais alto, por isso custa sempre um bocadinho ver o nosso bebezinho a "sofrer" naquele momento... Mas hoje não custou rigorosamente nada, e por incrível que pareça o Gui não chorou, nem gritou... Parecia uma verdadeiro "homenzinho"... Foi mesmo engraçado ver a sua boa disposição do princípio ao fim!

 

Sei que ainda existem muitos pais que não estão cientes da importância da vacinação, outros que são contra as vacinas e optam por não vacinar os filhos, e outros que desconhecem a existência de um plano nacional de vacinação... 

 

Como mãe, e enfermeira de profissão, achei que seria bastante útil fazer um post muito resumido sobre a importância da vacinação, um tema que faz bastante sentido sobretudo, tendo em conta a existência de alguns "grupos anti-vacinação” que têm surgido no mundo inteiro.

 

O que são vacinas?

Vacinas são preparações produzidas com bactérias ou vírus (ou partes deles) mortos ou enfraquecidos (microorganismos vivos atenuados) que ao serem introduzidos no corpo do ser humano, provocam uma reação (imunização) do sistema imunológico, promovendo a produção de anticorpos contra aquela substância. Desta forma, a vacina vai preparar o organismo do ser humano para que, em caso de infecção por aquele agente patogênico, o sistema de defesa possa agir com força e rapidamente, o que faz com que a doença não se desenvolve (ou, em alguns casos, se desenvolve de forma branda).

 

Porque são importantes?

As vacinas são de facto importantes pois protegem-nos contra várias patologias, que antes eram responsáveis por epidemias e grande mortalidade. Foi graças à invenção das vacinas e da aplicação de planos de vacinação que várias doenças foram controladas, e algumas até erradicadas, o que permitiu uma maior longevidade para a população mundial.

Quem não se vacina não coloca apenas a própria saúde em risco, mas também a dos seus familiares bem como todas as outras pessoas com quem tem contato, além de contribuir para aumentar a propagação de doenças.

Doenças como a difteria, a tuberculose ou mesmo o sarampo, podem matar. Antes da vacina, centenas de crianças ficavam paralíticas devido à poliomielite. Estar vacinado é a melhor forma de se proteger de uma variedade de doenças graves e das suas complicações, que podem levar à morte.

  

Serão realmente seguras?

As vacinas são o resultado de muitos anos de investimento em pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico, por isso a margem de segurança é bastante elevada, além de serem seguras são consideradas essenciais para a saúde pública.

É óbvio, que como qualquer medicamento, estas possuem alguns efeitos secundários, efeitos estes que costumam ser leves e não são nada quando comparados com as doenças evitadas por essas vacinas.

O uso de vacinas tem maior custo-benefício no controle de doenças que o de medicamentos para sua cura, é muito mais fácil e barato evitar a doença do que se submeter a ela e fazer qualquer tipo de tratamento.

 

Qual o perigo da "não vacinação"?

A resistência das pessoas à vacinação é um problema que merece a nossa preocupação: em alguns países, doenças que tinham sido erradicadas, voltaram a preocupar a Organização Mundial de Saúde (OMS). O mais alarmante é, que  a maior parte dessas doenças podiam ser prevenidas através de sistemas de vacinação já  implementados nesses países, mas que as pessoas se recusam a cumprir.

É essa resistência de algumas pessoas que faz com que algumas doenças não sejam, definitivamente, erradicadas. Por exemplo: se uma criança não vacinada viajar para um país onde a doença ainda não foi erradicada, ela pode contrair essa doença e trazer o vírus para o seu país.

A não vacinação não representa risco apenas para a criança, mas sim para todas as outras pessoas com quem ela tenha contato.

 

Quando vacinar? 

De uma forma geral, a vacinação deve iniciar-se em bebé, sendo a maior parte das vacinas dada durante os primeiros 2 anos de vida. 

Cada país tem o seu próprio calendário anual de vacinação, daí que não exista um programa de vacinação universal.

Para saber se o seu esquema de vacinação está ou não em dia, nada melhor que dirigir-se a um profissional de saúde.

A título indicativo, deixo aqui o esquema de vacinação francês e o português, deste ano, que de uma forma geral se assemelham bastante...

 

1. Plano de Vacinação Francês

IMG_7182.JPG

Nota: Em França, a vacina da "Difteria, tétano e tosse convulsa", a partir dos 10 anos, segue exactamente o mesmo esquema do programa nacional de vacinação português: 25 anos, 45 anos, 65 anos e, a partir daqui, de 10/10 anos.

As grávidas, assim como o progenitor (pai), devem ser vacinação contra a "Difteria, tétano e tosse convulsa".

 

2. Plano de Vacinação Português 

IMG_7181.JPG

A MINHA DESPEDIDA DE SOLTEIRA...

... Foi há 5 anos atrás...

Uma belíssima surpresa organizada pelas minhas amigas e família...

 

As imagens falam por si...

 

Vestidas de cheerleaders...

Rumo à Baixa do Porto...

Com direito a uma Limusine...

 

Escusado será dizer que fizemos imenso sucesso naquele dia!

 

E por mais anos que passem, guardarei para SEMPRE, na minha memória,

aquele inesquecível dia 28 de Abril de 2012! 

IMG_7167.JPG

CARRINHOS DE COMPRAS ESPECIAIS

Desta última vez que fomos a Stuttgart, ao entrarmos num simples supermercado, deparamo-nos  com algo que não nos deixou indiferente: uma zona especifica haviam uns carrinhos de compras com cadeiras de bebés! Mas que bela ideia esta, só é pena não existir cá em França porque era super prático para eu ir às compras com o Gui... Já tentei, algumas vezes, colocá-lo sentado no carrinho de compras mas como ele ainda é pequeno desiquilibra-se com facilidade, sem falar que aquele "assento" não é minimamente seguro, pelo que se torna demasiado perigoso.

 

Aqui fica a ideia...

 

Pode ser que algum "iluminado", responsável por alguma superfície comercial, encontre este meu post e decida colocar em prática esta ideia vinda da Alemanha.

 

Aqui em França duvido que esta ideia alguma vez seja posta em prática uma vez que aqui faltam coisas tão básicas como espaços adequados para trocar as fraldas aos bebés, espaços para aquecer a comida aos bebés, casas de banho nos supermercados, espaços destinados à amamentação, etc... etc... Enfim... Num país onde a taxa de natalidade é elevada até parece mentira o que estou aqui a escrever... Mas acreditem que é a pura realidade! Portugal está "anos luz" muito mais avançado no que diz respeito a esses espaços para mães e bebés... Achao que em Portugal só faltam mesmo estes carrinhos de compras para tudo ficar perfeito!

IMG_7155.JPG